Contador: Contador:
Última atualização: 10/06/2021

Capítulo 1

POV

Era terça feira e, como sempre, Harry, , Louis e eu estávamos assistindo um filme na casa dos meninos. Estava tudo tranquilo até que ouvi um dos gritos de . Eu estava deitada sob o colo de Harry e me virei pra ela assustada.

- O que foi?! - perguntei confusa.
- Tu não acredita em quem acabou de me mandar uma mensagem! - Ela falou, ou melhor, gritou, super animada, fazendo com que Louis, que estava deitado em suas pernas, fizesse uma careta.
- Quem??? - Eu estava começando a me animar também.
- Vou dar uma dica ele tem cabelo castanho e olhos verdes...
- Ahhh, mentira! - Respondi rápido a cortando, já sabendo exatamente a quem ela se referia.
- Juro! - Ela confirmou e enquanto isso os meninos nos encaravam confusos.
- E o que ele disse? O que ele disse? - Perguntei empolgada.
- De quem vocês estão falando? - Louis finalmente se pronunciou.
- Eles disseram que vêm pra cá no próximo final de semana!!! - me respondeu, ignorando a pergunta do próprio namorado. Louis se calou, mas Harry, que estava extremamente confuso, perguntou.
- Quem vem pra cá no próximo final de semana? - Só então a gente percebeu que não tínhamos falado em voz alta os nomes de quem viria. Às vezes nossa comunicação era assim, muitas palavras nem precisavam ser ditas. Mas os meninos não deviam estar entendendo nada, então me virei para Harry tocando seu braço.
- Ashton e Luke, da 5SOS. - Respondi e os olhares deles ficaram menos confusos. - Lembra deles?
- Eles abriram uns shows para vocês... AH, E APRESENTARAM A GENTE. - completou enquanto ia até a cozinha saltitando.
- Lembro deles, eles são bem legais. Lembro também quando a gente se conheceu, chatinha. - Louis falou para e olhou para Harry. - Você lembra, Harry?
Nesse momento olhei para o meu namorado esperando uma resposta. A conversa acabara de ficar mais interessante.
- Claro que eu lembro! Foi o melhor pós show da minha vida! - Harry respondeu me encarando com intensidade. Eu não me contive, abraçando-o com força enquanto ele ria pela minha reação exagerada.
- , VEM PRA CÁ, OS MENINOS VÃO CONTAR A HISTÓRIA DE COMO ELES CONHECERAM A GENTE! - Antes mesmo de conseguir acabar a frase, vejo uma com metade de um sanduíche na mão correndo em minha direção e antes que eu pudesse reagir ela já estava em cima de mim. - AI, SUA GORDA! SAI! - Falei tentando afastá-la.
- Me aceite dessa forma ou me rejeite, ! - Ela disse sorrindo e levantando para sentar ao lado de Louis. Balancei a cabeça em negação tentando esconder um sorriso, enquanto nossos namorados apenas riam da nossa relação.
- Tá bem. Podemos começar? - Harry perguntou e apenas ‘fez um zíper na boca e jogou a chave fora’, fazendo Louis e eu começarmos a ter outra crise de risos e Harry a olhar entediado.
- Pode sim, gato. - Eu respondi após conseguir voltar a respirar normalmente.
- Enfim... eu lembro que precisávamos pegar alguma coisa com o Calum. Então fomos até o camarim deles e quando entramos lá, demos de cara com vocês duas. A estava com uma toalha na cabeça e uma máscara na cara, enquanto estava só de toalha e com umas pantufas nos pés! - rimos do nosso mico passado.
- Só pra constar vocês deveriam ter batido na porta. - Eu reclamei com os meninos, apontando principalmente para o Harry que era quem contava a história.
- Ei, não foi nossa culpa! Os meninos falaram que iam estar no camarim e disseram que a gente podia ir lá de boa, não sabíamos que vocês iam estar lá. - Louis constatou e deitou no colo de para a mesma voltar a fazer-lhe um cafuné.
- De toda forma, Lou, era o ideal. - falou e eles trocaram um olhar que dizia muita coisa.
- Continuando... a miss Dramática ali começou a gritar chamando a gente de tarados! - se escondeu atrás de uma almofada nessa hora e eu comecei a rir.
- ME PERDOEM SE EU NÃO CONHECIA VOCÊS. EU ERA NOVA EM LONDRES! - Ela tentou se defender.
- , eles já estavam fazendo sucesso pelo mundo todo. - Eu lembrei a ela e ela jogou a mesma almofada na minha cara. Ela é fraca, mas poxa, doeu. – AI, , GROSSA!
- Xiu, pode continuar, Harry.
- Onde eu estava? - Ele se perguntou, com um olhar pensativo - Ahh sim! Então o Zayn saiu correndo para chamar o segurança! O Niall começou a gritar que tinham groupies ali, que tinham sequestrado a 5sos e ainda estavam tomando banho. O Liam foi conversar com vocês...
- E enquanto isso o Harry não parava de olhar para as pernas da . - Louis lembrou, zombando do amigo, e eu corei um pouco ao lembrar desse detalhe.
- E você ficou tão distraído com a que bateu na mesa derrubando o perfume dela... - Harry comentou na defensiva.
- Eu realmente gostava daquele perfume... era o meu favorito. - comentou lembrando com um pouco de tristeza do fato.
- Ahh, amor, mas eu te comprei outro no nosso aniversário de 1 mês. - Louis fez questão de lembrar com um sorriso que retribuiu. Nesse momento a campainha tocou.
- NÃO É MINHA VEZ! - Gritamos eu, e Louis, fazendo com que Harry levantasse a contragosto e saísse reclamando o quanto nossa regra era injusta. A porta se abriu e pudemos ouvir o “Humpf” de reprovação do Harry, então perguntei:
- QUEM É, HARRY? - Gritei para Styles e o vi fechar a cara.
- Oi, meninas, Louis...
- SHAWN!!! - Eu e levantamos e saímos correndo para abraçar... é, bem, o meu ex. Pode parecer estranho, mas Shawn foi meu namorado por um tempo e quando terminamos ainda quisermos manter a amizade. O que eu acho bem normal, por sinal. Com a e o Ash aconteceu a mesma coisa. Somos muito maduras nesse sentido.
- Opa, calma aí, gente, assim vocês me matam sufocado. - Ele falou se referindo ao fato de estarmos esmagando-o em um abraço.
- Desculpa, Shawn, não falo mais então. - disse e saiu fingindo estar com raiva, batendo os pés em direção a cozinha, e Louis foi atrás.
- Essa daí é brava, cuidado Mendes…- avisei meio que rindo.
- E como você está, pequena? - Ele me chamou pelo apelido de sempre. Eu amava quando ele me chamava assim.
Antes que eu pudesse responder
- Desculpa interromper vocês, mas posso falar com a minha namorada a sós? - Harry chegou cheio de marra, frisando bem a palavra namorada. Eu odiava quando ele fazia isso.
- Harry, o Shawn acabou de chegar, seria muito deselegante se eu o deixasse sozinho na sala. - falei meio que entre dentes.
- Relaxa, , pode ir eu arrumo algo pra me entreter. - Shawn era sempre muito bem educado e simpático, ele entendia a situação do Harry.


POV Harry

Puxei de lado até a varanda, para que pudéssemos ficar sozinhos. Eu não tinha algo específico que queria dizer, só não suportava ver ela tão perto dele. Não que eu não confiasse nela, mas... o ciúme me consumia sem que eu conseguisse evitar. Eu pensei que ela ia estar morrendo de raiva pelo jeito que eu tratei o Shawn, mas, pelo contrário, ela me puxou para um beijo meio intenso que me pegou totalmente de surpresa. Depois que ela se afastou, sussurrou no meu ouvido:
- Você sabe que não precisa se preocupar com o Shawn, né?
- É... sei - Respondi um pouco desnorteado, enquanto ela passeava com os dedos pela minha nuca, tocando meus cabelos, aquilo causava um efeito inebriante sobre mim.
- Então por que continua parecendo tão incomodado?
- Eu entendo que não preciso ter ciúmes é só que... eu não consigo controlar o ciúme quando ele aparece e aí quando eu percebo já estou sendo grosso com ele e autoritário com você. Me desculpa. - encarei aqueles olhos tão lindos enquanto terminava de falar.
- Tudo bem, não precisa se desculpar, eu sei que deve ser difícil pra você entender minha relação com ele, mas nós realmente somos SÓ amigos. É você que eu quero como meu namorado, só você. - Eu assenti e então ela continuou. - Acho melhor voltarmos. Você poderia por favor tentar tratá-lo bem? Se você puder ignorar o fato dele ser meu ex, prometo que ele vai parecer ser bem legal.
- Eu posso tentar. - Cedi enfim e então voltamos para a sala de estar onde , Louis e Shawn se encontravam.
Eles estavam sentados no chão jogando cartas. Em nossos jogos sempre apostamos alguma coisa e eu estava curioso pra saber qual era a aposta da vez, então me aproximei, de mãos dadas com . Ela adorava jogar cartas e era extremamente competitiva, logo senti sua animação quando ela perguntou:
- O que vocês estão jogando??!
- Strip poker. Querem jogar?? - virou para nós dois e respondeu. já foi dizendo que sim e sentando, mas eu não aceitei essa história fácil, por isso perguntei:
- Ei, pera aí! Louis você está de acordo com a jogando isso? Você sabe que o jogo inclui tirar a roupa na nossa frente, né?? - Ele respondeu calmamente.
- Também não é assim, Harry, eu não estava muito afim de aceitar, mas instituíram um limite... você só vai até ficar de roupa íntima, como isso seria praticamente a mesma coisa que ficar de biquíni ou roupa de banho eu concordei. - A tranquilidade dele me irritou. Como assim ele estava bem com isso? Fui tirado dos meus pensamentos com segurando minha mão e me puxando pra sentar ao seu lado.
- Ahh qual é, Harry? Lembra do que acabamos de conversar. Vamos! Vai ser divertido. - O jeito com que ela me olhava desfez minha raiva e eu disse já entrando em clima de brincadeira:
- É melhor você ganhar todas as partidas, então. - ela sorriu pra mim - Não quero ver você tirando nada.
- Vocês são um casal estranho. - Louis comentou. - Eu mataria pra ver a tirando qualquer coisa.
- Tomlinson!! - Ela gritou exasperada dando um tapa no braço dele, todos nós rimos.
Jogamos dessa forma: quem ganhava escolhia alguém para retirar uma peça e a cada rodada todas as pessoas tinham que beber. Depois de algumas rodadas, em que a ganhou a maioria, Louis e eu estávamos com menos peças de roupas do que os demais. Ouvimos a campainha tocar e como era quem estava mais composta foi a vez dela de atender.
- Oi Niall, Oi Eliza, entrem aí. Estamos jogando Strip Poker. Querem jogar?
- Oi, gente, queremos sim! Eu amo esse jogo! - Eliza respondeu de imediato para a minha namorada toda sorridente, enquanto Niall a olhava de canto de olho; ele sempre foi meio protetor com a irmã.
- Ah! Eu já ia esquecer, o Zayn e a Maddie vão vir para cá também, só foram buscar uma amiga dela no aeroporto, acho que chegou hoje da Espanha. - Ela acrescentou a informação.
- Ótimo! Quanto mais gente, melhor. - , que já estava um pouco alterada, falou e riu da cara que o namorado fez em sua direção.
- É, gente, acho que vamos sair do jogo agora mesmo. - Louis falou tentando tirar a garrafa de bebida de perto de , fazendo todos rirem da cara de raiva que ela fez.
- NEM BRINQUE COM ISSO, LOUIS WILLIAM TOMLINSON! - ela gritou e segurou a garrafa, que havíamos posto no centro, perto do peito, fazendo com que todos rissem dela.
- Então, vamos jogar??? - Niall falou e Shawn começou a distribuir as cartas deles.
Após uma rodada todos escutamos a risada de Maddie do lado de fora do apartamento.
- PODE ENTRAR, MADDIE! - gritou.
- Como você sabia que era eu? - Ela perguntou com cara de dúvida.
- Dá pra escutar sua risada a quilômetros. - Eliza falou, então focando na menina com cabelos pretos e olhos castanhos atrás dela.
- Ah, pessoal, essa é a Jade. Jade, esse é o pessoal. - Maddie lembrou de fazer as apresentações.
- Oi, pessoal, prazer. - Ela falou meio constrangida, olhando para Maddie que tinha ido se sentar com Zayn na poltrona azul.
- Prazer, Jay. Quer dizer, posso te chamar assim né? - perguntou -ela era realmente muito fofa-, fazendo Jade ficar um pouco mais vermelha quando respondeu.
- Claro que pode...
- Ótimo! Vocês não vão querer jogar também, não? - Eu disse para tirar a atenção de todos de Jade, que me olhou como se me agradecesse.
- Ah, eu nem tinha reparado no estado de vocês... quero sim. Vamos, Mad? - Zayn falou próximo a namorada que olhou para Jade e apenas disse.
- Claro, mas só se ela jogar.
- Eu??? Não, gente, eu to bem assim...
- Vamos, Jay, vai ser legal! Temos alguns limites. - Eliza falou no seu tom simpático e divertido.
- Hum... – Jade pareceu pensar um pouco, mas depois de alguns segundos assentiu e se sentou ao lado de Niall que lhe lançou um sorriso.
- Oi, eu sou o Niall
- CALMA NIALL, A MENINA ACABOU DE CHEGAR, NÃO COMECE A DAR EM CIMA DELA AGORA, ELA VAI ACHAR QUE VOCÊ ESTÁ DESESPERADO. - Louis disse e fez um hi-five com que ria ao seu lado, acho que eles estão passando tempo demais juntos...
- Cala essa boca, Louis, eu só estava sendo educado.
- Tá bem, tá bem... VAMOS JOGAR, GALERA! - Maddie falou fazendo Niall ficar menos nervoso e Jade menos vermelha.


POV Jade

mais cedo naquele dia

Estava sentada, esperando minha melhor amiga chegar, afinal ela prometeu que viria me buscar hoje, quando fui tirada dos meus pensamentos por uma ligação de Maddie.
- Mad? Você já está chegando?
- Aham, daqui a 7 minutos no máximo estarei aí. - não consegui segurar minha animação. Faz meses que eu não a vejo, e vídeo chamada não ajuda muito com as saudades. - E iremos conhecer meus outros amigos hoje, então…
- Pera, o que? Maddie você sabe que eu sou tímida e só me avisa agora? - eu estava indignada.
- Exatamente! Sei muito bem como você é, então não queria te deixar ansiosa, ok? Você terá uma GRANDE surpresa hoje. Daqui a 5 minutos estou chegando, beijos.
Maddie desligou, assim, como se não tivesse me deixado ansiosa do mesmo jeito. Bufei e voltei a mexer no celular. Ela não mudaria de ideia, eu sabia, mas até que seria ótimo fazer novas amizades.

atualmente

Eu havia adorado aquelas pessoas, foram muito simpáticas e eu já me sentia parte do grupo. Ok, nem tanto, afinal, eu estava com ⅘ da ONE DIRECTION, o SHAWN MENDES e ZOVKA, que era uma das minhas atrizes favoritas. Meu lado Fã não conseguia se segurar muito bem. Com a Mad eu conseguia me segurar, éramos amigas antes dela virar modelo, então não tão era estranho estar com ela.
Resolvi deixar aquilo de lado e voltar ao jogo, e, pelo que parecia, eles não tinham notado essa mudança e eu agradecia mentalmente por isso.


POV

A situação era muito engraçada, estávamos todos bêbados, ou pelo menos alegres, e praticamente todos nus e tentando controlar a risada. Jade se mostrou uma menina super alegre e divertida quando se soltou e eu acredito que o Niall está dando em cima dela, mas não tenho certeza; não estou em minhas melhores condições, na verdade eu era uma das piores ali. Só quem ficava na minha frente era a Maddie, o Harry, o Shawn e o Zayn, mas o jogo estava tão legal que eu não queria parar.
- Ok, , pode tirar. - Shawn falou após sua vitória. Já estou até prevendo a merda que isso ia dar, mas quem estava ligando naquele momento? Só queríamos nos divertir mesmo.
- Eu acho que você deveria escolher outra pessoa Mendes, a está praticamente no limite do jogo.
- Não precisa ter ciúmes, Harry, não é nada que eu já não tenha visto. - Shawn falou e logo depois olhou pra com olhos arregalados percebendo a merda que havia falado. - Harry, foi mal, eu não pensei direito.
- Cala boca!! - Harry proferiu antes de sair da sala a passos largos.
- , eu juro que não queria provocar ele foi só ...
- Tudo bem, Shawn. Eu vou falar com ele. - e saiu atrás do namorado deixando nós 8 sem saber o que dizer e um clima tenso no ar.
- Gente, acho que vou subir pro quarto do Lou, a brincadeira já morreu mesmo.
- Okay, boa noite.
- Vou com você. - Louis disse após a resposta do grupo e me seguiu rápido em direção ao seu quarto. Antes de conseguir fechar sua porta, sinto duas mãos em meu quadril e estremeço, já sabendo o que ele queria com isso.
- Louis...
- , eu preciso de você - me virou para frente e me olhou com aqueles olhos azuis brilhantes cheios de malícia. Ai, Deus, como eu amava aqueles olhos.
- E é? Mas por quê?
- Porque eu quero sentir você hoje. Seu cheiro, sua pele, você junto a mim... eu preciso de você nesse exato momento.
Ele respondeu minha provocação beijando, mordendo e dando leves chupões em meu pescoço. Eu poderia tentar resistir, mas eu nunca seria forte o suficiente para negar isso a ele. Então dei um suspiro de aprovação quando ele puxou meu quadril mais para perto do dele e quando fui ver, seus lábios já estavam colados nos meus iniciando um beijo lento. Suas mãos já estavam uma em minha nuca e a outra em minha bunda, enquanto eu brincava com seus cabelos e arranhava seu braço. O ritmo estava ficando cada vez mais rápido, a temperatura cada vez mais quente e nós cada vez mais necessitados, quando ouvimos um barulho de vidro se quebrando e percebemos que Eliza estava olhando para nossa direção.
- Desculpa, gente, eu só estava procurando a , ela ainda não voltou... acho que está se divertindo tanto quanto vocês estavam e... AÍ MEU DEUS, DESCULPA, EU VOU DESCER E VOCÊS CONTINUAM AÍ, TÁ? - Ela terminou a frase já no início da escada e eu olhei para Lou.
- Eu não acredito que ela interrompeu a gente logo agora.
- Relaxa Lou, o clima morreu, mas ainda podemos ficar no seu quarto, assistir um filme e...
- , você não está entendendo o motivo de ter ficado tão indignado. - ele falou isso e apontou para o meio de suas pernas e quando eu olhei percebi que tinha um volume bem maior do que mais cedo.
- AI, LOUIS! - e comecei a rir da carinha que ele fez. Foi cômico ver meu namorado com os cabelos encrencados e cheio de arranhões, com uma carinha de dor e as mãos na cintura.
- Eu tô falando sério.
- Eu sei, mas não vai dar, o clica ficou inexistente e eu quero assistir um filme agora mesmo.
Sai puxando-o pelas mãos em direção a cama e deitando na mesma, enquanto ele ligava a TV. Quando ele se aproximou, me olhou atentamente e foi aí que eu percebi que só estava de calcinha e sutiã e comecei a ficar constrangida.
- Lou, para de me olhar assim...
- Você é linda sabia?
E começou a alisar meus cabelos novamente e a me beijar. Eu estava começando a sentir um incômodo entre as pernas e quando estava pronta para tirar sua boxer, ouço um gemido no quarto ao lado.
- Eu não acredito nisso - ele disse enquanto saía de cima de mim e eu xingava a e ria ao mesmo tempo. Louis se deitou ao meu lado enquanto me aninhou em seu peito e começou a fazer desenhos em meu braço. Após alguns minutos, não consegui mais prestar atenção no filme, minhas pálpebras foram se fechando e ficar acordada não era mais uma opção.


Capítulo 2

POV

Levantei do círculo em que estávamos no chão, cortando as desculpas do Shawn; eu realmente não o culpava, todos nós bebemos muito hoje e era difícil manter a boca fechada. Subi as escadas apressada, cambaleando um pouco pelo efeito do álcool. Eu não era de beber muito, então qualquer quantidade já me afetava. Fui direto para o quarto do Harry, mas a porta estava trancada, então comecei a bater.
- Harry, por favor, me deixa entrar. - Ouvi do outro lado da porta um longo suspiro e percebi que ele estava tentando controlar a raiva. Me afastei da porta e esperei o tempo dele. Depois de alguns segundos, ouvi a tranca se abrir e ele, então, abriu finalmente a porta e eu pude perguntar com minha voz mais gentil: - Posso entrar?
Ele a abriu mais, me dando espaço para que eu pudesse passar. Assim que passei, fui em direção à cama, enquanto ele trancava a porta.
Ele estava muito calado e não parecia querer introduzir o assunto que o deixou tão puto. Esperei sentada em sua cama enquanto ele andava de um lado para outro do quarto. Me concentrei em suas expressões, ou melhor, tentei focar só nas suas expressões, mas, devido ao jogo, não restaram a ele muitas peças de roupa e ele realmente tinha um corpo incrível. Acabei me distraindo observando os contornos das suas tatuagens, que eu achava simplesmente a coisa mais sexy que eu já tinha visto; eu mal lembrava que já havia existido um dia em que eu considerava tatuagens como algo não tão bonito.
Não aguentando mais me manter em silêncio, com pensamentos impróprios sobre ele, eu perguntei:
- Você não está chateado comigo, está? - Percebendo como eu estava triste com a possibilidade dele estar com raiva de mim, ele se sentou ao meu lado na cama e pegou minhas mãos.
- Não, não estou chateado com você. - Um pouco da tristeza se foi; eu realmente odiaria ser o motivo de Harry estar chateado.
- Então o que foi? – Perguntei, querendo entender o que se passava na cabeça dele.
- É que eu não consigo te imaginar em uma situação sexual com mais ninguém além de mim, e quando ele disse que você não era nada que ele já não tivesse visto, eu não consegui evitar pensar em você com ele. E isso acendeu uma raiva tão grande em mim que eu preferi sair de lá, antes de fazer algo que eu fosse me arrepender. - Eu já olhava em seus olhos com intensidade, mas o toque dele em minha nuca, aproximando nossas testas, amplificou meus sentidos e eu agora ardia em desejo - Eu quero ser o único para você. – Ele sussurrou.
- Ainda bem, porque eu quero ser só sua. - Respondi com intensidade.
Então ele me puxou para um beijo caloroso. Como já estávamos praticamente sem roupa, nos demoramos mais no beijo retirando nossas últimas peças de roupa com uma súbita voracidade, já estávamos praticamente nus, eu só de calcinha e ele só de cueca, quando ouvimos passos no corredor e uma batida suave na porta seguida de um:
- Harry, , vocês estão bem? - Essa era definitivamente a voz da Eliza, mas antes que eu pudesse dar qualquer resposta decente Harry deu um tapa na minha bunda que me fez gemer alto e foi passeando com suas mãos pelas minhas coxas, ele sorriu para mim com malícia e do outro lado da porta ouvimos em resposta.
- É, eu acho que eles estão mais do que bem. - Essa era a voz do Shawn o que eu acho que implementou a satisfação do Harry, porque se o Shawn tinha pensado que o que ele disse abalou nosso relacionamento, agora ele sabia que isso na verdade só nos levou para cama.
Eu poderia repreendê-lo por esse comportamento, mas não conseguia pensar em outras palavras que não fossem gemidos ou “Harry!” Então simplesmente me entreguei a ele, e quando tínhamos terminado, me encostei sobre seu peito e dormi com um sorriso no rosto porque ele sempre me satisfazia completamente. Com certeza o resto do pessoal ou tinha ouvido o que aconteceu essa noite ou tinha ouvido a notícia a partir de Eliza e Shawn, mas isso pouco importava, o que mais eles esperavam que fizéssemos?

...

Acordei no outro dia e Harry ainda dormia, encarei o perfil perfeito de seu rosto, ele era extremamente bonito e conseguia ser ainda mais dormindo.
Comecei a pensar em quão sortuda eu era por poder acordar ao lado dele todos os dias, não só porque ele era bonito, mas simplesmente por tudo nele, meu coração se encheu de felicidade e eu mal podia respirar. Depois de uns minutos me movi sorrateiramente para fora da cama.
Encontrei minhas roupas e comecei a vesti-las, então desci as escadas e fui em direção a cozinha, estava lá servindo um copo de suco, quando eu cheguei saltitante, me sentindo totalmente alegre, fui em direção a geladeira para pegar algo pra comer. Então ela me lançou um olhar ácido e disse:
- Parece que pelo menos alguém se deu bem ontem à noite. - eu corei, mais com a lembrança de noite passada do que de vergonha, mordi o lábio inferior e respondi.
- Mais do que bem...
- Eu pude perceber, pelos sons que você emitia. - a vergonha tomou conta da minha expressão.
- Ah... Então você ouviu? Me desculpe se atrapalhei seu sono, eu... - ela me cortou dizendo:
- NÃO. Não foi meu sono que você interrompeu, FOI MINHA NOITE COM LOUIS FUCKING TOMLINSON!! - Ela estava realmente com raiva, mas eu entendia, também ficaria, apesar de ter quase certeza que quase nenhum barulho fosse impedir eu e Harry de... enfim, então me apressei dizendo.
- Me perdoa, , eu não tenho controle sobre isso. E eu realmente não queria estragar sua noite. - Eu cheguei perto dela que no momento não me olhava e disse. – Ah, , por favor, me perdoa, vai. Eu já sei o que eu posso fazer para te compensar. - Vi o interesse cruzar seu olhar então continuei. - Eu vou sair com o Harry hoje, então você e Louis podem ficar com a casa todinha só para vocês. Então o que acha? Tô perdoada?
- Bem perto disso. - ela respondeu apenas minha última pergunta.
Mas apesar dessa resposta as coisas pareciam estar realmente melhores entre a gente. Tomamos café da manhã juntas e quando já estávamos quase terminando, Harry e Louis chegaram juntos a cozinha, cada um murmurou um “bom dia” e se dirigiram as suas respectivas namoradas dando-nos um beijo típico de cenas de filmes. Não tinha mais ninguém na casa. Pelo que parece, ninguém ficou para dormir.

...

