Contador:
Última atualização: 25/01/2021

Capítulo 1


Aeroportos eram conhecidos pelo frio dos corredores, pela correria, malas indo e voltando, despedidas, reencontros, lágrimas, medos e solidão. Nesses últimos anos, eles se tornaram comuns para mim. Foram em diversas conexões que conseguia falar com minha família e matar a saudade que sentia de casa, dos abraços da minha mãe, da alegria do meu cachorro ao me ver e até das intermináveis brigas com meu irmão. Eram naqueles momentos que eu percebia o quanto era bom estar com as pessoas que amamos. Sentada naquela poltrona, presenciei várias representações sobre os sentimentos que estava pensando. Ao ver uma mãe correr até seu filho que voltava de um intercâmbio, lágrimas desciam pelo rosto daquela mulher e, levada à emoção, meus olhos lacrimejaram.
Quando criança, achava que ser famosa era a profissão mais incrível que podia existir. Ser reconhecida pelo seu trabalho, ser amada por tantas pessoas e ver olhos brilhando ao receber um abraço era incrível. Mas não sabia que haveria um preço a se pagar e o valor era a minha saúde mental.
Sempre sonhei com o momento que me tornaria uma artista. Sempre gravava vídeos no quintal da minha casa em São Paulo. Todos os dias, ensaiava o meu discurso para quando fosse à uma premiação e, se alguém me contasse que todos os meus sonhos iriam se realizar, eu não acreditaria.
Quando fui chamada para a seleção de “Violetta”, uma série da Disney, nem acreditei que meu sonho estava prestes a se realizar. Embarquei para Buenos Aires tendo certeza que não voltaria. Minha mãe nunca aceitou a minha profissão e não permitiria que sua filha de quinze anos saísse debaixo de suas asas para morar com o seu pai em outro país. Ela sempre quis me manter longe da pessoa que mais odiava e, assim, acabava esquecendo dos meus sonhos. Ao contrário, meu pai nunca duvidou do meu talento e isso não o impediu de me inscrever naquela audição.
No dia da audição, cantei lindamente e conquistei meu espaço no mundo. Sempre fui conhecida pela minha delicadeza e simpatia, sempre tratava meus fãs com muito amor e carinho. Porém, com o passar dos anos, aquela rotina monótona foi deixando todos os integrantes desgastados. Foram anos de trabalho árduo. Nunca achei que meu sonho iria se tornar um pesadelo: dias sem dormir, turnês intermináveis, brigas, choros e, principalmente, a solidão. Para todos, o elenco era conhecido pela amizade, cumplicidade e união. Mas, no decorrer dos anos, começamos a nos estranhar e não aguentávamos as diferenças um do outro. Assim começaram as mentiras e as falsidades. Todos os dias, nos bastidores, brigávamos pelas coisas mais fúteis e sabíamos que não duraríamos muito tempo.
Na última temporada, desenvolvi uma depressão que tirou toda a minha alegria. Já não conseguia passar emoção nas minhas falas, não tinha mais vontade de cantar e, por ser a protagonista, os produtores me cobravam muito. Eu não poderia falhar, tinha que ser exemplo para dezenas de crianças e adolescentes.
O meu primeiro erro foi aos dezesseis anos quando fiz uma tatuagem no pulso direito com a frase que sempre me acompanhou: “All you need is love.” (Tudo o que necessita é amor). Assim que divulguei em meu Instagram, os produtores da série me ligaram e me criticaram. Eu já imaginava o bombeamento que levaria, porque a filosofia deles era exibir jovens “perfeitos” e prontos para listarem “as coisas boas da vida”. Para não ser desligada da série, tive que apagar a foto e comunicar meus fãs que aquilo era somente uma brincadeira. Em todas as gravações, eu tinha que parar para retocar a maquiagem que cobria a tattoo. Meus colegas de trabalho já estavam cansados das interrupções e isso foi causando desconforto. Para eles, eu tinha privilégios por ser a principal e, então, começaram a se afastar. Os únicos que sempre me entenderam foram e , que se tornaram meus melhores amigos e estamos juntos até o momento.
Fui desperta dos meus pensamentos por diversas crianças ao meu redor com celulares pedindo fotos. Achei que estava com meu melhor disfarce e tinha falhado. Não estava nos meus melhores dias, e ter que fingir estar bem era um saco. Tirei fotos, abracei, fui simpática e reparei que tinha uma menina ao meu lado me olhando e conversando com sua amiga. Me aproximei achando que ela queria um abraço e acabei ouvindo o que elas estavam falando.
— Deve ser frustrante para ela ver seus colegas de elenco em outros trabalhos e ela que era a principal jogada de escanteio.
Esse sempre foi meu medo, ser reconhecida para sempre como a menina que fez a tal personagem. Agora entendo como diversas atrizes como Miley, Selena e Demi se sentiam. Eu juro que tentei trazer conteúdo aos meus fãs e colocar na cabeça deles que meu nome era .
Entrei em contato com diversas gravadoras e nenhuma estava interessada no meu trabalho. Isso foi me deixando mal. Todos os integrantes já estavam com contratos assinados, participando de programas de TV e eu sempre me perguntava o que havia de errado comigo. E, automaticamente, meus pensamentos foram transferidos para o último show da turnê de despedida do elenco, que também pode ser chamado de: o pior dia da minha vida.


1º de novembro de 2015. Nice, França.

“— Mãe, acabamos de chegar no hotel. Vou fazer o check-in e já te retorno, pode ser?
Minha mãe não parava de tagarelar, dizendo que faltava pouco para nos vermos e eu mal sabia como contar que ainda ficaria mais um ano em Buenos Aires para ver se receberia alguma proposta. Ela estava tão animada com a minha volta que eu não queria decepcioná-la.
— Dona Sílvia, a senhora é muito desconfiada. Eu não estou te escondendo nada, realmente preciso desligar. Juro que te ligo assim que tirar um cochilo, eu não dormi nada no voo. Também te amo. Tchau.
Minha mãe conseguia me decifrar como ninguém. Sabia quando as coisas não estavam bem ou quando eu inventava de mentir. Sempre achei que ela tinha uma bola de cristal em casa, mas, depois, entendi que era intuição de mãe. Sempre foi muito cuidadosa com os filhos e, por isso, não aceitou o fato de eu ir morar em outro país conhecer outras pessoas e, principalmente, compartilhar momentos com meu pai. Ela nunca aceitou a minha aproximação com ele. Sempre dizia que estava a traindo. Mas eu não tinha culpa de amar meu pai, mesmo que os dois não estivessem juntos. Depois de muita insistência, ela me deixou voar e, hoje, diz que agradece ao meu pai por ter aberto seus olhos.
Ouvi batidas desesperadas no meu quarto e acabei tomando um susto. Corri e do outro lado estava , ofegante. Parecia que tinha corrido uma maratona.
— Menina, o que aconteceu? Por que está tão ofegante? — ela me olhava com pena. Seus olhos já estavam marejados quando me abraçou. — , você está me assustando!
Ela entrou no meu quarto e pediu para escutar tudo que tinha a dizer, para me acalmar e que tudo iria melhorar. Reforçou que eu era forte, mas, na altura do momento, eu já estava nervosa demais e com uma sensação ruim no meu coração. Aos poucos, ela foi recuperando o fôlego e começou a falar:
, você chegou a abrir seu Instagram nos últimos quarenta minutos?
— Claro que não, , estou sem carga. Assim que falei com a minha mãe, ele descarregou e fiquei com preguiça. Mas o que aconteceu para a senhora vir correndo desse jeito e com essas palavras? Parece que alguém morreu.
, é difícil falar isso... Mas o foi visto aos beijos com a Danielle no
Maison de la Truffe.
Minha cabeça começou a doer. Minha respiração começou a ficar pesada e já não estava mais segurando o choro.
— Fica calma, pelo amor de Deus. Eu achava que você já sabia, por isso vim correndo pra te ver.
, por favor, me deixa ver essa maldita foto!!! Eu não acredito que esse filho da puta fez isso comigo. Três anos juntos, TRÊS ANOS!
abriu o Instagram e a foto estava em todos os perfis de fofoca. Eu só reparei nos olhares apaixonados e na forma que ele a olhava, como se tivesse conquistando o seu amor de anos.
— Você está vendo essas trocas de olhares? Ele sempre disse que eu era louca de imaginar coisas entre os dois. As minhas crises de ciúmes não eram em vão. Eu não estava maluca coisa nenhuma.
Naquele momento, o celular de tocou e vi no visor o nome de . Ela atendeu e fui colocar o meu para carregar. Eu já imaginaria como estaria minhas redes sociais: milhares de mensagens, menções no Twitter, comentários em minhas fotos, ligações de todos os meus amigos. Quando decidi me entregar para , ele prometeu que nunca me magoaria e que, quando as coisas começassem a esfriar, iríamos sentar e tentar resolver a situação. Mas, pelo jeito, ele decidiu continuar a relação e engatar um novo romance escondido.
me avisou que teria que sair para resolver algumas coisas e pediu para que eu ficasse bem; me abraçou e saiu olhando para trás.
O aparelho que estava em minhas mãos já tinha dado sinal de vida e as notificações não paravam de chegar. Tinha ligações da minha família e várias perdidas de . A última coisa que eu queria era ouvir a voz dele.
Resolvi não responder ninguém e insisti em abrir o Twitter, mesmo sabendo que meu nome deveria estar nos assuntos mais falados do momento. Li alguns tweets que foram como facadas em meu coração. Mas o que me chamou a atenção foi a matéria de uma revista local da Argentina contando com todos os detalhes sobre o envolvimento deles. Parecia que eu gostava de me machucar. Poderia deixar passar, mas já era tarde e minha curiosidade foi maior.

