Contador:
Última atualização: 10/12/2021

Prólogo



. MILLER-FAEZ .


O e-mail que eu tanto esperava havia chegado na minha caixa de entrada e, apesar de toda a confiança que eu sentia em mim mesma e, principalmente, no talento que corria em minhas veias, eu ainda olhava para ele indecisa sobre o que fazer. O assunto não trazia a resposta, então não sabia se eu havia sido selecionada ou não e isso me causava arrepios. Comecei a batucar na mesa com as unhas uma melodia qualquer que estava treinando na bateria enquanto tentava pensar no que fazer.

— River com toda certeza já teria gritado comigo para abrir logo esse email se estivesse aqui. — Falei comigo mesma pensando em meu melhor amigo.

Por fim, decidi que estava na hora de saber sobre o meu destino de uma vez por todas e apenas cliquei, enquanto segurava o ar nos pulmões. Para minha felicidade, a aprovação tinha acontecido e assim que li aquilo, finalmente soltei o ar e sorri de orelha a orelha. Não tinha como eu ser negada, afinal, era o que eu mais queria e quando eu queria algo, acontecia. Além do mais, dar meus passos com minhas próprias pernas, alcançar as coisas por mérito próprio e não com a ajuda dos meus pais eram minhas maiores metas. Meus pais eram apenas Liv , mais conhecida como Rose Vocci, dona da maior gravadora dos Estados Unidos e uma das mais importantes do mundo e Zion Faez, um rockstar que faz o maior sucesso até hoje, mesmo depois de quase trinta anos de banda.
Sempre tive vontade de trabalhar com música e sei que herdei isso no sangue. Meus pais nunca me obrigaram a seguir por esse caminho, mas essa paixão por tudo que envolve o meio musical é forte em mim desde que nasci, então, sempre cantei junto com meu pai, quem também me ensinou a tocar a maioria dos instrumentos, e minha mãe, quem me ensinou tudo sobre gerenciamento de carreiras e como conseguir "viver" nos backstages.
Quando comecei a faculdade de música em Julliard, realmente senti que queria fazer parte daquele mundo. Havia decidido que queria me expressar fazendo o que sabia de melhor, que era compor e cantar, porém, apesar de já estar inserida nesse mundo devido à minha família, não queria usá-la para alcançar os meus objetivos. Eu queria realmente conseguir os meus feitos da minha forma e lutar incansavelmente por eles, porque sabia que se eu falasse para os meus pais sobre os meus planos, eu teria um contrato assinado com uma gravadora no dia seguinte e não era isso que eu queria. Além do mais, sempre fui reservada quanto a minha vida, ou seja, ninguém sabia quem eu era ou como eu era. Meus pais sempre me preservaram de toda a loucura que a vida pública causava e por usar o sobrenome verdadeiro da minha mãe, , junto com o pseudônimo Rose, isso nunca foi um problema. A era conhecida por todos, mas a Miller-Faez não. As pessoas nunca realmente se deram conta de quem eu sou e eu era extremamente grata por isso, porque pude viver a minha vida em paz, aproveitando ao máximo, indo à festas, viagens, faculdade, eventos de músicas, prêmios e me relacionando com quem eu quisesse sem estar estampada nas páginas dos jornais no outro dia. Não gostava de estar sob os holofotes e minha família respeitava minha decisão.
Para ajudar um pouco mais meu anonimato, eu tinha uma característica que me diferenciava levemente dos famosos cabelos e olhos castanhos dos Miller-Faez: meus olhos possuíam um tom de amêndoa, iguais aos de papai, mas também tinham tons verdes, iguais aos da minha bisavó paterna. Eu era a única, em toda aquela imensidão de pessoas da família do meu pai que tinha os olhos diferentes; nem mesmo Peach, minha prima que possuía cabelos vermelhos cor de fogo, havia conseguido. Também amava pintar meu longo cabelo e testar todas as cores possíveis, mas nunca mudava o comprimento.
Como estava entrando no período de férias de verão da faculdade, senti que era o momento de tentar a carreira musical sozinha. Então, decidi me inscrever no famoso acampamento que todo ano lançava novos artistas ao mundo da música, o Sound Spirit, que duraria três meses, em Las Vegas. Lá, eu poderei aprimorar as técnicas que já domino, como: composição, dança e vocal. Além de toda essa preparação, o acampamento também é um concurso, que ao seu fim, terá um artista ou banda escolhida para assinar um contrato com uma grande gravadora. E, segundo o e-mail que eu ainda estava comemorando a resposta, eu havia sido selecionada para as audições.
Meu celular começou a tocar ensurdecedoramente sobre a minha mesa de cabeceira, me fazendo voltar para a realidade. Então, caminhei até ele e vi o nome do meu melhor amigo no visor, River Ronson. Logo deslizei o dedo sobre a tela, fazendo sua imagem surgir no meu celular através da chamada de vídeo.