- Caramba, estou morrendo de fome! - Harry disse pondo uma das mãos dramaticamente sob a barriga que roncava.
- O que você quer para comer? Aproveite que eu estou me oferecendo para fazer o que você quiser! - Falei sorrindo abertamente, eu mimava demais ele, mas eu não conseguia evitar era só olhar para essa carinha linda dele que você se derretia.
- Hmm... o que eu quiser? - Ele falou sorrindo maliciosamente.
-Te controla, homem, são 8 da manhã. - falei tentando esconder um sorriso, ele me puxou para um abraço enquanto ria.
- Eu também estou com fome. - disse Louis fazendo uma carinha fofa e abraçando por trás.
- Vai lá e faz, amor, eu não fiz nem o meu. - se dirigiu ao namorado ignorando o bico que ele fez logo após a resposta da minha amiga.
Enquanto e Louis conversavam, Harry respondeu o que queria e eu me dirigi ao fogão para preparar, mas continuei prestando atenção na conversa dos dois, então ouvi o Louis se dirigir a mim
- ... - Ele chamou um pouco incerto.
- Sim, Louis? - Eu já sabia que ele queria que eu cozinhasse para ele também, mas não ofereci e deixei que ele continuasse, sempre acabava na mesma coisa eu cozinhando para todos, mas mesmo assim eu gostava de fazê-lo se esforçar um pouco por isso ele era um ótimo bajulador o que fazia disso algo muito engraçado de se observar.
- É que você cozinha tão bem! E eu estava pensando se você não poderia fazer alguma coisa para mim também. - Eu fiz uma expressão indecisa e então ele continuou a bajulação - De verdade mesmo, você faz as melhores comidas que eu já comi, fico impressionado com tamanho talento. - Achei graça da intensidade da sua voz acho que provocada pela fome e então disse:
- Tudo bem, eu faço para você também. - Eu disse sorrindo, eu realmente gostava de cozinhar e não queria ver meu amigo com fome, e não é como se essa já não fosse a dinâmica natural do nosso grupo, eu era a que sempre cozinhava para todo mundo.
- Ah, obrigado, , você é incrível. - Louis agradeceu. Rapidamente eu fiz o café da manhã dos dois, deixei Louis e na cozinha e segui para a varanda com Harry dizendo que precisava falar com ele a sós, sentamos na mesinha de fora, lado a lado, enquanto ele comia. Ficamos assim por um tempo até que ele falou.
- Hmmm... Isso tá muito bom. - Eu sorri com a carinha fofa que ele fez, e então ele continuou. - Então sobre o que você queria conversar a sós comigo?
- É... - Eu comecei. - Lembra de ontem à noite? - Eu não tinha tanta vergonha de falar sobre essas coisas com ele, nós éramos bem abertos com relação a isso.
- Como eu poderia esquecer?! - Ele disse com um sorriso malicioso, eu revirei os olhos desviando do olhar dele e continuei.
- Bom, então você deve lembrar também que não fomos tão discretos com relação aos sons que emitimos... E como o quarto do Louis é perto do nosso nós acabamos atrapalhando algo entre eles. - Eu olhei para o Harry para ver se ele tinha entendido, não tinha certeza se tinha sido clara na minha explicação e então ele emitiu.
- Ahhh... e eu imagino que você queira fazer algo para compensar?
- Sim. - Eu disse colocando uma de minhas mãos em seu rosto e acariciando sua bochecha - Eu estava pensando que poderíamos sair hoje, passar o dia fora.
- Deixar a casa só para eles e ter um dia todinho nosso? - disse ele.
- Exatamente.
- Concordo plenamente. - Falou sorrindo.
- Eu estava pensando que poderíamos sair daqui a uma hora.
- Perfeito.
- Bom, então você pode subir e tomar um banho enquanto eu lavo os pratos. - Me inclinei lhe dando um selinho, peguei seu prato e me dirigi para a cozinha.

Harry’s POV

Eu observei, ainda sentado, enquanto ela ia em direção a cozinha, às vezes eu parava e ficava apenas pensando no quanto eu era sortudo por tê-la na minha vida, parava pensando no quanto eu gostava dela e de repente eu senti uma vontade absurda de beijá-la. Então levantei e me dirigi a cozinha, parei na porta e fiquei observando enquanto ela prendia o cabelo em um coque frouxo, eu adorava quando ela fazia isso porque me dava livre acesso ao seu pescoço. Caminhei sorrateiramente por trás dela e deslizei minhas mãos agarrando sua cintura, ela inclinou a cabeça para o lado sabendo o que eu iria fazer, me dando melhor acesso a região do seu pescoço. No momento em que meus lábios tocaram sua pele, a senti estremecer, o que me fez sorrir e continuar as carícias dando leves chupões na região por um tempo até que puxei seu corpo mais para perto do meu. A ouvi arfar em satisfação então eu a virei de frente para mim e a coloquei em cima do balcão da cozinha, me encaixando entre suas pernas. Ela segurou meu rosto entre suas mãos, me puxando com urgência para um beijo. Coloquei minhas mãos em sua cintura, de vez em quando passando-as pela sua bunda e voltando a subir chegando às vezes aos seus cabelos os quais eu puxava de leve. Ouvi passos na cozinha e então o barulho de um copo sendo enchido do que eu presumo que seria água, nós não nos incomodamos em parar o que estávamos fazendo para desviar um olhar se quer na direção de quem quer que fosse, como não houve nenhum protesto imediato, imaginei que seria o Louis e não a . Então ouvi a voz do Louis falando, o que confirmou meu palpite.
- Cara, arrumem um quarto.
Só então nos afastamos rindo para observar Louis balançando a cabeça como quem pensa “esses dois não tem jeito” e indo em direção a porta. Quando me virei para encará-la de novo, ela tinha um sorriso malicioso no rosto o que me fez sorrir da mesma forma, então eu me inclinei novamente para mais um beijo que não durou tanto quanto eu gostaria, já que ela se afastou dizendo:
- Acho melhor você se apressar com o banho e eu tenho que lavar esses pratos. - Percebendo minha cara de decepção, ela adicionou. – Ah, não fica assim. Eu prometo que assim que sairmos dessa casa você terá muito mais do que isso.
Ela não precisou dizer mais nada me apressei em direção ao quarto entrando direto no banheiro, não levando mais que cinco minutos no chuveiro.
Quando ela subiu para tomar banho eu estava escolhendo uma roupa apenas uma toalha envolvia minha cintura, percebi seu olhar contemplativo percorrendo meu corpo de cima abaixo parando para observar a tatuagem no centro do meu abdômen, ela nunca tinha dito nada, mas eu tinha certeza que aquela era a sua tatuagem favorita, o que era irônico se você considerar que ela morria de medo de borboletas e mariposas na vida real e literalmente gritava se alguma voasse perto dela, sorri com algumas das lembranças de algumas vezes em que isso realmente aconteceu e então eu perguntei para ela.
- Para onde nós vamos??
- Hmm... não sei ainda, a gente pode só passear por aí, quem sabe ir a um parque? - Ela falou.
Eu evitei um revirar de olhos.
- O que a gente faria num parque? - Falei um pouco entediado. O que faríamos a não ser sentar e ver o verde junto com passarinhos voando por aí, não que eu não aprecie esse tipo de atividade, eu apenas estava a fim de mais ação para o dia de hoje.
- Não sei... eu gosto de olhar a natureza e me lembrar de casa, então eu gosto da ideia. - Ela disse e aquilo já bastava para que eu cedesse, ela estava com saudades do Brasil e o lugar em que ela morava lá tinha muito verde, então dava para entender porque ela buscava essa conexão por menor que fosse, e eu faria de tudo para agradá-la, então iria sem reclamar, mas ela também fazia de tudo para me agradar por isso quando ela abriu um sorriso malicioso em minha direção, eu ergui minhas sobrancelhas em interrogação e então ela continuou: - E só pra constar eu vou estar usando isso aqui por baixo das minhas roupas... pro caso de você ficar entediado só com o verde do parque. - ela foi em direção a uma gaveta, tirando de lá uma lingerie preta e sexy, ela se virou pra mim e perguntou: - Então o que você acha?
A imagem dela naquela lingerie foi mais do que suficiente para me fazer concordar.
- Vamos com certeza!
Ela riu alto jogando a cabeça para trás pela minha reação tão instantânea.
- Tarado... - ela meio que cantarolou.
Me aproximei dela, passando uma mão por sua cintura trazendo-a perto o suficiente para que eu pudesse sussurrar no ouvido dela.
- Você provoca, mas eu sou sim e você gosta... – Todo o corpo dela se arrepiou o que foi impossível de não perceber, aquele era o ponto fraco dela, palavras sussurradas no ouvido ou qualquer toque de leve na orelha dela, sorri com o efeito que eu tinha causado nela.
Eu era meio tarado sim, mas não era só isso que estava me motivando ultimamente, é que fazia muito tempo que ela não tirava uma folga do hospital. Normalmente ela estava sempre trabalhando, a vida de médica realmente exigia muito dela, mas eu tinha muito orgulho do que ela fazia, ela era uma médica extraordinária e amava muito o que fazia. Seu olhar brilhava sempre que ela falava de algum caso de alguma criança do hospital que tinha melhorado, era uma reação muito fofa de se ver nela. A única coisa que eu não gostava que vinha com o trabalho dela era o pouco tempo que tínhamos juntos durante a semana e às vezes até nos fins de semana e contando com os compromissos da banda que eu tinha, esse tempo ficava menor ainda então, eu sentia que devia aproveitar de todas as formas agora que ela tinha tempo livre para estar comigo, e existe forma melhor de aproveitar um tempo com sua namorada do que na cama?
Ela deu um passo meio irregular para trás se livrando do meu toque e me tirando dos meus pensamentos
- Vamos, vamos... temos que deixar essa casa só pro casal lá embaixo. - ela falou desviando o olhar do meu torso, com um pouco de resistência pelo que eu percebi.
- Eu não sei porque vamos deixar a casa só para eles, não é como se eles fossem aproveitar a oportunidade provavelmente vão passar o dia todo assistindo filmes da Disney. - falei, revirando os olhos.
- Harry! - Ela me repreendeu e por um segundo eu tive medo que ela fosse ficar toda séria, mas ela então continuou tentando esconder um sorriso. - Seja um pouco mais legal é lógico que talvez eles assistam algum filme da Marvel também.
Eu respirei aliviado, caindo na risada junto com ela, não só pelo comentário dela. mas principalmente pela risada dela em si, era o tipo de risada que fazia você rir só de ouvi-la.

Pov Louis

A e o Harry foram para a varanda alegando precisar conversar ou algo assim, sinceramente, eu não estava prestando atenção. Não tinha motivos para eu prestar, já que estava do meu lado mordendo os lábios enquanto deixava uma xícara de chá vazia no balcão. Percebendo meu olhar sobre si, ela cruzou as pernas e colocou a franja para trás enquanto ficava corada, em claro sinal de constrangimento.
- Lou, você sabe que eu odeio quando me olha assim. Eu não consigo entender o que você está pensando.
- Eu estou pensando o quanto eu sou sortudo de ter uma mulher dessas comigo. E em como você fica linda assim descontraída e constrangida. Caralho, você é linda de todo jeito, ! - A vi ficar mais vermelha ainda e por pouco consegui segurar a vontade de beijá-la.
- Louis, eu não sou tudo isso e você sabe. Só está falando essas coisas porque o casal ali. - Apontou com a cabeça em direção a varanda. - Vai sair hoje e você não quer perder tempo.
- Primeiramente me ofende você pensar isso de mim. - Tentei fazer uma cara ofendida, mas minha namorada riu deixando claro que fora uma tentativa falha. – Em segundo, me irrita você não ver o quão linda você é, eu sempre te falo isso, babybear. É claro que eu não quero perder tempo! Faz quase uma semana que nada acontece, estou sentindo falta do meu corpo dentro de você!
- LOUIS! - Deu um tapa em meu braço. - Não acontece porque a casa está sempre cheia! E você não vai mais lá em casa. O Woody está com saudades de você!
Deixando claro, era louca pela Disney. Simplesmente apaixonada. E deixava explícito para todos que a conhecessem que Toy Story era seu filme favorito, o que favoreceu muito a sua amizade com Payne diga-se de passagem. Woody era seu labrador que eu já tinha adotado como nosso fazia uns três meses.
- E eu estou com saudades do nosso filho!
- Então por que não vai visitá-lo?
- Ele está na casa dos seus pais! Ainda não entendi por que ele não pode ficar com você.
- E qual o problema? Você já os conhece. Além de que a Chloe é alérgica!
- É, mas o seu pai não gosta muito de mim, principalmente quando ele sabe que sempre que chego por lá é algo com sua filha... - Sussurrei a última parte, mas soube que ela ouviu quando suas bochechas voltaram a cor avermelhada, porém ela decidiu ignorar meu último comentário.
- É claro que ele gosta, Lou! De onde você tirou isso? - Ela realmente parecia confusa, então vi uma boa oportunidade de encerrar o assunto e ainda conseguir terminar o que começamos na noite anterior, eu a abracei e comecei a mordiscar seu pescoço.
- Você quer mesmo falar da minha relação com seu pai agora?
- Mas foi você que começou, Tomlinson!
- Shiiii. - comecei a dar chupões em meu pescoço, que com certeza ficaria com as marcas, e a apertar sua cintura.
- Lou... você tá mesmo afim de fazer sexo matinal?
- E tem melhor forma de acordar, ? Hoje a casa é nossa. Quem sabe mais tarde pode ser na jacuzzi, depois na sala, ou aqui no balcão... - percebi que ela fechou os olhos com força antes de falar.
- Se vamos ter a casa toda hoje para nós, não precisaremos adiantar as coisas, certo? - Eu ia responder quando o celular dela começou a tocar e ela atendeu. - Alô?
- Quem é??
- Oie, Ash, espera, o quê? Fala mais devagar.
- O que o Ashton tá falando, ?
- Um minuto, Louis!
Eu já estava ficando impaciente. Não que eu tivesse ciúmes do australiano, mas... bem, eu tinha. Ele foi o primeiro namorado de e eles ficaram juntos por quase dois anos quando decidiram ficar sendo apenas amigos. Ela já me disse que se preocupar com o ex era desnecessário, mas, para mim, desnecessário mesmo é essa amizade dos dois. Eu sei que estou sendo um idiota e que esse é o motivo para maior parte de nossas brigas, mas eu não conseguia me segurar. Saber que foi com ele que ela teve o primeiro beijo... a primeira vez...
- Lou, tá tudo bem?
- Tá. - respondi seco, percebendo que ela já havia desligado o telefone e logo me arrependi quando vi o olhar triste que ela me lançou.
- Não parece...
- Desculpa, , tá tudo bem sim. - Dei um sorriso para ela e preferindo fingir que nada tinha acontecido. Mas aconteceu. E sabia. - Para que o Irwin ligou?
- Ah, ele só queria falar sobre a chegada deles. Chegam na sexta de 11:45.
- Eles não iam chegar no domingo? - Relembrei a data que havia sido informada para mim.
- Eles conseguiram adiantar.
- Legal, você deve estar com saudades dele.
- Estou.
Ficou um silêncio constrangedor por cerca de cinco minutos, mas eu não ia quebrá-lo, sabia que não aguentava silêncio e por isso o mesmo não duraria mais tanto tempo.
- Olha, Louis, eu realmente não entendo o porquê de você ficar assim quando eu o menciono. Eu não fico chateada quando você encontra suas ex’s! - Falou aumentando a voz e eu já sabia onde aquilo ia terminar.
- Eu não mantenho contato com nenhuma ex, certo?
- Mas sempre as vê em apresentações!
- VOCÊ TAMBÉM, PORRA! ELE SEMPRE VAI VER SEUS FILMES E NEM POR ISSO EU FICO FALANDO NADA.
- NÃO PRECISA! EU CONHEÇO VOCÊ! EU E O IRWIN SOMOS APENAS AMIGOS!
- ENTÃO QUER DIZER QUE SE NÃO ESTIVESSE COMIGO VOCÊ NÃO FICARIA COM ELE? - Olhei em seus olhos esperando uma resposta que claramente não vinha. Ela não mentia. Não sabia mentir para mim e eu sabia disso, por isso a olhava tão profundamente. Suspirei, vendo que ela realmente não ia dizer mais nada, resolvi encerrar aquele papo. – Olha, , eu não quero brigar por isso de novo.
- Não é o que tá parecendo...
- Vamos apenas curtir o dia, tá legal?
- Uhum...
- Quer ver um filme?
- Posso escolher?
- Claro, só vou pegar um copo de água, quer algo?
- Nhe, obrigada.
Dei de ombros e fui em direção a cozinha, quando entrei na mesma, me vi numa situação meio... embaraçosa.
e Harry estavam se engolindo! Se fosse a aqui ela faria o maior escândalo sobre como a cozinha deveria ser um local limpo e essas coisas, mas não liguei. Já estava acostumado a ver esse tipo de cena dos dois. Peguei um copo e enchi como se nada estivesse acontecendo na minha frente e quando acabei só soltei:
- Cara, arrumem um quarto.
Vendo eles se separarem rindo enquanto olhavam para mim, apenas balancei minha cabeça em sinal de reprovação, aqueles dois não tinham jeito mesmo, e voltei para a sala sentando ao lado de . Contei tudo que havia visto anteriormente e ela ameaçou até a 10ª geração das famílias dos dois enquanto eu ria.
Ficamos a manhã toda vendo os filmes da Disney que eu tinha em casa e rindo um da cara do outro. Era sempre assim. O clima ruim nunca ficava muito tempo, eu realmente gostava muito dela, só não colocava essas palavras a prova, pois eu não sabia se as receberia de volta.
- EU AMO ESSE FILME!
- Eu sei, por isso tenho aqui em casa...
- Achei que era pelo Liam.
- Ele é pior do que você, . Mas não é meu motivo de passar horas vendo sequências de Toy Story.
Ela lançou uma risada gostosa enquanto se alinhava no meu peito e eu fazia carinhos em seu braço. Naquele momento eu descobri.
Estava apaixonado em como ela sorria tímida quando conhecia alguém, mas depois de cinco minutos, já estava sendo melhor amiga da pessoa. Estava apaixonado em como seu cabelo ficava extremamente bagunçado quando ela acordava. Ou em como ela amava listar os fatos que faziam a Marvel, na qual ela tinha um contrato no momento, melhor que a DC. Eu estava apaixonado em como ela se vestia casualmente. Eu estava apaixonado pelo cheiro de morango que possui. Ou em como seu pequeno corpo se encaixava bem no meu. Estava apaixonado pelos arranhões que ela me dava. E também estava apaixonado por como ela me fazia rir de praticamente tudo.
Caralho... eu estava apaixonado por . E pensando nisso eu sorri, observando o quão linda ela ficava quando estava concentrada em algo, no caso em Toy Story.
- Você está fazendo de novo...
- Desculpa.
- O que foi, Lou?
- Estava pensando. - não podia falar para ela dessa forma. Não podia. Pode parecer estranho, mas em todos nossos meses de namoro nunca falamos um para o outro.
- No quê? - Me encarou. Olhos azuis nos castanhos. Isso só me trazia mais certeza.
- Minhas irmãs estão com saudades de você. Me lembrei que elas tinham avisado ontem para te levar para casa.
- Sim, por favor! Estou com saudades de fazer compras com a Lottie! Ela tem um gosto incrível!
- Por um momento eu achei que você ia dizer das gêmeas.
- Não me leve a mal. Eu amo o estilo das suas irmãs, mas da última vez, a Daisy me entupiu de roupas que não posso usar normalmente. Chamam muita atenção.
- Eu sei, babybear.
- Quando você vai me levar para vê-las?
- Assim que der, eu juro. - dei um beijo em seus cabelos e ela voltou a se deitar no sofá gigante que tínhamos na sala. Fui pegar meu celular para ver as horas e me assustei. - OLHA A HORA, !
- Caramba, pulamos o almoço.
- São quase 5 da tarde.
- Me perdoe se eu amo a Disney e não vejo o tempo passar...
- O que você acha de ir a Jacuzzi?
- Eu acho uma ideia maravilhosa. - Me olhou maliciosa e me puxou para o terraço onde ficava a Jacuzzi.
- Você não vai trocar de roupa?
- Para quê?
- Para não molhar?
- Não tem problema, eu dou um jeito. - E dizendo isso ela tirou a roupa ficando apenas de lingerie.
- Eu agradeço eternamente a quem inventou a lingerie.
- Sua vez, BooBear. - minhas roupas tiveram o mesmo destino das de e quando vi, estava apenas de box no terraço de casa.
- Talvez saia na imprensa ‘Louis Tomlinson e foram vistos apenas de roupas íntimas no terraço da casa do cantor.’
- Já somos namorados, Louis, não tem por que eles insistiram em tirar algo, já está claro para todos e... - não a deixei terminar, invadi sua boca num desejo repentino de contato com ela, dei impulso e logo ela estava com as pernas cruzadas sob minha cintura e íamos em direção a Jacuzzi.
- Sempre tive curiosidade em saber como seria transar numa dessas.
Ela deu um sorriso malicioso enquanto entrávamos no objeto. E assim, tive uma das melhores tardes da minha vida.

Harry POV

Ela não demorou muito no banho o que era meio raro para ela, já que quando lavava o cabelo, ela levava no mínimo uma hora no banheiro, mas ela optou por não lavar o cabelo e isso era prova de como ela estava realmente focada em deixar a casa só para e pro Louis, para que a nos perdoasse por termos atrapalhado a noite deles ontem, eu ainda não entendia porque eles tinham parado por causa disso, eu não consigo pensar em uma coisa se quer que pararia eu e a , mas enfim... voltei a observar minha namorada que sorria para mim estendendo uma mão para segurar a minha, ela usava um vestido o que eu muito aprovei, porque sempre facilitava e muito as coisas para mim, retribui o sorriso e firmei o toque da mão dela no meu.
Pegamos nossas coisas e descemos passando sem ser notado por e Louis que estavam no sofá, assistindo ao que pelo barulho da televisão devia ser Toy Story, trocamos um olhar meio de reprovação e ela completou.
- É bom que eles usem esse dia pra fazer algo além de assistir filminhos.
Eu ri concordando com ela.
Fomos até a garagem e dentre as muitas opções de carros escolhemos o mais discreto, para não chamar a atenção dos paparazzi, já que queríamos um dia só nosso.
Optamos por um dos parques menos frequentados da região que por sinal era um dos mais bonitos também.
O caminho até lá era rápido, assim que chegamos tirei as coisas do carro e as coloquei em cima do capô. A estava encostada no carro e me olhava com intensidade, me aproximei dela colocando minhas mãos em sua cintura enquanto pressionava meu corpo contra o dela, ela colocou as mãos em volta do meu pescoço e sorriu. Eu perguntei:
- Está feliz?
- MUITO! Mas sabe o que pode me fazer mais feliz?
- O quê?
Ela se inclinou para sussurrar no meu ouvido coisas definitivamente inapropriadas, o que me fez sorrir de lado.
- É... eu acho que eu posso dar um jeito nisso. – A puxei para um beijo, suas mãos exploravam meu corpo por baixo da minha camisa e eu fazia o mesmo com ela, não havia mais nenhum carro ou pessoa por perto então fomos aumentando a intensidade do beijo, mas paramos assim que o celular dela começou a tocar, ela se virou para pegá-lo na bolsa e eu a agarrei por trás, uma risada escapou de seus lábios quando ela me “sentiu” contra ela.
- Você retorna a ligação depois. - Sussurrei no ouvido dela, mordiscando de leve a sua orelha.
- Não, eu realmente tenho que atender... - Disse olhando para a tela do celular. - Alô?! - Percebi a animação em sua voz e uma pontada de ciúme me atingiu.
- Quem é? - Eu perguntei, mas ela me ignorou.
- Mentira! Ah... sério? Luke, não brinca com isso! Não, não... tudo bem, já tá tudo certo desde a semana passada. Meu Deus! Você está falando sério mesmo? Tá bom, tá bom eu acredito então... Tá bom, beijo! Tô morrendo de saudades. Tchau! - Então era o Luke, não que eu tivesse ciúmes dele, eu entendia que eles eram só amigos, e eu tinha muito que agradecer a ele, foi só por causa dele que eu havia conhecido a e por isso eu era grato todos os dias, eu simplesmente não conseguia imaginar minha vida sem essa mulher, do Luke eu tinha zero ciúmes, era diferente do Louis com o Ashton, o que era bem razoável de compreender já que o cara tinha namorado a eu era do mesmo jeito com o Shawn, nesse caso eu não tinha muito controle sobre mim, mas agora eu estava puto com o Luke porque ele tinha estragado o meu momento com a .
- Então o que ele disse? - Preferi introduzir logo o assunto já que ela não pararia de falar disso.
- Ah, amor! Você não acredita... Eles conseguiram antecipar a viagem e chegam aqui na sexta! - Ela falou com empolgação.


Capítulo 3

Pov

O restante dos dias se passaram rapidamente, e quando fui perceber estava na van com e os meninos indo em direção ao aeroporto. Estava muito ansiosa pra ver os meninos da 5SOS, já fazia meses que não o via! Recebi uma mensagem de Ash avisando que eles estariam no portão B.
- Ei, , eles estão no portão B - avisei pra minha amiga, já que ela era quem dirigia. Afinal, ‘Não vou deixar o Louis ou a no volante, Harry, não quero correr o risco de ter um acidente’. Revirei os olhos ao lembrar da frase da morena e a vi assentindo, mostrando que ouviu minha fala.
- Está ansiosa?
- Muito, Lou, estou com saudades deles - respondi para o meu namorado enquanto estacionava; havia sido mais rápido do que eu pensei.
- Saudades deles ou do seu ex?
- Saudades dos meus amigos. Por favor, não começa. - disse quase implorando e o vi suspirar. Aquilo me irritou um pouco. Eu sabia que Lou não gostava da minha amizade com Ash, mas, poxa, eu nunca dei motivos para ele duvidar de mim. Nunca trairia meu namorado. Além de que, ele também era amigo das ex’s dele e eu nunca reclamei ou me mostrei incomodada com aquilo. Bufei ao ver que ficaria sem resposta e sai da van, vendo que o casal nos esperava do lado de fora.
- Ei, está tudo bem? - me abraçou de lado e eu concordei.
- Está sim, não vou deixar uma discussão boba me deixar pra baixo hoje. Vamos?
- Vamos, .
E assim entrelaçamos nossos braços, deixando o assunto para mais tarde. Isso era uma das coisas que eu mais amava em , a forma que ela me entendia só com um olhar. Sabia que tinha escolhido a melhor amiga do mundo e nunca deixaria que ela escapasse de mim.
Fomos andando pelo aeroporto, e dava pra ver uma quantidade maior que o normal de pessoas, me fazendo pensar em como as fãs descobriram sobre chegada deles, ou nossa, aqui hoje. Mal tive tempo de pensar a respeito e fui tirada do chão por braços tão conhecidos. O abraço de Ashton, que costumava ser meu favorito até encontrar o de Louis, obviamente, agora só me dava uma felicidade de amiga, como os do Harry, Niall, Zayn ou até mesmo o do Liam. Por um momento suspirei e agradeci mentalmente por nunca ter dito as tais três palavras ao moreno enquanto namoramos, ou me sentiria bastante culpada.
- Hey, loirinha! Sentiu saudades?
- Mais do que você imagina, Ash, mas cadê os outros? - assim que terminei a frase, meu ex apontou para Luke, que estava conversando animadamente com . Minha cara de dúvida foi tão grande que ele continuou - O Calum e o Michael não vieram, já tinham programado as férias, sinto muito.
- Está tudo bem, não diga a eles, mas vocês dois são meus favoritos, de qualquer modo - dei de ombros, aquilo era verdade, eu mal falava com Michael e Calum não parecia muito à vontade comigo desde o término.
- Nada novo diante o sol, loirinha - disse dando um sorriso convencido - Cadê o Louis?
Naquele momento notei que meu namorado não estava ao meu lado e me senti culpada por não ter percebido antes. Olhei em volta e o achei perto de Hazza, nos olhando com um olhar que, pela primeira vez no nosso relacionamento, identifiquei como… raiva? Me incomodei com aquilo, mas tratei de tirar essa ideia da minha cabeça, eu não havia feito nada de errado, afinal. Peguei a mão de Irwin e tratei de puxá-lo para perto dos outros.
- Hey, Luke, a viagem foi boa?
- Foi sim, , senti sua falta - O loiro me abraçou enquanto Ash foi falar com . Vi que Louis ainda me olhava sem dizer uma palavra e bufei. Aquelas férias seriam longas.