BOMBA: O que levou a trocar por Danielle Comello?
TUDO AQUI NA SUA CENTRAL DE NOTÍCIAS

'Durante alguns meses, pudemos ver o distanciamento de e . Eles não estavam tão conectados nos stories como antes, e havia pouco envolvimento em praticamente todas as redes sociais. O casal queridinho da América do Sul estava se desfazendo aos poucos. A certeza veio com a foto bombástica de e Danielle, companheira de elenco de , aos beijos hoje em um dos restaurantes mais influentes da França. Os olhares apaixonados desse quase novo casal eram
mui calientes e parecia que estavam se curtindo muito.
Quem não deve estar curtindo muito é , que, para quem não sabe, protagonizou várias brigas com Danielle nos bastidores pelo seu ciúme excessivo e já foi ameaçada de ser desligada das gravações. Parece que a princesinha ciumenta de Buenos Aires estava certa.
Nosso público tem várias perguntas: há quanto tempo eles estão juntos? Como se sente sendo trocada pela sua maior inimiga? Já tentaram imaginar como estará o clima hoje nos bastidores do último show? Pegando fogo!
A coluna tentou contato com as assessorias de ambas as partes e não houve respostas.’


Minha vontade era de tacar o celular na parede, gritar e arrancar meus cabelos. Não me conformava com isso. Por que ele não acabou com a droga desse relacionamento já que não estava feliz? Não imaginei passar por algo parecido, e ador era forte. Liguei para minha mãe para avisar que tudo estava bem e resolvi dormir. Dali a algumas horas, teria que encarar uma arena lotada de fãs.”



•••


O anúncio de um voo me tirou dos meus pensamentos. Ainda estava focada na conversa daquelas meninas. Não sei se algum dia eu estaria liberta daquele pesadelo. Já fazia meses que tentava me recuperar daquele mal e, ver que ainda não tinha superado, me machucava muito.
— Amiga, eu até entendo ela — a menina ruiva começou a falar. — Não deve ser nada fácil encarar uma situação dessa. Ela foi traída pelo namorado no dia mais importante de sua vida. Era um encerramento de um ciclo e o babaca faz isso? A gente só vai entender quando passarmos por algo parecido, e não cabe a nós julgar.
Lembro como se fosse hoje da pressão para entrar naquele show. Recebi ligações da imprensa a todo momento querendo marcar entrevistas. Directs de milhares de fãs pedindo para eu não desistir da música; outros com palavras baixas desejando o meu sofrimento.


•••


“Seja forte, respire, você consegue...
Essas eram as palavras que estavam na minha cabeça durante todo o caminho para o show. Entrei pela porta dos fundos para não ser reconhecida e dei de cara com Danielle com um sorrisinho cínico nos lábios, esperando que eu falasse alguma coisa. Simplesmente virei a cara e passei reto. O que mais odiava eram os olhares de pena para mim. Não precisava disso.
A todo momento, eu estava tentando ser forte e não borrar a maquiagem. Recebi a opção de não fazer o show, mas recusei. Isso daria mais repercussão e eu não queria. Engoli e entrei no palco como se nada tivesse acontecido comigo. Aliás, ali não era eu, e sim a Violetta.
A música de encerramento era a abertura da série, mas a produção fez diferente: me deixou que eu cantasse alguma música autoral e, por um momento, achei que não seria justo com os outros integrantes. Não queria dar mais motivos para eles me odiarem. Porém, eu não estava mais ligando. Era meu último show, última vez vestida de Violetta, última vez que esconderia meus sentimentos e minhas vontades. Não hesitei em passar por cima de todas aquelas pessoas e fazer o que foi me passado.
— Pessoal, chegamos ao fim do show e quero agradecer vocês por nos acompanhar durante todos esses anos, por crescerem conosco. Foram momentos incríveis que serão guardados em nossos corações. Como todo fim de show, cantamos a abertura da série, mas, hoje, iremos mudar um pouco o roteiro. Vou apresentar a minha primeira música autoral e ela e se chama
illicit affairs. Espero que gostem.

Recomendo colocar illicit affairs da Taylor Swift a partir daqui

Ao ouvir os acordes, meus olhos lacrimejaram. Aquela música havia sido composta em umas das minhas discussões com e, em todas elas, o motivo era a Danielle. Nunca aceitei a aproximação deles. dizia que o sentimento entre eles era de irmãos e que se davam muito bem. Nesse dia, ele saiu chutando a porta do meu apartamento, dizendo que não dava mais para aguentar os meus surtos, que eu era muito insegura e que chegaria o dia que eu iria perdê-lo.

Make sure nobody sees you leave
(Tenha certeza que ninguém veja você sair)
Hood over your head, keep your eyes down
(Capuz sobre a cabeça, mantenha os olhos baixos)
Tell your friends you’re out for a run
(Diga a seus amigos que você saiu para correr)
You’ll be flushed when you return
(Você vai estar corada quando voltar)
Take the road less traveled by
(Pegue a estrada menos movimentada)
Tell yourself you can always stop
(Diga a si mesma que você pode parar quando quiser)
What started in beautiful rooms
(O que começou em quartos bonitos)
Ends with meetings in parking lots
(Termina com encontros em estacionamentos)

Eu ainda estava segurando as minhas lágrimas. Não queria me sentir tão vulnerável. Não queria chorar na frente dos meus fãs e muito menos na frente das pessoas responsáveis por isso. Olhava para aquela multidão e parecia que elas estavam me entendendo. Era tão difícil me sentir forte naquele momento e encarar tudo com a maior naturalidade.

And that's the thing about illicit affairs
(E é isso que acontece nos casos ilícitos)
And clandestine meetings and longing stares
(E em reuniões clandestinas e olhares ansiosos)
It’s born from just one single glance
(Eles nascem de apenas um olhar)
But it dies and it dies and it dies
(Mas morrem e morrem e morrem)
A million little times
(Um milhão de pequenas vezes)

Quando chegou na parte mais forte da música, olhei para o backstage. Lá estava o principal motivo dessa canção: o cara que foi meu primeiro namorado, meu primeiro beijo, minha primeira transa. Só que nunca imaginei que seria ele o primeiro a me destruir.

And you wanna scream
(E você quer gritar)
Don't call me kid, don't call me baby
(Não me chame de criança, não me chame de bebê)
You showed me colors you know I can't see with anyone else
(Você me mostrou cores que você sabe que não posso ver com mais ninguém)

Don't call me kid, don't call me baby
(Não me chame de criança, não me chame de bebê)
Look at this idiotic fool that you made me
(Olhe para essa patética imbecil em que você me transformou)
You taught me a secret language I can't speak with anyone else
(Você me ensinou uma linguagem secreta que não consigo conversar com mais ninguém)
And you know damn well
(E você sabe muito bem)
For you, I would ruin myself
(Que por você, eu me arruinaria)
A million little times
(Um milhão de pequenas vezes)

Me permiti chorar tudo que não havia chorado durante esses anos, ali naquele palco. Era a última vez como Violetta, a última vez que eu deixaria de ser quem sou. Estava livre para cantar a minha música, usar minhas roupas, pintar meu cabelo, mostrar minhas tatuagens e, principalmente, livre de um relacionamento que não me agregava em nada.”



•••


Ao abrir meus olhos, as crianças e aquelas meninas já não estavam lá e meu voo já estava sendo anunciado. Precisava deixar aquele país e me reencontrar, entender o que eu queria e, principalmente, cuidar da minha carreira.
Ao caminho do embarque, meu celular começou a vibrar e um número desconhecido apareceu em minha tela. Sem hesitar, atendi:
?