— Já saiu? — Foi a primeira coisa que River me perguntou assim que o atendi. Nem me importei porque eu sabia do que se tratava, já que ele estava tão ansioso quanto eu.
— Sim! — Respondi animada enquanto via meu amigo sorrindo de orelha a orelha.
— Eu sabia que você conseguiria, ! Sabia mesmo!
— Eu não tinha dúvida alguma! — Respondi cheia de mim e ele revirou os olhos.

Nós tínhamos poucas semanas de diferença, por isso crescemos literalmente juntos. Tudo na nossa vida aconteceu praticamente igual, exceto pela parte de que ele adorava estar na mídia e vivia de fazer presença em eventos, assim como Peach, minha prima e também melhor amiga, que tinha se tornado grande no mundo da moda. River era filho de Mark e Harper Ronson, amigos dos meus pais; tio Mark trabalhava com a minha mãe sendo diretor da parte de Produção Musical da Grand LA Records e tia Harper era uma das minhas maiores inspirações e era considerada uma das melhores vocalistas femininas do milênio no mundo do rock, além de ser agenciada até hoje pela minha mãe.

— Você estava duvidando que eu sei! — Ri ao falar com meu amigo, que me olhou com uma cara de ofendido.
, não me faça atravessar a rua e ir bater em você! — River falou em tom de brincadeira. — Já está pronta para contar para os seus pais?
— Sim! — Confirmei.

Meus pais nunca foram um problema, porém sabia que eles me questionariam sobre o porquê de eu ter decidido escolher o caminho mais difícil, mas no final me apoiariam, assim como fizeram a vida toda. Eles sempre foram uma grande inspiração para mim, não só na parte musical e de carreira, mas na vida também. A história de amor deles era a minha favorita em todo o mundo, tanto que esse era o motivo pelo qual eu usava o Rose como parte do meu pseudônimo e que minha primeira tatuagem foi uma grande rosa no antebraço.

? — Escutei River chamando e rapidamente saí dos meus devaneios mais uma vez.
— Desculpa, pensei demais. — Respondi sincera.
— Quando você vai contar para eles? — Ele me questionou.
— Agora! — Falei já descendo da cama e abrindo a porta do meu quarto. — Vou desligar. Mais tarde temos uma festa na casa da Jordan, certo?
— Isso, passo para te pegar às oito! — River avisou, em seguida desligando, sem nem ao menos se despedir.

Segui pelo grande corredor que me levaria ao andar de baixo, onde se encontram os escritórios da nossa pequena grande casa. E, foi andando em direção ao encontro deles para contar sobre essa nova aventura, que tive a certeza de que finalmente estava fazendo a coisa certa e que aquele acampamento mudaria a minha vida em todos os sentidos.




Continua...



Nota da autora:
Olá, olá rainhas, como estão, bem?
Cheguei com mais uma história para você, e SIM, esse é o spin-off de Backstage Queen e Queen of My Heart, mas já deixo claro que não precisa ter lido as duas para entender essa história.
Espero que vocês gostem e fiquem tão animadas como eu.
E lembrem-se de comentar, é pelos comentários que sei o feedback de vocês e é por ele que eu fico animada e continuo a história.

Vocês também podem ler minhas outras histórias que são:
Backstage Queen
Queen of My
Elysian
Fração de Segundo
London Boy
'tis the damn season in Coney Island
01. Into It
03. Cool
08. August
Mais histórias.

Além disso, tenho os meus grupos que adoraria ter vocês neles, nos conversamos, solto spoilers e muito mais.

Grupo do facebook
Grupo do whatsapp
Instagram

É isso, espero que gostem.
Logo estou de volta,
Love, Kels.

Nota de beta: Muito feliz de ser a beta da nova história dessa autora e amiga maravilhosa. Sucesso Kels! :)

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.

Caixinha de comentários: Oi! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


comments powered by Disqus