POV

Tinha uma quantidade anormal de pessoas lotando o aeroporto, provavelmente alguém deve ter vazado a informação de que , os meninos da 5SOS ou da One Direction estariam aqui hoje. No início eu achava tudo isso muito estranho, todas essas pessoas aglomeradas para ver meus amigos e meu namorado, que pra mim eram apenas pessoas normais, mas convivendo com todos eles diariamente eu já estava acostumada com esse tipo de situação. Segurei firme na mão de Harry e traçamos nosso caminho em meio à “multidão”, perdi a em algum momento e foi tentando ficar na ponta dos pés para procurá-la por cima de todas aquelas pessoas. E foi nesse momento que eu o vi, totalmente destacado do restante com os seus com seus cabelos loiros e olhos azuis luminosos. Meu sorriso se alargou quando seus olhos encontraram os meus, ele estava a certa distância de onde eu me encontrava, mas abriu os braços para me receber, então eu me soltei da mão do Harry e saí correndo em sua direção, o abraçando, e ele me tirou do chão, me rodopiando pelo ar.
- Que saudades, pequena!
Ele falou me chamando pelo meu apelido que era não tão usado assim. Eu era bem alta com meus 1,72m, só que eu tinha dois postes como melhores amigos, Shawn e Luke. Eles eram os únicos que me chamavam assim, com seus 1,89m e 1,93m de altura, respectivamente, ele meio que eles ganharam esse direito.
Ele finalmente me colocou no chão, ainda sem me largar
- Eu também tava morrendo de saudades! - Falei finalmente me afastando um pouco - Então cadê o restante do pessoal? - Perguntei olhando para os lados numa tentativa de procurá-los.
- Perdi o Ash uns minutos atrás e Michael e Calum tinham outros planos.
Assenti e só então me virei para ver meu namorado, junto com Louis, se aproximando de onde estávamos. Ele tinha uma expressão engraçada, não era bem raiva pura, mas talvez fosse um pouco de raiva misturada com preocupação. Levantei minhas sobrancelhas num questionamento silencioso.
- Como você corre de mim num aeroporto cheio de gente? Eu poderia ter levado semanas pra te encontrar!! - Ele falou e então eu entendi do que a expressão se tratava. Não pude conter minha risada que foi acompanhada pela do Luke.
- Ahh, amor, não seja dramático…
Até porque bastaria uma ligação minha dizendo onde ele poderia me encontrar que tudo estaria resolvido, mas ele gostava de intensificar um pouco as coisas.
Me aproximei dele, passando as mãos pela sua cintura e dando um abraço de lado nele. No momento em que fiz isso, ele pareceu relaxar, finalmente se voltando para Luke, sendo educado o suficiente para cumprimentá-lo. Com a relação dos dois eu realmente não tinha muito com que me preocupar, eles eram amigos; o problema dele era com o Shawn… pensar nisso me fez lembrar da ligação que minha mãe me fez ontem de noite, mas era melhor eu conversar primeiro com a , antes até mesmo e, principalmente, de falar com o Harry.
Fui desviada dos meus pensamentos por Harry, que cutucou minha barriga de leve
- Ei, você tá bem?
- Estou, estou sim - respondi rapidamente.
- Tem certeza? Você parece preocupada… - ele falou tentando me sondar. Eu tinha esse problema, eu era totalmente transparente, não conseguia fingir ou esconder nenhuma emoção, mas eu não poderia contar a ele da minha preocupação de agora.
“Ah não, amor, é que eu acabei de passar num programa de pós graduação no qual eu me inscrevi sem te falar nada, porque eu achei que nunca iria passar, mas agora que eu passei o projeto é praticamente irrecusável, só tem um detalhe: eu vou ter que passar um ano na Itália” Ah, ainda por cima, como dizer pro seu atual namorado que sua mãe ainda ama seu ex namorado e está com saudades dele, então está fazendo você convidá-lo para vir com você visitá-la nas férias, para a festa que ela está organizando para comemorar a sua aprovação na pós graduação?. Não, eu não falaria nada disso… ainda. Preciso falar com a antes, minha melhor amiga era simplesmente minha fonte de apoio, assim como eu era pra ela, sempre que ela precisava também.
Respondi à pergunta dele, por fim:
- Tenho certeza… - falei abrindo o melhor sorriso que eu tinha.
Então deixamos esse assunto de lado e entramos na conversa do Louis e do Luke. Pouco tempo depois e Ashton se juntaram a nós. Abracei o moreno enquanto Luke falava com .
Uma tensão que girava em torno de Ashton, e Louis logo ficou clara. Luke, Harry e eu compartilhamos um olhar um pouco preocupado, mas demos de ombros e seguimos todos para o carro. Não podíamos ficar ali dando bobeira, sem o nível de segurança adequado ao redor de tantos fãs.
Pensei que na van o clima melhoraria, mas não foi o que aconteceu. se manteve calada, acho que pra evitar uma discussão com o namorado na frente dos outros meninos, e eu fiquei responsável por puxar assunto com os recém chegados, perguntando sobre a viagem e tudo mais, o que não era necessariamente uma atividade difícil, já que os dois eram meus amigos e eu realmente tinha muitas perguntas pra eles, fazia meses desde a última vez que tínhamos nos visto.
De vez em quando, eu observava pelo retrovisor o casal lá atrás. Não era boa coisa ver a calada desse jeito e desde que encontramos com o Ashton, Louis não tinha aberto a boca.
Chegamos em casa, e Louis foram os primeiros a sair da van, ainda sem falar nada; o clima era tenso. O restante de nós desceu pouco depois, logo entrando em casa.
- Vocês querem alguma coisa para comer?
- Não, obrigado, a gente pagou uma fortuna e comeu no aeroporto.
Eu os encarei com ultraje, mas já pude perceber Luke armando sua defesa.
- Vocês sabiam que viriam pra cá e comeram no aeroporto?? – Perguntei, elevando a voz algumas oitavas.
- Vocês não deveriam ter feito isso - Harry falou num tom de quem se divertia com a situação que se desenrolava e Luke o encarou com olhar que dizia… “é, eu sei”.
- , a gente tava com fome e vocês se atrasaram uma hora… - Luke se justificou.
- E é lógico que adoraríamos comer da sua comida, assim que a gente dormir um pouco, ainda tô com jet leg - Ash completou.
- Não sei se estou mais no clima pra cozinhar pra vocês, vocês me traíram por comida de hospital… é bem feito que vocês tenham pago uma fortuna por isso.
Harry, ao meu lado, prendia uma risada. Essa era uma das poucas coisas que me fazia ficar um pouco chateada, eu era realmente a cozinheira do grupo e achava ofensivo que meus melhores amigos terem comido no aeroporto, mesmo sabendo que vinham pra cá.
- Ahh qual é, ! Você não está falando sério? - Luke falou, segurando minhas mãos para desfazer meus braços cruzados e então me balançou pelas mãos de um lado pro outro, tentando desfazer minha raiva com o bater dos seus olhos perfeitos e azuis. Funcionou.
- Tá eu não tava falando sério, mas experimentem fazer isso de novo! - Eu ameacei.
Eles levantaram a mão e fizeram um juramento de que nunca mais fariam isso
- Ótimo, agora vamos! Eu vou mostrar o quarto de vocês.
Depois de colocá-los nos quartos para que eles dormissem, voltei à sala de estar, encontrando apenas meu namorado lá; sem nenhum sinal de ou Louis.
Eu preferia que eles não estivessem brigando, porque eu precisava muito falar com a sobre o que minha mãe tinha me ligado pra dizer, mas não havia nada que eu pudesse fazer com relação a isso agora, então eu só rezava para que eles se resolvessem logo, para que, mais tarde, eu a encontrasse e pudéssemos conversar.
Mas no momento eu me concentrei no meu namorado, que me puxava para ficar junto dele no sofá. Ele beijou minha bochecha, me fazendo sorrir… então eu deixei que ele escolhesse o filme enquanto eu ia fazer pipoca. Quando voltei, ele já tinha escolhido o filme e eu me surpreendi com a sua escolha “Enrolados”
- Ah, mentira… - falei colocando a mão no coração.
- Eu procurei, procurei e procurei… como não achei nada de novo que prestasse, coloquei o seu filme favorito…
- Ah, Harry!
Falei, colocando a pipoca de qualquer jeito em cima da mesinha, quase derrubando o pote todo. Harry deu risada enquanto eu o envolvia num abraço, esse era meu momento totalmente infantil. Quando eu assistia Enrolados, eu cantava todas as musiquinhas do início ao fim e sempre chorava na quase morte do José… mas o ponto alto do filme pra mim era a cena do lago, quando eles começavam a cantar “I see the light”.
Quando Harry começou a cantarolar a música baixinho do meu lado, eu me voltei pra ele e ele foi se aproximando suavemente, colocando uma mão delicadamente sobre o meu rosto. Ele continuou a entoar a canção e senti meus olhos marejando com a realização. Como ele diz na canção, de que finalmente vê a luz… e minha luz era o Harry. Sua mão foi até a minha nuca, me puxando ainda mais para perto dele, e seus lábios encontraram os meus, num beijo calmo e repleto de carinho… aquele foi um momento do dia passado sem nenhuma preocupação. Naquele momento, eu só pensava em uma coisa: eu estava completamente apaixonada por Harry Styles e essa seria a minha verdade até o dia em que eu deixasse esta terra, e até além disso.


Louis Pov:

O caminho até nossa casa foi tenso. Não me atrevi a abrir a boca, não queria brigar com minha namorada na frente dos outros. Fui tirado dos meus pensamentos quando vi saindo da van, já que nem havia percebido que tínhamos chego, e ir direto para a varanda, sem falar ou olhar para ninguém. Suspirei e fui atrás dela enquanto me preparava para mais uma discussão, o que era estranho, já que nós nunca brigávamos; ou pelo menos, nunca por outro assunto. Me apoiei na barra ao seu lado; não nos olhávamos e aquilo estava me deixando nervoso.
- Não tem nada a dizer?
- O que você acha, Louis?
Me calei no momento em que a primeira palavra saiu de sua boca. Fria. Cortante. Não deixando dúvidas o quão chateada estava comigo, e, por um momento, me senti mal ao ouvir aquela entonação vindo dela. nunca falou assim com ninguém, pelo menos, com ninguém que eu conhecia. Mas na mesma velocidade que o arrependimento veio, ele se foi. Ela estava errada, não eu.
- Você não precisa falar assim comigo, eu não fiz nada de errado.
- Sério? - ela bufou e se virou pra mim - Você não falou com o Ash desde que chegamos. Está tratando-o como se fosse culpado de algo, mas o culpado aqui é vo...
- Não é bem assim - a cortei - Não fui eu que te abandonei pra falar com a minha ex, foi? Você ao menos percebeu que eu não estava junto, ? - Ela olhou pra baixo um pouco culpada, e eu soube a resposta.
- Tinha muita gente lá, eu não perce…
- Claro que não. Estava ocupada com seu ex! Pelo amor de Deus, eu não saio abraçando meus ex’s relacionamentos. Principalmente em público! Você sabe que se tiraram fotos, vocês vão estar nas novas revistas e vão começar a pensar que terminamos. Mas isso não parece te incomodar. - me arrependi de ter dito aquilo no momento em que ela me olhou. Agora eu posso dizer que estava puta.
- Eu não o vejo há meses. Ele é meu melhor amigo. Passou tanto por momentos incríveis, quanto pelos piores momentos da minha vida comigo. E você quer que eu me afaste dele por ciúmes? Eu nunca faria isso. Nem por você. Eu o amo e ...
Parei de ouvir a fala dela nesse momento. Ela o amava. Eu só não sabia se como amigo ou algo a mais. Mas o amava. Senti meu coração se apertar nesse momento e acho que minha cara foi o suficiente para ela perceber que tinha algo errado, já que parou de falar no exato momento e me encarou.
- Você o ama?
- O quê? - ela realmente parecia confusa.
- Você o ama, ?
- Você ouviu alguma coisa que eu disse? Ele é meu MELHOR AMIGO, é claro que eu o amo! - ela pareceu perceber o peso das suas palavras e se apressou em dizer - COMO AMIGO, LOUIS! EU O AMO COMO AMIGO, PELO AMOR DE DEUS!
- Então você nunca disse que o amava?
- Como namorada? - assenti e ela continuou - Eu nunca disse para ninguém. - Aquilo deveria me aliviar, mas por algum motivo não o fez. A frase me lembrava que ela nunca havia me dito isso também.
- Ok. Sinto muito pelo meu ciúmes.
- Eu também sinto muito por ter te deixado lá sozinho.
- Está tudo bem?
- Sim, está tudo bem - mas não estava. E ela sabia disso.
Depois de alguns minutos de silêncio por ambas as partes, ela o cortou, sempre acabava cortando, simplesmente, odiava ficar calada. Mas o que saiu de seus lábios não foi exatamente o que eu queria ouvir.
- Vou falar com a sobre o jantar.
- Não se preocupe, podemos pedir pizza - Ela assentiu em concordância.
- Então vou tomar um banho, foi um longo dia.

Eu sabia que ela estava apenas querendo um tempo pra si mesma, então dei de ombros e a vi entrar em casa. Segui pelo mesmo caminho logo depois, vendo e Harry se beijando ao som de ‘I See The Light´. Normalmente eu faria alguma piada, mas no momento eu realmente não estava no clima. Apenas dei de ombros e fui em direção ao meu quarto, percebendo só agora o quão exausto estava. Deitei na cama e a última coisa que eu lembrei foi a cara de tristeza de antes de, simplesmente, apagar.


Ashton POV

Acordei ainda desorientado com o horário. Abri os olhos em meio ao quarto escuro, eu tinha a certeza de ter ouvido uma batida na porta, mas agora só havia o silêncio. Até que então as batidas começaram novamente.
- Ash! Só tá faltando você… já tá todo mundo lá embaixo - a voz do Luke ressoou do outro lado da porta.
- TÔ INDO! - Gritei volta, pulando da cama apressado.
- Desce quando estiver pronto - ele avisou.
E eu faria isso o mais rápido possível. Não era uma boa ideia deixar o dono da casa ainda mais puto com o meu atraso, ele já não gostava muito de mim, e eu acho que eu entendia o ciúmes dele; só não vai motivos para aquilo, a era só minha amiga, nossa história estava no passado… bom, pra falar a verdade eu estaria mentindo se dissesse que não sinto mais nenhuma atração por ela e que nunca mais ficaria com ela na minha vida. Não, isso eu nunca diria, ela era muito gata e quem sabe um dia no futuro, na ocasião certa, um replay poderia acontecer. Não que eu torcesse para que ela terminasse o namoro dela, não, de jeito nenhum, ela era minha melhor amiga eu queria vê-la feliz, antes de qualquer outra coisa.
Eu estava me enrolando pra vestir minha camisa no escuro, e torcia para não tê-la vestido do avesso.
Desci as escadas, chegando à sala de jantar o mais rápido que eu pude.
- Até que enfim! A não me deixou encostar numa batata se quer… - Harry falou com um tom de alívio e esticou a mão para o prato de batatas fritas na frente dele, mas estapeou sua mão para longe antes que ele pudesse alcançá-las - Aí… - ele reclamou, recolhendo a mão. Tinha esse clima meio infantil de uma criança recebendo uma bronca da mãe rolando ali, o que fez todos rirem.
- Onde está sua educação? Primeiro as visitas… - falou, fazendo Harry revirar os olhos de leve.
Olhei o ambiente ao redor. O clima entre Louis e tinha melhorado, o que era bem perceptível, ele até me cumprimentou com um gesto quando passei por ele para me sentar no lugar que indicava.
Sentei de frente pra , que tinha Louis de um lado e Harry do outro. Na cabeceira estava . Luke se encontrava sentado ao meu lado, de frente para Harry; os dois bem perto de . Eu diria que as escolhas dos lugares foram bem pensadas, eu estava o mais distante possível de Louis e ainda assim poderia conversar com tranquilamente.
Cada um se serviu com as várias opções de comida que tinha preparado, era impressionante que ela tivesse feito tudo aquilo só no tempo que eu estava dormindo. Nos alternamos entre conversar e comer. Luke e eu estávamos principalmente respondendo às diversas perguntas que a e tinham, afinal, fazia meses que a gente não se via e nem sempre dava pra atualizar tudo por telefone ou mensagem.
Nós contávamos histórias engraçadas das coisas que tínhamos feito por lá e elas nos contavam as histórias das coisas que elas tinham feito por aqui. A esse ponto, já tínhamos terminado de comer, alguém tinha dado a ideia de abrir um vinho e fomos lá para o terraço beber. Não sei como, mas entramos em diversos assuntos e então começamos a relembrar coisas que tínhamos feito no passado.
- Você lembra quando escreveu uma música pra ? - Luke disse meio sem querer, me fazendo corar.
- Você escreveu uma música pra mim, Ash? Que fofo - a Loira me olhava com um olhar tão fofo que eu não consegui me segurar e apertei suas bochechas.
- Faz tempo…
- Quando foi isso?
- Hum… 2014? Foi logo depois que você terminou comigo e… - o clima começou a ficar pesado e eu decidi ficar quieto - Enfim...
- Foi Amnesia, , ele passou semanas escrevendo aquilo e nem queria te contar que era pra você.
- Mas ele nunca me contou, Luke… - respondeu meu amigo e me olhou confusa.
- É, faz tempo… enfim, quem é o próximo?
Tentei encerrar a conversa por aí e pareceu perceber, já que começou outra história e todos pareceram tirar a atenção de mim. Todos, menos quem eu mais queria… me olhava com carinho, enquanto Louis me olhava com raiva. Eu o entendia, mas ele tinha que entender que já havia passado um ano… ok, talvez fosse muito recente. Suspirei e voltei a me concentrar em . Eu realmente esperava que não causasse mais confusão entre os dois.


Harry POV

estava agindo meio estranho hoje, não a todos os momentos, mas em algumas horas do dia eu a peguei olhando para o espaço, completamente perdida em seus pensamentos e com uma expressão preocupada, mas quando eu finalmente a questionei sobre isso, no aeroporto, ela negou, então eu apenas deixei o assunto de lado. Conhecendo a , eu sabia que era melhor não pressionar.
Eu já tinha me despedido do Luke e do Ashton, que estavam indo dormir na casa da , e também já tinha me despedido da , que pegaria uma carona com eles pra casa; e isso me fazia lembrar que era melhor eu checar pra ver como o Louis estava. Os três já esperavam no carro e eu estava com a na parte da frente da casa.
Ela parecia distraída agora, mesmo caminhando até a escadinha.
- Ei… - Eu a parei, segurando sua mão enquanto puxava-a para perto de mim - Não vai me dar nem um beijo de despedida? - Perguntei erguendo minhas sobrancelhas.
Ela sorriu, mas não foi o sorriso completo dela, tinha algo travado ali, e me deu um selinho só um pouco demorado. Eu pensei em deixar isso quieto, até que ela quisesse conversar comigo como ela sempre fazia, mas isso estava me preocupando e eu precisava perguntar
- Tem alguma coisa errada? Eu vi que sua mãe te ligou ontem a noite - percebi seu corpo ficando tenso com a menção. Eu sabia que tinha algo a ver com aquilo, e essa foi minha confirmação.
- Não tem nada de errado. Minha mãe me ligou, mas ela só disse que está com saudades e que quer nos ver.
- Bom, isso é bom - falei simplesmente.
Ela assentiu concordando. Eu ainda não sabia o que estava errado nisso tudo e nem conseguia imaginar o que pudesse ser. Ela estava, dois dias atrás, dizendo que estava com saudades de casa e da família, por isso fomos ao parque naquele dia, para que ela se lembrasse um pouco do verde do Brasil, e agora ela recebe uma ligação da mãe dizendo que está com saudades e quer vê-la. O que só dava a ela uma oportunidade de viajar, não pro Brasil, já que a mãe dela não estava lá no momento, mas pelo menos ela poderia encontrar a família dela. Eu realmente não conseguia pensar em nada que a estivesse incomodando ou servindo de preocupação... tá, ela tinha um pouco de medo de andar de avião, mas não podia ser isso.
Pelo visto eu teria que deixar as coisas como estavam por enquanto. Eu sabia que tinha algo errado, por mais que ela continuasse negando; eu a conhecia.
A buzina do carro dela soou, me tirando dos meus pensamentos e fazendo com que a desse um pulo de susto, levando as mãos ao coração. Contive uma risada ao ver a reação dela, ela era simplesmente a coisa mais fofa do mundo levando sustos, por mais que agora ela devesse estar xingando até a terceira geração dos filhos da em português. Quando ela se acalmou o suficiente e eu finalmente parei de rir, ela disse:
- Eu tenho que ir ou a vai continuar buzinando e com o Ashton de companhia eles podem fazer um caos lá no carro. Luke não é capaz de controlar aqueles dois sozinhos.
Assenti e me inclinei para beijá-la, mas dessa vez eu não permiti que fosse só um selinho demorado. Aprofundei o beijo, passando uma mão ao redor da sua cintura, enquanto a puxava bem para perto. Ela colocou as mãos apoiadas sobre o meu peito e eu acho que era possível para ela sentir o bater acelerado do meu coração, ele sempre reagia assim quando eu estava perto dela.
- Queria que você dormisse comigo hoje… - sussurrei depois de me afastar apenas uns poucos centímetros.
- Eu também queria… - mais uma buzina. revirou os olhos - Desculpa, amor, eu tenho que ir mesmo, boa noite.
- Boa noite, princesa, dorme bem.
Ela me mandou um beijo no ar e eu a acompanhei com o olhar, enquanto ela entrava no carro brigando com os dois, que só riram e colocaram os cintos. me mandou mais um aceno e uma buzinada enquanto se afastava. Suspirei e voltei pra dentro. Era hora de falar com o Tomlinson.
Passei primeiro no quarto dele, mas por algum motivo ele não estava lá, então só fui encontrá-lo lá fora, na área do terraço perto da piscina. Ele estava bebendo, o que eu já não vi como bom sinal. Me sentei perto dele, em outra espreguiçadeira, e percebi que ele nem desviou o olhar para mim, continuando a encarar um ponto à frente com um olhar meio perdido, então eu esperei até que ele se sentisse confortável o suficiente pra falar comigo.
- Ele fez uma música pra ela, Harry - sua voz soava quase como se estivesse quebrada.
Eu já sabia que era toda essa situação com o Ashton que estava incomodando-o e eu o entendia melhor do que ninguém. Eu passava pela mesma coisa com a e o Shawn, sabia que meu amigo precisava de conforto e eu acho que poderia dar isso a ele agora.
- Já faz muito tempo, Louis, e não é como se nenhum de nós nunca tivéssemos escrito uma música para as nossas ex’s… isso não quer dizer nada
- Então porque ele escondeu isso dela? Se não tivesse nada demais... qual seria o problema em admitir isso? - Ele falou sua voz um pouco alterada.
- Bom… eu não sei - respondi sinceramente - Mas você já parou pra pensar que talvez ele nunca tinha dito nada por sua causa.
- Por minha causa? - Agora ele parecia ultrajado. Eu não tinha a intenção de deixá-lo com mais raiva, eu só precisava fazê-lo ver as coisas com mais clareza, uma clareza que eu só conseguia ter porque não estava no lugar dele.
- É, Louis. Me escuta. Ele sabe que você não gosta nada dele, trazer o fato de que ele fez uma música para sua atual namorada só ia piorar ainda mais as coisas entre vocês, vai ver foi por isso que ele escondeu… E eu não acho que ele esteja errado em ter feito isso, você praticamente odeia o cara…
- Eu não o odeio - ele retrucou com uma teimosia meio infantil.
- Mas é o que você faz parecer. Talvez ele só não quisesse piorar as coisas.
- Eu não odeio ele - Louis repetiu dando destaque à palavra ‘ele’ - Odeio que ele tenha sido o primeiro da e odeio que ele continue na vida dela… odeio viver nessa constante competição com ele, odeio que não importa quanto tempo passe, ele sempre vai ter um lugar no coração da , que ele conquistou primeiro...
Cortava fundo ouvir essas palavras vindas da boca do meu melhor amigo, mas eu entendia exatamente pelo que ele estava passando.
- Lou… nunca houve competição, vocês ocupam lugares diferentes na vida da - era difícil ajudar alguém quando nem mesmo você acreditava nessas palavras. Eu sei como é viver nessa desconfiança eterna, se perguntar se ela em algum momento considerou que poderia estar mais feliz se ainda estivesse com o cara que veio antes de você… era uma situação complicada.
Ele finalmente me encarou e nossa troca de olhares dizia “nós dois não sabemos se isso é mesmo verdade”.
Eu pensei que poderia ser de melhor ajuda pro meu melhor amigo nesse momento, mas nós dois estávamos fudidos quando se tratava desse assunto. Fiquei com ele lá até que ele terminasse a bebida dele e depois o ajudei a chegar no seu quarto. Ele já estava meio que dormindo quando o coloquei na cama e eu tive que ouvi-lo chamar por , pedindo desculpas sem parar; seria bom que ele acordasse amanhã com essa mesma atitude. Eu não sabia de muita coisa, mas um pedido de desculpas sempre ajudava quando você estava sendo um babaca mesmo sem perceber, e quem sabe esse não era o caso do Louis.
Deixei-o entregue ao seu sono e fui pro meu quarto.