Capítulo 2

Amava sobrevoar entre as nuvens, encostar minha cabeça na janela e ficar viajando; tentando imaginar o que se passava no solo, o que as pessoas estavam pensando, se estavam felizes...
Costumava fazer isso com em nossas viagens. Ela sempre foi o meu refúgio durante esses anos e tinha muito medo de perdê-la. Quando entrei na série, fiquei com receio de não criar amizade. Porém, logo no primeiro contato com o elenco, nos aproximamos e, de quebra, veio o . Sempre fomos unidos e compartilhamos vários momentos desde a nossa primeira cena até a compra do nosso apartamento. Eles sempre foram a minha família, mas, com a chegada de , tudo mudou – o afastamento veio. Em meu relacionamento, estive tão cega que ele conseguiu manipular minha mente e me fazer esquecer de todos os momentos com meus amigos.
Levei um leve susto com a aeromoça me avisando que havíamos chegado em São Paulo. Meu coração se encheu de alegria e esperança. Finalmente estaria com a minha família. Tinha certeza que tudo melhoraria e eu iria me encontrar novamente.
Havia conversado com minha família sobre a minha vinda não ser anunciada em nenhum site. Queria chegar em paz, sem ninguém me questionando nada e, principalmente, sem nenhuma foto do meu real estado.
Fazia exatamente cinco meses que eu havia sumido de todas as redes sociais e, junto com todo esse furacão, acabei emagrecendo mais de dez quilos. Estava muito diferente e não queria que essa imagem repercutisse tanto. Mas, como nem tudo são flores, assim que passei pela porta principal do aeroporto de Guarulhos, vários flashes e perguntas vieram em minha direção.
, por favor, fale conosco. Qual é o motivo da sua vinda ao Brasil?
Aquilo era agoniante. Só sabia responder que não tinha motivo, que eu tinha vindo ver minha família e pedi para eles respeitarem a minha situação.
Senti alguém puxando meu braço e o medo tomou conta de mim. Ao olhar, reconheci o rosto da mulher que morria de saudades – minha mãe me deu um abraço e eu nunca me senti tão bem aconchegada. Saímos em direção ao táxi que nos levaria para casa.
— Mãe, como eles souberam que eu estava aqui?
Eu não entendia como eles souberam. Fui tão cautelosa sobre isso. Só queria chegar e ir para casa sem questionamentos.
, você acabou tirando fotos com aquelas crianças e isso chamou a atenção deles. O que você estaria fazendo num aeroporto? Não subestime a imprensa. Quando eles vão atrás de alguém, a probabilidade de suas teorias estarem certas é grande e você sabe disso.
Permaneci calada o caminho inteiro. Era difícil debater com a minha mãe. Eu sabia que tinha errado ao tirar aquelas fotos. Sempre fui uma pessoa ativa nas redes sociais – adorava compartilhar minhas histórias com meus fãs –, mas, depois de tudo ter virado de ponta cabeça, decidi que daria um tempo. Desativei tudo.
Aqueles meses foram muito desafiadores. Estar sem apoio emocional era o pior para mim – meus amigos foram seguir seus caminhos e eu fiquei sozinha. Meu pai tentou ser o mais amigável possível: sempre ao meu lado, me dando conselhos, dizendo que eu era forte. Quando decidi voltar ao Brasil, ele ficou muito chateado, mas entendeu que aquela era a solução correta, e que estar perto da minha mãe e de Noah era o melhor para mim.
Olhei para a janela e avistei o nosso prédio. Nunca fui fã de cidades grandes e meu caso com são Paulo era complicado – o trânsito intenso que me fazia chegar atrasada em todos os eventos me deixava maluca. Nosso bairro era próximo ao Starbucks e pedi para minha mãe pedir ao taxista para nos deixar lá. Assim, poderíamos dar uma pequena volta.
Ao sair do carro, pude sentir o vento frio em minhas bochechas. O céu cinzento já anunciava que a chuva estava se aproximando. Passamos pelo portão do edifício e fui recepcionada pelo nosso querido porteiro João. Ele perguntou como foi de viagem e me desejou boas-vindas. Agradeci pelo carinho, caminhei para o hall onde ficava o elevador. Estava tão ansiosa para rever Noah e meu doguinho que tinha esquecido o quanto nosso andar era longe.
Ao sair do elevador, minha mãe foi na frente para abrir a porta. Assim que passei por ela, tomei um susto.
— SURPRESAAAAAAA!
Eu não consegui assimilar nada. Toda a minha família estava lá. Meus olhos se encheram de lágrimas e corri para abraçá-los. Consegui ouvir os latidos desesperados de Dexter e fui ao seu encontro. Ele não sabia se lambia meu rosto ou se pulava.
Meu irmão estava logo atrás de mim, louco para me abraçar, e mal pude esperar para agarrá-lo. Eu e Noah costumávamos brigar muito antes da minha partida para a Argentina. Sempre disse que não sentiria sua falta pois estaria livre de suas chatices e, no final, não via a hora de poder estar ao seu lado outra vez.
— Noah, como estão as coisas? Nunca pensei que morreria de saudades de você. Quebrei a cara assim que pisei em solo argentino me arrependi de não ter te levado junto.
, eu sei que sou maravilhoso e incrível — tinha me esquecido do quão convencido ele era. — Mas também senti sua falta todos os dias, durante todos esses anos. Não sei como fiquei sem minha companheira de filmes e risadas.
Abracei-o; ele tinha o dom de me fazer chorar. Sempre tivemos uma conexão incrível e todas as minhas melhores risadas eram com ele. Mesmo eu sendo mais velha, ele sempre cuidava de mim. Sempre me tratava como uma verdadeira princesa.
A tarde foi muito agradável, ri muito com minha família. Minhas tias comentaram sobre as minhas turnês e o meu talento. Lembramos de diversos acontecimentos da nossa infância, do meu amor ao cantar e das minhas travessuras. Era muito bom estar em casa.
Aos poucos, as pessoas foram indo embora e, quando vi, só estava eu e Noah em casa. Então, decidimos fazer um jantar: eu, ele e Dexter. Fiquei encarregada de fazer uma massa incrível que aprendi na Itália e Noah foi à procura do melhor vinho na nossa adega. Assim que finalizei, sentamos à mesa e ele começou gravar um story do Dexter na mesa. Apareci e fiz uma graça, até que, imediatamente, seu olhar foi direcionado para mim.
, posso postar?
Comecei a suar. Talvez fosse o momento de aparecer e começar uma nova etapa. Começar a lidar com tudo isso, esquecer as críticas e me libertar.
— Claro, pensei muito sobre e é a hora de florescer novamente. Não sei quais serão as consequências, mas estou pronta para encará-las.
— Já que você vai aparecer, por que não ativa seu Instagram e volta a postar seus vídeos? Pode ser que uma grande gravadora se interesse pelo seu trabalho e queira te contratar.
Com a chegada ao Brasil, acabei me esquecendo da ligação do Diretor da Warner Music. Fiquei tão entretida com a surpresa da minha família e o jantar com Noah que esqueci de retornar à ligação.
— Sobre a gravadora — comecei a dizer —, antes de embarcar para cá, recebi uma ligação do diretor da Warner Music Brasil querendo marcar uma reunião comigo para falar sobre uma proposta. E sabe o que eu achei mais incrível? Quando decidi me reencontrar, ele me ligou. Pode ser que o sinal foi dado.
— Sabe, , eu nunca acreditei quando a mamãe disse que você tinha desistido da sua música. Não aceitava que seu sonho estava sendo destruído por aquele cara. Naquele dia, eu ia atrás de você, só que fui impedido. A minha vontade era de enchê-lo de socos para mostrar o quão idiota ele foi em ter te magoado. E, porra, você foi tão forte, aguentou cada minuto naquele palco como se nada tivesse te abalado. Você sorria como uma criança e se entregava em todas as performances. Eu te amo tanto, maninha.
— Eu te amo muito, Noah, e fico muito feliz de ter um irmão tão especial como você. Juro que ficaria aqui elevando o seu ego, mas eu preciso muito dormir e colocar as minhas ideias no lugar — falei. Antes de sair da sala de jantar, me virei e disse: — Esqueci-me de dizer. Castillo voltou pro Instagram.
Ele só piscou e fui para o quarto.


•••


Olhei o relógio que marcava sete e meia da manhã. Ficava impressionada com a minha capacidade de acordar cedo quando poderia levantar mais tarde. Tentei me virar de lado e me deparei com Dexter dormindo. Dei risada e tirei uma foto.
Levantei, calcei minhas pantufas e fui para a varanda, me deparando com um passarinho na minha mesa de composição. Tinha me esquecido daquele lugar que foi inspiração para várias músicas. Sentei na cadeira e comecei a observar o cenário que estava ao meu redor: um céu azul com o sol brilhando e o barulho de carros pela rua.
Lembrei-me novamente da ligação da gravadora. Não sei por que estava com tanto medo se tudo o que eu queria era cantar novamente e mostrar meu trabalho para o mundo. Por que estava deixando aquela oportunidade passar diante dos meus olhos? Talvez o medo de levar outra rasteira ou de não gostarem da minha música estava sendo maior do que minha fé.
Disquei o número de Rafael diversas vezes e não consegui apertar um simples botão. Depois de muita insistência, apertei-o, e, após dois segundos, já estava me arrependendo. A ligação estava quase caindo na caixa postal, até que ouvi um “alô” do outro lado.
— Bom dia! Falo com Rafael? — perguntei e a voz do outro lado confirmou. — Oi, tudo bem? É a Castillo. Você me ligou há dois dias.
— Oi, ! Tudo sim, e você? Achei que não me retornaria. Estava criando argumentos para que a senhorita não abandonasse essa carreira incrível que formou. Mas, hoje, entrei nas minhas redes sociais e só dá você em todos os sites. Finalmente Castillo voltou para o show business.
Ele me assustou ao dizer que eu estava em todos os sites só porque tinha ativado meu Instagram. Não imaginava que receberia tanta visibilidade por isso. Fiquei feliz de ter pessoas interessadas na minha volta, mas, ao mesmo tempo, pensei que elas só estariam tirando sarro do meu estado.
Continuei falando com Rafael. Ele disse que os diretores estavam muito felizes com a possibilidade de me ter no time e me propôs um almoço para que pudéssemos conversar sobre alguns detalhes. Aceitei e finalizamos a conversa.
Por impulso, tirei uma foto e decidi postar para desabafar.

“Queridos fãs,
Durante esses meses, me privei de compartilhar vários momentos com vocês. Não pensem que fui egoísta. Como todos sabem, levei uma rasteira muito grande e isso me deixou muito perdida. Deixei de cantar e de ser eu mesma. Mudei muito e amadureci com muitos dos meus erros. Mas, hoje, voltei sem medo das críticas e pronta para mostrar a vocês a minha música. Amo vocês infinitamente e obrigada por não desistirem de mim. Teremos muitas novidades e é muito bom estar de volta.
Beijos, <3”


Fui ao banheiro fazer minha higiene matinal e comecei a me olhar no espelho. Reparei o quanto estava diferente: magra demais e com olheiras fundas. Era estranho me enxergar assim.
Durante semanas, me culpei pela traição de . Achava que não tinha sido o suficiente para ele, que poderia ter mudado algumas atitudes, ter sido mais amorosa ou ter ficado perto dele em momentos que não me sentia confortável. Depois de um tempo, fui entender que, na verdade, ele nunca me amou. Tanto que assumiu o namoro com Danielle no dia seguinte daquele trágico dia. Passei tanta raiva quando via os dois dando entrevistas como um casal apaixonado… Nunca entendi como não percebi aquilo. Durante todos esses anos fui usada, e quando ele não achou mais necessário, me deixou.
Ouvi batidas na porta do meu banheiro e a abri. Lá estava minha mãe com um sorriso largo.
— Bom dia, filha — ela me abraçou e encheu meu rosto de beijos. — Você não imagina o quanto estou feliz de vir ao seu quarto e te ver aqui. Durante todos esses anos eu entrava aqui e ficava imaginando o dia que teria a minha princesa de volta.
— Dona Sílvia, você fez algum complô com o Noah? — perguntei e ela me olhou brava. — É porque desde que pisei em casa, vocês me fazem chorar com essas declarações lindas. Senti muito sua falta, mamãe. Nos primeiros meses que me mudei, senti vontade de voltar para seus braços, de receber esse abraço apertado e esses beijos cheios de amor. Mas tudo isso foi bom para meu amadurecimento. Cresci muito e consegui lidar com meus problemas.
— Acho que a senhorita tem que ir tomar um café reforçado, percebi que está muito magra. Tenho certeza que, durante esses anos, você não se alimentava direito — olhei seriamente para seus olhos e ela entendeu o recado. — Ok, não está aqui quem falou. Só vamos nos alimentar. Noah disse que, se demorássemos muito, ele ia devorar a mesa.
Saí correndo em direção à cozinha e me deparei com um banquete enorme no quintal de trás da casa, regado de coisas que eu amava e lindos girassóis na mesa. Me emocionei. Olhei para frente e os braços de Noah estavam me chamando para um abraço. Fazia só dois dias que tinha voltado, mas eu me sentia muito acolhida.
— Vai ficar chorando igual uma boba? — me separei dele e lhe dei uma cotovelada. — Tá vendo, mãe? Olha como ela retribui o meu carinho. Se soubesse que seria tratado dessa maneira, não teria acordado cedo.
— Noah, não comece com seu drama. Você que começou me chamando de boba. Se não aguenta brincar, não desce pro play.
Ri daquela frase. Parecia uma criança de cinco anos falando.
— Agradeço muito ao Senhor Maravilha por me dar a honra de tomar café ao seu lado e agradeço também à dona Sílvia pelo amor e dedicação. Amo vocês. Agora, bora tomar café e comer esses belos pãezinhos de queijo.
Enquanto Noah contava sobre o seu novo amor, comecei a me sentir privilegiada de estar ali. Minha família sempre foi muito importante para mim. Não teve um dia durante esses anos que não me lembrei dos momentos únicos que passamos juntos. Mesmo com meu pai ali, me auxiliando e me dando carinho, sempre senti que faltava alguma coisa, e ver os olhos da minha mãe brilhando por ter seus filhos reunidos não tinha preço.
— Gente, o café está muito bom, mas tenho que me arrumar para um almoço — anunciei e minha mãe deu um pulo da cadeira. — Calma, dona Sílvia, quase engasgou com o pão. Tenho uma reunião marcada com uma gravadora.
— Meu Deus, filha! — ela veio me abraçar com lágrimas nos olhos. — Como assim? Faz muito tempo que vocês estão conversando? Que gravadora? Filha, fala!
— Se a senhora me deixar falar, né — dei risada. — Faz pouco tempo que estamos conversando. Não sei como ele conseguiu meu número, mas me ligou quando estava embarcando. Hoje mais cedo liguei para ele e marquei esse almoço para ouvir a proposta.
— Nossa, que orgulho, minha menina. Você não sabe o quanto torci por isso. Sabia que sua vinda para cá tinha um propósito — Noah se levantou da mesa e me deu um beijo na testa.
Já estava enlouquecendo. Revirei meu guarda-roupa de ponta cabeça e não encontrei nada para esse almoço. Eu tinha quarenta minutos para estar no Arturito, um dos restaurantes mais chiques de São Paulo. Depois de muita procura, coloquei uma calça destroyed, um top preto e um par de coturnos. Peguei o carro de Noah emprestado, já que ele estava trabalhando em casa, e segui o GPS para o meu destino.
Pela primeira vez, o trânsito da cidade não me atrapalhou. Cheguei dez minutos adiantada. Fui em direção ao maître, e com muita educação, ele me levou até a mesa que Rafael tinha reservado: um lugar bem discreto para que a imprensa ou o público não nos atrapalhasse. Tive a mesma sensação quando fui fazer o teste para a série. Minhas mãos suavam muito e meu estômago parecia que tinha várias borboletas voando. O medo começou a surgir e me mantive calma, porque sabia que minha mente queria me sabotar. Comecei a digitar uma mensagem para , querendo muito contar a novidade, mas não mandei porque ele já havia chegado.
— Oi, — nunca imaginei que o diretor fosse tão novo e gato. — Me chamo Rafael Thierry e sou diretor da Warner. Essa é Brenda Laís, uma das nossas colaboradoras na empresa e sua futura empresária.
Meus olhos automaticamente foram direcionados para a mulher que estava ao seu lado: com mais ou menos vinte e quatro anos, branca como a neve, olhos verdes e um belo sorriso no rosto que me trouxe muita paz.
— Oi, Rafael! Oi, Brenda! Podem se sentar! Como vocês estão? — eu estava muito nervosa e, quando isso acontece, começo a falar igual uma gralha.
— Estamos bem — foi a vez de Brenda falar. — , você já deve estar imaginando o que queremos falar com você e esperamos que considere tudo que temos a dizer antes de tomar qualquer decisão.
Estava admirada ouvindo aquilo que estavam propondo para mim. Seria uma volta e tanto para os holofotes, e as condições eram muito boas. Eles disseram que a gravadora estava me procurando há muito tempo, mas, com as minhas redes sociais desativadas, eles não conseguiram contato.
, estamos muito ansiosos para tê-la no nosso time. Acompanhamos todo o seu processo com sua personagem e todas as turnês. Você é uma artista completa. Sua voz passa emoção e adrenalina ao ser ouvida, e é isso que precisamos. Precisamos de você — Rafael falava com muito entusiasmo. — Você tem algo para nos dizer ou perguntas sobre nosso plano de carreira?
— Fico lisonjeada pelas lindas palavras e por terem pensado em cada detalhe. Esse último ano não foi fácil e pensei muito em estar aqui com vocês. Não me sentia preparada para uma volta agora, queria colocar tudo no lugar antes de embarcar novamente nessa loucura que é estar em um palco. Mas, depois de chegar aqui no Brasil, rever minha família e voltar para meus fãs, pude observar que estou preparada para cantar minhas músicas — falei, e Brenda prestava muita atenção em minhas palavras. — O meu único questionamento é sobre como devo me portar. Se posso mostrar minhas tatuagens, se posso pintar meu cabelo e usar minhas roupas.
Ambos riram da minha cara e eu não entendia nada.
— Claro que você pode, — Brenda levantou a manga da sua camisa social e mostrou a tatuagem que tinha em seu braço: uma linda rosa. — Pode ficar sossegada que não iremos te impedir de nada. Mas teremos que tomar cuidado com algumas coisas, não podemos deixar que aconteçam situações que possam manchar sua imagem. Então, depois de tirarmos suas dúvidas e termos apresentado nossas ideias para sua volta, queremos muito saber se você nos dará o prazer de contar com sua presença em nossa gravadora.
— Eu aceito a proposta.
Eles vibraram muito e Rafael pediu o champanhe mais caro da casa. Brenda me abraçou, dizendo que iríamos dominar o mundo. Meu coração estava saltitando, e na minha empolgação, tirei uma foto com minha empresária. Ali, tive a certeza que iríamos viver momentos incríveis juntas.


•••


Fazia algumas horas que havia chegado em casa. Estava deitada no sofá da sala, tentando assimilar tudo o que aconteceu durante esses dias. Não conseguia acreditar que agora tinha uma gravadora, uma empresária e que eu estava de volta. Senti uma vontade repentina de mandar mensagem para e compartilhar esse momento lindo que estava vivendo.


Oi, ! Está ocupada? 16:24


Oi, ! Acabei de chegar das gravações. Tá tudo bem? 16:25


Não precisa ficar preocupada, estou muito bem por aqui. Só queria contar uma novidade!! 16:28



Mais novidades? Só hoje tive duas surpresas. A primeira é seu Instagram reativado e a segunda foi ver sua foto com aquela moça que eu nunca vi. Você vai explicar? 16:32


Olha quem está com ciúmes haha Eu vou explicar, menina 16:35
O nome dela é Brenda Laís e ela é minha NOVA EMPRESÁRIA!!! 16:35


Sem muita demora, uma solicitação para uma chamada de vídeo apareceu e eu atendi. só sabia gritar e correr pelo nosso antigo apartamento. Expliquei para ela todos os detalhes, desde a mensagem até o primeiro contato com a gravadora. Ao contar percebi, que seus olhos encheram de lágrimas.
, não comece a chorar. Eu já não tenho mais lágrimas.
Eu entendia a emoção. Ela permaneceu ao meu lado durante as primeiras semanas do acontecido e se sentia culpada por ter que ir atrás dos seus sonhos.
— Amiga, isso é incrível. Você merece todo esse reconhecimento. Fico muito feliz em ser umas das primeiras a receber essa notícia maravilhosa. Estava morrendo de saudades de ouvir sua doce voz, e saber que você conseguiu superar tudo isso é muito emocionante.
— Estou muito ansiosa para iniciar esse ciclo. Tenho tantas composições prontas guardadas na gaveta, e estou feliz demais que elas ganharão melodia. Hoje é um dos dias mais especiais da minha vida — tomei um susto com a campainha de casa tocando incansavelmente. — Amiga, acho que o Noah esqueceu a chave de casa. Depois eu te retorno e te atualizo sobre as novidades. Beijos, te amo muito.
Levantei com vontade de socar Noah por esquecer a chave e por ficar apertando a merda daquela campainha. Por que ele não me mandou uma mensagem avisando que precisava entrar? Abri a porta com vários xingamentos na ponta da língua, mas fiquei completamente assustada com quem estava na minha frente. Minhas pernas começaram a bambear e senti todas as minhas forças indo embora.
— Sentiu minha falta, bebê?
Minhas mãos começaram a suar. Eu não estava entendendo mais nada. Como conseguiu meu endereço e o que ele estava fazendo na minha porta?