Narrador:

percebeu que se manteve quieta toda a viagem; aquilo não era algo normal da garota. Estranhou, mas manteve seu foco nos garotos no banco de trás. Eles estavam em uma conversa sobre filmes, o que atraiu a garota, e seus olhos brilharam quando o Loiro citou Chris Evans; e ela logo foi se intrometendo, dizendo que o ator era uma pessoa incrível e que um dia, o apresentaria ao grupo.
Enquanto os três discutiam sobre filmes, A morena pensava em como iria introduzir o assunto Viagem com a amiga. Ela sabia que Ísis nunca perderia aquela chance, mas também sabia que não eram os melhores dias no relacionamento da garota. Não queria forçar nada e acabar em mais brigas do casal. O caminho até sua casa nunca pareceu tão rápido, a fazendo suspirar por isso.
- Meninos, vou deixar vocês e vou levar a Ísis em casa, ok?
- Sim, pequena, sem problemas, não é como se nunca tivéssemos vindo aqui. Passa a chave. - Luke a respondeu, apenas estendendo a mão. Com as sobrancelhas erguidas, a morena as deu ao melhor amigo. Confiava 100% nos dois, mas não pode evitar a piadinha.
- Não destruam minha casa. Prometo que em 30min no máximo, eu volto.
- Vê se não sente tanto nossa falta, - disse Ashton só para entrar no assunto também – Tchau, , até amanhã.
- Até amanhã, meninos, boa noite. - disse e sorriu para os dois, que apenas acenaram e entraram no prédio.
- Eles nem se despediram de mim, poxa - se pronunciou com um bico enorme nos lábios, fazendo com que a amiga caísse na gargalhada.
- Deve ter sido porque vocês ainda vão se ver hoje? - o tom estava mais para uma pergunta do que uma resposta.
- Realmente - a garota falou dando de ombros.
Agora que estavam sozinhas, a morena finalmente poderia introduzir o assunto tão importante que tinha pra falar. Ela respirou fundo algumas vezes enquanto pensava em como começar a falar.
- … - ela começou um pouco incerta. A amiga sentia que algo um pouco mais sério estava por vir e se preparou.
- Sim?? - Ela incentivou a amiga a continuar.
- Bom, eu estava querendo conversar com você desde ontem, mas com tudo que aconteceu eu não achei tempo… - ela tentou começar a preparar o terreno, mas aquilo só deixava a loira mais ansiosa para ouvir o que a outra tinha a dizer.
- Fala logo, de uma vez,
- Minha mãe me ligou ontem e ela quer que eu leve todo mundo pro Caribe, ela quer fazer essa festa pra mim...
- Festa?? - a loira a cortou sem entender muito do que ela estava falando - Mas seu aniversário é só em janeiro e dois dias antes do meu - falou meio confusa.
- A festa não é por isso… - a morena disse e com um tom meio tenso e então completou rapidamente - Eu passei no programa de pós graduação na Itália.
A loira praticamente pulou em surpresa e felicidade no banco do carro. Sorte das duas que elas tinham acabado de parar no sinal vermelho, porque praticamente se jogou em cima da amiga, abraçando-a.
- Ah, , isso é incrível… por que você não me disse nada antes?!! - Ela perguntou num tom meio acusatório.
se encolheu um pouco, ela não estava tão feliz com tudo isso pelo que pôde perceber.
- Eu não contei pra ninguém na verdade, o mesmo Harry não sabe…
E aí estava o problema principal da garota. Ela deu partida no carro continuando o caminho.
- Por que você não contou?
- Não sei… eu não achei que eu fosse passar. Eu só contei pra minha mãe porque ela sempre me apoiou muito na minha carreira… e agora ela quer dar essa festa pra comemorar, e para completar ela faz questão que eu convide o Shawn. Você sabe que ela nunca superou o nosso término… - a loira assentiu, absorvendo as informações - E eu imagino que as coisas entre você e o Louis com a chegada do Ashton não devem estar nada fáceis… e eu não forçaria vocês a viajar pra ficar presos na mesma casa, praticamente do outro lado do mundo.
A loira respirou fundo.
- Vamos tentar focar no principal aqui… você quer ir pra Itália?
- É uma oferta irrecusável. Só abriram duas vagas e dentre milhares de pessoas eu passei. Se isso não for um sinal divino de que eu deveria ir, eu não sei o que é…
- Ótimo, então você explica isso pro Harry… vocês são maduros o suficiente para conciliarem um relacionamento a distância e seria só por um ano; fora que a Itália não é tão longe.
- Você tem razão - a morena falou, com o novo choque de coragem que recebia da amiga.
- E sobre essa festa não tem com o que se preocupar, todos nós vamos…
- Tem certeza?
A morena perguntou, com um sorriso forçado. Ela não queria que a viagem fosse motivo para mais brigas entre os amigos dela.
- Claro que tenho! Pelo amor de Deus né, … é o Caribe!! - Ela falou com um tom de quem diz ‘eu seria idiota se recusasse uma viagem dessas e você sabe que eu não sou idiota’. A morena riu já mais aliviada, enquanto a outra concluiu - E é lógico que estaremos lá ao seu lado pra comemorar sua conquista…
- Ah, !! - Agora elas tinham parado na frente da casa da loira. jogou os braços ao redor da amiga e as duas se abraçaram apertado enquanto riam.
A loira ainda tinha algumas preocupações com seu relacionamento e a possibilidade dessa viagem acabar trazendo uma tensão especial entre eles; e a morena ainda não sabia como contar tudo isso ao namorado, por mais que ele sempre a apoiasse em tudo, ainda mais falar sobre a situação com o Shawn. Mas, no momento, elas tinham mais conquistas para comemorar, então focaram nisso. Além do mais, não importava o que acontecesse no Caribe, elas sempre teriam uma a outra.
Quando elas finalmente se separaram a morena perguntou:
- Então você pode me ajudar com os convites? - Ela ergueu as sobrancelhas em divertimento.
- Claro!! - A loira sorriu – Ah, e pode deixar que eu cuido de convidar o Shawn…
- Obrigada, , você é a melhor amiga que qualquer um poderia querer.
- Ah para, eu podia dizer o mesmo de você.
As duas sorriam enquanto a loira saía do carro.
- Boa noite, !
- Boa noite, … e vê se não se diverte muito com os meninos sozinha lá ou eu vou ficar com ciúmes.
- Pode ficar tranquila eles já devem estar no décimo quinto sono - as duas riram.
esperou até que ela alcançasse a entrada. então se virou para acenar. Com uma buzinada e um aceno de despedida, deu partida, fazendo o caminho de volta pra sua casa.
Agora era oficial, elas iriam pro Caribe, e só Deus sabe o que as aguarda lá…


Capítulo 4

Pov:
Acordei com uma ligação de , dizendo que eles já estavam me esperando embaixo do prédio. Quase caí da cama com isso, não costumava perder o horário, mas passei a noite em claro pensando em Louis e no quanto ele parecia triste quando saímos de lá. Me levantei rapidamente, colocando apenas um short e uma camiseta da One Direction (porque sim, eu seria uma baba-ovo do meu namorado hoje), peguei meu celular e meu All Star na mesma mão e agradeci mentalmente por não ter desfeito a minha mochila ontem e sai correndo, pegando apenas uma maçã pra comer. Já no elevador, aproveitei para dar um jeito no meu cabelo, que graças a Deus estava comportado hoje. Entrei no banco de trás do carro de , já que Luke escolheu se sentar no banco da frente, e calcei meus tênis, dando apenas um ‘bom dia’ para os três. Odiava ser acordada, principalmente por ligações.
- Vamos pros meninos?
- Aham.
Ashton me respondeu ainda focado no seu celular. Dei de ombros, dando uma olhada nas minhas mensagens; não tinha nada de novo nesta manhã. Algumas mensagens do meu agente, Peter, dos meus pais e uma de boa noite do Lou.
Pensei na viagem que faríamos. Eu estava tão orgulhosa de e faria de tudo para celebrar esse momento com ela. Não diria para a minha amiga, mas estava com medo de dar alguma confusão entre mim, Louis e Ashton, mas estava disposta a ignorar qualquer possível briga. Ela era minha melhor amiga e havia dado um grande passo na sua carreira. Admito que estava nervosa com a reação do Harry, mas ele teria que entender; do mesmo jeito que eles fazem as turnês, faria essa pós graduação.
Acabei minha maçã cerca de 10 minutos depois de termos saído da minha casa. O carro era preenchido apenas pelas músicas da rádio, e quando tocou a mais nova música da One Direction, eu me animei. Fiz um stories curtindo a música com Ash (já que éramos os únicos no banco de trás) e postei com a legenda ‘orgulhosos de vocês’ com um coração no final. Eu podia dizer que era viciada naquela rede social; só perdia para o Twitter, no qual, eu falava de praticamente todas as ações do meu dia.
Chegamos na casa dos meninos e Harry ainda dormia, o que usou como desculpa para não falar sobre a viagem. Ficamos na sala conversando até Harry acordar e depois decidimos assistir um filme. Passei o dia todo pressionando pra contar ao namorado sobre a viagem, mas ela sempre arrumava alguma desculpa para não contar. Decidi esquecer um pouco esse assunto, pois não queria me irritar com minha amiga.
No meio de Harry Potter e o Cálice de Fogo, Louis me puxou pela mão em direção à varanda. Ficaria irritada se qualquer outra pessoa tivesse interrompido o filme, mas Louis Tomlinson era a única pessoa que ganhava de Harry Potter pra mim.
- Acho que te devo desculpas, baby bear - ele usou meu apelido favorito e eu estremeci; embora qualquer coisa vinda daquele homem fazia meu coração se aquecer.
- Tá tudo bem, boo bear, só queria te lembrar que não tem motivos para se preocupar, ok? Eu quero ficar com você e… - fui interrompida por um abraço do meu namorado.
- Eu só não quero te perder, .
- Você não vai me perder. Eu prometo.
Talvez fosse uma promessa muito forte para fazer pra Louis, mas eu tinha certeza disso. Ele nunca me perderia. Nesses meses em que eu estive com Louis, ver seu sorriso me dava forças para aturar um dia inteiro; o beijo dele me trazia uma sensação de casa; e apenas estar com ele deixava meus dias melhores. Era a primeira vez que eu sentia isso, e sabia que ele seria meu primeiro namorado a receber um ‘eu te amo’, só… não estava pronta ainda. Dei um beijo carinhoso em seus lábios e disse para voltarmos pra dentro, com a desculpa que não perderia o baile de inverno. Ele me abraçou e concordou. Voltamos pra dentro e sentamos no sofá perto de Luke. Acho que eles não haviam percebido nosso sumiço. Dei um selinho em Lou e voltei a prestar atenção no filme.
E a nossa tarde se resumiu a isso, Harry Potter, beijos e lanches, e eu não podia estar mais feliz.


Pov:
Eu prometi a que falaria com o Harry ainda hoje, só que já era o fim da tarde, todos se encontravam na casa dos meninos e eu não tinha tomado coragem de chamá-lo para conversarmos a sós. ficou o dia todo me encarando com um olhar que dizia “deixa de ser covarde e conta logo”, chegando a um ponto em que a última coisa que faltava era ela pegar na nossa mão, nos levar até o quarto e nos trancar lá dentro. Com medo de que esse fosse mesmo o plano dela, preferi eu mesma tomar as rédeas da situação.
- Harry, a gente precisa conversar - falei rapidamente, com as palavras saindo da minha boca meio atropeladas. Meu tom era sério, porém eu não tinha falado tão alto, minha intenção era que só ele fosse escutar, ainda assim Luke ouviu e desviou um olhar preocupado em nossa direção do outro lado do sofá, mas eu foquei minha atenção no Harry. Seu olhar era confuso e preocupado ao mesmo tempo e eu podia sentir a tensão se instalar nele pelas palavras que eu tinha acabado de dizer.
- Tudo bem… - ele assentiu, a gente se levantou -Vamos por meu quarto -ele sugeriu e eu concordei.
Entrei no quarto e ao invés de sentar na cama fiquei andando de um lado pro outro, enquanto organizava meus pensamentos pra iniciar essa conversa; isso era também uma forma de aliviar meu nervosismo. Eu sentia o peso do olhar do Harry sobre mim, mas não me atrevi a encará-lo... não ainda, eu estava me preparando.
- Eu preciso te contar uma coisa… - falei depois de alguns minutos, finalmente me virando para encará-lo.
- Pode me contar qualquer coisa... - ele respondeu, me incentivando a continuar.
Ele sempre havia me apoiado em tudo. Talvez eu não devesse ficar com tanto medo da sua reação, mas ainda assim eu a temia... não sabia o que eu faria se ele terminasse comigo, mas eu deveria deixar claro que eu compreendia se ele o fizesse.
- Eu só quero deixar registrado agora que se você quiser terminar comigo por isso, eu não te culparia e ainda poderíamos ser amigos, se você quisesse é claro…
O choque dele foi quase instantâneo com as minhas palavras.
- Pera aí… terminar com você?! Do que você está falando, ? - Ele perguntou, totalmente confuso. Suas sobrancelhas se juntaram enquanto ele tentava processar o que eu tinha acabado de dizer.
- Eu fiz uma coisa que eu não te contei e agora… - eu deixei as palavras morrerem, sem saber ao certo como continuar.
- , você tá me deixando preocupado… - ele falou num tom sério e nervoso - O que você fez?
Parei por um segundo antes de continuar, observando com atenção aqueles olhos verdes, aqueles olhos que eu simplesmente amava, que agora vinham pra mim com um sinônimo de casa, havia intensidade e urgência neles, se misturando em uma forma de “medo”... o medo de me perder, o mesmo medo que eu sentia agora, frio e cortante. Eu não queria perdê-lo... continuei, antes que eu não tivesse mais coragem pra tal.
- Eu me inscrevi num programa de pós graduação… e eu passei.
O suspiro de alívio dele foi alto e bem perceptível. Ele sorriu e caminhou até mim, me envolvendo num abraço.
- Mas isso é ótimo, parabéns, ...
- Não, Harry me deixa terminar... – falei, o afastando de mim. O olhar que ele me direcionou era magoado - O programa é na Itália... eu vou ter que passar um ano fora...
Ele desviou o olhar do meu, sua expressão caindo num tipo de compreensão diferente, meio triste.
- E você vai? - Ele perguntou apenas por confirmação, não havia julgamento na sua voz.
- Eu não posso recusar... só abriram duas vagas e eu passei dentre milhares de pessoas... fora que vai ser muito importante pra minha carreira...
Ele abaixou o olhar, absorvendo as informações, então se sentou na cama que estava bem próxima da gente... suas expressões oscilavam entre várias emoções, até que a dúvida prevaleceu.
- Eu só não entendo uma coisa... por que você não me contou nada disso antes? Se era uma coisa que você queria, eu podia ter estado lá pra você, eu não teria descoberto assim de surpresa... eu podia estar preparado pra isso...
Havia um pouco de raiva no seu tom. Eu o compreendia, ele estava frustrado por eu não ter incluído ele nessa parte importante da minha vida. Caminhei até ele, me posicionando entre as suas pernas enquanto colocava as mãos nos seus ombros.
- Eu não tinha esperanças de passar... como eu disse, eram milhares de pessoas pra duas vagas, as chances eram minúsculas.
- Ainda assim... eu sempre te apoiei em tudo... no início do nosso relacionamento você fazia a mesma coisa, você não me deixava fazer parte de nada que fosse importante pra você... você me jogava para escanteio, você me relegava a uma pequena parte da sua vida... voltamos a isso??
Seus olhos encontraram os meus e meu coração quase se partiu com a dor que vi lá dentro. Meus problemas de confiança haviam sido a coisa mais difícil pra ele lidar no início do nosso relacionamento e levou um bom tempo até que ele conquistasse plenamente minha confiança, e eu sabia o quanto ele tinha sofrido com tudo isso.
- Não, não... é claro que não - neguei com urgência.
- Mas é o que está parecendo, ... eu não quero que você me deixe só com a parte boa da sua vida, eu quero fazer parte das suas lutas e das suas conquistas. Não importa onde elas te levem, eu quero estar lá com você...
Às vezes eu o encarava e eu simplesmente não podia acreditar que esse homem existia... nos meus olhos, lágrimas começaram a se formar, ameaçando cair, então seus olhos encontraram os meus com uma intensidade absurda.
- Te ver fazendo as coisas pelas minhas costas dói... eu pensei que você confiasse em mim.
Eu não podia deixá-lo pensando assim.
- E eu confio!! É claro que confio... - respondi rapidamente, não deixando que a ideia de que eu não confiava nele cruzasse a sua mente por mais um segundo se quer - Eu não queria ter te excluído disso, juro que não, foi uma coisa que eu fiz e simplesmente deixei pra lá, mas então quando o veio o resultado e eu soube que tinha sido aprovada, eu fiquei com medo de te perder... – falei abaixando o olhar pro espaço entre a gente. Não pude evitar que um bico meio triste se formasse em meus lábios. Ele segurou meu rosto com uma das mãos, me fazendo olhar pra ele.
- Eu garanto, , não vão ser alguns quilômetros de distância que vão me tirar de você... - ouvir aquilo tirou um peso enorme do meu coração. Meu sorriso foi instantâneo, fazendo com que ele sorrisse também.
Ele então puxou meu rosto em direção ao dele, selando nossos lábios num beijo demorado. Coloquei uma perna de cada lado do corpo dele, sentando meio que em seu colo e ele passou as mãos pelas minhas coxas pra me dar mais apoio. Quando finalmente separei nossos lábios, eu ainda sorria, então falei:
- Tem certeza que nem 2000 quilômetros?
- Nem um milhão de quilômetros... - ele me confirmou, fazendo com que eu risse.
Agora vinha a outra coisa que eu precisava dizer:
- Ahh... - falei como se lembrasse de algo - Você se diria feliz o suficiente por mim pra comemorar essa conquista lá no Caribe?
Ele me olhou com uma expressão inquisitória, então eu expliquei:
- Minha mãe quer dar uma festa pra comemorar minha aprovação lá na casa de praia dela.
- Ahh, então pra isso que ela ligou... - A compreensão dele se abateu e eu assenti – Bom, é claro que eu estou feliz o suficiente para comemorar com você no Caribe - ele sorriu pra mim com um toque de malícia, dando destaque as palavras ‘com você’.
- Comemorar comigo e mais umas 20 pessoas, antes que essa sua mente pervertida pense em fazer quaisquer estripulias em águas caribenhas.
Ele riu alto, jogando a cabeça pra trás. Quando ele voltou a ficar com a cabeça reta, eu passei a mão por seus cabelos, endireitando as partes que ficaram um pouco desajustadas pelo movimento.
- Bom, podemos sempre contar com a cobertura da noite para as nossas estripulias...
Eu apenas ri, balançando a cabeça com uma negação divertida. “Ele não tem jeito mesmo”, pensei comigo mesma, mas era bom saber que estávamos bem. Ainda havia muito a ser resolvido sobre toda essa situação, mas por enquanto poderíamos apenas nos concentrar em aproveitar umas férias no Caribe.


Luke Pov:
Estávamos todos na sala de estar assistindo a um dos filmes de Harry Potter. e Louis saíram para conversar em algum momento, mas eu só percebi que eles tinham saído quando eles voltaram, se sentando perto de mim no sofá. As coisas pareciam mais tranquilas entre eles, o que era bom… dei de ombros voltando a focar no filme.

...

Ouvir o tom de voz sério da minha melhor amiga chamando o Harry para conversar, foi o que me tirou completamente a atenção do filme. Aquele era definitivamente um tom raro vindo dela, a garota praticamente falava sorrindo, então não consegui evitar uma pontada de preocupação ao desviar o olhar para encará-la no outro sofá. Ela só retribuiu meu olhar por uns poucos segundos antes de o desviar, mas mesmo com o pouco tempo ficou nítida a tensão dentro dos olhos dela.
Eu agora me perguntava se estaria tudo bem entre eles. “Será que eles estavam brigando?” O tom dela agora era o tom que eu já tinha visto ela usar em outras raras ocasiões: antes de alguma discussão ou quando ela tinha algo importante para contar; nesse caso ela já tinha usado esse tom comigo, e eu devo dizer que o tom sério dela deixava você completamente nervoso. Acompanhei com o olhar enquanto ela subia as escadas com o namorado no encalço, os movimentos dele eram ainda mais tensos que os dela, e eu o entendia completamente, afinal, se ela tivesse falado daquele jeito comigo, eu estaria do mesmo jeito. Percebi que a também os observava enquanto eles saiam da sala, ela então direcionou pra mim um olhar que carregava a mesma coisa que o meu no momento: “preocupação com a nossa melhor amiga”, mas algo me dizia que ela sabia mais do que eu sobre o que estava acontecendo, o que, por mais que plantasse um pingo de ciúmes em mim e me fizesse sentir um pouco trocado, tinha até sentido se parar pra pensar que fazia meses que eu não encontrava minha melhor amiga. Talvez ela não tivesse tido tempo de me atualizar sobre tudo, ou pelo menos era o que eu preferia pensar.
Foi impossível não notar a saída deles, mas ninguém estava comentando nada.
- Então nós não vamos falar sobre isso? - Perguntei por fim, não conseguindo mais ficar calado. Eu não era muito de me meter na vida alheia, ficava mais na minha, mas nesse caso a curiosidade estava me matando; acho que porque se tratava da minha melhor amiga lá dentro, com as minhas amizades eu era diferente, assumia uma postura completamente mudada.
- Falar sobre o quê? – Ash, desorientado como sempre, perguntou.
- Sobre essa saída do Harry e da .
- Bom, Luke, eles são namorados e foram pro quarto sozinhos… eu sei que você não sai com ninguém há muito tempo, mas você pode imaginar o que está rolando lá… você realmente quer conversar sobre o que eles podem estar fazendo lá dentro? - Ashton falou com um tom sarcástico. Revirei os olhos de leve e a gargalhou, fazendo um hi-five com o Ash, aprovando a ‘piada’ e tiração de onda dele comigo.
- Não faz muito tempo assim e eu imagino muito bem, tá? Só que eles não tão fazendo nada disso, eles estão discutindo… - apontei o que pra qualquer um pareceria óbvio - E tem mais, a sabe sobre o que…
- Me tira fora dessa… - Ela falou, erguendo os braços como se dissesse ‘nem me envolva nisso’.
- Ela realmente sabe de alguma coisa - o Louis apontou, depois de ver a reação dela - O que você sabe? - Ele questionou curioso.
- Só posso dizer que se tudo der certo nessa conversa a gente vai ter o que comemorar.
- Ahh qual é! conta pra gente, agora eu tô curioso! - Ash pediu, de repente interessado no assunto. Era só falar em comemorar ou em festa que ele já estava dentro, era impressionante.
- Vocês três vão saber em breve, quando os dois voltarem… agora prestem atenção no filme!
Ela falou, simplesmente parando de responder às nossas perguntas. Voltei a me encostar no sofá resignado e ri alto ao ver a Louis e Ashton tentando obter alguma informação de , ao que ela respondia negativamente e com firmeza. Eu sabia que não conseguiríamos nada dela, por isso parei de tentar.

...

Bem, mais de uma hora depois os dois voltaram de mãos dadas. Uma marca bem questionável na base do pescoço do Harry e os cabelos um pouco mais desgrenhados da me fizeram pensar que talvez a discussão tivesse acabado bem… esses dois simplesmente não tinham jeito. eu sempre soube que era desse jeito, e não achei que ela fosse encontrar alguém que se igualasse a ela quando o assunto era esse, mas aí ela conheceu o Harry e simplesmente encaixou, os dois eram perfeitos um pro outro, dois tarados. Não pude evitar um sorriso divertido. Eu tinha que me lembrar de depois tirar onda com ela sobre a marca que ela deixou no Harry, ela sempre reagia meio envergonhada, o que era a coisa mais engraçada de se ver.
Mas agora eles nem pareciam notar que estávamos esperando que eles falassem algo, continuavam trocando sorrisos bestas e apaixonados.
- E então…? - foi a primeira a incentivá-los a falar.
- Ah sim!! Temos notícias!! - falou.
E então parou, deixando o clima de expectativa pairar no ar.
- Você está grávida! - Ashton chutou.
e Harry reagiram em choque e surpresa enquanto o restante de nós começou a rir das expressões dos dois.
- Eu sabia! Rá, toma ! - acho que ele tinha apostado com ela alguma coisa e interpretou a expressão e o silêncio dos dois como uma confirmação da teoria.
apenas riu, balançando a cabeça em negação.
- Apenas aguarde, Irwin.
- Eu não estou grávida! - respondeu com firmeza - De onde você tirou isso? Ah, quer saber, não importa. Vocês quererem ou não saber o que é?
- Queremos… - me posicionei, tapando a boca do Irwin pra que ela continuasse sem interrupções. Ela me agradeceu e continuou.
- Eu fui aprovada num programa de pós graduação na Itália e minha mãe quer dar uma festa pra comemorar, então vamos todos pro Caribe!
Todos nós ficamos com expressões surpresas. Isso era fantástico eu estava muito feliz por ela, tanto que eu não conseguia nem descrever. Soltei Ashton e me levantei, indo até ela e a envolvendo num abraço apertado. Eu sabia o quanto isso seria importante pra ela e pra carreira dela, ela já tinha me falado várias vezes queria fazer pós graduação e agora eu finalmente via esse desejo dela se realizando, e de quebra ainda iríamos comemorar no Caribe.
- Parabéns, pequena! - Sussurrei no ouvido dela.
- Obrigada, Hemmings.
- Então Itália mesmo? - Perguntei pra confirmar.
- Aham - ela respondeu e eu podia perceber a pontada de incerteza; a incerteza se ela seria capaz de conciliar a distância com todo o resto afinal a vida dela era aqui.
- Vai dar tudo certo… um ano passa rápido - garanti, e ela sorriu enterrando a cabeça em meu peito apoiei o queixo no topo da sua cabeça abraçando-a ainda mais apertado.
Então os outros dois meninos também vieram abraçá-la. Como eu já imaginava, a já sabia de tudo; ela gostava de sambar na minha cara com as coisas que ela ficava sabendo primeiro, no geral, era uma disputa meio saudável pela atenção da .
- Ah, então nada de bebês… - Ashton falou num tom meio triste fazendo todo mundo rir, inclusive o Louis. Era impressionante o quanto eles pareciam estar mais de boa, bom, por hora pelo menos.
- Nem dá ideia, Irwin… - Harry falou num tom meio sério e tenso, e foi aí que rimos. A gente sabia que ele reagia assim por medo da “baby fever” que a tinha, ela era simplesmente louca por bebês. Não me surpreendia que ela tivesse se especializado nessa área da medicina, ela não podia nem ver um bebê na rua sem parar pra pega-lo no colo, e esse costume dela já tinha rendido boas fotos nossas pros paparazzi. Lembrei sorrindo, por um bom tempo fomos considerados um casal pela mídia e brincávamos com isso, bom, claro que isso foi depois de Shawn e antes de Harry. Era divertido ver o pessoal montando teorias por trás das fotos que eles tiravam; no entanto não foram muitas fotos, pois eu sou um cara reservado e ela também é discreta.
Ela olhou pro namorado, agora semicerrando os olhos de um jeito mandão e divertido.
- Nem adianta fugir, Styles, um dia você vai me dar pelo menos uns seis bebês.
Ele abriu um sorriso largo.
- Um dia, com todo prazer, mas nem tão cedo… a gente ainda tem muito que praticar - ele disse, se inclinando para beijá-la.
- Ew… arrumem um quarto vocês dois - falou, fazendo uma expressão de nojo fingido.


Louis Pov:
O clima não poderia estar melhor. Desde que conversei com , até minha atitude em relação ao Ashton havia melhorado e eu sabia que a loira havia notado, já que me olhava agradecida e inclusive, me chamou para ir à casa dos meus sogros essa noite. Não era como se eu nunca tivesse ido lá, afinal namoramos a cerca de 8 meses, mas, por algum motivo ainda desconhecido por mim, eu estava mais nervoso do que normalmente estaria.
- Qual é, Lou, é só vestir qualquer coisa. Você fica lindo de todo jeito - falou enquanto me esperava deitada, apenas mexendo no celular.
- Calma, estressadinha, já estou pronto. Só estava escovando os dentes.
A vi levantar da cama e a encarei por um momento. Percebi o quão sortudo eu era por ter essa mulher ao meu lado. era o tipo de garota que não passava despercebida num local. Seus cabelos loiros e olhos castanhos já chamariam atenção suficiente, mas, além disso, ela também tinha um sorriso que daria inveja a qualquer dentista e, eu arriscava dizer, uma luz que podia ser vista a vários quilômetros.
- Louis William Tomlinson, pare já com isso! - fui tirado dos meus pensamentos pela minha namorada, que estava com as bochechas coradas e um sorriso de lado. Nunca conseguiria entender a timidez seletiva de . Ela trabalha com centenas de pessoas todos os dias, tinha milhares de fãs, ia em dezenas de programas e, ao mesmo tempo, se envergonha com um simples olhar meu. Dei um sorriso para a garota e a puxei para mais perto.
- Sou muito sortudo de ver uma mulher como você corar por mim.
- Você é muito idiota, Lou - ela sorriu e em seguida me beijou. - Vamos?
Apenas acenei com a cabeça em sinal de concordância, enquanto segurava sua mão e dava um selinho em seus lábios.
- Não que eu esteja reclamando, mas... por que estamos indo à casa dos seus pais?
- Por alguns motivos. - deu de ombros e continuou indo em direção ao carro, mas dessa vez enumerando com os dedos – Primeiro, temos que falar com a Chloe sobre a viagem. Segundo, minha mãe está com mais saudades de você do que de mim. Terceiro, porque se não formos agora, só iremos depois do Caribe, já que eles vão pra França para o aniversário de casamento.
- Sua mãe me ama mesmo, né? - disse, escolhendo iniciar algum assunto.
- Você não faz ideia! Acho que se terminássemos, ela escolheria ficar com você.
- Mas não vamos terminar, então ela não precisará escolher um lado - disse sorrindo para ela, que concordou comigo.
O resto do caminho foi tranquilo. Ouvimos a rádio e cantamos baixinho por quase todo o percurso até a residência dos `s.
Parei numa casa branca, que possuía um jardim bem cuidado e uma senhora de 50 anos apareceu à porta quase que magicamente.
- Louis, que saudades! Como vai a banda?
- Também estava com saudades da senhora. A banda vai muito bem. E a loja?
- Está ótima, querido, e já disse para de chamar de Cynthia! Senhora me faz sentir velha!
- Oi, mãe, saudades também, viu? - disse, se metendo na conversa com cara de emburrada. A sua cara foi tão fofa que me vi sendo obrigado a abraçá-la.
- Você sabe que eu estava com saudades, . Ah, seu pai não vem para o jantar hoje. Está terminando um serviço e avisou que só chegaria mais tarde. - minha sogra disse meio culpada, fazendo com que parte da animação da se dissipasse. Coisa que durou segundos, já que a loira voltou a pôr um sorriso no rosto e continuou.
- Sem problemas, mãe. A Chloe está?
- No quarto. Ah, Louis, você poderia chamá-la?
Percebi que as duas queriam colocar o papo em dia e me apressei em concordar e ir ao quarto da minha cunhada. A porta estava meio aberta, então, dei duas batidas, apenas para anunciar minha entrada.
- Chloe? Está aí? - disse já entrando no quarto.
- Lou, Você veio! - senti seus braços me rodearem e a abracei também.
- Claro que eu vim! O que você esperava quando a disse que traria o namorado? Ela tem outro que eu não saiba? - decidi fazer minha melhor cara de indignação, apenas para ver a reação da garota.
- Se ela tiver, você será o primeiro a saber. Pode deixar comigo.
Ela falou num tom de tédio, me fazendo rir. Era engraçado a semelhança entre as duas. Não tanto fisicamente, já que enquanto uma era baixinha e tinha cabelos lisos e loiros, a outra era mais alta e possuía os cabelos num tom meio avermelhado. Mas na personalidade elas eram iguais: tímidas no início, se provando extrovertidas, e até meio esquisitas, com o passar do tempo.
Eu adorava Chloe. Lembro que quando nos conhecemos, ela me perguntou se o Liam era realmente o Daddy da banda e me pediu ingressos para um show. Ainda irrito ela com esse fato, já que a mais nova inclusive já deu uns beijos no Payno.
- Vamos descer? Ou sua irmã me mata por tirar seu tempo com ela.
- Ah, por favor, Louis, a não machuca nem uma mosca - Chloe disse me fazendo rir e concordar.
- O que vocês estão fazendo aí? - Dona Cynthia me impediu de continuar a brincadeira.
- Nada não, mãe. Pera. Você fez lasanha?
- Aham, sei o quanto vocês gostam. Agora vão lavar as mãos para comer.
Olhei pra Chloe e comecei a correr. Sempre fazíamos isso, e quem fosse o último a sentar, lavava a louça.
- Isso não é justo, você começou antes - a mais nova bufou e se sentou ao lado da mãe.
- São as regras, Sis. Hoje você lava.
A lasanha da minha sogra era a melhor do mundo e eu dizia isso com toda a convicção. Jantamos e em 50 minutos, a mais velha se recolheu, alegando estar cansada e ter que acordar bem cedo na manhã seguinte.
Passamos algum tempo conversando sobre coisas aleatórias, até tiramos uma sequência de fotos, das quais cada um postou uma em seu Instagram. Vi que estava muito concentrada no celular e estranhei.
- Ei! - disse cutucando-a - O que está fazendo?
- Tô avisando ao pessoal sobre a viagem, só falta a Jade aceitar.
- A amiga da Maddie? - ela assentiu - Legal, ela é divertida.
- Do que vocês estão falando?
- Nossa, quase esqueci de te avisar - olhou para a ruiva, que estava nitidamente confusa com o assunto, e sorriu empolgada - Arrume suas coisas, nós vamos para o Caribe!


Capítulo 5

Harry POV:
Eu realmente tentava me concentrar no momento presente e não no fato de que em dois meses minha namorada se mudaria pra Itália, pra ficar um ano longe de mim. Eu posso soar um pouco exagerado agora, mas eu não conseguia imaginar passar um dia sequer longe dela, sem esse sorriso que aquece meu coração e ilumina todas as minhas manhãs. Simplesmente parecia impossível. Mas eu não tinha que pensar nisso agora, ainda tínhamos dois meses pra ficarmos juntos, e eu faria de tudo para aproveitar ao máximo nosso tempo juntos, inclusive ignorar o fato de que o Shawn veio nessa viagem.
Firmei o aperto na mão da minha namorada assim que ela desceu do carro, o que a fez desviar seu olhar para mim. Sorrindo como sempre, ela se inclinou beijando minha bochecha; eu preferia que ela tivesse beijado minha boca pra ser sincero, mas estávamos a certa distância do restante do pessoal e tendíamos a ser respeitosos em público.
Observando o pessoal ao redor, conclui que essas seriam férias interessantes. Tínhamos vindo em quatro carros do aeroporto para cá e paramos na frente do que eu chamaria de casa, mas, pra ser sincero, estava mais pra uma mansão de praia da mãe da . Ficaríamos todos aqui durante a viagem, já que haviam quartos o suficiente para abrigar um time de futebol completo e com reservas; minha sogra tinha construído essa casa tendo em vista um futuro cheio de netos. ‘O que com certeza estava disposta a dar’, pensei sorrindo com certo divertimento. Ela era louca por bebês, o que não era novidade pra ninguém, e eu ficaria feliz em, quando chegasse o tempo certo, dar a ela quantos filhos ela quisesse.
Agora estávamos discutindo com o pessoal quem iria acompanhar a gente pra pegar a chave da casa no hotel da mãe dela.
- Então, quem vai com a gente? - Ela perguntou, por fim.
Luke e Niall se animaram, eles eram com certeza os favoritos da mãe dela. Sem tatuagens (bom o Luke tinha algumas pra falar a verdade, mas quase não contava), com esses olhinhos azuis e cabelos loiros de anjos, eram tratados como príncipes pela mãe dela. O Shawn foi o último a dizer que iria também.
- Ah não, Mendes, eu quero ver a tia Beth!! - alegou.
- Azar o seu, , falei primeiro.
Eles discutiam como crianças fazendo o restante do pessoal rir e depois acabaram por decidir quem iria, numa corrida até o carro. Como nossa amiga ali não era tão atlética quanto o cantor, ela acabou perdendo, parando no meio do caminho, cruzando os braços e dando de ombros, como não se importasse, mas sua expressão estava emburrada; até que Louis chegou, abraçando-a por trás e dando um beijo na sua bochecha, então sua expressão passou para um sorriso e seu rosto queimou com um tom avermelhado. Não pude evitar um sorriso ao ver os dois de boa assim. Eu estava feliz por eles, depois de ver o Louis mal pela briga deles, era bom ver que eles estavam assim agora.

...

Eu dirigia, ia no banco do passageiro e os três meninos no banco de trás. Enquanto eu focava no caminho, os quatro entraram em uma conversa engajada que começou a partir de comida italiana e agora passava para todos os detalhes daquele lugar. Senti uma pequena pontada no meu coração e a necessidade de tocá-la naquele momento, para garantir que eu ainda a tinha por perto; foi incontrolável. Coloquei uma mão na sua coxa, sentindo a pele quente dela sobre meu toque, e então logo sua mão cobriu a minha e eu relaxei. A conversa deles continuou e eu não prestava muita atenção até…
- E então quanto você tirou na prova? - Shawn perguntou.
- 967 - respondeu num tom neutro, mas que trazia uma pontada de orgulho próprio.
- Caramba, isso tudo! E você dizendo que ia se dar mal… - ele respondeu sorrindo.
Eu estranhei a forma como esse diálogo se instalou, como se ela já tivesse falado sobre essa prova com ele muito antes, então não pude deixar de perguntar:
- Quando ela te falou sobre essa prova?
Ele reagiu com surpresa à pergunta feita tão diretamente, então pensou por um tempo e respondeu.
- Acho que no dia que ela foi fazer a prova, eu dei carona a ela…
- Você a levou para fazer a prova? - meu tom não era exatamente de raiva, mas acho que trazia uma certa tensão. Luke e Niall encararam com certa preocupação o que se desenrolava entre nós. decidiu responder antes que Shawn pudesse.
- Ele me levou, sim. Eu liguei pra ele porque meu carro estava no conserto e você não estava na cidade.
“Não só por isso que você não me ligou, já que você não queria que eu soubesse o que você estava fazendo” não consegui evitar o pensamento que se instalou na minha mente, mas assenti, resolvendo deixar esse assunto de lado. Magoava o fato dela ter contado pra ele antes de falar qualquer coisa comigo, e mais ainda dele ter sido a pessoa que a levou para fazer a prova, mas eu não precisava ficar com raiva disso, não agora que tínhamos tão pouco tempo pra aproveitar. Dei de ombros e em poucos minutos já estávamos estacionando na frente do hotel.
A mãe dela já esperava na frente, o sorriso das duas era extremamente semelhante e ao conhecer a mãe da você entendia de onde vinha toda aquela simpatia dela. saltou do carro e correu até mãe, que a esperava de braços abertos. Nós quatro saímos do carro e fomos caminhando a passos mais lentos até onde elas estavam. Elas falavam em português uma com a outra, deixando pelo menos três de nós muito confusos sem entender nada; o Mendes já tinha mais experiência com a língua por causa do lado Português dele. ‘Até nisso o cara tava ganhando’ pensei com uma pequena irritação.
Quando elas finalmente se afastaram, minha sogra focou primeiro em mim, que já estava mais perto.
- Olá Harry, querido.
- Olá Sra. .
Eu ainda a tratava pelo sobrenome, pois essa mulher apesar de baixinha e simpática ainda despertava certo medo em mim. Ela era incrivelmente super protetora com a e eu sentia que ela não gostava tanto assim de mim.
- Ah deixe disso, pode me chamar de Beth… - ela falou, me puxando pra um abraço.
sorria, ali perto observando nós dois.
Então, quando eu me afastei foi a vez dela falar com Shawn.
- Você veio! - ela falou me português.
- Claro! - ele respondeu em português depois completando em inglês - Soube que você exigiu a minha presença.
Os dois se abraçaram e então chegou o momento que ela focou nos dois meninos de ouro; ela definitivamente usava abraços mais carinhosos com eles.
- Vocês devem estar morrendo de fome! - e é daí que você entende de onde a tira o costume dela de querer garantir que todo mundo estava bem alimentado.
- Não, mamãe a gente só veio pegar a chave, o pessoal tá esperando lá.
- Pois eles que esperem mais um pouco, que eu fiz uns bolos pra vocês levarem… eu só preciso da ajuda de alguns de vocês pra ir lá pegar…
Os dois garotos de ouro e Shawn a acompanharam, deixando a mim e a sozinhos na entrada.
Ela parou na minha frente, passando as mãos ao redor do meu pescoço, o que me fez imediatamente colocar as minhas mãos na sua cintura.
- Você tá bem mesmo com todo o negócio do carro? - ela questionou, erguendo as sobrancelhas num olhar meio desconfiado.
- Claro… por que eu não estaria? Super normal contar com o ex namorado para momentos importantes da sua vida, não é? Inclusive acho que vou convidar a Kendall pra me acompanhar na minha próxima turnê.
Falei num tom sarcástico. Eu sei que eu disse que deixaria o assunto de lado, mas quando ela trouxe isso à tona, agora, eu simplesmente não consegui evitar. Ela revirou os olhos e soltou um suspiro impaciente… eu me arrependi instantaneamente de ter tentado começar uma briga.
- Me desculpa… - antes que ela pudesse responder com algo que talvez fosse nos fazer brigar de verdade, eu disse, fechando os olhos com força e abaixando a cabeça. Quando voltei a abri-los, continuei: - Eu não quis dizer aquilo. Eu não quero brigar com você, tudo bem. Aconteceu no passado e contanto que você me conte tudo daqui pra frente… eu não me importo com o que já passou.
- Eu prometo… - ela garantiu, ficando na ponta dos pés pra me beijar e eu afundei minha mão nos cabelos dela, aprofundando o beijo. Eu pretendia ficar nessa de um beijo mais casto, mas quando suas mãos puxaram meus cabelos de leve eu decidi esquentar só um pouco as coisas, descendo mais minha mão, que se encontrava em sua cintura, essa interação não durou muito, porque logo fomos interrompidos por Luke.
- Por Deus… vocês não tem jeito, a gente deixa vocês sozinhos por um minuto... olha a sua mãe tá vindo logo ali, mostrem um pouco de respeito - Luke falou com um tom horrorizado pra nossa atitude e nós apenas rimos, nos separando.
Cada um dos meninos carregava um bolo e minha sogra trazia outro para entregar a
- Aqui, esse é de milho…
- Obrigada, mamãe - Ela agradeceu sorrindo.
- Ah, e vejam se vocês vêm passar algum dia por aqui, mesmo antes da festa, eu deixei tudo liberado pra vocês.
- A gente vem sim! - ela disse, dando um beijo na bochecha da mãe - Te amo, mamãe. Obrigada por tudo, você é a melhor - ela respondeu animada.
- Te amo, filha. Se cuidem viu, e, principalmente, se divirtam.
Todos nos despedimos dela com muitos abraços e entramos no carro, logo voltando com a chave para abrir a casa de praia, dando início a essas férias.


POV:
Os meninos saíram com e eu me sentei ao lado de Louis. Enquanto os outros estavam entretidos em uma conversa que eu não dei muita importância em saber o assunto, eu ainda estava inconformada de ter me deixado aqui. Era Tia Beth! Ela sabia o quanto eu gostava dela. Bufei mais uma vez em menos de 5 minutos e Lou me olhou mais uma vez.
Ele me cutucou e eu ainda tentei fazer uma cara séria, mas no momento em que me virei pra ele, não consegui segurar o sorriso, que apareceu tão rápido que só percebi quando ele espelhou meu gesto. Louis tinha esse efeito em mim. Não importava o quão chateada eu estava, ou o quanto uma situação fosse ruim, no momento em que ele me olhava, parecia que todo sentimento ruim saía do meu corpo.
- Eu queria ter ido…
- Eu sei, Babe… na próxima você vai, ok? - Ele disse como se estivesse falando com uma criança, o que obviamente eu estava parecendo nesse momento. A paciência que esse homem tinha comigo era impressionante. Sorri olhando para aquele azul que eu tanto amava.
- ‘Tá bem…
- Daqui a pouco eles chegam e adivinha… - Louis me olhou com expectativa, e como eu apenas dei de ombros e ele rolou os olhos - vou pedir pra fazer aquela bebida brasileira que você gosta. Qual o nome mesmo?
- CAIPIRINHA!
Gritei. Eu tinha certeza que meus olhos brilharam quando me referi a bebida. Meu namorado riu, ele sabia que eu amava Caipirinha, era minha bebida favorita.
Olhei para o lado e vi Ashton conversando animadamente com minha irmã e Liam e sorri. Percebi que desde a conversa com Lou, ele estava tratando Ash realmente como um amigo, um membro do grupo, e aquilo aquecia meu coração. Saber que ele havia me escutado e estava deixando os ciúmes de lado por mim.
- Obrigada, Lou - disse depois de uns minutos pensando sobre isso.
- Pela bebida? Você devia agradecer a , não a mim, .
- Não, quer dizer, também, mas não era disso que eu tava falando. - O olhei e ele realmente parecia confuso com minha frase. Dei um selinho nele e continuei - Obrigada pelo Ash. Acho que, se você não estivesse sendo tão simpático com ele, essas férias poderiam ser péssimas.
- Eu confio em você, . Se você diz que não tem nada com que me preocupar...- ele olhou nos meus olhos como se pedisse uma nova confirmação sobre aquilo. Assenti. - Eu acredito em você.
- Obrigada, BooBear, e eu ...
- Ei, casal! - Chloe me interrompeu e eu agradeci por isso. Eu realmente ia falar que o amava assim? - Eles chegaram.
Olhei para trás e minha melhor amiga abria a porta com certa dificuldade, já que segurava um bolo. Me levantei depressa e segurei a mão de Lou, puxando-o pra cima. Ele sorriu e segurou minha mão, enquanto eu o puxava em direção à casa. Entrei na casa praticamente correndo e consegui escutar o Irlandês falando com alguém na cozinha. Eu tinha certeza que ele já havia atacado um dos bolos da Tia Beth.
- Que tal um dia de piscina?
- Eu acho uma ideia incrível, Nini! - Jade respondeu, abraçando-o. Desde quando eles tinham essa intimidade?
- Eu concordo. - Eliza disse saindo de perto da cozinha e vindo em direção à sala. – Ei, gente! Vamos pra piscina? O Niall tava falando e…
- A gente ouviu, Liz, as paredes daqui são finas pelo jeito - Malik disse.
- EI, HAZZA, AS PAREDES SÃO FINAS! POR FAVOR NÃO ME DEIXE TRAUMATIZADO COM OS SONS DO SEU QUARTO. - Luke gritou, tirando uma gargalhada de todos os presentes, até mesmo de , que estava parecendo um tomate.
- Não garanto nada…
- Eca, Styles, eu prefiro pensar que vocês não fazem isso - Maddie disse ainda abraçada ao namorado, mas fazendo uma cara de nojo que me fez rir mais ainda.
- Até parece que você não transa com o Malik, Mad.
- Mas ela não faz isso! Zayn, você está me traindo? - Liam perguntou, se fingindo de horrorizado ao pensar sobre o assunto e se aproximando do casal.
- Claro que não, Payno. Você sabe que quem eu amo é você, a Maddie é só pra mídia. - Malik se soltou da namorada e se aproximou, segurando o pescoço de Liam.
- Acho que perdi meu namorado pro Payne - Mad disse enquanto secou uma lágrima imaginária. O resto de nós só segurou o riso, o que se tornou impossível quando Liam soltou:
- Você não o perdeu, querida, ele sempre foi meu - e fingiu jogar os cabelos para trás.
- Ok, não tô gostando mais dessa brincadeira - ela fez bico e Zaza se soltou de Liam, dando-a um selinho e dizendo algo que eu entendi como ´eu te amo´. Olhei pra Tommo, que encarava os dois sorrindo bobo.
- Voltando ao assunto piscina…- Eliza disse, mas foi novamente interrompida, dessa vez por .
- Podemos ir, mas primeiro temos que separar os quartos.
A divisão foi fácil de fazer. A casa tinha vários quartos - a mãe de realmente esperava muitos netos, então a divisão ficou com: e Harry, Liam e Niall, Zayn e Maddie, Louis e eu, nos menores quartos, mas que já eram maiores do que um quarto comum de hotel, Eliza, Jade e Chloe e Ashton, Luke e Shawn, com o dois quartos maiores, já que, como ninguém queria ficar sozinho, eles ficariam em trios.
Após 20 minutos, que foi o tempo de todo mundo se instalar em seus respectivos quartos, todos já estavam na área de fora da mansão, conversando ou bebendo algo.
- , o Louis me falou que você quer caipirinha. Tem como me ajudar lá dentro? - Concordei o mais rápido possível. - Alguém vai querer Caipirinha também?
- Faz uma pra mim e uma pra Jade também, amor.
- Ok – Disse, já puxando pra dentro da cozinha antes mesmo dela responder a Harry.
- Calma, , a bebida não vai sair correndo. - ela sorriu, me fazendo revirar os olhos. - E para de me puxar!
- Não é minha culpa que você é lerda - disse só pra implicar, já que era mais rápida que eu em qualquer coisa que fazia.
- Sério, ? - sorriu de lado - Vamos logo fazer essas bebidas.
A tarde seguiu assim, com todos na piscina, alguns, inclusive, que entraram por livre e espontânea pressão, como foi o caso do Zayn e da Jade, mas eles pareciam estar se divertindo com suas boias, então estava tudo bem. Como todos estavam bêbados, ou ao menos felizes, (com exceção do Payno e da Chloe, já que eles disseram ´Vocês vão precisar de alguém para cuidar de todos aqui´. Eu particularmente acho que minha irmã só falou isso para poder ter um tempo a sós com o Liam, já que eles iam constantemente a cozinha fazer alguma coisa que eu não faço ideia do que era.), eu não confiaria em nenhum de nós nesse momento. Não sei como, nem quando, mas alguém surgiu com a ideia de jogar Paranoia e eu não poderia ficar mais animada com isso. Esse jogo era incrível e, pelo que parecia, poucas pessoas da roda já haviam jogado antes.
- O jogo é assim, alguém vai girar a garrafa - Harry apontou para a garrafa de vodka que estava pela metade no centro do círculo - E a pessoa que parar na ponta da garrafa vai ter que apontar para a pessoa, que vai ser a resposta da pergunta.
- Mas o resto não vai saber que pergunta é - Louis continuou explicando.
- E se não quiser responder, tem que tomar um shot – Eliza disse.
- E se a pergunta for respondida, a pessoa gira uma moeda, se der cara dela tem que dizer qual foi a pergunta e se der coroa, você fica quieto e gira a garrafa. - Todos me olharam - Podemos? Eu começo.
Girei a garrafa e a vi parando em Niall. Andei até o loiro que me olhava com certo nervosismo. Era tão óbvio o que eu ia perguntar.
- Quem você beijaria daqui nesse exato momento? - disse sussurrando no ouvido dele que sorriu com minha pergunta e apontou rapidamente pra Jade.
- EU SABIA! - ele riu da minha reação e jogou a moeda, que deu coroa - Merda.
- Vai, Nini, sua vez.
Niall girou a garrafa, que bateu na Maddie e deu pra ver que a pergunta foi uma péssima, já que ela apontou pro Zayn com um tédio enorme. Cara, a pergunta realmente tinha sido péssima, já que quando deu cara Maddie disse que foi ´quem é o mais bonito?´. Ela girou a garrafa e bateu no meu namorado.
- Hum, essa não é tão difícil - apontou pra e girou a moeda. Cara. - Quem é a melhor pessoa para morar junto - deu de ombros.
- Louis! - disse com um tom acusatório.
- O quê? Ela cozinha pra mim, ! Você não faz nem um ovo frito.
Eu realmente não fazia nada em casa, então não o julguei pela escolha; apenas dei de ombros e continuamos jogando. A cada partida o jogo ficava mais interessante e mais revelador.
- Hum… o Liam - minha irmã respondeu olhando para o garoto.
- DEU CARA! PODE FALANDO, CHLOE!
- Bem… com quem eu teria algum relacionamento…
- Ah, eu já sabia - dei de ombros enquanto minha irmã me olhava vermelha e Liam sorria pra garota.
- Chloe, podemos conversar? - o menino olhava pra ela de uma forma tão intensa que eu senti o nervosismo dela.
- Vão logo! Zayn, me dá a garrafa - Luke disse empurrando as costas de Chloe.
Ela me olhava como quem pedisse ajuda e eu apenas sorri, encorajando-a. Qual é, esses dois se gostam antes mesmo do Louis me pedir em namoro, já está na hora!
Olhei para a varanda e eles estavam encostados na barra, sorrindo um pro outro. Eu sabia que essas férias iam mudar tudo.


Liam POV:
Achar e saber são coisas completamente diferentes. Eu sempre suspeitei do crush ´secreto´ da Chloe por mim. Eu gostava dela, gostava muito. Mas ela é irmã da namorada de um dos meus melhores amigos. E se eu tivesse imaginando coisas? E se não desse certo? Essas perguntas vinham em minha mente sempre que eu pensava em ter algo a mais com a garota. Bem, vinham até essa noite. Depois da revelação e da reação dela à pergunta, eu tive certeza dos seus sentimentos por mim, e por isso resolvi ter uma conversa com ela.
- Chloe, você gosta de mim? - Fui direto e a vi corar com isso. Sorri.
- Hum… Claro, Payno, você é um grande amigo e...
- Não me referi à amizade. - Ela me olhou com os olhos quase saltando de seu rosto. Não pude evitar soltar uma gargalhada com a sua reação.
- Sendo sincera? - assenti e a vi suspirar - Gosto, mas eu sei que você só me vê como uma amiga e está tudo bem, sério.
- Quem disse que eu só te vejo como uma amiga, Chloe? - A ruiva me olhou curiosa - Eu gosto de você desde o nosso primeiro beijo! - falei sorrindo e a garota ao meu lado fez o mesmo - Vamos deixar as coisas acontecerem naturalmente, ok? Sem apressar nada.
- Eu adorei essa ideia, Payne
Me aproximei da garota e a abracei, era confortável, simplesmente… encaixava. Chloe se afastou só o suficiente para ficar na ponta dos pés e me dar um selinho. Aprofundei o beijo o mais rápido possível e vi que não era só eu que esperava esse momento, já que a menina me correspondeu com pressa e sorrimos com isso. Ficamos o resto da noite assim, só curtindo um ao outro, de frente ao mar Caribenho.