Capítulo 3

O medo é um dos sentimentos que me perseguiu durante anos. Sempre tive receio da escuridão, medo de insetos, e o maior deles era me apaixonar. Na minha cabeça, se eu desse espaço para algum menino se aproximar, estaria dando de garfo e faca o meu coração ao sofrimento. Parece exagero da minha parte, mas sempre tive medo de me machucar.
Enquanto as meninas da minha idade já estavam beijando e namorando, eu estava no meu quarto sonhando em ser uma estrela da música. Alguns amigos dos meus pais diziam para tomarem cuidado porque eu poderia começar a curtir mulheres, e sinceramente, não via problema nisso.
Quando comecei a atuar e descobri que minha personagem se apaixonaria por dois garotos, dei muita risada. Ela era totalmente o meu oposto. Nunca na minha vida tinha dado chance a ninguém e não me sentia obrigada a isso. Sabia que, em algum momento, aconteceria e que seria mágico. Mas o cupido ainda não havia me flechado.
Dizem que quando beijamos pela primeira vez, sentimos borboletas no estômago e frieza nas mãos. Não tive nenhuma dessas reações. Deve ser porque o meu primeiro beijo foi em cena com meu melhor amigo . Até que chegou Dominguez em minha vida e, com todo o seu charme, foi me conquistando. Por ironia do destino, numa cena entre nossos personagens, eu o beijei e, ali, me vi apaixonada por ele.
Foram dois anos vividos intensamente. Compartilhamos momentos incríveis juntos, e sentia como se a minha vida fosse perfeita. Fui pedida em namoro no London Eye durante uma pausa na nossa turnê. Pela primeira vez, me senti amada e tive certeza que fiz o certo em esperá-lo. Mas, como nem tudo são flores, nosso relacionamento foi a cada dia se esfriando. Começamos a nos afastar e tínhamos pouco contato nos bastidores. Nosso apartamento tinha virado um ringue de luta: todos os dias protagonizávamos as piores brigas que resultavam em copos quebrados e o desaparecimento de por dias. Sua aproximação com Danielle foi instantânea e as minhas crises de ciúmes surgiram. Ele me chamava de louca, dizia que eu nunca confiava nele e que todas as nossas discussões eram causadas por mim.
Continuei vivendo esse inferno, fingindo que não estava vendo nada e, principalmente, calada. Logo, todo o meu esforço resultou em: perda de voz, manchas roxas e um par de chifres. Relutei muito para conseguir me levantar a cada dia. Ver tudo se desfazendo na minha frente, como quando alguém destrói o castelo de areia de uma criança, era muito dolorido.
Quando decidi voltar para casa, pensei que estaria deixando para trás todas as coisas que me faziam lembrar do meu relacionamento, mas nunca imaginei que o principal causador do meu sofrimento estaria parado na minha porta esperando por uma resposta.
, posso saber o que você está fazendo aqui? — eu estava a ponto de surtar ali mesmo. — Não se contentou com a raiva que me fez passar na França?
— Você não vai me convidar para entrar? Pensei que fosse mais educada — nem precisei convidá-lo, ele empurrou meu corpo para o lado e entrou. — Respondendo a sua pergunta, estou aqui para ver como o amor da minha vida estava se saindo na nova rotina.
Só de ouvi-lo me chamando assim, senti muito nojo.
— Eu não lembro de ter dado permissão para entrar em minha casa e muito menos de me chamar de amor, porque, se o senhor não se lembra, nosso relacionamento terminou há exatamente cinco meses.
— Você ainda está remoendo isso? Achei que toda sua raiva foi diluída quando cantou aquela música ridícula no último show. Eu ainda lembro da sua raiva ao cantar aquele trecho... Como era mesmo? “Don’t call me kid, don’t call me baby”.
Eu não estava acreditando que ele estava rindo da minha cara.
, eu achava que você era melhor que aquilo. Mas sabe que eu esperava? Você não ia perder a oportunidade de se fazer de vítima — ele começou a passar a mão intensamente pelos cabelos e sua voz começou a pesar.
— Não estou acreditando que você gastou dinheiro para vir aqui me ofender. E se tem alguém que está remoendo essa história, esse alguém é você. Porque se eu quisesse discutir isso, pode ter certeza que teria batido na porta do seu quarto aquela noite ou teria respondido as suas mensagens. Agradeço muito ao meu psicólogo por me ensinar a ter controle dos meus sentimentos e não agir como uma desesperada.
— Ainda bem que não apareceu. Seria ainda mais doloroso para você ouvir os gemidos de Danielle naquele quarto. Enquanto você chorava, eu estava tendo a melhor transa da minha vida.
Me sentei no sofá enquanto tentava evitar que as lágrimas se formassem em meus olhos.
— Sabe, eu nunca te amei — ele continuou. — Mas foi divertido viver esse amor que, da minha parte, foi tudo uma mentira. Quando o pessoal do elenco me informou que você nunca tinha se apaixonado, te ter em meus braços foi a minha missão. Ver tudo saindo como planejado foi maravilhoso, e não sei como te aguentei durante esses três anos. Ainda bem que tinha Danielle ao meu lado — quando ele disse isso, minhas forças foram embora e a vontade de chorar aumentou. — Todos esses anos eu estive com ela. Quando te beijava, era ela que aparecia na minha mente. E todas as vezes que transamos, eu queria que fosse ela ali, e não você.
— Meu Deus, como eu pude... ser tão... tola? Como pude um dia entregar meu coração a você e acreditar em todas as suas declarações? E pensar que me culpei durante todos esses meses por não ter sido tão presente na sua vida, e depois descobrir que tudo isso não passou de um jogo... Um jogo sujo. Como conseguiu ser tão baixo? — eu não tinha forças para discutir. — Você fingiu que não sabia o motivo pelo qual eu estava afundando. Se não estava feliz com essa merda desse relacionamento, por que simplesmente não colocou um fim nisso? Não pensou em mim e muito menos na Danielle. Por mais que tenhamos nossas diferenças, acredito que ela não aceitava isso numa boa. A maneira de ela demonstrar sua insatisfação era discutir comigo sem motivo, porque, mesmo que você não me amasse, eu tinha você todos os dias e isso a revoltava. Mas sinto muita pena dela — ele me olhou desentendido —, porque por mais que me assombra, eu sei que você nunca me amou ou amou ela. Você não tem coração e nunca vai saber o que é amar. Agora, por favor, vá embora antes que eu chame a segurança.
Ele tentou retrucar e dizer que eu estava errada, mas não adiantava falar mais nada. Levantou-se da cadeira, foi em direção à porta e, antes de finalmente ir embora, chamei-o e disse:
— Foi difícil deixar de te amar, mas precisei te odiar para me amar.
Ouvi o barulho da porta sendo fechada e, ali, sozinha, derramei todas as lágrimas que havia segurado.




Estar no Brasil sem a presença dos meninos era muito estranho. Lembro da nossa primeira vez aqui com nossas fãs gritando incansavelmente, demonstrando muito amor e dedicação. Nunca nos sentimos tão acolhidos e, definitivamente, aquele havia sido o nosso melhor show. Depois da saída de Zayn, não voltamos. Não queríamos mudar a imagem de todos juntos neste lugar maravilhoso.
Sempre fomos muito próximos. Consequentemente, estávamos juntos na audição que havia mudado nossas vidas e vivemos momentos intensos nesses cinco anos de grupo. Viver com a mídia não era fácil, ainda mais sendo jovens. Qualquer erro nosso era posto contra a parede e recebíamos broncas incansáveis da nossa gravadora. Minha vontade era jogar tudo para cima e sair correndo, mas lembrava que o sonho não era só meu e não podia ser tão egoísta a esse ponto.
Quando Zayn nos comunicou sobre sua saída da banda, eu não aceitei no início. Achava que ele estava feliz com tudo aquilo, e só depois fui entender seus motivos para tomar aquela decisão. Me senti culpado por não ter percebido o que ele estava sentindo. Continuar não foi fácil, se acostumar em não ter aquela pessoa ao seu lado era difícil. Aos poucos, fomos aceitando. Lançamos um álbum e decidimos dar uma pausa assim que encerrássemos a nossa última turnê, para nos dedicarmos a projetos paralelos e ficar mais perto da nossa família.
Fui convidado para fazer uma participação surpresa no primeiro show da turnê do 5 Seconds Of Summer. Aqueles meninos eram incríveis e tinham tudo para brilhar neste mundo. O show seria amanhã e eu não poderia dar indícios que estava por aqui. O carro no qual estava passou em frente à praia de Copacabana, e a vontade de me jogar naquele mar era muito grande, mas havia prometido que ninguém saberia que estava em solo brasileiro.
Desci do carro, me dirigi ao hall do hotel, fiz meu check-in e subi rapidamente para o meu quarto, torcendo para que ninguém me reconhecesse. Um pouco difícil, já que estava com um violão nas costas. Assim que o elevador me informou meu andar, entrei no meu quarto, abri o case do violão e comecei a dedilhar uma melodia que estava em minha cabeça há alguns dias. Peguei meu caderno de composições e comecei a escrever. Aos poucos, aquela música começou a criar forma, e nem me dei conta que fazia horas que estava ali sentado na sacada. Observei a paisagem ao meu redor: o barulho das ondas, o sol se pondo, passarinhos cantando... Senti meus olhos pesarem. Era um pouco cedo para dormir, mas meu corpo pedia socorro. Assim, deitei em minha cama e dormi rapidamente.
Acordei assustado. Olhei para o relógio e já eram duas e meia da tarde. Realmente estava com sono. Peguei meu celular e vi diversas mensagens do empresário dos meninos:

Matt
Bom dia, , tudo bem por aí? 13:30

Só queria te avisar que, daqui duas horas, uma parte da praia estará liberada pra você 13:45


Desculpa, Matt! Acabei de acordar, realmente estava muito cansado e dormi direto. Beleza, estava louco para tomar um banho de mar 14:30

Matt
OK. Só vou te lembrar que o show irá começar às sete e meia da noite! Não se atrase!! 14:35


Cheguei ao local indicado por Matt e me sentei na areia. Comecei a observar tudo, desde a areia até as pessoas que passeavam pela orla. Às vezes, queria viver como um menino normal: sem paparazzis na minha cola, sem questionamentos sobre a carreira e, principalmente, sobre o amor.
Minha imagem de garanhão veio na época da banda. Não podia chegar perto de uma menina, senão ela era considerada minha affair. Era muito frustrante quando meus relacionamentos acabavam, pois todos eram noticiados da maneira que a imprensa queria e eu sempre saía prejudicado. Um dos meus términos até resultou em música. Fico impressionado com meu talento de compor músicas tão românticas e não ter tido um relacionamento firme. Ainda não tinha encontrado a pessoa certa que despertaria todas aquelas sensações. Via meus amigos namorando, se casando e até tendo filhos, e tudo isso estava fora da minha realidade. No momento, eu gostava de ser livre, de não me apegar. Talvez, esse pode ter sido o motivo dos meus relacionamentos serem tão fracassados.
Risadas me tiraram dos meus pensamentos. Olhei para o lado e vi duas mulheres correndo na água. Com medo, me afastei da areia e corri em direção às espreguiçadeiras. Ainda as observando, percebi que a linguagem delas eram diferentes. Provavelmente, eram brasileiras, mas, por ser um lugar reservado, elas não deveriam estar ali.
As duas começaram a brincar com a areia e meus olhos foram em direção à menina dos cabelos castanhos e soltos. Sua risada era muito engraçada. Ela parecia se sentir livre como uma borboleta quando sai do casulo, e eu sorri ao vê-la. Minhas mãos começaram a suar e não entendi o que estava acontecendo. Decidi ignorar aquelas sensações e me deitei para relaxar de verdade. Concentrado nas minhas músicas, não percebi elas se aproximando, e, automaticamente, coloquei meu boné e fingi que estava dormindo. Na medida que estavam perto, ouvi a mesma menina que estava admirando assobiar a melodia da música que estava compondo.
Fiquei tão empolgado com aquela situação que nem percebi a hora se passando. Quando olhei no relógio, já eram seis e meia da tarde. Apressado, atravessei a rua em direção ao hotel. Precisava estar pronto o mais rápido possível, prometi ao Matt que não me atrasaria.
Cheguei no meu quarto todo desconcertado. Separei a roupa do show e corri para tomar banho. Estava começando a me trocar quando visualizei o violão, e a imagem da garota assobiando a minha música veio à minha mente. Senti necessidade de escrever outro verso. Sentei na cama de cueca e fiquei dedilhando a melodia, até que me veio na cabeça as seguintes frases:

Oh, try to deny it as much as you want
(Oh, tente negar o quanto você quiser)
But in time our feelings will show
(Mas com tempo nossos sentimentos vão se mostrar)
‘Cause sooner or later, we’ll wonder why we gave up
(Porque cedo ou tarde, nós vamos nos perguntar por quê desistimos)
The truth is, everyone knows
(A verdade é, todos sabem)

Meu telefone tocou incansavelmente e vi que Matt estava louco atrás de mim. Não acreditei que eu ainda estava seminu e pensando na menina da praia. Ignorei suas ligações e mandei um áudio, avisando que estava saindo do hotel e, dali alguns minutos, estaria chegando. Recebi um “ok”. Com toda a certeza, eu iria ouvir um sermão. Me troquei rapidamente, passei um perfume e corri para o hall do hotel onde o motorista estaria me esperando. Exatamente meia hora depois, chegamos ao local do show. Estava muito atrasado. Entrei pelos portões de trás e me deparei com Matt, com cara de poucos amigos.
, onde você estava? O que eu disse sobre atrasos? Tivemos que atrasar quase uma hora para dar tempo de o senhor chegar! — ele fazia muitas perguntas e não me deixava responder nenhuma delas.
— Desculpa, Matt. Fui à praia como combinado e acabei relaxando demais. Perdi o horário, juro que não foi de propósito — fiz aquela cara de cachorro abandonado e ele sorriu.
— Certo, . O show de abertura vai começar e quero saber sua opinião sobre essa artista. Ela está sendo cotada para representar a Warner Music em New York.
Com um pequeno tapa nas costas, saí em direção ao backstage e ouvi Matt anunciar a atração de abertura. Ao ver quem era, meu coração começou a acelerar. Era a menina da praia. .

Recomendo colocar Lose You To Love Me da Selena Gomez a partir daqui

Os acordes do piano que estava na sua frente começaram a ecoar naquela arena, sua presença de palco era notável, as pessoas aclamaram o nome dela, parecia que ela estava com medo, mas quando soltou sua voz meus olhos a fixaram.

You promised the world and I fell for it
(Você me prometeu o mundo e eu caí nessa)
I put you first and you adored it
(Eu te coloquei em primeiro lugar e você adorou)
Set fires to my forest, and you let it burn
(Você incendiou minha floresta e a deixou queimar)
Sang off-key in my chorus, ‘cause it wasn't yours
(Cantou fora do tom no meu refrão, porque não era seu)
I saw the signs and I ignored it
(Eu vi os sinais e os ignorei)
Rose-colored glasses all distorted
(Usando óculos com lentes rosas, completamente distorcidas)
Set fire to my purpose, and I let it burn
(Você incendiou meu propósito e eu o deixei queimar)
You got off on the hurtin’ when it wasn’t yours
(Você curtiu o sofrimento quando não era o seu)

Sua voz transmitia muita paz, seu olhar para o público era contagiante. Dava para ver o amor dela ao cantar. Seu figurino estava maravilhoso, seus cabelos presos num lindo penteado – estava ainda mais linda. Parecia que algo me puxava para ela. Nunca acreditei em destino ou em caminhos traçados, mas eu estava vidrado em cada passo dela.

We'd always go into it blindly
(Nós sempre entramos nisso cegamente)
I needed to lose you to find me
(Eu precisei te perder para me encontrar)
This dancing was killing me softly
(Esta dança estava me matando suavemente)
I needed to hate you to love me
(Eu precisei te odiar para me amar)

De repente, ela desviou o olhar do público e automaticamente se virou para onde eu estava. Continuou cantando e acenou para a minha direção. Olhei para trás e vi a menina que a acompanhou na praia.Seus olhos estavam marejados e transmitiam muito orgulho, e foi naquele gesto que pude entender por quê cantava com tanta devoção.

I gave my all and they all know it
(Eu dei tudo de mim e todos sabem disso)
You turned me down and now it's showing
(Você me recusou e agora está mostrando)
In two months, you replaced us
(Em dois meses, você nos substituiu)
Like it was easy
(Como se fosse fácil)
Made me think I deserved it
(Me fez pensar que eu merecia)
In the thick of healing
(No meio da cura)
...
To love, love, yeah
(Para amar, amar)
To love, love, yeah
(Para amar, amar)
To love, me
(Para amar, me amar)
And now the chapter is closed and done
(E agora o capítulo está encerrado)
To love, love, yeah
(Para amar, amar)
To love, love, yeah
(Para amar, amar)
To love, me
(Para amar, me amar)
And now it's goodbye, it's goodbye for us
(E agora é adeus, é adeus para nós)

Me senti bem ao vê-la cantando. Estávamos ligados por algum motivo. Me lembrei do momento que a vi cantando a melodia da minha música, do nosso encontro na praia – mesmo que não tenhamos nos falado –, sobre ficar nervoso com a possibilidade de ela estar me observando. Mesmo não tendo trocado uma palavra com ela, eu sentia a necessidade de estar ali, dividindo aquele palco. De pegar em sua mão e dizer que estaria ali para sempre. Não conseguia entender o que estava acontecendo nem por quê meu coração estava agindo daquela maneira. Só sentia que ali não seria o nosso último encontro, e que o destino tinha cercado os nossos caminhos.


Capítulo 4


“A imensidão do mar e a areia aos meus pés me causavam uma sensação de liberdade. Um vestido branco, cabelos sendo balançados pelo vento, inúmeras páginas ao meu lado, um violão em minhas mãos, uma melodia rodeando em minha mente, palavras que foram se tornando frases. De repente, o mesmo vento soprou todas aquelas folhas e eu corri atrás para recuperá-las. Ouvi galopes de um cavalo se aproximando, e um homem com cabelos na altura dos ombros, olhos verdes e um belo sorriso se aproximou de mim. Ele desceu do cavalo e, com uma doce voz, me perguntou:
— O que foi?
— A minha música... A minha música nova saiu voando.
— Eu trago para você!
Sorri. Ele subiu no cavalo e correu para o sentido contrário das folhas. Meu coração acelerou, minha boca ficou seca, meus olhos se encheram de lágrimas e eu só consegui dizer:
— Por favor, não me deixe sozinha... !”



Acordei no susto e reparei que Brenda ainda estava dormindo. Levantei-me e peguei a minha bolsa no bagageiro do avião. Achei meu caderno de anotações e escrevi algumas das frases que apareceram naquele sonho:

I’d like to say we gave it a try
(Eu gostaria de dizer que nós tentamos)
I’d like to blame it all on life
(Gostaria de culpar a vida por tudo)
Maybe we just weren’t right
(Talvez não estivéssemos certos)
But that’s a lie, that’s a lie
(Mas isso é uma mentira, isso é uma mentira)

Assim que terminei de escrever, percebi que Brenda estava me observando com a cara toda amassada – resultado de um cochilo enquanto estávamos indo para o Rio de Janeiro. Automaticamente, olhou para o meu caderno e sorriu. Ela gostava quando eu escrevia, pois o resultado seria músicas novas.
— Bom dia, ! Conseguiu descansar?
Olhei para meu celular e vi que já eram 6:50 da manhã. Estava morta. Acordamos muito cedo para arrumarmos nossas malas, pois ontem havia sido uma correria para ajeitarmos os últimos detalhes da minha apresentação.
— Bom dia! Não o suficiente, mas consegui — respirei profundamente. — Tive um sonho tão estranho… Tudo que me lembro é de uma melodia. Estava sentada na areia compondo uma música e, de repente, um cavalo com um homem de cabelos longos e olhos verdes aparecia e dizia que iria salvar a minha música. Mas ele foi embora e eu pedi para ele não me deixar.
— Eu acredito muito em sonhos e no poder que eles têm. Pode ser que, em algum momento da sua vida, esse cara apareça e acabe se tornando especial.
Olhei para ela com uma feição confusa. Não queria acreditar que aquilo poderia se tornar real, só achei estranho o fato de me sentir atraída por um alguém que eu nunca tinha visto.
— Mudando de assunto — ela deitou a cabeça em meu ombro —, conversei com o Rafael por mensagem e ele está muito feliz com a sua primeira apresentação. Mandou todas as energias necessárias para você.
— Confesso que estou apreensiva. Sei que os produtores me chamaram porque confiam no meu trabalho, mas tenho medo de não superar as expectativas deles.
, entendo o seu nervosismo. É a primeira vez que vais subir num palco sozinha depois de meses. Mas sabemos a artista incrível que você é. Pense no tanto de fãs que ficarão felizes de poder ver esse rostinho lindo e ouvir essa voz de anjo. Eles vão se orgulhar ainda mais e terão certeza que estão do lado certo.
Depois da confusão causada pelas fotos de saindo do meu condomínio, a minha vida virou um pequeno inferno. Comentários maldosos e suposições de uma possível armação foram cruciais para que meus dias se tornassem difíceis. Em um momento lá atrás, eu me esconderia e deixaria as pessoas pensarem o que quisessem. Mas, hoje, me sentia mais preparada para lidar com essas situações, e ter Brenda ao meu lado fazia as coisas serem mais leves. Ficava impressionada com o poder que ela tinha de minimizar meus problemas e me fazer enxergar o lado bom das situações. Depois dessa tempestade, o sol voltou a brilhar e, hoje, eu estava indo para o Rio de Janeiro abrir o show de uma das bandas mais incríveis do mundo: 5 Seconds of Summer.
O piloto anunciou a nossa chegada na cidade maravilhosa e minha ansiedade aumentou. Minha apresentação não havia sido divulgada, somente os organizadores e os integrantes da banda sabiam da minha vinda. Assim que a porta do avião se abriu, um jato de vento frio percorreu minha pele e minhas mãos começaram a suar. Havia prometido que demoraria a encarar o mundo novamente, mas aqui estava eu em outro estado e a poucas horas de encarar milhares de pessoas. Pela primeira vez, fiquei feliz de ter quebrado uma promessa.
O caminho para nosso hotel foi regado de risadas e cantorias. Brenda havia alugado um carro para que, assim, pudéssemos conhecer a cidade sem ter que atrapalhar ninguém. Com a cabeça encostada na janela, meus olhos começaram a se fechar, e, sem mais forças de brigar com o sono, me permiti descansar.

“— Você cantou lindamente esta noite — aqueles olhos verdes brilhantes faziam meu corpo todo se arrepiar. — Desculpa, não me apresentei. Meu nome é . O seu deve ser , certo?”

, acorda.
Levantei-me assustada e acabei batendo a cabeça no teto do carro.
— Desculpa te acordar dessa maneira, estou te chamando faz tempo. Acabamos de chegar. Assim que fizermos o check-in, prometo que vamos dormir antes de ir para a praia.
— Praia? Pensei que iríamos direto para a arena do show para que eu pudesse ensaiar.
— Isso mesmo, iríamos, mas a senhora está muito tensa e tenho certeza que um banho de mar melhorará isso.
Não estava a fim de debater com ela, ainda mais que um banho de mar seria tudo antes de pisar no palco. Relaxar e tentar colocar as ideias em dia, tentar esquecer os sonhos que estavam me atormentando… Se o destino estava a fim de me pregar uma pegadinha, ele já poderia parar porque eu precisava dormir.
Ao sair do carro, fiquei chocada com a entrada do lugar que ficaríamos hospedadas. Parecia um castelo, todo branco, com detalhes dourados e grandes palmeiras ao seu redor. Segui para a entrada e o bellboy do local pegou nossas malas para levá-las ao nosso quarto. Enquanto Brenda assinava alguns papéis para que fôssemos liberadas, meu celular vibrou e vi que havia recebido mensagens no grupo de amigos.


Oi, meninas, estou morrendo de saudades. Como estão as coisas por aí? 10:50


Oi, lito. As coisas por aqui estão uma loucura, acabei de sair da reunião de elenco do novo projeto da Nickelodeon e estou indo para um photoshoot de uma revista 10:55
Estou morrendo de saudades dos nossos momentos, das nossas risadas… Mas, mudando de assunto, dona decidiu desaparecer durante esses dias 10:55


Apareci só pra dizer o quanto amo vocês, e que hoje é um grande dia para mim. Tenho certeza que vão amar as novidades, mas, por enquanto, tudo tem que ficar no sigilo. Quando tudo estiver mais tranquilo, volto e colocamos as conversas em dia 11:00


Desliguei o aparelho que estava em minhas mãos e voltei minha atenção para Brenda, que já estava chegando perto de mim. Então, caminhamos em direção ao elevador. Não via a hora de poder dormir antes de curtir a praia. Um sinal avisou que havíamos chegado ao nosso andar, e, com muita educação, um dos carregadores abriu a porta do nosso quarto, deixou nossas malas e pediu licença para sair. Com a roupa do corpo, deitei-me naquela cama e me permiti descansar.


•••


O lugar que o empresário dos meninos reservou para nós duas ficava a alguns minutos longe do hotel. Preferimos ir andando e aproveitar o caminho para conhecer um pouco da cidade. Depois de uma caminhada recheada de muitas gargalhadas, decidimos correr para o mar. Assim que mergulhei naquela água, parecia que todos meus problemas estavam se desfizeram. A sensação de liberdade era nítida. Fazia anos que eu não tirava um tempo para mim sem me preocupar com nada.
Saí do mar e me sentei na areia. Flashes daquele sonho circulavam em minha mente e eu não conseguia entender por quê meu cérebro fazia questão de me fazer lembrar daqueles olhos. Sorri involuntariamente ao imaginar aquilo se tornando realidade. Aquilo poderia acontecer em livros ou novelas, mas nunca na vida real. Aqui, a gente se machuca muito. Levamos rasteiras de pessoas que nem imaginamos, vivemos de aparências e interesses. Chega um momento em nossas vidas que percebemos que nunca seremos suficientes para ninguém, por mais que doamos tudo de nós e demonstramos amor e respeito. Vai chegar o momento que algo irá nos decepcionar, sendo no amor ou na amizade. Sabia que demoraria muito tempo para conseguir me abrir para alguém novamente e que não entregaria de bandeja o meu coração para ninguém. E, mesmo que o universo conspirasse o contrário, eu estava convicta da minha decisão.
, precisamos ir — Brenda me tirou dos meus pensamentos. — O que aconteceu para você ficar tão pensativa?
— Nada não — lágrimas ameaçaram a cair. — Estava só refletindo sobre algumas coisas, mas agora já passou.
— Você sabe que não me engana. Promete que vamos conversar depois do show?
Assenti e senti seus braços me puxando para um abraço.
— Entenda só uma coisa. Você nasceu para brilhar e nada vai mudar isso. Estou indo na frente para resolver algumas coisas com o Rafael, te vejo no hotel. Toma cuidado — ela me deu um beijo e saiu correndo pela areia.
Peguei a minha sandália e caminhei em direção às espreguiçadeiras, onde observei um homem deitado em uma delas. Seu rosto estava escondido com uma espécie de boné, seus cabelos eram um pouco maiores que o meu e o seu jeito não era nada brasileiro. Automaticamente, comecei a assobiar a melodia que foi a trilha sonora do meu dia. Percebi que ele se mexeu, e, com medo de ser reconhecida, comecei a correr rápido para o hotel.