POV
O jogo continuou mesmo depois da saída do Liam e da Chloe. Agora o Luke girava a garrafa, que veio a parar exatamente em mim, e eu fiquei com medo do que ele poderia perguntar; Luke alcoolizado não é muito sensato. Ele abriu um sorriso meio diabólico na minha direção e veio até mim pra fazer a pergunta no meu ouvido.
- Então, quem beija melhor Mendes ou Styles? - ele sussurrou a pergunta para que só eu ouvisse. Minha expressão de choque foi instantânea, eu não podia responder aquilo.
- LUKE!! - Eu disse, afastando-o com um tapa no braço, e ele apenas gargalhou dando de ombros.
- O quê!? - ele fingiu inocência - Eu só estava curioso…
O pessoal me observava com curiosidade também agora. Voltei meu olhar para as duas possibilidades de resposta, alternando de um para o outro, e então desviei o olhar. Eu não podia responder aquilo, um deles era meu namorado e o outro era meu melhor amigo e ex namorado, e eu não queria magoar ninguém. Luke se divertia com minha indecisão, sendo o único que sabia da pergunta. Eu não era muito agressiva, mas eu abriria uma exceção pra bater de verdade nele agora.
- Então, , o que vai ser? - Louis pressionou, me tirando dos meus pensamentos de vingança contra Luke.
- Me passa essa garrafa de vodka… - falei por fim, era mais seguro beber do que responder.
Ele segurou a garrafa e antes de estendê-la pra mim completou:
- Tem certeza? Acho que todo mundo aqui tá meio curioso pra saber pelo menos pra quem você ia apontar…
- A garrafa, Louis - falei firmemente.
- Tá bom… tá bom, sem graça.
Dei um gole na bebida e a senti descer queimando pela minha garganta, não era uma sensação que eu gostava muito ou que eu estava acostumada, mas era melhor isso do que dar uma resposta para essa pergunta. Harry me observava com atenção do outro lado da roda. Eu apenas tentei ignorar o peso do seu olhar e segui com o jogo, girando a garrafa, que parou na Eliza. Eu só pensava em criar uma distração boa o suficiente pra tirar o foco de mim no momento, então a pergunta meio que veio à minha cabeça quase imediatamente. Fui até ela por dentro do círculo e ela se colocou mais pra frente pra que eu falasse em seu ouvido. Como o Niall era meio super protetor com ela, eu tinha que maneirar só um pouco na pergunta, pro caso dela ter que falar em voz alta qual foi.
- Quem você levaria para a sua cama sem pensar duas vezes?
Ela realmente não pensou, apontando pro Shawn instantaneamente. Eu ri alto depois que ela percebeu que tinha respondido involuntariamente e puxou a mão pra junto do corpo de novo, com um sorriso sem graça. Eu já tinha percebido o jeito que ela olhava pra ele então isso não era novidade pra mim, e eu não tinha nenhum ciúmes ou sentimento ruim com relação a isso, inclusive super apoiava, Shawn já estava mesmo precisando de outra namorada; e quem sabe assim até o Harry relaxaria mais por perto dele. Ela ficou toda vermelha. Todo mundo estava curioso pra saber qual havia sido a pergunta, mas eu acho que a sorte estava com ela, pois deu coroa e a gente seguiu o jogo… Shawn parecia intrigado e Niall tinha uma cara desconfiada de poucos amigos. Eu tentava conter uma risada diante disso tudo, a situação era bem mais divertida quando você não era o foco.
O jogo continuou por um bom tempo até que o número de shots virados ficou bem maior que o de respostas. Todo mundo já estava pra dizer o mínimo “bem animado”, inclusive eu, sendo sincera. Decidimos parar de jogar quando o Ashton achou uma boa ideia se jogar na piscina e Luke o salvou por pouco, então demos a noite por acabada, já que já estava bem tarde, e todo mundo se recolheu pros seus respectivos quartos.
Eu já ia pro meu quarto também, só que eu vi a lua e acabei me distraindo. Simplesmente parei lá e fiquei olhando pro céu estrelado. Eu tinha esse costume desde pequena, amava olhar pro céu da noite, normalmente ouvindo alguma música, ou só pensando na vida mesmo, como eu estava fazendo agora; eu pensava em quão grata eu estava por ter todas essas pessoas maravilhosas ao meu redor, grata por todas elas estarem aqui me apoiando e comemorando uma fase tão importante da minha vida. Ia ser uma mudança completa e era bom contar com o apoio deles. Distraída como eu estava, nem percebi ele chegando, só senti suas mãos envolvendo minha cintura, enquanto ele me abraçava por trás. Às vezes eu achava impressionante como um simples toque dele ainda era capaz de me deixar completamente arrepiada, então a mão dele veio e afastou meus cabelos gentilmente, expondo meu pescoço. Ele beijou a região e uma nova onda de arrepios percorreu meu corpo.
- Pensei que fosse te encontrar lá no quarto…
Ele falou num tom baixo, em meio aos beijos que ele passava a distribuir pelo meu ombro também, enquanto afastava perigosamente a alça do meu vestido.
- Eu precisava ver a lua… - respondi com a respiração entrecortada.
- Bom… e eu preciso de você.
Meu corpo inteiro se aqueceu, mas eu não podia ceder tão fácil assim.
- Harry, as paredes da casa são finas - falei em tom de alerta.
- Como se isso já tivesse impedido a gente antes… - ele falou e eu não pude deixar de sentir o sorriso no tom de voz dele. Ele tinha um ponto.
Virei de frente pra ele, envolvendo seu pescoço com minhas mãos, e ele me puxou mais pra perto.
- Só tem outra coisa rondando minha mente, além do que eu quero fazer com você no quarto…
Meu Deus… se eu já não estivesse quente nesse momento, eu poderia ferver.
- Humm? - assenti pra ele continuar.
- Qual foi a pergunta que o Luke te fez?
Desviei o olhar do dele, como se evitar contato visual fosse me fazer sumir pra não ter que responder àquela pergunta.
Ele colocou uma mão embaixo do meu queixo, levantando meu rosto pra que eu voltasse a encará-lo.
- Ei, você disse mais cedo que ia me contar tudo a partir de agora. Lembra? - ele falou, me fazendo lembrar da conversa que tivemos no hotel. Soltei um suspiro e me preparei para responder.
- Ele me perguntou quem beijava melhor entre você e o Shawn…
Ele franziu o cenho.
- E você não conseguiu responder a isso? - ele perguntou e eu percebi uma pontada de raiva na voz dele.
- Eu achei melhor não responder… - disse, tentando justificar.
- Mas você tem a resposta então? - ele perguntou, erguendo as sobrancelhas. A esse ponto, ele já tinha se afastado um pouco de mim e mantinha os braços cruzados, esperando uma resposta, resposta essa que por algum motivo não veio pra mim com facilidade; eu demorei demais pra falar:
- Bom… eu - falei meio que gaguejando, sem conseguir formular o restante da frase.
- Você ainda tem que pensar? - ele perguntou, indignado - Essa era uma resposta que deveria vir fácil, .
- Eu sei, eu sei… e é você, me desculpa.
Falei, voltando a me aproximar dele. Eu tinha ficado sobre pressão pra responder agora e antes eu não queria magoar ninguém, mas a resposta era fácil. Lógico que seria o meu namorado! Namorado esse que agora estava irritado, “ótimo, , olha onde essa sua preocupação com os sentimentos de todo mundo te levou. Espero que aproveite a noite sem nada empolgante, só você e seus pensamentos, te lembrando o quão idiota você consegue ser às vezes. Não podia ter dado a resposta logo durante a brincadeira?” minha consciência ressoava. Coloquei a mão sobre o rosto dele e disse:
- Ei, não fica chateado, por favor… é claro que é você, meu amor.
Ele fechou os olhos, recebendo meu carinho, e então voltou a abri-los e a falar:
- Tudo bem - ele falou, por fim, gerando um alívio no meu coração, mas não foi um alívio completo, porque eu sabia que as coisas entre a gente ainda não estavam bem mesmo - Vamos pro quarto… - ele chamou por fim, e pro meu martírio aquele convite agora não tinha nada de safado, era apenas um simples “vamos por quarto… dormir.” O clima tinha acabado completamente. Eu até tentaria reacendê-lo, mas no momento eu sabia que era melhor deixar as coisas como estavam e respeitar o espaço dele.
Segui-o até o quarto e observei enquanto ele tirava a camisa e a calça… apenas pra deitar e dormir. Me xinguei mentalmente e xinguei um pouco ele também. Ele sabia como tinha me deixado lá fora praticamente ardendo de desejo e agora que a gente não ia mais fazer nada, ele chegava aqui, dando praticamente esse show pra mim. Ele sabia que eu era fraca pra essas coisas… tentei desviar o olhar, porque ver aquilo sem poder tocar era praticamente tortura… “mas sabe de uma coisa?” pensei comigo mesma “se ele não estava deixando as coisas fáceis pra mim, eu tão pouco deixaria as coisas fáceis pra ele”. Caminhei até minha mala, tirando de lá meu vestidinho preto transparente de dormir e fiz questão de me trocar no quarto, onde ele poderia ver. Não contive um sorriso ao ver que seus olhos se arregalaram em surpresa quando eu tirei meu vestido, que era a única coisa que eu usava fora minha calcinha, para substituí-lo pela camisola. Desviei um olhar para ele, erguendo as sobrancelhas quase que em um convite e eu o vi engolir em seco, desviando o olhar pra parede, que certamente não era mais interessante do que ele tinha à sua frente.
Fui então até a cama, deitando ao seu lado, mantendo uma distância respeitosa, que agora eu tinha certeza que não era mais o que ele queria.
- Boa noite, Harry - falei simplesmente.
- Boa noite, - ele respondeu com a voz ainda mais rouca que o normal. Uma onda de desejo me percorreu ao ouvi-lo chamar meu apelido naquele tom, mas eu me contive a apenas imaginar e relembrar outras noites nossas, porque hoje a casa dormiria em silêncio.


Capítulo 6

Louis’ Pov:
Acordei sentindo uma dormência no meu braço. Não era nada que me incomodasse, mas eu não estava sentindo aquilo havia um tempo. Antes mesmo de abrir os olhos, senti um cheiro de morango, que logo notei ser dos cabelos de . Relaxei ao perceber que era ela a causadora do formigamento e percebi o quanto senti falta dela. Não dormíamos assim havia um tempo. Com todas as brigas, normalmente ela ia pra casa, ou virava para o lado oposto pra não me olhar, mas nesses dias nossa relação estava firme como aço. Era estranho pra mim, já que com nenhuma das minhas ex-namoradas eu me sentia desse jeito, mas acordar com ela na mesma cama me trazia uma sensação de conforto, principalmente acordar assim, com ela tão perto. dormia feito um anjo, formando um pequeno sorriso em seus lábios. Não resisti, peguei meu celular e bati uma foto daquela cena, que postei no instagram com a legenda “nem todo anjo está no céu”. Guardei o celular e fiquei admirando minha namorada, mas não demorou muito para ela se mexer um pouco e abrir os olhos.
- Oi - disse com a voz enrolada, me fazendo sorrir.
- Oi.
- Senti saudades de dormir com você, Lou.
- Eu também, princesa.
- Que horas são? - perguntou sonolenta, me fazendo olhar meu celular pela segunda vez nesta manhã.
- Oito e quarenta ainda, pode dormir mais se quiser.
- Você sabe que eu não consigo, Boobear - era verdade. Não importava a hora que acordasse, ela nunca conseguia voltar a dormir. - Tô com fome.
- Eu também…
- Que tal você fazer nosso café?
- , você está ficando muito mimada.
- Louis Tomlinson, estou sem forças… - disse com voz manhosa e vi que já era uma discussão perdida.
- O que você não me pede rindo que eu não faço chorando?
Levantei, coloquei uma camisa qualquer e sai do quarto, escutando apenas a risada de antes de fechar a porta. A casa da mãe de era enorme, podendo ser facilmente confundida com uma mansão. Me perderia fácil naquele lugar, então agradeci por termos ficado com o quarto mais perto da escada. O lugar estava silencioso, mas duvidava que todos estivessem dormindo, O Niall e a , mesmo, acordam antes das oito, no máximo. Me dirigi a cozinha, que também não havia ninguém, então apenas dei de ombros e peguei o cereal, colocando em duas tigelas. Nem e nem eu comíamos muito no café, então achei que aquilo era o suficiente. Peguei leite e coloquei por cima do cereal, e quando estava pronto pra sair senti uma mão em meu ombro. Gritei e pulei com o susto.
- Calma, Tommo! Sou eu!
- Puta Merda, Horan, quer me matar? - coloquei minha mão em cima do meu peito e fiquei com medo de ter alguma parada cardíaca ou algo do tipo.
- Desculpa, não achei que você ia se assustar tanto - Olhei pro irlandês, que obviamente segurava o riso. Ok, talvez tivesse sido engraçado, mas não falaria pro loiro, ou então corria o risco de ser assustado assim todos os dias.
- Tá tudo bem, Nini. Acordou há muito tempo?
- Agora pouco, pra ser sincero. Só tomei banho e desci pra comer algo. Você?
- Acordei quase agora, estava com fome - apontei pros cereais que segurava
- Você a mima muito, Tomlinson - disse com um falso ar de repreensão, mas eu sabia que era puro fingimento. O Niall é a pessoa mais fofa que eu conheço, e tenho certeza que quando ele se apaixonar vai fazer isso, e muito mais. Suspirei, dando um sorriso que eu diria ser meio bobo.
- Ela merece cara. - já estava me afastando para ir ao quarto quando Niall me chamou.
- Ah, Tommo, quase esqueci. A alugou uma lancha para sairmos hoje. Vocês topam?
- Não precisava nem perguntar, Horan, é óbvio! Algo a mais? - negou - Então estou indo pro quarto, daqui a pouco descemos.
Não esperei a resposta, subi as escadas quase correndo e entrei no quarto rapidamente, assustando a loira.
- Nossa, Lou, para que a pressa?
- Hoje tem lancha, babybear - ignorei a pergunta dela e me sentei a seu lado, lhe dando uma das tigelas com cereal.
- Obrigada, Tommo, e conta mais da lancha!
- Não sei mais nada, o Horan me falou que a tinha alugado, acho que vamos após o almoço.
- Entendi.
Comemos o resto do cereal escutando músicas e interagindo nas redes sociais; bom, a interagia enquanto eu jogava algum jogo aleatório no meu celular. Não era muito fã das redes, mas me fazia entrar pelo menos 2 vezes por dia e falar um “oioi” para as fãs. Achávamos que esse era um dos motivos das nossas fãs amarem tanto as meninas, elas nos traziam mais pra perto delas. Uma batida na porta me tirou dos meus pensamentos, e quando olhei o rosto de Eliza estava coberto com uma mão.
- Estão com roupa?
- Pode olhar, Liz - Respondi rindo, enquanto minha namorada corava um pouco.
- Vocês já estão sabendo da lancha? - assentimos - Ótimo, então se arrumem, vamos sair em 30 minutos.
- O quê? Eu achei que era de tarde
- E era, mas o moço ligou, ele conseguiu pra agora, então vamos almoçar lá. Algum problema?
- Não, não, vamos nos arrumar e já descemos - respondeu, bloqueando o celular e indo em direção à mala, que estava aberta em cima de uma cadeira. Liz mandou um joinha e saiu do quarto. Me levantei também, segurando a cintura de e sussurrando.
- E eu achando que íamos aproveitar essa manhã .
- Prometo que hoje a noite nós vamos - se virou pra mim e deu um sorriso malicioso, entrelaçando os braços na minha nuca e me beijando em seguida. O beijo, que era calmo e contido, só parou quando apertou minha bunda, me fazendo rir e me afastar, sorrindo. - Agora vamos nos arrumar, ok? Vai tomar banho enquanto eu separo as coisas, levo sua roupa pro banheiro.
- Bem que você podia vir comigo, né?
- Louis Tomlinson. Banheiro. Agora. - cruzou os braços e me olhou, mas ainda tinha um sorriso em seus lábios. Me aproximei, lhe dando um selinho e apertando sua bunda. Sai correndo em direção ao banheiro, enquanto ela ria e me jogava um sapato. Eu amava essa garota.

Harry’s POV:
Eu não tinha conseguido dormir direito com pensamentos conflitantes rondando minha mente, parte de mim só queria ignorar a maldita pergunta do jogo de ontem e puxar pra junto de mim, mas a outra parte, uma parte maior, sentia um enorme incômodo por ela ter se recusado a responder algo assim na frente de todos os nossos amigos. Por mais que eu não gostasse de admitir, eu me sentia inseguro com o fato dela só ter respondido que o melhor beijo seria o meu quando eu a confrontei sobre o assunto. Se ele realmente não significasse mais nada para ela, não haveria problema em responder à pergunta durante o jogo. O fato dela preferir beber a dar uma resposta fácil, que logicamente deveria ser seu atual namorado, me incomodava bastante e eu ainda não me sentia preparado pra deixar isso de lado.
Foi com um aperto no coração que eu a observei pegar um lençol extra pra se enrolar ontem à noite. Era impressionante o quão friorenta ela era e só com aquele vestidinho quase transparente dela e sem o meu calor pra esquentá-la, ela devia estar morrendo de frio. Mas eu não podia ceder e ignorar o que eu estava sentindo só porque ela estava com frio, por mais que a vendo vestida daquele jeito eu quisesse esquentá-la de diversas formas diferentes.
Mas eu resisti. Quando eu acordei, não a beijei como de costume e praticamente nem nos falamos. Era estranho acordar sem sentir o corpo dela contra o meu e ainda mais estranho vê-la acordar sem aquele sorriso característico.
sabia respeitar meu espaço quando eu estava assim e foi isso que ela fez mais cedo e era isso que ela estava fazendo agora que estávamos na lancha com o restante do pessoal. Ela tinha ido ficar perto da Maddie e da Jade, já que estava muito ocupada com o Louis. Os dois praticamente não se largavam e era bom vê-los de boa, rindo à toa um pro outro, pelo simples fato de estarem apaixonados; e estranho ao mesmo tempo perceber que dessa vez era a gente que não estava de boa. Eu só queria resolver logo isso e ficar junto da minha namorada, mas meu orgulho no momento estava ferido.
Eu estava com o Malik e o Liam na outra ponta da lancha conversando - pra falar a verdade eu nem prestava muita atenção no que eles diziam, meu olhar estava preso na . Ela escolheu justamente aquele biquíni vermelho que ela sabe que eu amo, então era difícil não olhar. Foi só quando o Liam falou diretamente comigo que eu me voltei pra eles.
- Ei, Harry! Você tá me ouvindo?
- Não, desculpa. O que era? - falei virando para encará-lo.
- Eu aqui colocando meu coração pra fora, pedindo um conselho sobre o que fazer com a Chloe e você nem presta atenção.
- Foi mal, eu me distrai... - respondi com um sorriso constrangido.
- Eu to vendo - Malik falou com um sorriso de escárnio - A noite foi tão boa que você não consegue parar de olhar pra ela? E como você conseguiu manter ela em silêncio? Porque do meu quarto eu não ouvi nada. Você ouviu, Payne? - ele perguntou com certa curiosidade.
- Do meu eu também não ouvi nada.
Suspirei pesadamente antes de responder.
- Vocês não ouviram nada porque não aconteceu nada. - os dois me olharam com surpresa.
- Nossa... vocês tão bem? Isso não é normal - Zayn falou com uma preocupação meio exagerada.
- Ah, cala essa boca, não é como se a gente fosse um daqueles casais que vive de sexo.
- Bom, é mais ou menos isso - Liam disse, dando de ombros - Mas parando pra pensar no geral, eu nem vi vocês se falando hoje, então: o que tá pegando entre vocês?
- A gente brigou ontem... - Zayn não perguntaria mais nada se eu só deixasse as coisas por aí, mas Liam insistiria até tirar a história toda de mim, por isso continuei contando toda história da pergunta do Luke e do fato dela se recusar a escolher entre mim e o Shawn como quem beija melhor.
- Caralho... - Zayn soltou. Os dois mantinham uma expressão meio “é foda” e meio “cara, que merda”.
- Eu não achei que fosse me incomodar tanto com isso, mas me incomoda. Como não me sentir um pouco ameaçado pelo cara, se ela não consegue dar uma resposta a uma pergunta fácil dessas?
- Ela não te respondeu nada? - Zayn perguntou.
- Bom, ela disse que era lógico que era eu, mas ela só respondeu depois que eu insisti e eu queria que isso fosse algo que ela não tivesse problema em admitir pra todo mundo...
- Você pensou que talvez ela só tenha problema em admitir isso para o Shawn? Sei lá, eles são melhores amigos, vai que ela só não queria chatear ele - Liam falou.
- É, mas ela não teve muito problema em me deixar chateado - eu não estava disposto a ceder ainda.
Então, depois de alguns minutos de silêncio, Malik completou:
- Vocês precisam transar - ele falou simplesmente, “como se fosse nada”. Eu o encarei com as sobrancelhas erguidas e Liam pareceu meio em choque, olhando pra ele como se ele fosse sem noção.
- Sexo não vai resolver o problema deles, Malik.
- Só ‘tô dizendo. Faz quanto tempo que vocês não…?
Eu pensei por um segundo antes de responder.
- A última vez foi tipo uma semana antes da viagem...
- Tá vendo! Por isso que vocês dois estão tensos. Se eu fosse você, daria um jeito nisso o mais rápido possível.
- Eu ainda não acho que isso vai resolver o problema de vocês. Vocês precisam conversar - Liam argumentou.
- Conversem na cama - Malik concluiu, fazendo o Liam revirar os olhos.
- Tá, vocês dois estão me deixando confuso - falei por fim.
- Talvez sua confusão se desfaça agora - Zayn disse apontando pra onde as nossas namoradas estavam dançando funk, ao que parecia, um estilo de música brasileiro que envolvia muito mexer com a bunda ao ritmo da música e a era particularmente incrível dançando. Para minha sorte, eu estava numa posição em que conseguia esconder o efeito que vê-la assim me causava. Meus shorts pareciam bem mais apertado agora, mas eu conseguia disfarçar. Zayn sorriu completando - Boa sorte em manter as coisas só no diálogo.
É… de uma coisa eu sabia: dessa noite o nosso acerto não passava.

’s POV:
Eu não estava no meu melhor estado emocional e, como eu não conseguia disfarçar minhas emoções, as meninas logo perceberam.
- Ei, . O que aconteceu? - Jade perguntou
- Nada… - tentei desviar do assunto, mas elas não compraram minha negação.
- Ah não, pode ir falando. Eu sei que tem coisa aí - Maddie falou, indo mais direto ao ponto, exigindo que eu falasse.
- Não é nada. É só que o Harry e eu não estamos nos melhores termos agora… - falei dando de ombros, não havia muito mais que eu pudesse fazer agora sobre isso. Eu sabia que ele precisava de espaço e, por mais difícil que fosse pra mim, era isso que eu estava dando a ele. Foi particularmente difícil dormir sem os braços dele ao meu redor, o frio que eu senti essa noite não foi só físico, mas também emocional. Acho que eu tinha feito uma expressão de tristeza maior do que eu pensei, porque Maddie pegou o celular conectado ao bluetooth da lancha e pegou minha mão, me puxando pra um espaço mais aberto do local.
- Eu não vou deixar você chorando por homem nenhum, mesmo que esse homem seja Harry Styles. Vamos aproveitar!
- Eu não ‘tô chorando… - falei com uma voz meio fraca. Pra falar a verdade eu estava quase chorando mesmo.
- Aham… - ela falou com um tom sarcástico, eu revirei os olhos e Jade riu da interação entre nós duas - Agora vamos dançar! - a Maddie era louquinha, mas ela realmente sabia como me animar. Eu podia estar no estado de espírito que fosse, se você colocasse funk pra tocar, eu esquecia de tudo e simplesmente começava a dançar, e foi isso que fizemos por umas três músicas, até eu perceber que o olhar do Harry recaía sobre mim. Não poder andar até ele e puxá-lo pra dançar comigo, como de costume, voltou a me entristecer e eu simplesmente parei de dançar. Agora que os meninos tinham se juntado a gente e tinha mais pessoas ali, eu consegui sair disfarçadamente, descendo até a parte de baixo da lancha, onde não tinha mais ninguém.
Sentei em um dos bancos, olhando para o movimento das águas do mar enquanto tentava conter as lágrimas que queriam cair dos meus olhos. Senti a presença de alguém ali, ainda sem desviar os olhos do azul do mar e então a pessoa se sentou ao meu lado.
- Ei, pequena… - era o Luke, e se eu não estivesse a ponto de chorar provavelmente bateria nele por ter feito a pergunta ontem.
- O que é? - perguntei num tom grosseiro que não era muito típico meu.
- Eu que pergunto: o que é? - ele retrucou. Revirei os olhos antes de responder, eu estava muito irritada com ele.
- Por causa da sua pergunta estúpida, eu briguei com o Harry… então espero que esteja feliz - falei apontando um dedo pra ele.
Ele pareceu surpreso e chocado.
- É claro que eu não estou feliz com isso. Eu não tinha ideia de que minha pergunta fosse virar um problema para vocês. Eu estava bêbado e era só uma brincadeira, eu não imaginava que isso fosse acontecer.
- É, pois é, mas foi o que aconteceu… - Falei. cruzando os braços, me virando para parar de encará-lo.
- Ei, você não pode agir como se a culpa toda fosse minha… - ele falou e eu me virei para encará-lo com uma expressão indignada.
- Como é que é? - minha voz saiu uns dois tons mais agudos.
- Eu fiz a pergunta, mas eu tenho certeza que foi o fato de você não dar uma resposta na frente de todo mundo que o incomodou… ou eu estou errado? - ele se explicou e ergueu as sobrancelhas de um modo presunçoso, ele sabia que estava certo.
Paramos por alguns minutos, que foi o tempo que levou pra expulsar minha irritação e admitir que ele estava certo.
- Você não está errado, desculpa, eu só estava procurando alguém pra culpar… - admiti um pouco envergonhada. Ele assentiu, aceitando as desculpas.
- Mas por que você não deu uma resposta?
- Eu não queria magoar o Shawn, ou sei lá…
- Então a resposta é o Harry?
- Lógico!
- E você disse isso pra ele?
- Disse… mas não acho que fez muito efeito. Não sei se ele acredita inteiramente em mim - falei com meus olhos cheios de lágrimas. Não era só a “discussão” de ontem que me incomodava, eu tinha medo de estar perdendo-o. Talvez toda essa pressão da minha mudança para Itália estivesse nos atingindo mais do que gostaríamos de admitir, e o fato de que a última vez que tínhamos ido pra cama juntos foi há mais de uma semana, no dia que eu contei pra ele sobre a minha viagem para a Itália, talvez comprovasse essa teoria, porque desde então não tem sido a mesma coisa. “Nós já teríamos coisas o suficiente pra lidar ao longo do ano com toda a distância, não precisávamos disso agora” pensei, com o coração pesando no peito.
- Ei… não chora - Luke falou com preocupação e simples assim minhas lágrimas começaram a cair; dizer pra uma pessoa que estava prestes a chorar para não chorar era a mesma coisa que dizer pra ela chorar. Ele me abraçou e eu deitei minha cabeça em seu ombro - Vocês vão se resolver logo, você vai ver… - ele disse e ficou um tempo me consolando.
Eu não deveria ter ficado com raiva dele pelo que aconteceu e agora eu realmente não estava, a culpa não foi dele, porque o problema não estava na pergunta que ele fez ontem, mas no modo como eu respondi a ela, ou, no caso, no modo que eu optei por não respondê-la. Mas isso era uma coisa tão pequena perto da conjuntura total, e como se Luke lesse minha mente, ele falou:
- Eu sei que você não está chorando só pelo que aconteceu ontem…
Escondi meu rosto na curva do pescoço dele, abraçando-o com mais força e agradecendo por não ter mais ninguém ali me vendo chorar.
- Eu não quero perdê-lo… - falei e minha voz saiu um pouco abafada contra a pele dele
- O quê? - ele perguntou com um tom meio surpreso, mas eu sabia que ele tinha ouvido, ele só não entendia o que eu estava falando.
- A Itália vai tirar ele de mim… - falei, buscando algum conforto no azul dos olhos do meu melhor amigo.
- Você não vai perdê-lo, pequena… - ele falou como se explicasse algo óbvio para uma criança - Eu te garanto. O homem é louco por você… - ele completou com um sorriso, e aquele sorriso lindo e seguro dele me fez sorrir também em meio às minhas lágrimas.
Eu resolveria as coisas com Harry, dessa noite não passava, e iríamos aproveitar todo o tempo que ainda tivéssemos juntos aqui. Luke me abraçou, então enxuguei minhas lágrimas e voltamos juntos para onde o resto do pessoal estava.

’ Pov:
O dia estava sendo incrível, todos estavam dançando e bebendo, bem… quase todos. Notei que estava pra baixo e que Harry não estava nas melhores condições. Respirei fundo e me afastei de Lou. Minha amiga precisava mais de atenção agora do que meu namorado. Estava no pé da escada por onde havia descido, quando Luke tocou no meu ombro e fez um sinal como se dissesse “deixa que eu vou, pode ficar tranquila”, então eu realmente deixei. Não sabia o que havia rolado, mas algo me dizia que tinha a ver com o loiro.
Voltei para perto de Louis, que conversava com Ashton, e os dois pareciam animados com o assunto. Sorri sozinha ao notar isso. Era incrível ver meu namorado e meu melhor amigo tendo uma conversa civilizada, e, mesmo que esse amigo fosse meu ex, aquilo não parecia incomodar nenhum dos dois no momento. Me aproximei passando os braços pelas cinturas de ambos, fazendo-os ficar ainda mais perto.
- Vocês não fazem ideia do quão orgulhosa eu estou nesse momento.
- , querida, se incomoda de sair? Você interrompeu uma conversa muito útil sobre tatuagens - olhei pra Ashton indignada. Como assim eles estavam me excluindo? Fiz bico e os olhei com os olhos franzidos.
- Eu não acredito que vocês estão me trocando assim! Eu também posso falar de tatuagem sabia?
- Ah, , você tem mais medo que o Horan.
- Isso não é verdade, Tomlinson, e, para a sua informação, eu vou fazer uma aqui mesmo no Caribe. - Eles me olharam desafiadores e eu mantive o olhar. Estava mentindo, era óbvio, mas eles não precisavam saber disso.
- Ótimo, então vamos juntos. Estava falando com o Louis sobre tatuar uma águia na minha nuca mesmo. - deu de ombros, como se não fosse nada demais - Acho que o Tomlinson não se incomodaria de ir também.
- Não mesmo, até faço questão de fazer uma.
- Hum, ótimo então. Já podem procurar um estúdio. - Disse e virei, escutando a risada dos dois, mas indo em direção a Chloe e Eliza. De certa forma, estava contente em finalmente ter tomado esse passo, já que eu sempre quis tatuagens, mas, por outro lado, estava apavorada com a ideia, e se doesse? Se não ficasse como eu queria?
- Ah, , que bom que você chegou, queria outra opinião sem ser da mamãe aqui - Liz apontou pra minha irmã, me fazendo rir da cara de desgosto de Chloe. - O que você acha de pararmos um pouco e mergulharmos?
- Aqui?
- Sim! O Capitão disse que era uma boa área, já que está dentro dos limites daquela ilha ali - Liz continuou, dessa vez mais animada - A Chloe disse que pode ser perigoso e bla bla, mas deve ser tão divertido.
- Eu concordo com a Liz. Se o Capitão disse que era um bom lugar, quem somos nós para discordar?
- Vocês são loucas, nem sabem mergulhar!
- É para isso que o Capitão serve Chloe, ele vai explicar para a gente como se faz, e ainda disse que mergulharia também.
- Eu vou ficar no barco, façam o que quiserem.
- Por que vai ficar no barco, linda? - Liam apareceu do nada, abraçando Chloe pelas costas, fazendo-a sorrir.
- Vamos mergulhar. Você topa, Payno?
- Não perderia por nada, . Vou informar aos outros - Liam me respondeu e saiu, deixando minha irmã sorrindo boba.
- Ainda vai ficar no barco, sis?
- Não enche, - cruzou os braços e bufou, fazendo com que Liz e eu gargalhássemos.
No final, todos concordaram em ir e agradeci a Liz por ter tido essa ideia. O lugar era lindo, cheio de peixinhos e corais. Vi até uma tartaruga. O cenário era o mais colorido possível.
Os casais estavam cada vez mais próximos, fazendo com que tivesse certeza que Harry e tinham brigado. Eles eram os mais colados e, desde acordei, não os vi trocando uma palavra. Mas, de certa forma, parece que a conversa com o Luke tinha adiantado, já que lançava olhares constantes a Styles, que não estava muito diferente. Sorri e dei de ombros. Sabia que não demorariam para se acertar, esses dois eram completamente apaixonados um pelo outro.
Depois de diversas fotos e risadas, fomos pra casa. Quando chegamos, alguns foram pra cozinha, outros para a sala e alguns até pra piscina. Mas, assim que coloquei meus pés pra dentro, puxei Louis pela mão para nosso quarto. Ele me olhava malicioso, e eu não estava nada diferente dele. Mal tive tempo de fechar a porta quando Louis me imprensou na mesma, me beijando e me fazendo soltar um gemido que misturou dor e prazer.
- Eu preciso de um banho, Tomlinson - falei entre os beijos e ele começou a beijar meu pescoço.
- Você realmente quer parar agora?
- Quem disse em parar? - disse maliciosa, tirando minhas roupas. Nesse momento, Louis sorriu e suas roupas tiveram o mesmo destino que as minhas, o chão. No segundo seguinte, em que já estávamos sem nada, o puxei pra dentro do chuveiro.
A água fria e o corpo quente de Louis davam um contraste incrível. O beijo estava cada vez mais intenso. O melhor era que só estávamos começando.


Capítulo 7

Harry’s POV
Eu não podia esperar nem mais um segundo pra acertar as coisas com a . Eu não a vi entrando em casa quando chegamos do passeio de lancha e também não a encontrei procurando pela parte externa da casa, eu já estava a ponto de entrar na casa indicando o desaparecimento dela, quando percebi que o portãozinho que dava acesso direto à praia estava aberto. Segui por ele passando por um curto caminho de madeira até atingir a areia. A alguns metros de distância, sentada em cima de uma peça de tecido perto das ondas, estava vestida só com um biquíni; eu nem imaginava o frio que ela devia estar sentindo.
Toda a atenção dela estava voltada para o mar, que neste momento não passava de uma imensidão escura iluminada unicamente pelo brilho da lua - a vista era realmente perfeita. Mais perfeita ainda era a mulher sentada à minha frente. Percebi com certa adoração que a luz da lua fazia sua pele praticamente brilhar e que seus cabelos ondulavam suavemente com o vento. Ela parecia completamente perdida em seus pensamentos.
Neste instante, observando-a de longe, senti o frio da noite me atravessar e percebi que o que me incomodava não tinha nada a ver com a “discussão” sobre a pergunta do jogo de ontem, o que me incomodava ia muito além. Mas a realidade se abatia sobre mim agora e a verdade do que eu estava realmente sentindo pesava em meu peito: eu não estava preparado para vê-la partir para Itália em dois meses. Eu não sei como eu ficaria sem ver aquele sorriso todos os dias ao acordar e antes de dormir, sem escutar a voz dela acompanhando qualquer melodia que começasse a tocar no rádio quando estávamos no carro, sem o calor dela pra me aquecer todas as noites, sem ela ao meu lado pra me trazer paz e conforto quando meus dias não tivessem sido dos melhores, sem o olhar de orgulho e apoio que ela me direcionava no camarim antes de alguns shows que eu fazia em Londres... Eu sentiria falta de tudo nela. A ideia de tê-la indo pra longe era assustadora e eu não conseguia evitar pensar que talvez nós não resistíssemos à distância, mas tudo que eu sabia com certeza era que eu tinha esses dois meses pra passar ao lado da mulher que eu amo antes de termos que passar por qualquer mudança e por isso que eu não podia deixar que essas besteiras ficassem entre a gente por mais um segundo sequer.
Caminhei silenciosamente até onde ela estava e sentei ao seu lado, a envolvi com um braço e a puxei pra junto de mim. Ela não resistiu e se aconchegou no meu peito enquanto eu a esquentava. Sua pele estava tão fria quanto eu imaginava que estaria, e minhas mãos a tocavam em movimentos suaves de vai vem de modo a aquecê-la; só de tocá-la parte do peso no meu coração já tinha se desfeito. Sem falar nada, apenas, assim, um ao lado do outro comunicávamos milhões de sentimentos e emoções, e quando finalmente falamos foi ao mesmo tempo:
- Me desculpa… - nós dois ecoamos ao mesmo tempo, então ela se endireitou para focar seu olhar em mim.
- Por que você está se desculpando? Eu que errei… - ela começou com um olhar confuso.
- Não… na verdade eu exagerei, nosso problema nunca foi o Mendes e acho que você sabe disso - falei, ela assentiu lentamente.
- Itália… - ela falou por fim e eu confirmei com a cabeça. Ficamos por um longo tempo ouvindo apenas o barulho das ondas do mar, cada um preso em seus próprios pensamentos, com alguns olhares nossos corações comunicavam entre si mais de mil palavras e a saudade gritava forte em nosso peito. Eu só queria esticar a mão e trazê-la pra junto de mim... Sem conseguir me conter, foi isso que eu fiz, colocando minha mão no rosto dela enquanto a trazia pra junto de mim. Nossas testas estavam coladas, sua boca apenas a centímetros de distância da minha... Fechei os olhos, inspirando o perfume floral dela.
- A gente pode concordar em aproveitar o tempo que a gente tem aqui sem pensar em nada de Itália? – perguntei, louco pra resolver logo isso.
- Isso é tudo que eu mais quero… - ouvir isso me trouxe tanto alívio que eu não contive meu sorriso.
Me aproximei mais dela, puxando seu corpo pra junto de mim. Minha mão na cintura dela a segurava com firmeza e no que dependesse de mim eu jamais a soltaria.
- Se você ainda tiver dúvida… eu posso provar quem é o melhor - falei com a boca a milímetros de distância da dela, fazendo alusão à pergunta que ela não tinha respondido no jogo, mas a resposta dela agora me pegou de surpresa, justo quando eu pensei que não poderia me apaixonar ainda mais por ela.
- Você não precisa me provar nada, eu sei e sinto no meu coração que você é o melhor pra mim. Não há mais ninguém, Harry, você é o único pra mim. - ela completou a última frase num sussurro, olhando diretamente nos meus olhos. Meu coração estava a mil e o sorriso que se formou em meu rosto era de pura felicidade. Ela havia me dito tudo que eu sempre quis ouvir e não sei se ela tinha noção do que tinha acabado de provocar em mim, mas naquele segundo ela tinha cravado sua presença ainda mais a fundo no meu coração.
Selei nossos lábios num beijo demorado e cheio de saudades, cada centímetro do meu corpo a desejava mais que tudo nesse momento. Suas mãos se entrelaçaram ao redor do meu pescoço e subiram pela minha nuca, onde ela puxou levemente os fios de cabelo que haviam ali e minha reação foi aprofundar o beijo. Era difícil manter minhas mãos em locais respeitosos, visto que eu a tinha aqui na minha frente só de biquíni, minhas mãos exploravam cada centímetro de pele descoberta querendo descobrir ainda mais. Ela finalmente se afastou parando o beijo aos poucos e então me direcionou o sorriso mais sexy que eu já vi.
- Acho que você me prometeu certas estripulias em águas caribenhas - ela falou rindo e se levantou de surpresa correndo para longe de mim. Fui atrás dela e assim que a alcancei a lancei dentro da água.
- Promessa é dívida... - falei sorrindo com malícia. Meus lábios voltaram a encontrar os dela. A temperatura da água ainda estava quente pela incidência do sol de um dia inteiro, mas a água nunca estaria tão quente quanto .


Louis’ Pov:
O dia estava lindo, era o dia mais quente desde que chegamos, e a maioria das pessoas estava na piscina ou se preparando para sair, como era meu caso. Estava colocando o tênis quando saiu do banheiro, já pronta, usando um vestidinho florido que ia até metade de suas pernas e um all star nos pés. Sou suspeito para falar, mas minha namorada fica mais bonita a cada dia que passa.
- Não acredito que você realmente marcou isso!
- Você tem certeza que quer fazer isso? - disse ignorando totalmente a menina.
- Tenho… você sabe que eu sempre quis fazer, só faltava a coragem, e, bem, onde seria melhor fazer? Estou no Caribe com a melhor pessoa para me ajudar com isso. - sorriu antes de me olhar e continuar - Só achei que ia demorar mais para marcar sabe…
- Ser famoso tem suas vantagens - dei de ombros.
- Alguém mais vai com a gente?
- Só o Ashton, a e o Harry também vão sair, mas acho que vão ao mercado - segurei sua mão e descemos as escadas juntos; esperaríamos Ashton na sala.
- Hey, , então você realmente vai fazer? – Eliza, que estava deitada no sofá, falou.
- Já tá todo mundo sabendo?
- Aham… mas você tem certeza? Não vai sair...
- Qual é, Liz, eu sei o que eu quero desde os 16. Não vou querer tirar.
- Vai doer, .
- Não está ajudando, Eliza - olhei para a minha namorada que apertou minha mão, mostrando que estava tudo bem.
- Eu sei, Liz, mas realmente quero isso.
- Se você diz – Liz voltou a zapear os canais da TV como se nunca tivesse aberto a boca. Eu amava Eliza, ela e o irmão eram contra tatuagens, não que Niall se intromete-se, mas a loira fazia questão de listar todos os contras antes de alguém fazer. Eu não dava a mínima, já que nem sabia quantas eu tinha, mas pra alguém como , que nunca tinha feito, isso poderia afetar alguma coisa. Sai dos meus pensamentos quando minha namorada passou os dedos pela minha nuca, me fazendo arrepiar por completo.
- Você não sabe o poder que tem sobre mim,
- Eu acho que sei, sim, Tomlinson - sorriu e me beijou calmamente.
- Arranjem um quarto, por Deus!
- Cala a boca, Zayn, se eles subirem agora vai demorar mais pra sairmos - Ashton gritou enquanto saía da cozinha, entrando na sala - Vamos casal?
Nem eu e nem respondemos o moreno, ela apenas pegou sua bolsa e saímos da casa. O caminho foi confortável, estávamos num clima bom, cantando e rindo de coisas aleatórias que víamos nas ruas.
- Já sabe o que vai fazer, ? - o moreno perguntou, no banco de trás, fazendo com que minha namorada abrisse a bolsa e pegasse um papel que estava meio amassado, mostrando ao menino.
- Não acredito que você ainda anda com isso!
- Não sabia quando seria a hora, Irwin - os dois se olharam tão intensamente que me senti completamente de fora do assunto. - É a letra da minha avó. – ela me olhou, mas seus olhos estavam mais tristes que antes - Quando ela estava no hospital, sempre fazia ligação com ela, já que eu não podia largar a faculdade e voltar para casa pra vê-la. - percebi que estava tentando segurar o choro. Eu não sabia o quão importante aquela mulher era pra minha namorada - E antes de desligar, ela sempre falava essa frase. - fungou - Antes de partir, ela me deixou uma carta, essa carta. - apontou para as mãos e vi que ela não aguentaria muito tempo. Ia colocar minha mão na sua pra dizer que eu estava ali por ela, mas Ash colocou a mão em seu ombro primeiro. Me senti um intruso no meu próprio relacionamento, com todas as inseguranças voltando a 80km/h, sabia que ele não fez de propósito, só estava sendo um bom amigo, mas saber que ele sabia de coisas tão importantes e que eu não fazia ideia… - A última coisa que tinha na carta era a frase dela. A nossa frase. - me entregou o papel quando eu estacionei no estúdio e olhou pras mãos. O papel estava meio gasto, mas dava para ver claramente um ´I wish you were here with me´ na ponta direita. Olhei pra que agora me olhava com os olhos cheios de lágrimas e não me segurei, a puxei para perto de mim da melhor forma possível. Eu queria protegê-la, mostrar que eu sempre estaria do lado dela.
- É uma linda frase…
- Eu sei - disse embolado, já que eu a apertava contra meu peito. - Estou ansiosa para tê-la comigo sempre.
- Então vamos fazer isso, - Ashton arrancou um riso dela, fazendo com que meu coração se apertasse ainda mais.
- Vai doer?
- Você não vai nem sentir - disse me afastando dela - Vou estar do seu lado, segurando sua mão.
- Vamos estar.
- Então o que estamos esperando - a loira abriu a porta e sorriu pra gente. Ela tinha a ponta do nariz vermelho, os cabelos meio bagunçados e um olhar que pedia proteção no rosto. E, mesmo assim, ela nunca esteve tão bonita para mim.


’s POV
A noite de ontem havia sido movimentada. O caminho do mar até nosso quarto foi um caos de risadas, “shius” e beijos ardentes - para dizer o mínimo, a noite foi bem quente assim como estava o dia de hoje, visto que já dava pra ouvir a movimentação do pessoal lá na piscina. Me desvencilhei dos braços de Harry, sem ousar desviar um olhar sequer para ele ou eu não sairia desse quarto hoje, me vesti com uma roupa qualquer e dei um jeito no meu cabelo antes de ir cantarolando até a cozinha, encontrando Liam e Zayn lá.
- Bom dia!! - falei sorrindo e continuei a cantarolar enquanto recebia a resposta de “bom dia” dos dois.
Zayn caminhou até meu lado encostando no balcão onde ele passou a me analisar
- Humm... parece que a noite de alguém foi boa… - ele insinuou, esperando por uma confirmação minha, provavelmente pra zoar comigo.
- Acho que você saberia já que as paredes são finas… - dessa vez eu não entregaria fácil
- É, mas hoje eu não ouvi nada, parece que o Harry tem achado um jeito de te deixar quieta
- É… ele tem uma coisa que deixa minha boca BEM ocupada… - falei dando uma ênfase ao “bem” e então percebi a expressão do Zayn ao entender o duplo sentido naquilo. Comecei a rir da cara de nojo dele e o Liam me acompanhou, estávamos praticamente nos dobrando de tanto rir.
- Eca, . Eu não quero ter essas imagens na minha mente - Malik disse por fim
- Bom, foi você que começou a falar disso - eu disse, dando de ombros assim que consegui parar de rir
- Tá, tá… - ele falou encerrando a conversa
- Você não deveria reclamar, Malik, toda vez que o Harry faz seja lá o que for no quarto que deixa a assim ela se inspira e faz comidas maravilhosas… então o que você está pensando em preparar hoje? - Liam falou se inclinando em minha direção, esperando uma resposta
Eu realmente já tinha algo me mente, então respondi prontamente:
- Lasanha - os dois se animaram, mas eu continuei lembrando - Só que não tem todos os ingredientes necessários… então talvez não dê pra fazer…
Zayn me segurou pelos ombros, me guiando para fora da cozinha
- Eu não quero nem saber, vai acordar seu namorado agora para comprar o que falta.
Eu saí balançando minha cabeça em negação enquanto segurava um riso
- Ah, e se vocês demorarem mais de 20 minutos eu vou bater lá… - ele lembrou quando eu já estava na metade do caminho.
Entrei no quarto, fechando a porta, e caminhei até a cama, sentando ao lado do Harry, ele tinha se agarrado a um travesseiro depois que eu saí e sorri ao perceber isso. Me inclinei sobre ele beijando sua testa, descendo pela sua têmpora até chegar bem perto da sua boca, então me afastei e ele se remexeu, abrindo os olhos e sorriu ao focar em mim. Sem dar nem tempo pra que eu sorrisse de volta, ele me puxou pra um beijo, fazendo com que eu caísse deitada na cama enquanto ele passava pra cima de mim. Eu comecei a rir quando os fios do cabelo dele roçaram no meu pescoço e o afastei.
- Não é nada disso que eu vim atrás agora, Sr. Styles… a gente precisa ir ao mercado - ele olhou pra mim fazendo bico.
- Então por que você me acordou com beijos? - ele falou meio emburrado como uma criança que não conseguiu o que queria - ele ficava incrivelmente fofo com essa carinha, então segurei seu queixo puxando seus lábios para perto dos meus
- Porque eu te amo… - respondi simplesmente
Eu vi suas pupilas dilatarem e senti seu aperto se intensificar na minha cintura
- É agora você não sai daqui mesmo
Ele respondeu me fazendo rir e logo estava me beijando de novo, só que não tivemos tempo de fazer muito mais, logo Zayn estava batendo na porta
- SE VOCÊS NÃO SAÍREM LOGO, EU VOU ENTRAR
Harry revirou os olhos e saiu de cima de mim, soltando um longo suspiro
- Não fica assim, amor… de noite tem mais - sussurrei no ouvido dele, o que o fez dirigir um sorriso malicioso pra mim em concordância
Não demoramos a nos arrumar e logo estávamos prontamente vestidos e a caminho do mercado que ficava a uns 25 minutos de onde estávamos, indo de carro.
Assim que descemos do carro no estacionamento, os dedos do Harry se entrelaçaram aos meus e eu observei meu namorado com um pouco mais de atenção. Ele usava um boné e óculos escuros na tentativa de se disfarçar, não que adiantasse muito já que ele nunca deixaria de ser e parecer Harry Styles, nem com todos os bonés do mundo, ainda assim era uma boa tentativa e ninguém o reconheceu até agora em todo esse tempo que estávamos rodando o mercado atrás dos ingredientes para a lasanha.
Estávamos passando pelo corredor de frutas, porque eu queria comprar mais banana também, quando o Harry se virou pra mim e perguntou
- Ei, amor, amor! - pela empolgação dele eu senti que ele falaria alguma piadinha
- Oie, amor
- Qual a fruta que anda de trem?
- Que anda de trem? - eu repeti confusa, eu não tinha ideia
- O kiwiiii... - ele falou imitando o sonzinho de um trem, a piada em si não era boa mas ri da sua expressão, o que provavelmente não ajudava já que ele poderia pensar que era engraçado de verdade. Não me levem a mal, ele era perfeito em tudo e engraçado em vários momentos, só que essas piadinhas não eram das melhores e ainda assim ele me fazia rir que nem besta. Talvez fosse amor ou sei lá… tem o tipo de amor que faz você enxergar a pessoa umas 10 vezes mais bonita, certo? Bom, o meu me fazia achar o Harry 10 vezes mais engraçado
- Agora a gente precisa de tomate… - continuei olhando a lista
- Isso me lembra… o que o tomate foi fazer no banco?
- Essa todo mundo sabe, Harry… - revirei os olhos de leve e respondi - Tirar extrato
- Chata…
- Sem graça… - no momento em que eu falei isso ele parou, caminhou até mim e me agarrou, colocando o rosto a centímetros do meu
- Retire o que disse ou sofra as consequências… - ele ameaçou. Seu olhar trazia um brilho de divertimento
- Acho que vou enfrentar as consequências - falei provocante
- Então é bom você se preparar porque eu conheço vários outros jeitos de te fazer rir… - uma tensão diferente foi se construindo entre a gente
- Estamos em público… - avisei antes que ele esquecesse desse detalhe e até pra que eu mesma me lembrasse disso
- Em casa resolvemos isso… você vai ver quem é sem graça
Ele me soltou e assim que passei por ele, ele me deu um tapa na bunda. Nem me pergunte como tínhamos transformado uma conversa besta daquelas em uma promessa de uma noite de indecências, porque eu não sabia dizer.
Foi com surpresa, enquanto caminhava na ala dos temperos, que senti alguém tocando meu ombro e chamando meu nome. Eu não era a famosa e “quem eu encontraria de conhecido no Caribe?”. O mais comum seria meu namorado ser reconhecido pelas fãs, mas assim que eu me virei minha surpresa foi ainda maior.
- Karen!! - abri os braços abraçando… bom, minha ex-sogra, a mãe do Shawn.
- Ah, minha querida, que saudades. Você está tão linda, meu filho foi um idiota por deixar você ir - ela falou se afastando um pouco, mas ainda segurando minhas mãos
- Ah, obrigada! - sorri um pouco envergonhada pelo tópico em que seu elogio se baseou - Você também está incrível - completei sorrindo. Meu namorado ao nosso lado nos encarava com certa confusão e até certo olhar de raiva, aí eu lembrei que eles nunca foram apresentados – Ah, Karen, esse é o Harry, meu namorado.
- Ah, claro… é um prazer finalmente conhecê-lo - ela disse apertando a mão dele em um cumprimento - Desculpe pelo comentário de antes, é só que a é tão perfeita que às vezes eu queria que ela ainda estivesse com meu filho, mas tenho certeza que você está cuidando dela muito bem
- Pode ter certeza que sim - ele respondeu com uma voz firme, não simpática, apenas educada
- É bom mesmo, ela é como uma filha pra mim
Ela falou voltando a me abraçar e eu sorri, tinha sentido saudades dela e só percebia o quanto agora. Harry foi a outra seção e enquanto conversávamos ela me contou que minha mãe a convidou pra passar uns dias no hotel com o Manuel, meio que numa lua de mel; nossas famílias ainda eram muito próximas até porque o Shawn e eu continuamos amigos, por isso nossas mães sempre reservaram esperanças de que ficaríamos juntos, mas eu não visitaria meu passado, meu futuro era o Harry e eu tinha plena consciência disso, isso era uma certeza no meu coração.
Tive que enfrentar um Harry meio calado no caminho de volta, mas eu o deixei quieto e na hora em que estávamos preparando a lasanha ele já tinha voltado ao normal. Colocamos as lasanhas no forno e agora a única coisa a fazer era esperar. Ele caminhou até mim com um olhar meio atrevido e me colocou em cima do balcão, em surpresa, me fazendo dar um gritinho
- O que você está fazendo, Styles? - perguntei mordendo o lábio de leve
- Só acho que podemos esperar esse tempo de um jeito mais interessante…
Ele se colocou entre as minhas pernas sorrindo e passou a me beijar, definidamente aquele era um jeito bem mais interessante de passar o tempo, pensei afundando minhas mãos no castanho dos cabelos dele. Alguns minutos depois Niall e Jade entraram na cozinha de mãos dadas
- Ei, tarados!! Prestem atenção no forno! Se vocês queimarem minha lasanha… - ele começou a ameaça, Harry se afastou sorrindo
- Relaxa, Horan… você vai ter sua lasanha perfeitamente cozinhada
Niall cruzou os braços ainda em dúvida e nós quatro passamos o tempo que faltava até a lasanha ficar pronta conversando ali. Na hora de servir todo mundo se juntou a mesa, faltava apenas a , o Louis e o Ashton; eu ainda não acreditava que ela tinha realmente saído pra fazer uma tatuagem. Esse era o tipo de coisa que eu só acreditaria vendo, pensei comigo mesma, não que eu não achasse que um dia ela não fosse fazer isso, já que ela sempre falou sobre essa ideia de fazer uma tatuagem e tudo mais, então eu sempre soube que seria uma coisa que ela eventualmente faria, eu só esperava que o traço do tatuador fosse bom e que ficasse do jeito que ela sempre pensou.

’ Pov:
A tatuagem tinha ficado incrível, eu estava completamente apaixonada. Tinha colocado a frase na parte interna do meu braço, logo em cima do antebraço. Os meninos não me deixaram sozinha por nenhum momento, o que eu agradeci totalmente. Ash estava acabando sua águia quando a minha acabou, como Lou escolheu fazer apenas um smile face na lateral do pulso, então dele havia acabado antes. Estava tão feliz que simplesmente puxei meu celular e entreguei para Lou, para ele tirar uma foto minha, me apoiei na mesa em que fiz a tatuagem e sorri para a câmera, tendo cuidado para deixar a frase aparecer. Ele sorriu e me entregou o celular. Mal olhei a foto e já estava postando no Instagram com a legenda ´finally got it ;)´ e recebendo vários likes e comentários na mesma hora, o que me fez rir fraco antes de bloquear o telefone.
- Acho que já tenho companhia para as próximas
- Com certeza tem - disse olhando para meus olhos favoritos em todo mundo e dando um selinho no moreno em minha frente. - Obrigada por isso
- Que isso, Loira, você sabe que eu faria tudo por você.
- Ei, casal - Ash chegou interrompendo totalmente o momento, mas eu sabia que não tinha sido intencional. Virou de costas, mostrando a linda tatuagem que estava em sua nuca.
- Ela é linda Ash!
- Também gostei, cara - Lou disse me puxando para perto dele, o que eu não entendi, mas não iria reclamar.
- Espero que venham mais vezes - Peter, o dono do lugar disse, olhando especificamente para mim
- Pode deixar! Até o fim das férias eu volto aqui, prometo - levantei o midinho como quem faz um juramento.
- Vamos almoçar? Estou morto de fome
- Eu acho que a deve ter feito comida, ela sempre faz
- E se ela não tiver feito? - disse Ash de uma forma infantil, me fazendo rir e apertar suas bochechas
- Se ela não estiver feito a gente vai num Mc, ok? - Assentiu e percebi meu namorado ficar tenso - Tudo bem, Lou?
- , você postou a foto há quanto tempo? - disse ainda olhando para fora do lugar, me fazendo ficar nervosa
- Uns 15 minutos. Por quê?
- Não acredito que eles já acharam a gente! - segui seu olhar e percebi várias câmeras apontadas para nós três. Bufei, não era possível sair por algum momento sem que nos achassem? Me torturei mentalmente por ter postado aquela foto.
- É melhor irmos antes que piore - concordei com meu amigo e segurei a mão de Lou, indo atrás de Ashton. No momento em que passamos pela porta minha visão ficou turva, os Flashes eram constantes e eu não acho que me acostumaria com aquilo nunca. Era estranho ver que uma simples saída sua era motivo para aparecer em várias revistas e programas de fofoca, como eu sabia que aconteceria. Não respondia a nenhum dos paparazzi, sabia que eles alteravam tudo que dizíamos para dar mais engajamento, eles não eram confiáveis. Entrei no carro praticamente correndo e os dois meninos fizeram o mesmo; só queríamos sair dali. Percebi que além dos paparazzi haviam várias fãs que queriam ao menos receber um sorriso nosso e suspirei ao ver que não poderia falar com elas, eu realmente queria, elas eram o motivo de eu ter chegado aonde eu cheguei, mas não havia condições para isso. Respirei fundo enquanto Louis saía com o carro, pegando meu celular e abrindo no Instagram. Comecei um vídeo.
- Oi, gente, eu só queria pedir desculpa a todos que estavam ou estão na frente do estúdio, eu queria muito falar com vocês, mas a condição não permitia. Hoje a tarde farei uma live com algumas pessoas que estão passando as férias comigo aqui no Caribe para tentar ficar mais pertinho de vocês. Espero que vocês apareçam, e mandem bem muitas perguntas ou pedidos. Desculpem mais uma vez, eu amo vocês. - Finalizei o vídeo fazendo cara triste e postando nos stories. Aquele era um bom jeito de ficar mais perto dos fãs. Fazia um bom tempo que não fazia uma live e tinha certeza que todos na casa adorariam dar ao menos um oi. Bloqueei o celular de novo, olhando pros meninos. - Vocês vão aparecer, né?
- Nem precisa pedir de novo, loirinha - Ash disse com um tom de brincadeira e olhei pro meu namorado, que sorriu antes de dizer
- Claro, , até convenço os meninos a cantarem uma música.
- Você são incríveis
Voltei a olhar para o lado, esperando que não demorasse tanto para chegar na casa. O caminho que pareceu enorme na ida durou cerca de 20 minutos, e quando abrimos a casa o cheiro de lasanha se fez presente. Eu amava os dotes culinários da minha amiga.
- Querida, cheguei - Louis disse fazendo graça e Harry logo apareceu cruzando os braços
- Finalmente, querido! Achei que ia me trocar por essa daí - me olhou com nojo fingido e eu levantei os braços em rendição.
- Nunca seria capaz de acabar com Larry Stylinson.
- Eu vi seus stories. Vai ter live hoje? - Harry perguntou já saindo do personagem e me abraçando de lado.
- Sim, e eu adoraria sua presença, Styles
- Pode contar comigo, , agora a você vai ter que convencer sozinha. - Assenti, eu sabia que seria a mais difícil de aparecer na live. De acordo com ela, os famosos eram nós e ela não precisava aparecer em nada, o que eu achava ridículo, já que tinha uma presença incrível e o amor da maioria das fãs.
- Onde está a minha amiga?
- Quarto.
- , vem comer antes
- Já volto - cantarolei ignorando meu namorado e sai correndo para o quarto do casal Styles. A porta estava aberta, então me senti livre de entrar sem problemas – Hey,
- Hey, , me deixa ver - Mostrei meu braço para ela que sorriu ao olhar para mim. e Ashton eram os únicos que sabiam a história por trás daquilo, bem… agora tinha o Louis também. - Ficou lindo, amiga
- Eu também amei - disse olhando boba para a frase e logo balancei a cabeça, tirando aquilo dos meus pensamentos - Mas sabe o que eu vou amar mais ainda? Você na minha live hoje.
- Ai, , você sabe que eu não gosto…
- Por favor, - fiz a cara mais fofa possível, com eu sempre usava o emocional para conseguir algo - Eles vão achar que você me abandonou, que você não me ama mais… Você me ama, ? - ela suspirou e eu sabia que tinha ganho aquilo.
- Eu te odeio,
- Eu te amo, , esteja lá embaixo às quatro - gritei antes de sair do quarto dela, escutando minha amiga bufar em resposta. Ri com isso, não sei o que eu faria sem comigo.


Capítulo 8

Pov:
-
Oi, amores - disse logo quando comecei a live, e os meus amigos mandaram um ´oi´ para meu computador, alguns saíram logo em seguida, só ficando o Louis, Ashton, , Harry, Shawn, Niall e a Chloe comigo - Antes de mais nada, queria agradecer a todos que tiraram um momentinho do dia para entrar aqui, vocês são muito importantes para mim e eu amo vocês! Ok, vamos começar com as perguntas, eu pedi para vocês mandarem perguntas no meu twitter, e eu vou olhando e respondendo umas aqui. Vamos revezar nas perguntas, A primeira é de @lannastuart28 quem são seus melhores amigos? Bem Lanna, minha melhor amiga é a - puxei delicadamente minha amiga para mais perto - e meu melhor amigo é o Ash - apontei para o moreno que estava atrás
- Eu achava que era seu melhor amigo - Harry fingiu estar triste me fazendo rir
- Não posso ser melhor amiga de um casal, se vocês brigarem seria complicado demais escolher um lado - balancei a cabeça e meus amigos riram.
- @CollieMartin perguntou quem são os casais? - Louis leu, fazendo cara de safado - eu e a , Harry e e a Maddie e o Zayn são os únicos oficiais, não vou dizer mais que isso.
- Assim você vai deixá-los curiosos, boobear
- Essa é a intenção, linda - me deu um selinho me fazendo sorrir boba, tinha certeza que os fãs estariam surtando
- @AmandaSingle perguntou como vocês se conheceram? - continuou, e olhou pra Harry rapidamente - foi logo no início da banda, os meninos da 5sos abriam uns shows da 1D, e sempre fomos próximos dos meninos, principalmente do Ash e do Lukie, aí… - e ela contou. Toda a história. Ou pelo menos, as partes que podiam ser ditas sem causar intrigas, como o fato de que eu namorava o Ashton na época. As perguntas eram feitas e respondidas rapidamente, estava super divertido até que sugeriram fazer um ´quem te conhece mais´. No início não fiquei tão nervosa com isso, mas quando o pessoal foi saindo e eu percebi que só quem jogaria seria , Ash e Lou, meu coração deu uma acelerada. Não queria que nenhuma pergunta causasse uma briga com o Tommo, mas sabia que tinha várias coisas que os outros dois sabiam mais do que ele. Os fãs iam fazer perguntas sobre mim e os três tinham que adivinhar, então tendo isso em mente, mandei um
- Sejam bonzinhos com eles e comigo! - sorri, mas quem me conhecia sabia que era totalmente forçado - Ok, em que ano eu nasci? - perguntei lendo a primeira frase que apareceu pra mim
- 95 - os três responderam na hora
- Ok, foi fácil. Qual foi meu primeiro trabalho como atriz? Esse eu gostei - olhei para eles com a sobrancelha arqueada.
- Foi fazendo uma figurante num filme da disney - falou de primeira, mas depois pensou melhor - Comercial conta? - neguei - Então foi isso mesmo
- É por isso que você é minha favorita! - a abracei de lado
- Ela nem me deixou responder!
- Calado, Tomlinson
- Ok, qual a minha altura? Meu deus, esse eu quero ver.
- 1,60, você é baixinha
- 1,65,
- 1,64 - meu namorado disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.
- Não acredito que meus melhores amigos erraram essa - fiz cara feia, mas todos rimos depois. O Clima estava agradável e eu nem me toquei quando li a próxima pergunta - Com quem foi minha primeira vez? - ao perceber o que tinha dito, corei - Gente? Mas que curiosidade é essa de vocês? Acho que cansei das perguntas - Olhei para o meu namorado, mas ele olhava pro chão e sua expressão não era boa.
- Acho melhor pararmos por aqui - disse ao perceber a tensão
- Eu concordo, muito obrigada a todos que assistiram, beijinhos eu amo vocês - desliguei a câmera e olhei para Lou - Você tá bem?
- O que você acha?
- É sério isso, Tomlinson? - Ao perceber a possível briga que ia acontecer, Ashton e levantaram do sofá e foram fazer algo que eu não fazia ideia do que era.
- Foi com ele , como você acha que eu estou? - fiquei quieta, estava pensando se seria melhor responder ou ficar calada. Acabei suspirando
- Mas isso faz tempo Lou, eu estou com você agora e eu não fico falando dos seus relacionamentos passados.
- Só que não é legal saber que a pessoa que você teve as primeiras experiências está na mesma casa que você está, junto do seu namorado. Tenta entender meu lado.
- Eu entendo boobear, mas eu confio em você, você não confia em mim?
- Confio, mas…
- Então sem ‘mas’. Se você confia, confia e pronto.
- Se eu não estivesse aqui… você ficaria com ele? - aquela pergunta me atingiu em cheio. Ele já tinha me perguntado isso antes, mas eu não sabia como responder, resolvi ser sincera
- Eu não sei. Mas isso não importa, porque você está, e eu te… -travei naquele momento. As palavras não saíram e vi o olhar dele ficar mais triste ainda - e eu quero ficar com você.
- Eu também quero babe. Mas eu não sei o que pensar quando vocês estão juntos
- Pense como se fosse com um dos meninos, O Liam por exemplo.
- Não é a mesma coisa, Liam tá com sua irmã, e vocês nunca tiveram nada.
- É passado Louis, pelo amor de Deus.
- Talvez não seja...
- O que você quer dizer? - estava começando a me irritar com ele
- Eu vejo como vocês se olham , a parceria de vocês me deixa intimidado. E saber que ele te conhece melhor que eu, não é reconfortante
- Ele é parte da minha vida desde criança Lou, é claro que temos uma parceria. - abaixei meu tom de voz, entendendo totalmente seu ponto de vista- Mas o que eu sinto por você, eu nunca senti por ninguém, acredita em mim.
- Eu… - Seus olhos azuis estavam me olhando tão fixamente que eu não conseguia desviar. Sentia que ele conseguia ler minha mente naquele momento - não quero você me deixe… - senti meu coração se apertar naquele momento. Me aproximei dele e o abracei o mais forte possível, seus olhos se encheram de lágrimas, e eu percebi o quão frágil ele estava. Não consegui responder. Apenas ficamos lá, abraçados como se aquilo pudesse tirar toda a dor. Eu esperava que tirasse.


Harry POV:
Eu fiquei impressionado com o fato de que a tinha convencido a a participar da live. Eu sabia que minha namorada não gostava de tanta exposição, eu já tinha ouvido ela repetir várias vezes que não tinha sentido ela aparecer se os famosos éramos nós e não ela. A só pode ter usado de chantagem emocional para convencê-la a participar e agora Louis, , Ashton e ainda continuavam lá, o restante do pessoal tinha se dispersado para fazer outras coisas. Eu fui até a varanda principal onde eu disse para me encontrar assim que a live acabasse. Meia hora depois minha namorada apareceu onde eu estava com uma expressão preocupada, estendi uma mão para ela, que a segurou, e assim a puxei para o meu colo
- Ei, tá tudo bem? Você parece preocupada… - perguntei enquanto deslizava uma mão pela extensão da sua coxa
- Tô preocupada com a e com o Louis - ela admitiu envolvendo meu pescoço com as mãos, endireitando seu corpo no meu colo para focar em mim - O clima entre eles não parecia bom quando eu saí de lá - ela realmente transparecia sua preocupação
- O que aconteceu?
- Uma fã perguntou com quem foi a primeira vez da
- Ah… - eu assenti em compreensão. O Louis não deve ter reagido bem a isso e eu entendia porque eu também não reagia bem quando pensava na com outra pessoa dessa forma, suprimi meus próprios pensamentos com relação a isso e voltei a focar nela - Eles vão ficar bem, eles sempre se resolvem, você vai ver...
- Espero que sim… - ela assentiu soltando um suspiro. A preocupação que a tinha com a era uma coisa que ia além da amizade, ela se preocupava com a outra como se esta fosse sua irmã.
Depois de um tempo em que ficamos lá apenas sentindo a brisa do mar, eu comecei a observar alguns movimentos nervosos nela, sua perna balançando e as mordidas ocasionais no lábio inferior eram típicos de seu nervosismo
- Tem outra coisa, não tem? - indaguei ao percebê-la assim. Ela voltou seus olhos para mim e eu pude sentir que tinha, ela não conseguia mentir
- Tem… - ela soltou um leve suspiro antes de prosseguir - É que eu achei você um pouco calado na volta do mercado e eu não sei se isso foi porque a gente encontrou a mãe do Shawn ou se foi alguma outra coisa...
Eu soltei um longo suspiro, desviando o meu olhar pra o azul cristalino do mar a frente. Eu tinha ficado um pouco afetado e meio incomodado por aquele encontro no mercado por causa do comentário que a mãe dele fez, ela disse que o filho dela era um idiota por ter deixado a ir. Eu não sabia direito em que pé o término deles se deu, mas ouvir a mãe dele colocar isso dessa forma simplesmente me pareceu que se o Shawn tivesse lutado só um pouquinho mais a ainda seria dele. A impressão que eu tive era de que ela falava como se a ainda gostasse dele quando eles terminaram e mesmo assim o Shawn havia sido idiota o suficiente para deixá-la ir. Idiotice essa pela qual eu agradecia ou eu não estaria com a agora, mas ainda assim me incomodava não saber direito sobre essa parte dos sentimentos dela com relação a ele.
- Era besteira… - tentei negar porque eu não sabia direito como explicar isso pra ela, mas ela via além de mim
- Eu sei que não é, por favor me fala o que foi
- Tem a ver com ter encontrado a mãe dele, sim, mas não sei explicar direito e eu também não quero brigar…
- Prometo não brigar com você… pode falar
- Tudo bem… - eu assenti - A mãe dele disse que ele foi um idiota por te deixar ir, ao que eu concordo e agradeço ao mesmo tempo, mas você nunca me contou como foi o término de vocês e ouvir ela falando desse jeito meio que pareceu que você ainda gostava dele e vocês só não continuaram juntos porque ele não lutou o suficiente ou sei lá… - tentei explicar da melhor forma que eu consegui. Talvez eu tivesse um pouco paranoico, mas foi isso que eu senti
Ela desprendeu seu olhar do meu
- Então você quer saber sobre o meu término com o Shawn? - ela perguntou evitando meus olhos a todo custo, o que era muito estranho já que ela sempre falava olhando olho no olho
- É… se você estiver bem com isso é claro
Ela ponderou por um tempo, seus olhos perdidos acompanhando o movimento das ondas à frente. Agora eu me sentia estúpido por ter perguntado sobre isso vendo que ela provavelmente não responderia, quando ela voltou a me encarar tinha algo mais nos seus olhos que eu não soube identificar de imediato
- Será que eu posso te falar sobre isso outro dia? Não sei se eu consigo falar disso hoje - A coisa em seus olhos era tristeza e pesar, droga eu deveria saber que era uma má ideia falar sobre isso, ela continuou antes que eu pudesse dar qualquer resposta - Eu não tenho mais sentimentos assim por ele, mas sempre é algo difícil de lembrar
- Claro, eu entendo. Eu nunca devia ter perguntado pra falar a verdade
- Não, tudo bem você perguntar, é normal que você sinta curiosidade de saber. Eu só não consigo falar sobre isso agora - sua voz estava levemente embargada como se tivesse um nó na garganta dela
- Tudo bem - eu assenti - Quando você puder e quiser falar eu vou estar aqui pra ouvir
- Obrigada por entender… - ela falou sua voz saindo fraca
- Claro - sorri para ela. O sorriso que ela me direcionou de volta, no entanto, não atingiu seus olhos, ela parecia prestes a chorar. Ela se levantou do meu colo dando alguns passos para trás
- Eu tenho que ir ajudar a Maddie, ela falou que queria aprender a mexer no sistema de som da casa - eu sabia que aquilo era só uma desculpa qualquer pra sair daqui. Eu não a impedi de ir, eu sabia que ela precisava de um tempo sozinha agora, para processar o que quer que estivesse se passando na cabeça dela. Com um suspiro pesado me deixei relaxar onde eu estava sentado, ainda me achando um completo imbecil por ter falado sobre isso.


POV:
Eu não tinha que falar com Maddie coisa nenhuma, ela tinha esse mesmo sistema de som na casa dela então ela já sabia usá-lo perfeitamente. Eu só precisava sair de perto do Harry, não queria chorar na frente dele e preocupa-lo. Quando ele me perguntou sobre o meu término com o Shawn, foi inevitável associar o meu passado com o futuro que estava por vir. Eu simplesmente senti meu coração muito pesado pra falar, eu precisava da , ela sabia de tudo sobre isso e era a única com quem eu poderia conversar. Eu só precisava achá-la, mas ela não estava em lugar nenhum, acabei encontrando o Ashton quando passava pelo corredor
- Ei, , tá tudo bem? - ele perguntou me encarando com preocupação
- Ta... eu só preciso encontrar a você a viu por aí? - minha voz estava embargada, eu não sabia como, mas eu ainda continha minhas lágrimas
- Não, mas se eu fosse você tentaria a sala de cinema - era óbvio! A sala de cinema! Onde mais encontrar a nossa atriz?
- Obrigada, Ash! - falei passando por ele rapidamente a caminho da sala de cinema.
A sala estava escura, tinha um filme passando e apenas uma cabecinha despontando dos acentos, não era possível ver direito quem estava sentado ali, mas ao observar o filme que passava a resposta era óbvia. Era a , ela estava assistindo “flipped” que era o filme favorito dela, ele sempre a fazia chorar. Eu só torcia pra ter chegado em um momento em que ela ainda não estivesse chorando, porque dessa vez eu que precisava chorar. Ela percebeu minha presença quando eu bati a porta da sala e se virou pra olhar pausando o filme, eu me aproximei e ela me encarou preocupada
- ? - sua voz era gentil quase como se ela sentisse que eu estava prestes a me quebrar
Eu desabei ao lado dela naquele assento gigante, eu não consegui mais controlar meu choro
- Ei… - ela falou com cuidado me envolvendo num abraço - Calma, respira e me fala o que aconteceu?
Respirei fundo algumas vezes antes de conseguir formular qualquer frase coerente
- Harry me perguntou sobre o meu término com o Shawn… e… - eu não consegui continuar e eu tão pouco precisava ela entendia. Ela voltou a me puxar para um abraço acariciando meus cabelos de modo a me acalmar
Ela sabia de tudo. Meu término com o Shawn não aconteceu com uma briga definitiva, pra falar a verdade não houve brigas, ele aconteceu aos poucos depois que eu me mudei para Londres simplesmente não conseguimos manter as coisas como antes, a distância acabou nos separando. Mesmo com o final amigável todo o processo do término em si foi muito sofrido, porém esse sofrimento deu a ele inspiração pra escrever “Never be alone” que mesmo hoje em dia permanece como uma das suas músicas mais acessadas e populares. Só de ouvir aquela música todos aqueles sentimentos voltavam, só que eles não traziam mais a dor que um dia já trouxeram o problema era que ficava impossível não comparar o que aconteceu no passado com o que pode acabar acontecendo entre mim e o Harry. Embora eu continuasse dizendo a mim mesma que o nosso caso era diferente de diversas maneiras, eu não tinha cem por cento de certeza que seria.
Eu tentava focar no fato de que eu só passaria um ano longe, mas mesmo pensando assim eu não conseguia deixar de me preocupar e provavelmente se eu contasse tudo isso pra ele, ele também passaria a se preocupar e eu não queria isso.
ainda me mantinha perto, sussurrando palavras de conforto pra mim
- Eu não quero passar por isso de novo, … não quero
- Você não vai, amiga não vai. A situação toda é diferente agora
- Não demorou mais do que um ano para que eu e o Shawn terminássemos - lembrei com um peso a mais no coração. Será que eu e Harry resistiremos um ano?
- Mas você não tinha perspectiva de volta, Londres era seu destino final daquela vez, agora você está de passagem pela Itália
- Uma passagem muito longa…
- Mas ainda assim só uma passagem - ela concluiu com firmeza e então continuou - Você o ama, ?
- Claro que sim. Amo mais do que eu poderia sequer tentar começar a explicar - eu respondi surpresa com a firmeza na minha voz
- Então eu posso garantir que dessa vez será diferente e que vocês vão passar por isso…- minha amiga concluiu sorrindo pra mim - Só não perde a oportunidade de falar isso pra ele, sempre que você tiver uma - agora eu olhei pra ela com certo pesar. Eu não fazia ideia de como estavam as coisas entre ela e Louis, mas partindo do princípio que ela veio até aqui assistir um filme que sempre a fazia chorar as coisas não deveriam estar fácies pra ela
- Sabe? Eu não perco se você também não perder... - respondi abrindo um sorriso pra ela. Eu já me sentia melhor por causa do apoio dela e agora era a minha vez de fazer o mesmo por ela. Eu sabia que pra era difícil assumir esse tipo de sentimento quando ela estava num relacionamento amoroso e que ela nunca tinha dito “eu te amo” pra ninguém. Só que eu também já tinha me apaixonado algumas vezes e reconhecia amor quando o via e eu via isso quando olhava pra ela e pro Tomlinson. A parte dela seria algo mais difícil de trabalhar eu só precisava que ela soubesse que eu estaria aqui pra ela também e que eu não me importava só com os meus problemas, ela apertou minha mão retribuindo meu sorriso de leve - Então quer companhia pra terminar de assistir? Sabe? Alguém pra enxugar suas lágrimas quando você começar a chorar - ela me deu língua me fazendo rir
- Muito engraçadinha você pra alguém que estava se acabando dois minutos atrás
A gente apenas riu e se aconchegou nos assentos pra terminar de assistir ao filme. Eu sabia que as coisas com o Harry seriam diferentes, elas tinham que ser porque eu simplesmente não imaginava uma vida sem aqueles olhos verdes e aquele sorriso luminoso.


Louis Pov:
Eu não sabia como estavam as coisas com , sabia que ela tinha ido ver um filme, mas não tive coragem de ir atrás dela. Harry e não pareciam bem também, já que meu amigo estava sozinho na varanda com uma cara de quem fez merda. Me aproximei dele.
- Não sou só eu que to mal então?
- Eu fiz besteira Tomlinson - ele sequer me olhou, mostrando que realmente estava preocupado.
- O que aconteceu?
- Perguntei sobre o término com o Shawn
- Por quê?
- Hoje no mercado a gente encontrou a mãe dele -suspirou cansado - Parecia que se ele tivesse insistido mais, eles ainda estariam juntos, sabe?
- A te ama - disse com firmeza. Eu podia estar confuso sobre muitas coisas, mas tinha certeza que o amor deles não dependia de fim de relacionamento nenhum. - Tenho certeza que mesmo se eles não terminassem naquela hora, eles terminariam depois. Por que ela é louca por você Hazza.
- É só que… ela parecia triste, não quis conversar sobre isso
- Tenho certeza que alguma hora vocês vão.
- É…-Ele levantou o rosto e me olhou- mas o que aconteceu com você?
- Disse para ela que talvez o que ela tivesse com o Ashton não fosse passado. - disse logo olhando pra baixo, estava com vergonha
- Porra Louis.
- Eu sei.
- Mas você realmente acha isso?
- Eu não sei Harry, ele parece ter uma coisa que eu nunca vou ter com ela. E tem o fato que ele foi o primeiro dela - olhei pro meu amigo, que estava com toda a atenção voltada pra mim - o primeiro em tudo.
- Olha Tomlinson, ela escolheu estar com você, se ela sentisse algo por ele não acha que ela simplesmente ficaria com ele?
- Você devia ouvir o que fala - disse olhando pro meu melhor amigo, que abaixou a cabeça no mesmo instante. Não devia estar fácil para ele, eu o entendia. - Vou buscar uma água, quer algo? - negou. Levantei e fui a cozinha, encontrando Niall e Jade se beijando encostados na geladeira. Pensei em não interromper, mas lembrei de todos os momentos que o irlandês foi inconveniente então dei de ombros - Vocês podiam ir para o quarto, sabiam?
- L-lou, oi - Jade estava vermelha e eu me segurei pra não rir da expressão de fúria do Niall.
- Não precisam parar por mim, só vou pegar uma água aqui. Com licença Niall - Empurrei o Loiro para o lado e abri a geladeira, pegando uma garrafa e virando para eles - Mas se forem esquentar as coisas, por favor, lembrem da camisinha. Não precisamos de mini Irlandeses no mundo nem tão cedo. - Não consegui mais segurar quando Jade abriu a boca, indignada.
- Louis Tomlinson, eu te odeio
- Também te odeio Nini. - disse já fechando a geladeira e saindo do lugar, mas meu sorriso murchou quando bati numa pessoa que entrava.
- Desculpa Lou, eu não te vi e…
- Tá bem Ashton, só presta atenção da próxima vez. - O menino me olhou curioso, já que estávamos conversando amigavelmente desde o início das férias e eu gostava dele, ele não tinha culpa e até me ajudou com a no início do nosso relacionamento. - Ei, podemos conversar?
- Claro, tá tudo bem? - ele me perguntou enquanto saíamos da cozinha e íamos para um lugar onde pudéssemos conversar em particular.
- Por que você e a terminaram?
- Ela nunca te contou? - neguei - Acho que você precisa conversar com ela sobre isso cara, não comigo.
- Por favor eu… preciso saber - o moreno me olhou com pena
- A gente namorou durante o ensino médio e o início da faculdade, mas… não deu certo.
- Só não deu certo?
- Nos gostávamos em tamanhos diferentes.
- Ela nunca…?
- Disse que me amava? Não. Pelo menos não quando estávamos juntos.
- Quem terminou? - sabia que estava parecendo um interrogatório, mas eu precisava saber.
- Acho que foi uma decisão mútua. Ela não sabia o que estava sentindo e eu quis respeitar o espaço dela.
- Você a amava?
Eu sempre a amei, Louis - meu coração ficou pequeno - e eu sempre vou amar, mas agora somos amigos. - Abaixei a cabeça. Não gostava dessa sensação na boca do meu estômago, e algo me dizia que era só o começo.


Continua...



Nota das autoras: Oi, gentee!
Esperamos muito que vocês estejam gostando da nossa história!
Criamos um Instagram para divulgar todos os nossos trabalhos e avisar sobre as atualizações, além de dar alguns spoilers para vocês haha.
Para quem quiser seguir, é só clicar no icon abaixo. Adoraríamos saber as opiniões e nos sentir mais pertinho de vocês, então se sintam à vontade para mandar mensagens, tanto positivas quanto críticas.
Beijinhos, Zovka e Iva S

Nota da beta: Oi! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.




Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber se a história tem atualização pendente, clique aqui


comments powered by Disqus