•••


Fazia uma hora que o show estava atrasado e eu só conseguia agradecer por aquela ajuda. Minha ansiedade estava fora do normal, minhas mãos estavam trêmulas e minha maquiagem estava sendo retocada pela quinta vez naquela noite. Sentia que tudo daria errado; que eu tropeçaria no palco e, assim, viraria chacota na internet.
Ouvi batidas na porta do meu camarim. Um dos produtores adentrou minha sala e me avisou que eu precisaria estar posicionada no palco naquele instante. Respirei fundo e me permiti voar: estava de volta.
Ali no centro do palco, eu estava parada com todas aquelas luzes apagadas. Fechei meus olhos e percebi que, a partir dali, as coisas não seriam mais as mesmas. O mundo veria o meu retorno. Eles ouviriam as minhas palavras e, talvez, a música que eu cantaria daria respostas para todas as perguntas sobre o meu último relacionamento.
Ouvi uma voz conhecida ser ecoada naquela arena e meus olhos começaram a lacrimejar.
— Ela é sensível, solidária, canta com a alma, é apaixonada por sua arte, e eu sei porque esteve entre nós, indagando e procurando por sua nova música. Sinto que, esta noite, vamos ver o nascimento de uma nova estrela. , você sempre brilhará.
Flashes de luzes apareceram atrás de mim, e, de repente, toda aquele lugar estava iluminado. Ouvi os acordes da canção da liberdade; eu estava finalmente livre daquele sentimento de culpa e pronta para encarar o mundo sem medo.
Durante muito tempo, deixei de me amar e me permiti viver uma vida que não era minha. Dei tudo de mim em um relacionamento tóxico que me fazia acreditar que eu merecia aquilo. Comecei a me perder e a perder minha essência porque queria ser perfeita para ele. Me submeti a várias situações pelo simples fato de que não querer perdê-lo, e que somente ele fosse capaz me fazer feliz. Eu realmente tive que aprender a odiá-lo para começar a me amar, e era tão bom dizer adeus para tudo isso...
As pessoas gritavam e eu observei cada rostinho que estava ali. Eles estavam curtindo o meu som, e alguns realmente estavam surpresos ao me verem naquele palco. E foi aí que entendi que ali era o meu lar. Não importava quanto tempo demoraria, eu sempre voltaria. Estava destinada a viver para a música.
Num determinado trecho, olhei para trás na tentativa de ver Brenda, e meus olhos fixaram-se na pessoa que estava em sua frente. De imediato, achei que estava ficando louca, ou que a adrenalina de estar cantando estivesse me fazendo mal. Mas era ele, o menino do sonho. Eu o reconheci.
Num movimento, acenei. Observei que ele também estava com o olhar fixo em mim. Porém, disfarcei e continuei dando atenção para o público. A música foi encerrada e eu fui ovacionada pela plateia. Meu nome estava sendo pronunciado em alto e bom tom; nunca me senti tão feliz. Ter o apoio deles era essencial para o meu desenvolvimento. Agradeci pelo carinho e saí em direção ao meu camarim sem olhar para trás. Não conseguia acreditar que aquele era ele, e que todos aqueles sonhos haviam sido sinais de que algo poderia estar acontecendo.
Abri a porta e procurei desesperada pelo meu celular. Precisava chamar um carro para me buscar. Antes, só mandaria uma mensagem para Brenda avisando que não estava me sentindo bem.
, o que está acontecendo? — ela perguntou, e eu nem tinha reparado que estava junto a mim no camarim.
— Brenda... Ele… está… aqui... — murmurei, e um olhar de desespero se formou em seu rosto. — Calma, não é quem você está pensando. Estou falando do menino que estava na sua frente. Sabe aquele do sonho que eu havia falado pra ti hoje de manhã? Então, é ele.
— O ?! Como assim, ? Você não estaria se confundindo?
— Eu reconheceria aqueles olhos a quilômetros de distância. Os seus cabelos longos, aquela boca...
— Amiga, recomendo limpar a baba que está caindo da sua boca — ela começou rir da minha cara.
— Não estou babando nada, somente estou impressionada com essa coincidência.
— Isso não é coincidência, o nome disso é destino. Agora vamos curtir o show!
Ela agarrou meu braço e eu saí correndo pelos corredores até o backstage. O show ainda estava em andamento e os meninos estavam um espetáculo. Dali, avistei algumas meninas chorando quando Luke estendeu as mãos para que elas se sentissem próximas dele. Outras estavam fascinadas enquanto Calum, Michael e Ashton faziam brincadeiras com seus instrumentos. A música se encerrou e os acordes da última canção do show começaram a tocar. Os meninos agradeceram aos fãs pela recepção e avisaram que tinham uma surpresa:
— É com muito prazer que chamo aqui no palco para cantar essa música incrível o nosso querido amigo… .

Recomendo colocar She Looks So Perfect do 5 Seconds of Summer a partir daqui

E lá estava o motivo do meu nervosismo. Com os cabelos sendo balançados pelo vento, um sorriso de orelha a orelha e vestindo um look despojado, olhou para os lados e observou que eu estava olhando para ele descaradamente. Senti minhas bochechas quentes e o meu coração acelerado.
Os meninos começam um coro de “hey” com a plateia e Luke começou a cantar:

Simmer down, simmer down
(Acalme-se, acalme-se)
They say we're too young now
(Eles dizem que nós somos muito jovens agora)
To amount to anything else
(Para alcançar qualquer outra coisa)
But look around
(Mas olhe em volta)
We've worked too damn hard for this
(Nós trabalhamos duro demais por isso)
Just to give it up now
(Para desistir agora)

If you don't swim, you'll drown
(Se você não nadar, você vai se afogar)
But don't move, honey
(Mas não se mova, querida)
You look so perfect standing there
(Você parece tão perfeita de pé aí)
In my American Apparel underwear
(Com a minha cueca da American Apparel)
And I know now that I'm so down
(E eu sei agora que eu estou tão apaixonado)
Your lipstick stain is a work of art
(Sua mancha de batom é uma obra de arte)
I got your name tattooed in an arrowed heart
(Eu tenho seu nome tatuado em um coração flechado)
And I know now that I'm so down, hey
(E eu sei agora que eu estou tão apaixonado, hey)

A energia da música contagiava todos ali, principalmente as fãs que acompanhavam os meninos. Eu estava tão fascinada com aquela apresentação que não percebi Luke vindo em minha direção e me chamando para subir no palco. Por mais que eu tivesse dito não incansavelmente, ele conseguiu me convencer. Com muita gritaria, fui recebida no palco, e começou a cantar sua parte da canção sem tirar seus olhos de mim:

Let's get out, let's get out
(Vamos fugir, vamos fugir)
'Cause this deadbeat town's only here just to keep us down
(Porque essa cidade desocupada está aqui só para nos deixar para baixo)
While I was out
(Enquanto eu estava fora)
I found myself alone just thinking
(Eu me encontrei sozinho só pensando)
If I showed up with a plane ticket
(E se eu aparecesse com uma passagem de avião)
And a shiny diamond ring with your name on it
(E um anel de diamante bem brilhante com seu nome nele)
Would you wanna run away too?
(Será que você iria querer fugir também?)
'Cause all I really want is you
(Porque tudo o que eu realmente quero é você)

Comecei a ignorá-lo, pois não queria dar tanto na cara que ele mexia comigo. Fui para perto de Calum e, numa tentativa de descontração, imitei uma guitarra imaginária. Nunca estive tão à vontade em um palco. Além disso, as luzes estavam sincronizadas com a música.
Sem entender, vi os meninos se afastarem de mim e, naquele exato momento, senti uma mão me puxando para trás. Dei de cara com aqueles olhos verdes. Com uma expressão confusa, olhei para ele e tentei me desvincular, mas senti um aperto mais forte e arrepios foram se espalhando pelo meu corpo. pegou o microfone e, na parte mais lenta da música, nossos olhares foram conectados.

You look so perfect standing there
(Você parece tão perfeita de pé aí)
In my American Apparel underwear
(Com a minha cueca da American Apparel)
And I know now that I'm so down
(E eu sei agora que eu estou tão apaixonado)
Your lipstick stain is a work of art
(Sua mancha de batom é uma obra de arte)
I got your name tattooed in an arrowed heart
(Eu tenho seu nome tatuado em um coração flechado)
And I know now that I'm so down, hey
(E eu sei agora que eu estou tão apaixonado, hey)

Ele piscou para mim e continuou a cantar. Fiquei sem entender, e minhas bochechas começaram a ficar vermelhas. Michael soltou gargalhadas ao perceber que eu estava desconcentrada. Tentei disfarçar toda aquela situação e continuei a dançar. Os meninos encerraram o show agradecendo pelo amor, e fogos de artifício foram lançados fora da arena.
As luzes se apagaram e eu voltei para o local onde estava com Brenda. Ouvi assobios e fingi que não eram para mim. Comecei a andar mais rápido, mas ele conseguiu me alcançar:
— Você cantou lindamente esta noite — aqueles olhos verdes brilhantes faziam meu corpo todo se arrepiar. — Desculpa, não me apresentei. Meu nome é . O seu deve ser , certo?


Continua...



Nota da autora: Oiii leitoras lindas, tudo bem? Quero agradecer pelos comentários, eles me dão mais gás para continuar a história <3
O que acharam desse capítulo? achei que o nosso querido harry estava muito assanhadinho kkk
Ah, quase me esqueci que tenho uma novidade para vocês, estão preparadas? AGORA TEMOS UM GRUPO NO WPP!! podemos manter o papo em dia, e trocar opiniões sobre a história! Espero vocês lá, até a próxima atualização, um grande beijo e amo vocês




Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus