Última atualização: 18/10/2021

Capítulo 1

POV

Acordei como de costume às 5:30, antes mesmo que meu despertador começasse a tocar, pulei pra fora da cama direto para o banheiro. Hoje era o primeiro dia de volta às aulas, eu estava no terceiro e último ano do ensino médio, um ano importante e decisivo e eu havia prometido a mim mesma que faria deste um ano memorável e valia de tudo pra cumprir essa promessa.
Eu tinha passado os dois meses de férias no Brasil, visitando minha família, então seria a primeira vez desde então que eu encontraria meus amigos e eu estava morrendo de ansiedade, mas era muito importante que meu cabelo estivesse impecável com os cachos castanhos totalmente definidos então eu investi um bom tempo me arrumando. Depois de um rápido café da manhã, eu estava pronta esperando minha mãe do lado de fora de casa, ela sempre me levava até a escola no caminho para a Universidade onde ela dava aula. Minha mãe era uma professora muito renomada e uma mulher esforçada, eu tinha muito orgulho da dona Elizabeth, sobre meu pai eu não poderia dizer muita coisa, mal o conheço. Ele nos abandonou quando eu tinha apenas dois anos e desde então foi só minha mãe pra cuidar de mim e do meu irmão mais velho. No caminho curto da minha casa até a escola fomos escutando música e eu cantava empolgada enquanto minha mãe ria.

― Tenha um bom dia, minha princesa ― ela disse assim que parou o carro na porta da escola
― Obrigada, mãe. Bom trabalho! ― falei me virando para o portão, mas então voltei me lembrando de um detalhe ― Ah! Não precisa vir me buscar, eu vou pra casa da depois da escola
― Tudo bem, divirta-se! ― era minha melhor amiga então, normalmente eu não precisava nem avisar com antecedência quando eu ia pra casa dela. Com mais um sorriso minha mãe se foi, as pessoas costumavam dizer que eu puxei a simpatia da minha mãe. Eu gostava de acreditar nisso, mas observei na entrada cabelos cacheados e castanhos que me faziam esquecer qualquer noção de simpatia, Harry Styles, revirei os olhos e esperei cinco minutos para que ele entrasse não queria dar de cara com ele agora e estragar meu dia logo essa hora da manhã.

Estava claro para todo mundo que nos olhasse que nós nos odiávamos, mas ninguém sabia o motivo e acredite havia um motivo.
Cruzei as portas do pátio e mal tive tempo de olhar ao redor, duas loucas já corriam em minha direção. e me envolveram num abraço que quase me derrubou eu dei risada enquanto retribuía o abraço das duas. e caminharam até mim com mais calma, mas seus abraços continham a mesma empolgação e saudade.

― Meu Deus! Olha esse bronze… ― falou segurando meu braço para olhar mais de perto. Eu realmente tinha passado um bom tempo no sol lá no Brasil, o que às vezes era muito difícil de conseguir aqui em Londres.
― Praia, meus amores! ― expliquei rindo.
― Me leva na próxima vez! ― pediu com um bico.
― Como se você fosse ficar bronzeada, Malik ― falou sarcástica.
― Eu posso tentar ficar! ― protestou cruzando os braços.

Eu dei risada "Ah como eu senti falta dessas meninas!", mas eu realmente precisava desse tempo afastada para… não tive tempo de seguir nessa linha de raciocínio. Cabelos castanhos curtos e olhos castanhos luminosos entraram no meu campo de visão e eu simplesmente surtei. Meu coração pulou de saudades do meu melhor amigo e eu me lancei sobre ele que já me esperava de braços abertos.

― LIAM! ― falei enquanto pulava praticamente no colo dele. Ele me tirou do chão e rodou comigo por alguns segundos antes de parar e enterrar a cabeça em meu pescoço. ― Que saudades! ― suspirei.
― Eu também tava, . Você nem liga ou manda mensagem! ― ele reclamou em tom acusatório.
― Ei! ― falei apontando um dedo pra ele ― Você sabe que eu sou ruim pra manter comunicação à distância, mas eu acho que te liguei pelo menos umas cinco vezes.
― Em dois meses! ― ele apontou.
― Isso foi mais do que eu liguei para o meu irmão.
― Coitado do Expedito ― ele falou rindo. Dei de ombros, eu amava o meu irmão e ele me amava, mas em comunicação a distância nós não éramos os melhores.

chegou me puxando pelo braço para longe do Liam, falando algo sobre ir até o nosso cantinho na biblioteca para que eu contasse tudo que aconteceu no Brasil.

― Na aula a gente conversa! ― consegui gritar para o Liam enquanto era arrastada.

Ele assentiu sorrindo "Ah como eu tinha sentido falta desse sorriso!" pensei suspirando. Era bom estar de volta, apesar de certos garotos idiotas de olhos verdes penetrantes e cabelos macios e brilhantes.

Harry POV

Entrei no pátio da escola e não demorei pra encontrar a mesa que sempre nos sentávamos já ocupada pelos meus amigos. Caminhei num passo casual até eles, ouvi uma menina do primeiro ano suspirando meu nome e me virei pra ela dando uma piscadela, seus olhos se arregalaram e ela levou uma mão ao coração, eu escondi minha risada.

― Já arrasando os novos corações desse colégio, Styles? ― Zayn que tinha visto a movimentação perguntou
― Fazer o que, se elas me amam, mas eu já tenho dona ― falei fazendo referência a minha namorada, Taylor. Nosso lance tinha começado no segundo ano. Nossa relação não era movida exatamente pela paixão, ela era a menina mais popular da escola e eu era bom… "Harry Styles", éramos simplesmente o casal que tinha que acontecer. Ela se beneficiava da nossa relação tanto quanto eu, porque, na hierarquia do ensino médio às vezes eram necessários acordos para te manter no topo, então eu diria que era isso que tínhamos um "acordo".

Zayn caiu na risada. Niall estava muito ocupado com o banquete montado a sua frente, o irlandes tinha talheres prateados e um pratinho com uma porção de waffles, de onde ele tirava todas essas comidas eu nunca saberia, então simplesmente dei de ombros sorrindo. Louis estava focado em algum ponto as minhas costas e sua expressão continha certo fascínio.

― Já viram quem está de volta? ― ele perguntou e eu me virei a tempo de ver abraçando Liam. Quando foi que ele tinha saído da mesa? Eu estava confuso com a suposta habilidade de teletransporte do Payne, mas ainda mais confuso com a presença da na escola. Não que eu não esperasse vê-la nunca mais, eu simplesmente não estava preparado para dar de cara com ela depois de dois meses sem nem sombra da sua presença. Uma presença irritante e às vezes meio desprezível, mas que por algum motivo mesmo assim me provocou uma falta enorme. Eu não gostava de admitir, mas uma parte doentia minha sentia… saudades da .

Liam já estava de volta à nossa mesa e eu mal tive o tempo de me recuperar do choque de vê-la ali. Para dizer o mínimo nos odiávamos e eu nem ao menos sabia o porquê… quer dizer, havia um "motivo", mas esse ódio todo dela não poderia ser por causa daquilo, se fosse ela estaria sendo infantil e orgulhosa, mas não importa o que fosse, ela só tinha essa habilidade de despertar meu pior lado.

― Ela tá gata pra caralho! ― o comentário do Louis me trouxe de volta de certos pensamentos, mas me levaram a outros que ainda envolviam a garota e desses eu não gostava nem um pouco, porque por mais que ela fosse gata ela nunca seria minha… E peraí? O que eu estou falando? Não é como se eu quisesse ter nada com ela ― Onde ela passou as férias?
― No Brasil ― Liam respondeu.
― Porra… Deus salve as terras brasileiras... ― ele comentou com um assobio baixo
Até o Niall deixou de lado seu waffle para rir do comentário do Louis, mas por algum motivo o sorriso não chegou ao meu rosto. Eu não gostei nem um pouco de ouvir que outra pessoa via ela dessa forma, não que eu olhasse pra ela assim, mas não queria que ninguém olhasse.
― Agora a pergunta que não quer calar… Por que você nunca ficou com ela?

Cheguei a gelar por um momento pensando que a pergunta havia sido direcionada a mim. Suspirei aliviado, quando percebi que ele falava com o Liam.

― Tá maluco!? Ela é minha melhor amiga! ― Liam realmente parecia horrorizado com a possibilidade daquilo acontecer entre os dois.
― Uma melhor amiga muito gata… ― Louis argumentou como se esse fator devesse mudar as coisas.
― A também é muito gata. Isso quer dizer que o Harry deveria ficar com ela? ― Zayn questionou parecendo se divertir com a reação raivosa de Tomlinson, falar da irmã dele era um golpe baixo, mas o Malik não tinha problema com isso.
― É diferente… ― ele se recuperou a ponto de responder ― E eu não preciso me preocupar com isso, afinal o Harry namora a Taylor.

Ah é! A Taylor… ainda bem que ele falou nela, eu devia procurá-la. Tive pensamentos conturbados demais em curto espaço de tempo… quem sabe ela não poderia me distrair. Pedi licença aos meninos e sai para procurá-la. Não foi difícil encontrá-la, seus cabelos platinados praticamente reluziam e foi menos difícil ainda convencê-la a uma pequena aventura no armário do zelador.

Zayn POV

― Bom dia ― ouvi a voz de e levantei minha cabeça, em busca da Loira.
― Bom dia, Malik ― Niall sorriu rapidamente, se referindo a minha prima.
― Está faltando uma ― apontei para o lado de e tombei a cabeça pro lado, parecendo pensar.
― A está com a e a , daqui a pouco ela vem, não precisa morrer de saudades. ― me lançou um sorriso e minha prima caiu na gargalhada ao seu lado. Revirei os olhos e me encostei na cadeira. Sabia que minha relação com Tomlinson não passava de provocação mútua, mas só era legal quando eles faziam piadinhas com ela.
― Nem em sonho. ― falei pra enquanto sentava ao meu lado.
― Vocês ainda vão se casar. ― deu de ombros e olhou ao redor da sala, indo em direção a duas cadeiras vazias na extremidade direita.
― Sabe, você e a seriam um lindo casal.― virei pra e arqueei as sobrancelhas. ― Se ela não fosse do nosso grupo, no caso.

Concordei, me lembrando da promessa que eu e a fizemos no início do primeiro ano, quando eu e a ficamos e o clima entre o grupo ficou meio estranho, principalmente entre mim e o Louis. A promessa era bem simples, eu não podia ficar com nenhuma amiga dela e a não podia ficar com nenhum amigo meu. Isso impedia que minha priminha fosse enganada por algum desses idiotas, então eu realmente achava válido.

― O que acontece entre mim e a Tomlinson é pura provocação, loira.
― Eu sei, você não seria louco de ficar com ela ― sorriu de lado e se voltou pra mim ― de novo. O Louis te mataria. ― ri verdadeiramente por saber que mesmo Louis sendo "pequeno" com seus 1,73, quando ele se irritava conseguia derrubar um cara de 1,90 por exemplo, como foi com o ex de .

O sinal tocou e a sala começou a encher rapidamente. A pequena figura loira passou pela porta e se sentou com , falando sobre algo que eu não consegui entender. Olhei mais atentamente, os cabelos presos destacavam os olhos da garota, ela estava sorrindo enquanto falava mexendo exageradamente as mãos. Não era novidade para ninguém, mas Tomlinson era muito bonita.

POV

― Anda logo, ! ― ri fraco ao ouvir minha amiga repetir a frase pela terceira vez e fechei meu armário.
― A aula só começa em 4 minutos, . ― soltou enquanto prendia os longos cabelos num rabo de cavalo firme.
― Mas a sala fica lá longe, .
― E é por isso que eu decidi ficar na turma normal, vocês são loucas! ― retirou uma mecha de cabelo que serviria como franja, se referindo a turma avançada em que eu fazia com a , Louis e Liam.
― As aulas são legais…
― Vocês só fazem estudar! Não, muito obrigada. Prefiro ficar com a e a , ok?
― Não é verdade. Você mais que ninguém sabe que o Louis nem tenta!
― Mas meu irmão é exceção, ele é inteligente por nascença ― revirou os olhos e cruzou os braços, fazendo com que repetisse o último ato.
― Você também, só não está na turma porque tem preguiça.
― De todo jeito, estou feliz na minha turma. ― O sinal tocou, me fazendo soltar um murmúrio de insatisfação, eu devia ter ouvido a .
― Ótimo, agora estamos atrasadas para a aula do senhor Conner! ― segurou minha mão, me arrastando pelos corredores. Apenas soltei um ´até o almoço` pra e voltei a correr para a sala 506. A sala era realmente longe se fosse considerar que corremos por 3 minutos até chegarmos na frente da porta, virei pra frente de , ajeitando seus cabelos enquanto a morena fazia o mesmo comigo.

Era um ritual que tínhamos desde o primeiro ano, já que sempre saiamos correndo pelos corredores na hora da primeira aula. Nossas salas sempre ficam na área D, mas mesmo assim, ficamos até o último momento com as meninas perto de suas salas, na área A.

― Pronto? ― assentiu e bati na porta, ouvindo um "pode entrar" do professor.

Agradeci mentalmente pelo senhor ainda estar arrumando a mesa, ou não entraríamos tão facilmente.
Olhei para os alunos e encontrei Liam e Louis com suas bolsas em cima de duas cadeiras, mostrando que eles lembraram de guardar meu lugar e o da . Sorri para os dois e pensei em ir em direção ao Louis, no final da sala, quando minha amiga me impediu.

 ― Na verdade, eu preciso falar com o Louis. ― Mordeu o lábio, escondendo um sorrisinho e voltou o olhar pra Liam ― Você pode sentar com o Li por um tempinho?
― Hm… Claro, mas o que... ― Ao voltar o olhar para , recebi uma piscadinha que me fez corar um pouco. Tava tão óbvio assim? Como se respondesse minha pergunta ela assentiu, indo para o fundo da sala e me fazendo ir em direção a Liam que me lançou um sorriso enquanto tirava a bolsa do acento.
― Bom dia.
― Bom dia, .
― A queria falar com o Louis e eu sei que você queria sentar com ela mas… ― Fui interrompida pela risada do moreno. Céus, por que ele tinha que ter uma risada tão fofa?
― Tá tudo bem, eu converso com a depois. Além do mais, você também é uma ótima companhia. ― sorri pra ele, ia responder, quando o professor começou a falar sobre eletroquímica e parte da minha atenção ser focada para o senhorzinho de um metro e meio na minha frente.

As primeiras aulas se passaram rapidamente, com algumas risadas e conversas aleatórias com Liam, já que quando fui trocar de lugar com a , ela apenas me ignorou e continuou desenhando em seu caderno. Fechei o meu fichário onde tinha praticamente todas as anotações que os professores deram e olhei pro lado, notando a página completamente em branco do Liam.

― Você não copiou nada? ―Arqueei a sobrancelha e ele sorriu culpado.
― Eu sempre pego as anotações da , mas acho que as dela não vão servir hoje ― apontou pra garota conversando animadamente com Louis e riu.
― Se você quiser, pode tirar xerox da minha.
― Sério? ― Foi a vez dele arquear as sobrancelhas enquanto eu dei de ombros. Não me importava de dividir, e não queria que ele acumulasse matéria justo na primeira semana.
― Claro, acumular matéria no primeiro dia? Seria desumano não te ajudar.
― Obrigado ―tirei a folha delicadamente e entreguei para o menino, que colocou na pasta dele, prometendo me entregar até a saída.
― Tudo bem Payne, agora vamos logo porque eu estou morrendo de fome! ― Segurei sua mão, o puxando para o refeitório. Um arrepio passou pela minha coluna quando o menino apertou ainda mais o aperto de nossas mãos. Se ele ao menos soubesse…

POV

Andei com e até o armário de , que era o mais perto do refeitório, e deixamos todos os nossos livros lá dentro, deixando pra guardá-los depois do almoço. Minha cabeça doía e eu tinha certeza que a culpa disso foi das aulas seguidas de matemática. Como eles ousaram colocar essa matéria do primeiro dia da semana? Ainda mais no primeiro dia do ano! Eu sentia que a qualquer hora minha cabeça explodiria.

― Matemática não é tão ruim assim, ― Niall se meteu no assunto me fazendo colocar a mão na cabeça apenas pelo nome referido.
― Shiu! Não fala o nome, ou minha cabeça piora. ― coloquei a mão em sua boca e ouvi o som da risada baixa do meu primo atrás de mim.
― Não adianta, ela simplesmente é uma porta para a matéria ― Zayn falou me abraçando enquanto eu fazia uma cara de indignação ― Já tentei ensinar mil vezes e nada.
― Ou talvez você seja um péssimo professor. ― Sorri de lado ouvindo Zayn bufar. ― Talvez eu peça ajuda para a esse ano ― dei de ombros e me sentei em uma mesa qualquer ao entrar no refeitório
― É matemática? ― perguntou e eu assenti. ― Pede pro Louis, essa matéria é tipo um super poder dele. ― Falou simplesmente antes de levantar e ir pegar uma bandeja para almoçar.
― Ele realmente é bom? ― perguntei pra que concordou.
― Lembra do meu boletim ano passado? ― Forcei um pouco meu cérebro para lembrar, mas acabei me recordando que sua menor nota foi 9 na matéria, então concordei animada. ― Louis.
― Será que ele se importa em me ajudar? ― coloquei uma mecha do cabelo atrás da orelha. Eu conhecia os Tomlinson´s desde sempre, mas a intimidade que eu tinha com ele era totalmente diferente da que eu tinha com .
― Quem ajudar em que? ― Dei um pulo nervosa quando ouvi a voz de Louis atrás de mim, colocando automaticamente minha mão no coração.
― Meu deus Tomlinson, quer me matar? ― Ele riu negando e se sentando do meu lado ― Você, me ajudar em matemática. ― tombei minha cabeça pro lado e pisquei meus olhos algumas vezes num ato que havia aprendido com . Sempre que a garota queria algo, ela fazia aquilo e por algum motivo totalmente desconhecido por mim, funcionava toda vez.

Antes do moreno abrir a boca, foi interrompido por , que se sentou ao seu lado o empurrando, não tão delicadamente, em minha direção e me fazendo ir pra trás, assustada com a aproximação repentina. O que eu não percebi na hora, foi que , que antes estava do meu lado, foi empurrada pelo meu corpo e caiu com tudo no chão.

― Precisamos urgentemente ir para uma mesa maior ― revirou os olhos mas riu alto, ainda sentada no chão.
― Quer ajuda, princesa?
― Não de você, badboy ― respondeu Zayn enquanto esticava os braços em minha direção. Ri alto da expressão de Zaza e me levantei para ajudar a loira ― Você sabe que é minha Malik favorita.

Deu um beijo em minha bochecha e olhou pro meu primo, que mantinha o olhar estreito para ela. Apenas concordei e voltei a sentar, a uma distância segura, do segundo Tomlinson.

― Então…? ― o olhei com esperança e ele sorriu de lado
― Quando precisar ― piscou pra mim e se virou em direção ao Harry, que tirou toda a atenção da Taylor para dar ao amigo. Sorri forte por ter conseguido, talvez eu não fosse tombar tão forte na matéria esse ano.

POV

Depois de empurrar meu melhor amigo na direção da , tipo literalmente, me senti satisfeita. Eu não sugeri que ela pedisse ajuda dele por nada, eu só achava que já estava na hora do meu melhor amigo arrumar uma namorada "E quem melhor do que a pra ele?" Eu conhecia os dois bem o suficiente pra saber que eles combinariam juntos, mas por enquanto meu dever como cupido estava cumprido. Eu devia ir atrás do meu próprio namorado, ainda não tinha falado com ele esta manhã. Dei uma rápida olhada pelo refeitório até que encontrei seus cabelos ruivos na mesa em que ele sentava com seus amigos do time, eu namorava ninguém menos do que o capitão do time de futebol, Mason Kingston. Levantei e ia seguir até a mesa dele sem falar nada, mas senti a mão da se fechar no meu pulso e parei voltando minha atenção para ela um pouco confusa.

― Aonde você vai?!
― Falar com o Mason… ― falei lentamente como se fosse algo meio óbvio
― Humpf… ― minha melhor amiga bufou revirando os olhos. Estava claro que ela não era uma fã do meu namorado.

Eu não via nenhum motivo real para ela odiá-lo, eu dizia a mim mesma que era só ciúmes, porque eu acabava passando um bom tempo com ele e isso consequentemente reduzia meu tempo com ela. Dei de ombros e fui até a mesa dele. Parei colocando as mãos em seus ombros, ele se virou e sorriu ao me ver.

― Com licença, meninos ― ele falou para os amigos que assentiram cheios de sorrisos maliciosos. Eu não gostava muito dos amigos dele, eles faziam coisas horríveis com algumas meninas e eu ficava sabendo das histórias no banheiro feminino… ou melhor dizendo "rádio fofocas", mas Mason era diferente. Me limitei a direcionar um leve aceno de cabeça pra eles.

O ruivo se levantou segurando minha mão, então começou a me puxar para a área externa do refeitório que estava praticamente vazia. Ele parou comigo perto de uma parede em um lugar que sabíamos que nenhuma câmera da escola registrava. Seu sorriso se abriu mais enquanto suas mãos envolviam meu rosto me puxando na direção dos seus lábios. Eu não esperava uma recepção tão calorosa, reagi com um pouco de surpresa, mas eu não estava reclamando, retribui o beijo na mesma medida.

― Bom dia pra você também ― falei com um sorriso e um pouco de sarcasmo e ele riu.
― Bom dia… ― foi sua resposta ainda com um leve sorriso que parecia constante naquele menino.
― Como foram suas aulas?
― Mesmo tédio de sempre, bem melhor com você por perto. Por que não falou comigo hoje mais cedo!? ― seu tom parecia acusatório e passava a impressão de que ele exigia uma resposta, mas ignorei essa sensação.
― Desculpa… ― não sabia ao certo porque eu estava me desculpando, mas eu já estava acostumada a sempre me desculpar quando conversava com ele ― É que a passou as férias toda fora e hoje foi o primeiro dia em dois meses que eu a vi, tínhamos muito que conversar.
― E você não podia ter tirado um tempo pra mim nessa manhã toda?!
― Mason… ― comecei já me irritando.
― Não, não tudo bem, desculpa. Eu estava sendo um babaca. É que às vezes eu só queria passar meu tempo todo com você.

A irritação que crescia em mim se dissipou, voltamos a conversar um pouco mais sobre assuntos aleatórios. Contei um pouco das histórias da sobre o Brasil e ele disse que deveríamos fazer uma viagem para lá juntos, parecia um lugar divertido.

― Então você vai ao meu jogo hoje certo?
― Não, eu te disse que minha vó vai lá pra casa hoje.
― E daí? Não é como se ela fizesse questão da sua presença lá, você mesma já disse que ela prefere seu irmão ― eu não acreditava que ele estava mesmo falando isso, o olhei com indignação por um segundo.
― É uma coisa quando eu falo, mas outra totalmente diferente quando sai da sua boca! ― me levantei irritada.
― Não espere que eu vá atrás de você pra pedir desculpas, já que é você quem me deve desculpas. — Me virei indignada.
― Eu te devo desculpas?! ― perguntei irritada ― E pelo que eu teria que me desculpar?!

A expressão dele mudou totalmente seus olhos ganharam algumas sombras de tristeza.

― Você nunca vai a nenhum dos meus jogos. As namoradas de todos os caras do time sempre estão lá torcendo por eles e eu sou o capitão, mas não tenho torcida.
― Ei… ― falei me aproximando delicadamente, meu humor oscilava muito quando eu estava com ele eu parecia meio bipolar ― Não é verdade… você tem uma torcida, eu sou sua torcida. Quer saber? Eu vou dar um jeito de ir ao jogo hoje ― completei determinada.
― Sério?! ― seu sorriso se iluminou e pra ver aquele sorriso valia o sacrifício que seria fugir da minha reunião de família hoje.
― Sério… ― confirmei.

Ele me beijou novamente e nos separamos quando o sinal tocou.

Liam POV

Aproveitei o intervalo para tirar uma xerox das anotações da , todas as anotações dela eram simplesmente perfeitas, ela fazia aqueles negócios de… "lettering" e tinha as mais variadas canetas, as quais ela deixava organizadas sobre a mesa. Me peguei sorrindo pra ela durante a aula enquanto a observava trocar diversas vezes de caneta, mordendo o lábio inferior em concentração para escrever alguma palavra supostamente mais elaborada. Me diverti mais do que eu esperava hoje sentando ao lado dela, ela era divertida de um jeito fofo. Segui até o meu armário para deixar alguns livros e peguei a pasta em que eu tinha guardado as anotações da morena. Eu as tirei da pasta e o som de papel rasgando tencionou todos os meus músculos "Merda!" xinguei mentalmente, mas tentei relaxar, um pouco de fita transparente resolveria aquele problema. Peguei as anotações indo em direção a secretaria onde eu poderia usar a copiadora. Niall surgiu do nada no meio do meu caminho e acabou esbarrando em mim. O liquido que ele segurava caiu todinho em cima de mim e pior em cima dos papéis da .

― AHHH! ― eu gritei em contato com o líquido e soltei os papéis que caíram manchados no chão.

Me apressei para recolhê-los.

― Não não não! ― eu repetia desesperado, estava tudo arruinado Niall ainda estava parado com uma expressão culpada sorrindo sem graça.
― Desculpa, Liam, eu não te vi.
― Puta que pariu! ― xinguei. Como era possível que tanta coisa desse errado em tão pouco tempo? ― Pra começo de conversa o que você tava fazendo com esse suco?
― Sweet tea ― ele corrigiu.
― Tanto faz! Você nem bebe isso! ― falei exasperado.
― Era pra ― a menção ao nome da boliviana fez sentido, já que ela era a melhor amiga dele, mas falar nela só fez minha tensão aumentar. Ele inspecionou melhor as folhas nas minhas mãos ― Isso são as anotações dela?! ― ele questionou com os olhos arregalados.
― São… ou melhor eram ― falei com um sorriso culpado.
― Ela vai ficar arrasada, é melhor eu ir pegar outro desse pra ela ― ele começou a se virar.
― Não, espera! Me diz onde é que eu vou.

Ele me desviou um olhar curioso, mas me deu a informação. Não ficava longe da escola, era só atravessar a rua e caminhar um pouco pra esquerda. Depois de pegar a bebida eu caminhei de volta e encontrei a garota no refeitório.

― Ei, ... ― percebi sua reação surpresa, provavelmente por ouvir seu apelido saindo da minha boca.
― Ah, oi Liam!
― Eu trouxe sua bebida ― disse estendendo o copo para ela. Ela desviou para mim um olhar confuso, mas aceitou o copo.
― Obrigada…?
― Na verdade, acho que não devia me agradecer. Eu fiz algo muito ruim… mas foi totalmente sem querer... ― me apressei para completar.
― E o que foi? ― ela perguntou com um tom gentil.
― E-eu... ― não tinha um jeito bom de dizer aquilo, mostrei os papéis que eu escondia atrás das minhas costas ― Eu arruinei suas anotações ― falei de uma vez.

Ela deixou a bebida de lado pegando os papéis, seu olhar parecia perdido e terrivelmente chateado enquanto ela analisava os estragos. Longos segundos em silêncio se passaram até que ela por fim suspirou.

― Tudo bem… ― "O que?!" pensei chocado. Era só isso? Ela podia literalmente me bater se quisesse.
― Tem certeza? ― perguntei meio na dúvida ― Sabe, você pode me bater se quiser ― ofereci soando genuinamente sincero, ela riu.
― Não, tudo bem. Você disse que foi sem querer e para as folhas ficarem nesse estado você deve ter passado por um dia terrível ― ela tinha um meio sorriso nos lábios.
― Nem tão terrível assim… ― sorri abertamente ― Eu só vou ficar com esse cheiro doce até o fim do dia ― falei apontando pra minha camisa que ainda estava molhada colando um pouco no corpo.

Os olhos de se desviaram rapidamente dali e percebi um leve rubor sobre suas bochechas.

― É um ótimo cheiro… ― ela falou ainda sem olhar pra mim.

Sua reação foi um pouco estranha, mas ainda sim extremamente fofa. Me peguei sorrindo pra ela.

― Então estamos bem? ― falei só pra confirmar.
― Aham ― ela assentiu ― Ainda dá pra salvar algumas partes da anotação e o que não der, eu peço foto pra .
― Me desculpa mesmo, .
― Tá tudo bem, Liam.

Ela sorriu e apesar disso e de dizer que estava tudo bem. Eu ainda teria que arrumar um jeito de recompensá-la por essa pequena tragédia. Falaria com a mais tarde, ela teria uma ideia do que eu poderia dar pra , algo de que ela realmente gostasse, como um presente formal de desculpas.

Niall POV

Após o pequeno incidente com Liam, joguei o copo praticamente vazio no lixo e me dirigi até o meu armário, talvez eu tivesse uma camisa extra para emprestar ao Payne.

― Ei Irlandes ― Harry me chamou junto ao Louis e eu parei de andar, esperando os dois. ― O Lou tava me chamando para ir pra… ― parou de falar e franziu o cenho ― Que cheiro é esse? ― Sorri sem graça para os dois.
― Sweet Tea.
― Por que você está cheirando a Sweet Tea? ― Harry insistiu e eu revirei os olhos.
― De qualquer jeito, o Harry disse que vai ver a Taylor hoje de tarde ― Louis revirou os olhos e eu me segurei para não fazer o mesmo gesto ― Quer ir lá em casa?
― Não acredito que você só me chamou porque o Harry não vai! ― cruzei os braços olhando feio para o Tomlinson.
― Eu ia te chamar de todo jeito. Chamei os meninos também, mas eles têm compromissos, então… ― deu de ombros e me olhou como se esperasse uma resposta.
― Só se eu puder dirigir. Não entro no carro com você no volante!
― Por Deus, você parece a ! ― Cruzou os braços e sorriu de lado. ― Se você convencer a minha irmã, tudo bem. Viemos no carro dela.
― Não, não queria dirigir, só não quero morrer também. ― Ri alto quando recebi um dedo médio do garoto, que saiu andando com Harry enquanto gritava uns "Não sou tão ruim assim, né?" pro cacheado.

Balancei a cabeça rindo dos dois e voltei a andar para o meu destino inicial. Abri meu armário procurando por qualquer blusa existente ali, achando uma azul clara que eu costumava usar na educação física. Cheirei de leve o tecido e percebi que, por incrível que pareça, ela estava limpa, então peguei, caso encontrasse o Liam, entregaria a blusa para ele. Também mandei uma mensagem para minha mãe, avisando que iria nos Tomlinson`s depois da aula e só chegaria em casa de noite.
Virei no corredor batendo em alguém e fazendo a pessoa ir ao chão.

― Desculpe, eu estou mais desastrado que o normal hoje ― estendi a mão para a ruiva que mantinha um sorriso nos lábios.
― Tudo bem, acontece ― riu ― Você é o Niall, né? ― assenti, estendendo a mão pra ela. ― Sou a Crystal.
― Prazer em te conhecer. ― sorri, pela primeira vez notando o quão bonita a garota era ― Quer dizer, a gente se conhece?
― Acho difícil alguém não conhecer você. ― minhas bochechas ficaram vermelhas e o sorriso dela aumentou ― Mas acho que a gente já se esbarrou outras vezes.
― Acho que não, eu me lembraria. ― Ela gargalhou.
― Isso alguma vez já funcionou pra você?
― Depende, está funcionando com você? ― Crystal abriu  a boca, mas logo a fechou. Ajeitando a postura e sorrindo.
― Definitivamente. ― O sinal tocou nessa hora, me fazendo murmurar por não ter achado Liam.
― Merda, eu precisava mesmo achar o Payne.
― Eu tenho aula com ele agora.
― Você faz a turma avançada? ― A olhei realmente interessado e ela sorriu.
― Aham, e eu adoraria ficar e conversar sobre isso com você, mas tenho aula de História.
― Ah, tudo bem. Você pode entregar isso pra ele? ― estendi a camisa e ela pegou, assentindo. ― Obrigado.
― Não tem que me agradecer… ― ela falou desviando os olhos do meu rosto num gesto meio tímido.
― Mas eu gostaria muito… O que acha de sair comigo? Sabe? Como forma de agradecimento…
― Eu diria que você precisaria pegar meu número ― a ruiva disse me dando um sorriso luminoso.

Depois de entregar meu celular para que ela colocasse seu número eu a encarei sorrindo sem acreditar naquele acontecimento. Como eu nunca notei uma garota linda como ela antes?

― Eu te ligo! ― falei apontando o celular em sua direção.
― Acho bom mesmo ― ela disse rindo ― Até mais, Horan.
Cara… esse seria um ótimo ano.

 Louis POV

― É sério ! Pensa bem, se as pessoas não sabem que os brinquedos estão vivos, quando um brinquedo morre a gente brinca com um cadáver? ― Perguntei pela segunda vez e a morena apenas me olhava com os olhos arregalados.
― Como você pensou nisso?!
― Surgiu enquanto eu dormia ― dei de ombros e sorri para a garota.
― Sério Louis, você é muito estranho.
― O que ele fez dessa vez? ― Liam chegou junto com e eu arquei as sobrancelhas, olhando os dois.
― Tá falando sobre crianças brincando com os cadáveres dos brinquedos. ― cruzou os braços e os outros dois arregalaram os olhos pra mim.
― Deixa pra lá, vocês não entendem ― fiz um aceno de "tanto faz" com a mão e me sentei. ― Saudades da . ― Fiz cara de sofrido e gargalhou.
― Você a viu no intervalo!
― POR 3 MINUTOS ATÉ ELA SUMIR COM AQUELE CARA!
― Vou começar a achar que você está com ciúmes, Lou. ― bufei, olhando diretamente nos olhos da garota.
― Ele não é bom pra ela. ― disse simplesmente e os outros três concordaram.
― Nisso eu concordo com você.

Parei pra pensar em todas as noites que me liga chorando por ter brigado com o Mason. Ou nas vezes que ela não faz algo simplesmente porque o namorado pediu. Me dava raiva ver minha melhor amiga passando por isso, mas sempre que eu falava algo, nós dois acabavámos brigando.
Passei um tempo quieto, pensando no assunto e só fui tirado dos pensamentos quando ouvi uma voz doce ao meu lado.

― Ei, Liam ― Crystal, uma menina que estudava com a gente desde o primeiro ano, cutucou Liam e entregou um tecido azul para ele ― O Niall pediu para te entregar.
― Você estava com o Niall? ― Antes mesmo de pensar sobre, a pergunta já tinha saído. Não sabia que eles se conheciam.
― Nos esbarramos agora a pouco. ― Sorriu fraco
― Parece que o Niall anda esbarrando em muitas pessoas hoje ― Liam falou com um toque leve de irritação ― Espero que ele não tenha derramado nada em você também
― Não, não. Foi só um esbarrão comum, sem líquidos envolvidos.
― Sorte a sua ― Liam falou apontando para a camisa dele.

A garota riu e então foi falar com a garota que a chamava nervosamente nas cadeiras a frente.

― Ela é legal ― disse por fim, cortando o silêncio que tinha ficado.
― Aham ― falou cortando o papo sobre a outra garota rapidamente ― mas voltando ao assunto ―  se voltou pra mim. ― Brincar com o cadáver dos brinquedos?

E então eu já não pensava mais sobre a reação um pouco esquisita dela, pensava apenas nos bonecos do filme.

― Se eles morrem não tem como saber!
― Então os outros brinquedos veem as crianças brincando com um corpo? ― Ela perguntou por fim, me fazendo arregalar os olhos. Eu não tinha pensado nesse lado.
― Ótimo Louis, você estragou Toy Story. ― Liam se fez de bravo e eu sorri de lado, sabendo que nada realmente conseguiria estragar aquele filme para o garoto.

POV

No fim do dia me despedi das minhas amigas e fui direto pro carro pra esperar pelo Louis, meu irmão aparentemente tinha chamado alguns amigos lá pra casa e daríamos carona pra eles.
Não demorou até que o irlandês viesse acompanhando o Louis em minha direção.

― Só você, Horan?
― Harry tava ocupado com a Taylor ― Louis explicou. Ultimamente meu melhor amigo só tinha tempo pra essa namorada dele, se ao menos ele arrumasse uma namorada de quem eu gostasse…

Mas aparentemente esse era um problema dos meus dois melhores amigos, se encontrava no mesmo dilema. O Mason simplesmente não era bom pra ela e só faltava a garota perceber isso, assim como a Taylor não era boa pro Harry, mas algo me dizia que ele já sabia disso.

― E aparentemente eu era a última opção ― o loiro falou com um biquinho fofo, desviando minha atenção de outros pensamentos
― Ownn não fica assim. Você é meu favorito, Nini ― falei envolvendo-o num abraço apertado enquanto ele ria.

Então Zayn veio correndo em nossa direção.

― Espera aí! Eu vou também!
― Ué e sua aula de desenho? ― havia uma pontada de deboche na voz do meu irmão
― O professor faltou ― ele respondeu rápido evitando o assunto.

Meu irmão caiu na gargalhada e eu o acompanhei, era engraçado ver o Malik com vergonha de algo, acontecia raramente, então eu aproveitava os poucos momentos dessa diversão. Os meninos se dirigiam para as portas do carro.

― Ei, ― a voz do Zayn me chamou. Me virei curiosa ― Que tal me deixar ir dirigindo seu carro?
― Sonha, Malik… ― falei com deboche e entrei no carro. Pude ouvir um murmúrio dele "Não custa tentar né?" e contive um riso.

Não dei a opção dos meninos escolherem as músicas durante o caminho, o que sempre irritava meu irmão, mas não pareceu ter efeito sobre o Malik. Aparentemente tínhamos um gosto musical parecido. Dei de ombros não querendo dar muita atenção a esse fato.
Assim que chegamos em casa fui direto para o meu quarto tirar meu uniforme. A única coisa ruim de ter os amigos do meu irmão aqui, tirando a barulheira e a bagunça tradicional, era o fato de não poder usar qualquer roupa pela casa. Peguei um dos meus shorts pretos e uma camisa ombro a ombro rosa, tentando combinar conforto e boa aparência. Me olhei no espelho satisfeita com o resultado. Passei rapidamente uma escova nos meus cabelos e segui para a cozinha depois de ouvir a porta do quarto do Louis se fechar, eu estava morrendo de fome e sem os meninos por perto eu poderia comer em paz sem ser julgada pelo prato de pedreiro, que, apesar da cara de princesa, eu comia.
Meu dia se passou, na medida do possível, tranquilamente. Eu dava espaço para o meu irmão com os seus amigos para que ele fizesse o mesmo quando minhas amigas estivessem aqui. Meu tédio foi tão surpreendente que decidi abrir meu livro de biologia pra fazer o dever de casa. Eu tentava me concentrar com dificuldade, já que odiava a matéria e havia um barulho constante de algo batendo na parede do quarto que fazia divisa entre o meu e o do Louis. Depois da décima batida, levantei sem paciência marchando até o quarto dele.

― Será que dá pra… ― comecei antes de abrir a porta e assim que a abri arregalei os olhos ― PUTA MERDA!



Capítulo 2

Niall Pov

― PUTA MERDA! ― ouvi dizer e me virei assustado, corando. Peguei minha blusa e segurei na frente do meu quadril.
, sai! ― ouvi a risada da menina e ela me analisou de cima a baixo.
― Bela cueca, Horan. ― mas que merda!

O Louis tinha nos convencido a entrar na piscina. Ele e o Zayn já haviam se trocado e tinham descido minutos antes, mas eu ainda procurava um short pra usar quando a garota entrou.

― Essa seria uma boa hora pra você sair. ― A olhei sério e ela negou.
― O que você tá procurando aí?
― Um short. ― disse simples e ela se aproximou do guarda roupa e consequentemente de mim.
― Louis é uma bagunça, pode deixar que eu pego um pra você, irlândes.
― Hm… obrigado. ― Ela assentiu e continuou mexendo no guarda roupa, até achar um short cinza e jogar pra mim. ― Valeu de novo.
― Sabe Niall, você não precisa ficar com vergonha. ― olhei nos olhos dela e sorri fraco.
― Foi estranho…
― Não é como se eu nunca tivesse visto um cara só de cueca ― Sorriu pra mim e eu a olhei com a boca aberta.
― Não preciso saber disso Tomlinson! Você é uma criança!
― Eu sou mais velha que você. ― Revirou os olhos com um sorriso nos lábios. Eu sempre esquecia disso.
― De todo jeito… Seu irmão sabe disso?
― Meu irmão não precisa saber de tudo, Niall. ― cruzou os braços me olhando feio.
― Tá, mas por que você veio aqui?
― Ah sim ― Ela pareceu se lembrar de algo, olhando o quarto ao redor e parando os olhos em Clifford, o cachorro dos dois, que balançava o rabo freneticamente, fazendo com que batesse na parede vez ou outra. ― Foi por conta de você! ― o animal entortou a cabeça como se tentasse entender o que a loira dizia.
Aproveitei esse momento de distração da garota para finalmente vestir o short, cobrindo a cueca Calvin Klein preta que tinha visto antes. Não me preocupei de pôr uma blusa, iria tirá-la de todo jeito em alguns minutos. A garota virou pra mim, arqueando uma sobrancelha.
― Não, você só de cueca fica mais bonito ― fez uma voz manhosa e eu ri. De todas as meninas a era a mais saidinha. Era sempre ela que fazia esse tipo de piadinha, então era uma coisa, digamos… comum. ― De todo jeito, acho melhor eu ir, antes que o Louis descubra o que aconteceu aqui. ― E saiu do quarto, me fazendo rir.

Zayn Pov

O Niall estava demorando séculos e eu não aguentava mais ouvir o Louis falando que ele precisava de uma toalha porque não queria molhar a casa toda, então levantei da cadeira e avisei que ia buscar as toalhas e trazer o irlandes de brinde.
Subi as escadas correndo, mas estranhei quando ouvi a voz de dentro do quarto "Não é como se eu nunca tivesse visto um cara só de cueca" arregalei os olhos e tentei ouvir mais alguma coisa. Não dava para escutar toda conversa, mas depois de ouvir as frases seguintes, não era preciso ser um gênio para saber o que estava acontecendo naquele quarto. "Seu irmão sabe disso?", "Meu irmão não precisa saber de tudo, Niall.",  "Não, você só de cueca fica mais bonito", "De todo jeito, acho melhor eu ir, antes que o Louis descubra o que aconteceu aqui.", bufei irritado e fiz barulho, como se estivesse chegando agora no local. Vi a loira sair e virar pra mim, me olhando de cima a baixo.

― Olá Malik, não tinha como ficar com menos roupas? ― Olhei pro meu corpo, estava apenas um um short. Dei de ombros. Normalmente eu responderia com um "bem que você queria", mas depois de ouvir aquilo, eu realmente não estava a fim de joguinhos.
― A gente vai pra piscina. ― Respondi simplesmente, passando por ela e entrando no quarto do Louis, encontrando o Irlandes com três toalhas nas mãos.
― Hey, eu ia descer agora.
― Claro que ia. ― Revirei os olhos novamente e cruzei os braços. Niall me olhou curioso.
― O que foi?

Abri e fechei a boca algumas vezes mas nenhum som saiu. Por que eu estava tão irritado? Eu e a éramos só amigos e quem ia enfrentar a raiva do Louis era o Niall... Mas pensar nele tendo aquele tipo de intimidade com a loira me deixava com náuseas. Na verdade, pensar em qualquer um tendo aquela intimidade com me deixava assim. Balancei a cabeça tentando tirar aquela ideia da mente. Não tinha porque me importar. Resolvi pensar que o incômodo era porque não queria que houvesse outra briga dentro do grupo.

― Só… tenha cuidado. ― ele me olhou estranho, mas deu de ombros, saindo do quarto e descendo as escadas. Suspirei, olhando para a porta, agora fechada, do quarto da garota.

POV

A tinha ido tomar banho e eu fiquei sozinha na sala de estar. Depois da aula eu tinha vindo pra cá, isso já era nossa dinâmica desde o primeiro ano. Já era noite e tínhamos feito muita coisa, mas por algum motivo sempre que estávamos juntas encontrávamos um motivo pra assistir Harry Potter. Não que Harry Potter precisasse de um motivo, então era isso que estava passando na televisão quando ela saiu pra tomar banho. No filme, Potter fazia seu discurso para conseguir pessoas pra treinar contra a Arte das Trevas, o quinto filme pra mim era simplesmente o auge do garoto, esteticamente falando. Ao invés de prestar atenção no filme, eu me limitava a babar por ele. Zayn passou pela porta da frente nesse momento e ainda não tinha me visto ali.

― Hey Z!
― Ah, você ainda está aqui… ― sua voz era meio desanimada.
― Nossa! Você já foi mais simpático ― falei cruzando os braços com uma cara feia e um biquinho infantil.

Era meio ridículo, mas o garoto sorriu e se aproximou.

― Desculpa, ― ele afagou meu cabelo e me deu um beijo no topo da cabeça. Ele se acomodou no sofá ao meu lado e finalmente olhou pra TV ― Harry Potter, de novo?!
― Nunca é demais, Malik! ― apontei e ele riu, balançando a cabeça em negação.
Depois de algum tempo em silêncio, observando os olhos azuis e luminosos do Potter na tela, a voz do Zayn chamou minha atenção de volta para o mundo real.
… será que eu posso te perguntar uma coisa? ― ele parecia meio inseguro, o que definitivamente era algo incomum no Malik passei a desviar toda minha atenção para o garoto.
― Claro ― respondi prontamente.
― Assim… do nosso grupo. Quem é o menino mais bonito?

Uma imagem se plantou na minha mente quase que instantaneamente. Olhos verdes, cabelos castanhos macios e cacheados, um sorriso matador e… fechei os olhos com força, apagando a imagem. A rapidez que eu levei pra pensar no garoto me assustou e eu fiquei desconcertada sem saber o que responder. Por que Zayn estava perguntando isso agora? Ele não podia saber do que aconteceu, o Styles podia ser muitas coisas mas ele não era sem palavra e havia prometido não contar pra ninguém.

― Por que essa pergunta agora? ― ergui minhas sobrancelhas extremamente desconfiada. Se Harry tivesse aberto a boca, ele seria um homem morto. Minha raiva subiu sem que eu pudesse controlá-la.
― Não sei…― deu de ombros ― Eu já sei que pra você com certeza não seria o Harry, já que você o odeia ― senti um alívio inexplicável ao ouvir isso, então ele realmente não sabia. Assenti para que ele continuasse ― Eu só queria saber quem seria de nós quatro, acho que o Liam pra você também é um não…
― Realmente ― concordei. O Liam era lindo, mas seria estranho pensar no meu melhor amigo assim. Comecei a pensar no restante das opções, Louis e Niall tinham seus atrativos, mas Zayn realmente estava mais próximo do que eu gostava ― Acho que você.
―Sério?! ― ele perguntou, um sorriso convencido brotando em seus lábios
― É… bom, quer dizer, você não vai tentar me beijar por causa disso né? ― o moreno riu jogando a cabeça pra trás.
― Quem sabe? ― ele respondeu. Seus olhos intensos estavam em mim e ele passou a se inclinar em minha direção, mas eu sabia que era puramente brincadeira. Empurrei ele pra longe enquanto ele ria, ergui minha mão dando um tapa de leve no seu ombro.
― Nos seus sonhos, Malik ― ele apenas riu mais. Parece que seu humor tinha melhorado em 100% desde que ele cruzou essas portas, enquanto o meu apenas decaiu. A imagem de Styles estava assombrando meu subconsciente. Quem sabe beijar o Zayn teria me distraído desses pensamentos ridículos, mas não. Eu sabia melhor do que ninguém que um beijo às vezes trazia mais problemas do que solução.

POV

Eu consegui ir ao jogo do Mason ontem a noite, mas hoje de manhã depois de receber o olhar raivoso dos meus pais e o olhar chateado da minha vó por ter saído no meio do jantar de família, eu não sabia se o sacrifício tinha valido a pena. Nem meu irmão quis falar comigo no caminho até a escola e aquilo estava acabando comigo. Cheguei na escola e fui direto pra sala, sem querer conversar com ninguém. Agradeci por não ter aula na mesma sala que o Louis, porque se meu melhor amigo me visse assim o interrogatório viria e eu não estava preparada para conversar sobre isso. Mas ainda havia outra provação pela qual passar, assim que entrou na sala seus olhos focaram em mim preocupados, eu estava deitada com a cabeça baixa. Ela se sentou no seu lugar de sempre, ao meu lado.

― Tá tudo bem, amiga?! ― seu olhar me analisava profundamente.
― Tá sim… é só cólica ― falei erguendo meu tronco. Aquela era a melhor desculpa porque eu sabia que ela não questionaria isso.
― Já tomou remédio? Se quiser eu tenho...
― Não, não… Eu já tomei ― respondi rapidamente.

Suspirei aliviada quando o professor iniciou a aula e ela desviou seu olhar de mim com um dar de ombros.
Me livrei deles dois na hora do intervalo também, graças ao anúncio que o diretor faria. Todos estavam curiosos olhando para o palco para saber qual seria o anúncio.

― Bom dia a todos! ― a voz imperial do diretor soou silenciando os alunos ― Peço desculpas por não ter conseguido fazer essa reunião ontem, no primeiro dia de aula. Gostaria de desejar a todos boas vindas ao colégio, estamos muito felizes em recebê-los.

Ele fez uma longa pausa, aumentando a curiosidade de todos os que estavam presentes sobre o que seria anunciado.

― Seguindo a tradição anual faremos um baile de boas vindas na segunda sexta-feira do mês de início do ano letivo.

Os alunos comemoraram com aplausos animados

― Como sempre, o tema e organização da festa ficam a cargo do terceiro ano. Cada turma deve escolher seus organizadores e estes devem dar o nome à Sra. Jenkins.

Eu já tinha certeza que e fariam parte da organização. E em outra situação eu até faria questão de fazer parte da organização também, mas do jeito que as coisas estavam em casa eu duvidava que meus pais fossem deixar que eu fosse a festa.

Liam POV

Ontem eu não tive tempo de perguntar a sobre o presente que eu pretendia comprar para , mas eu não havia esquecido. Assim que voltamos do intervalo, puxei a morena para um canto no fundo da sala.

― Você adora dar ao pessoal um motivo para eles confirmarem as suas teorias sobre nosso caso secreto, né? ― ela perguntou com um sorriso conspiratório.

Sorri também. As pessoas falavam por aí que namoravam em segredo, mas era só porque a era muito carinhosa, mas ela era assim com todo mundo, bom… todo mundo menos o Harry, lembrei. Eu ainda queria saber o que aconteceu entre esses dois, eles eram super próximos no primeiro ano, mas algo mudou na virada do 1º pro 2º ano e eles simplesmente passaram a se odiar sem motivo aparente. Dei de ombros voltando pro foco inicial da conversa, aquela outra parte era muito complicada.

― Eu queria sua ajuda com uma coisa ― pedi.
― Pode falar.
― Do que a gosta?
― Do que exatamente estamos falando? ― ela perguntou com um sorriso e um olhar que continham um significado que eu não entendia.
― Hmm… sei lá tipo um presente que eu possa comprar pra ela.
― Ahh… Bom tem várias coisas que ela ficaria feliz em ganhar.
― Tipo… ?
― Hmm… É difícil pensar assim, tem essas canetas super especiais que ela tava querendo a um tempo, mas elas são muito caras…
― Dinheiro não é problema. Ela ia gostar muito delas?
― Você daria um namorado e tanto ― minha amiga elogiou e eu dei risada ― E sim ela surtaria se você desse essas canetas pra ela, eu mando o link da loja.
― Obrigado, ― agradeci apenas sem saber se tinha entendido direito a ênfase que ela deu ao você.
― Não me agradeça assim, lembre-se que melhores amigas também aceitam presentes caros ― ela falou apontando um dedo seriamente em minha direção, eu ri alto.

A sala começava a encher e um menino, aparentemente novato, alto de olhos azuis e cabelos pretos entrou sem saber direito para onde ir ou onde sentar. O olhar de foi direto para o garoto com interesse, assim como o da maioria das meninas ali.

― Hmm acho eu vou me apresentar… ― ela falou com um tom inocente, mas eu sabia o que tinha por trás do seu tom ― Ele parece meio perdido quem sabe eu não posso ajudá-lo... ― gargalhei mais uma vez balançando a cabeça em negação enquanto via minha melhor amiga se aproximando do novato já sorrindo.

POV

Eu já tinha entregue meu nome para a Sra. Jenkins para trabalhar como uma das organizadoras do baile. Eu estava bem ansiosa com a perspectiva dessa festa, tinha tudo pra ser um dia simplesmente incrível. Já marquei de me encontrar com no "O'neill' s Tavern" depois pra organizar algumas coisas que tínhamos planejado. O lugar basicamente era o point do nosso grupo e estávamos quase sempre lá. Qualquer motivo servia de desculpa para nos encontrarmos lá e era muito conveniente que o Harry, o Niall e a morassem naquele mesmo quarteirão. De volta para sala de aula, depois do intervalo, só tinha o tédio da aula de geografia, desviei alguns olhares para o Niall e era engraçado ver o quanto ele se esforçava para agir naturalmente perto de mim depois de ontem.

! ― sussurrei baixinho pra minha amiga que não parecia no seu melhor hoje, mas às vezes a vida de mulher era complicada. Cólica era um inferno, eu mesma passava mal sempre.
― Hmm? ― ela desviou sua atenção pra mim.
― Eu tenho uma coisa pra te contar. ― Quem sabe esse evento hilário da minha vida não a animaria um pouco?
― O que? ― ela sussurrou de volta.
― Ontem eu vi o Niall só de cueca. ― seus olhos se arregalaram de surpresa.
― O Niall?! ― ela perguntou, quando eu confirmei ela desviou um olhar para o loiro analisando-o como se fosse a primeira vez que ela realmente o via. ― E aí?
― Minha filha só digo que não falta nadinha pra quem ficar com ele, acho que até sobra… e muito. ― enfatizei o que eu falava com um gesto de mãos.

soltou uma risada meio alta e cobriu a boca com a mão. Alguns alunos, incluindo o Niall, se viraram para nós duas com olhares curiosos, o professor por ser um velhinho que já não ouvia direito, não tinha escutado. agora tentava prender o riso e eu me encontrava na mesma situação. Era bom ver minha amiga rir, porém algo ainda me preocupava e eu sentia que cólica não era o único problema dela, ou talvez, a dor nem fosse um problema. Por enquanto eu deixaria que ela achasse que eu não tinha percebido nada, uma hora, mais cedo ou mais tarde, ela falaria e se não falasse eu arrancaria a informação dela com um interrogatório bem elaborado, contando ainda com a ajuda do Louis.

Louis Pov

Desde o anúncio do baile, eu estava fugindo o máximo da Madison. Ela não entendia que a gente tinha terminado, e eu tinha certeza que ela já estava procurando alguma oportunidade, o que eu não pretendia dar, pra me chamar. Sai do colégio, agradecendo por não ter encontrado a morena quando uma voz fina me parou.

― Lou, eu tava te procurando. ― virei, encontrando Madison sorrindo pra mim.
― Sério? ― franzi o cenho, tentando o máximo me fazer de desentendido. A verdade é que o que tivemos foi legal e tudo mais, mas tinha ficado no passado e eu só queria que ela entendesse isso.
― Sim, você soube do baile? ― se aproximou de mim enquanto enrolava uma mecha de cabelo. Merda, eu só queria sair dali.
― Aham.
― O que você acha de irmos juntos? Sabe, pelos velhos tempos. ― arqueei as sobrancelhas. Velhos tempos? Ficamos juntos por duas semanas, no máximo.
― Na verdade, Mad, eu iria adorar, mas já chamei alguém.
― O que? ― sua voz subiu algumas oitavas e eu me segurei para não revirar os olhos.
― Já tenho companhia. ― Me preparei para virar quando ela segurou meu braço
― Quem?
― Olha Madison, eu realmente não vejo onde isso é da sua conta. ― tentei falar o mais calmamente possível, mas ela arqueou as sobrancelhas e cruzou os braços.
― Não é? E o que a gente tem??
― E o que a gente tem? Somos só amigos. ― "nem isso" pensei, me segurando para não sorrir.
― Eu não acredito que você chamou outra pessoa. ― disse simplesmente, ignorando totalmente minha frase e me olhando como se realmente duvidasse daquilo.

Bufei irritado, olhando em volta quando vi uma figura conhecida passar por trás de Madison. Olhei pra e ela me lançou um sorrisinho que considerei como pena, ao ver quem estava em minha frente. Arregalei meus olhos de forma suplicante e ela pareceu entender a mensagem, já que se aproximou de nós dois.

― Oi Lou, tudo certo pra sexta, né? ― me olhou inocentemente e eu tive vontade de rir da cara de choque da Madison.
― Claro, eu te mando uma mensagem com os detalhes. ― fingi me lembrar de algo e apontei de Madison pra ― Ah, essa é a . Vou com ela.
― Eu percebi ― A morena revirou os olhos, indo em direção ao estacionamento. Virei para a minha amiga.
― Você me salvou aqui.
― Sempre que precisar ― sorriu fraco e ajeitou a mochila em suas costas ― Só vai ser difícil para você achar um par de verdade agora. ― Frisou o de verdade e eu franzi o cenho.
― Já achei. Te pego às 6pm? ― A loira me olhou como se esperasse alguma piadinha ou algo do tipo. Quando ela notou que não viria, me respondeu
― Ah, claro. ― Concordou confusa e eu me aproximei dela, dando um beijo em sua testa
― Até mais tarde. ― falei por cima do ombro enquanto me afastava. Aquilo seria divertido.

Harry POV

No fim do período me despedi da Taylor como sempre, e então fui em direção aos meninos, sempre ficávamos um tempo a mais conversando antes de ir embora. Liam e Zayn estavam encostados num carro encarando uma cena que se desenrolava à frente deles, cheguei mais perto e observei o ponto que eles encaravam. estava conversando com um garoto, que eu nunca tinha visto antes, ela sorria abertamente e eles estavam um pouco perto demais.

― Quem é aquele?! ― as palavras simplesmente voaram da minha boca.
― James Cartwright, intercambista americano ― Liam respondeu enquanto olhava atentamente para os dois ― Todas as meninas de lá da sala ficaram babando por ele, até a !
― É, o cara tem estilo ― Zayn apontou.

veio correndo na direção do primo.

― Zayn, Zayn… ― e então parou com um olhar surpreso na direção em que olhávamos ― Caralho! Quem é aquele gato com quem a tá conversando?
― O novato americano, tá na minha turma ― Liam respondeu.
― Uau… ― soou impressionada.
― Não vejo nada demais ― respondi com uma sensação estranha tomando conta do meu peito.
― Fora ele ser bonito pra caralho e aparentemente rico, ele ainda tá na turma especial, o que significa que ele é inteligente, ou seja, exatamente o tipo de menino que a gosta… É, mas realmente, fora isso ele não é nada demais, né?

Não me dignei a responder o comentário da loira, um tipo diferente de incômodo misturado com raiva, que fervia dentro de mim e minha única reação foi cerrar meu maxilar.

― Bom… mas eu não quero saber de nada disso, se a subir naquela moto com ele eu vou ter que ir até lá. A mãe dela confiou em mim para deixá-la em casa hoje ― Liam respondeu soando genuinamente determinado.
― Aquela moto é dele?! ― perguntou, arregalando os olhos e parecendo mais animada.
― É ― a resposta veio do Zayn.
― Por quê? ― perguntei confuso.
― Nada, só parece que esse menino foi destinado pra . Liam, se quiser que ela não suba na moto vai ter que ir lá cortar a conversa deles, agora.
― Tem razão! ― o moreno disse indo até onde os dois estavam.

O incômodo que eu sentia foi se dissipando à medida que ela se afastava do americano. Mas isso não significava que eu estava com ciúmes, né? Porque isso não fazia o menor sentido. Ela discutia com o Liam de uma forma intensa. À medida que eles se aproximavam de onde eu estava, a conversa começou a ficar mais clara.

― Você não ia subir naquela moto, né?
― Claro que ia! ― ela respondeu como se fosse óbvio.
― Sua mãe ia te matar e me matar também por ter te deixado ir.
― Ela nunca ia saber...
― Humpf ― cruzou os braços ― Como se você conseguisse esconder alguma coisa da sua mãe.
― Me deixa, Payne. Você estragou o que poderia ter sido um ótimo momento com o Jem.
― Vocês já estão nos apelidos? ― ergueu uma sobrancelha claramente intrigado
― E perder tempo pra que?! ― seu sorriso foi de meigo para malicioso em questão de segundos e o incômodo voltou com tudo. Dei as costas e fui pro meu carro.

Pov

Após a cena da e do Liam discutindo, achei melhor não ficar ali pra ver, sabia o quão irritada minha amiga podia ter ficado, então quando os dois estavam voltando, apenas segurei o braço do Zayn e o puxei para o carro. Entramos em silêncio e ele me deu o celular, para que eu colocasse na playlist de sempre. Procurei pelo nome "THE Z LIST" e conectei o aparelho no Bluetooh enquanto pensava em formas de contar pro meu primo que eu ia ao baile com o Louis.

― Hey Z, tenho novidades. ― decidi falar por vez. Arrancar tipo um curativo ― Arranjei um par pro baile.
― Já? ― Arqueou as sobrancelhas e olhou pra mim rapidamente, voltando os olhos para a estrada.
― Aham. Foi mais pra ajudar o Louis a se livrar da Madison, mas de todo jeito, vamos juntos. ― dei de ombros e comecei a cantar quando Signs do Drake começou a tocar.
― Achei que você fosse comigo. ― Disse parecendo irritado, então pausei a música e virei meu corpo, o máximo possível, já que estava com o cinto, para ele, fechando a cara.
― Você é meu primo, isso seria estranho.
― Eu também sou seu melhor amigo!
― Zayn, por favor ― revirei os olhos.
― Por favor nada, . Eu conheço o Louis e…
― E o que? Não vamos nos casar! É só um baile. ― bufei começando a me irritar realmente com ele.
― Quando um cara te convida pro baile ele não tem a intenção de apenas dançar.
― Não foi assim que aconteceu. Ele só me convidou por conta da Madison, você não me ouviu?
― É que…
― Você prefere que eu vá com o Tomlinson, que é nosso amigo, ou com um idiota qualquer daquele lugar? ― Perguntei com um tom firme, não desviando meu olhar do garoto em nenhum momento. Mesmo Zayn não me olhando, eu sabia que ele estava colocando os prós e contras em uma balança. Por fim, ele suspirou.
― Lembre da promessa.
― Eu não esqueci em nenhum momento ― Sorri convencida, dando play da música e cantando Drake a plenos pulmões.

Pov

Já estava no Tavern há 17 minutos esperando a . Havíamos marcado duas horas antes do que com o resto do pessoal para fazermos algumas decisões sobre o baile, não que houvessem muitas, a gente já pensava nisso desde nosso primeiro ano, então já tinha grande parte decidida. Levantei meu olhar quando alguém sentou na mesa.

― Que demora!
― Você mora aqui do lado, cala a boca ― resmungou enquanto tirava o caderno da mochila. ― E aí, o que falta decidir?
― Na verdade ― Olhei para o meu próprio caderno, procurando pelas anotações restantes. ― Acho que só a banda mesmo.
― Tem aqueles garotos que se formaram ano passado, eles são bons.
― Eu estava pensando em algo maior ― mordi o lábio e olhei para ela. Aquela era a festa que eu mais estava animada em anos! Eu simplesmente amava organizar essas coisas e fazia um tempo que eu não podia escolher tudo, bom, quase tudo,  como essa.
― Lembra do orçamento do diretor, . ― me olhou e eu cruzei os braços. Sabia que não podíamos gastar muito com isso, mas tinha certeza que ia ser um sucesso.
― A gente podia fazer algo para conseguir fundos…
― Eu não vou lavar carros de novo! ― A olhei com um sorrisinho e ela me olhava com cara de brava. Na última festa que teve no segundo ano, depois de muita insistência minha, o Senhor Wilson, o diretor, deixou que eu e a ajudassem o pessoal do terceiro. Mas o que a gente não esperava era que eles inventassem um car wash para conseguir mais dinheiro.
― Não estava pensando nisso. Que tal um drive in?
― Um o que? ― peguei meu caderno e mostrei pra ela a ideia que eu tive hoje mais cedo.
― É um cinema, mas com carros. A gente podia fazer comida, vender ingressos… O que você acha? ― Estava realmente animada e eu esperava que a ficasse também.
― Se você convencer os outros, eu topo.
― Quando seria? ― perguntei, voltando a anotar tudo que seria preciso.
― Bem, o baile é essa sexta, a outra. Então podemos fazer nessa sexta mesmo. ― concordei.

Depois de alguns, longos, minutos, discutindo os detalhes, os outros começaram a chegar. Guardei as anotações e começamos a conversar sobre nada. Era o que mais fazíamos em grupo.

― Dúvido você ganhar de mim no fliperama ― Ouvi a voz de Niall perto do meu ouvido e virei pro meu melhor amigo.
― Você quer dizer, de novo? ― sorri e ele revirou os olhos
― Vamos, você pode escolher o jogo. ― Assenti e me levantei. Aquele garoto não sabia onde estava entrando. 



Capítulo 3

POV

Eu sabia que o pessoal ia para o O'neill' s hoje, mas do jeito que as coisas estavam em casa eu não tinha me arriscado a pedir pra sair. Quando minha mãe bateu na minha porta, foi com surpresa que recebi o que ela tinha a dizer.

― O Louis veio te buscar.
Sentei na cama onde eu estava deitada, deixando meu celular de lado.
― E e-eu… Você vai me deixar sair?! ― perguntei desconfiada. Minha mãe suspirou e veio sentar na cama perto de mim .
― Você não está de castigo, .
― Não estou?! ― perguntei franzindo o cenho confusa. Ela voltou a negar com a cabeça
― Eu só fiquei chateada por ver você deixar de lado sua família por causa de um garoto, eu não quero que você seja esse tipo de menina. Eu quero que você seja livre, que se divirta e que ame aqueles que merecem seu amor.
― O Mason merece meu amor ― senti a necessidade de defendê-lo por mais que ela não tivesse atacado-o diretamente
― Um garoto lindo como aquele é capaz de fazer belos estragos a um coração, eu só peço que tome cuidado, eu não confio nele.
― Não precisa se preocupar, mãe. Eu confio nele.

Ela pareceu chateada com minha afirmação, um suspiro cansado escapou de seus lábios.

 ― Não importa o que eu diga, você vai achar que eu estou de alguma forma contra você, mas guarde bem minhas palavras… Um pouco de desconfiança em certos casos se faz necessária. ― eu estava preparada para discutir dizendo que relacionamentos só funcionavam com 100% de confiança, mas ela concluiu ― Uma hora você vai entender que eu só quero seu bem… Agora vá, o Louis está esperando .

Ela saiu do meu quarto, me deixando sozinha com pensamentos conflituosos. Minha mãe não entendia, ninguém entendia, mas o Mason fazia bem pra mim… Não fazia? Agora uma pequena dúvida havia sido plantada na minha cabeça. Enfim, deixei de pensar naquilo e levantei colocando rapidamente roupas para sair, então corri para encontrar meu melhor amigo.

Liam POV

A não conseguia ficar com raiva de ninguém por muito tempo, 5 minutos depois da nossa "discussão" por eu ter atrapalhado sua conversa com o americano, já estava tudo esquecido. Claro que a única exceção a essa regra era o Styles, para ele a raiva dela estava sempre ali. Demos uma rápida passada na casa dela, almoçamos lá, enquanto esperávamos que desse a hora para irmos encontrar com os outros na Tavern. Subimos pro quarto dela, a mãe da me amava e eu era o único menino com acesso livre ao quarto da garota. Em partes porque eu achava que a mãe dela me amava tanto que tinha esperanças de que eu virasse seu genro, mas aquilo nunca aconteceria. O que sentimos um pelo outro é completamente fraternal.

― Posso usar seu computador? ― pedi lembrando de algo que eu precisava fazer
― Pode. ― sentei na sua escrivaninha ligando o aparelho ― Devo perguntar pra que? ― ela caminhou até estar atrás de mim ― Você não vai ver pornô pelo meu computador, né, Liam?
― Claro que não! ― falei horrorizado e ela riu alto ― É pra eu comprar o presente da , não quero me esquecer
― Hmm você parece bem focado nesse negócio de presente para .― ela disse com um tom um tanto malicioso
― Não é nada demais… ― dei de ombros. Era só porque depois do incidente com as anotações esse era o mínimo que eu podia fazer para recompensá-la.
era uma das pessoas mais fofas que eu conhecia. Ela era gentil, inteligente e meiga… uma grande amiga.

POV

Niall e Harry moravam perto e por isso tinham sido os primeiros a chegar, depois de mim e . O irlandês e a morena já se encontravam na típica competição deles em um dos fliperamas. Harry parecia irritado com alguma coisa, então puxei o cacheado para junto de mim no sofá.

― Algum problema? ― perguntei. Seu olhar vagou perdido por um tempo e eu esperei. Parecia sério
― Você achou aquele novato bonito? ― ele perguntou parecendo inseguro. Não consegui conter um sorriso, eu não acredita que era isso que o incomodava
― Não acredito que "Harry Styles" está com medo de perder sua posição no ranking de mais gato da escola ― falei com uma voz afetada .

Ele riu, mas seu incômodo ainda estava presente ali.

― Relaxa, Harry, você é muito mais gato que esse americano.

Não consegui concluir esse assunto com meu melhor amigo, porque o restante do pessoal tinha chegado desviando nossa atenção. Niall e se aproximaram e todos ficaram em volta do sofá onde eu me encontrava com Harry.

― Finalmente em! ― falei para os recém chegados.
― Já estava com saudades, princesa? ― Zayn se engraçou pro meu lado, sentando perto de mim. Me limitei a bufar com uma revirada de olhos. Estava a fim de empurrá-lo do sofá no momento, mas desisti vendo que não valia o esforço.
― Então o que vocês querem fazer? ― Liam perguntou.
― Que bom que perguntou! ― falei empolgada e me levantei ― Eu estava pensando que poderíamos brincar de verdade e consequência.
― Não temos mais 10 anos, princesa. Prefiro o Strip Poker. ― Zayn me mandou uma piscadinha enquanto eu me limitei a arquear as sobrancelhas.
― Está com medo, Malik? ― O moreno ajeitou a coluna e olhou fixamente pra mim, com rosto sério, depois balançou a cabeça em negação ― Ótimo ― continuei a ideia. ― Todos dentro? ― recebi um coro de concordância.
― Eu topo, mas aqui? ― questionou desviando um olhar envergonhado pelo espaço.
― E por que não? ― meneou com a cabeça e deu de ombros.

Nos posicionamos em círculo, pegando uma garrafa para ser girada no centro. A ponta com a tampa indicava a pessoa que responderia e a base da garrafa a pessoa que perguntaria. E assim o jogo teve início. Girei a garrafa com a maior força que eu pude e a vi parando em mim. Sorri confiante e olhei para a outra ponta da garrafa, meu sorriso morrendo aos poucos.

― Será que estamos destinados a ficarmos juntos, princesa?
― Só faça o desafio, Malik. ― sorriu de lado pra mim.
― Já que estamos falando de você, vamos ver quantos palavrões você fala em 20 segundos.
― Isso é sério? ― Arqueei a sobrancelha e cruzei os braços. Que desafio é esse?
― Só vai , regras são regras ― me olhou e deu de ombros. Bufei, falando todos os nomes possíveis em voz alta e clara.
― O tempo acabou, quem diria que a princesa saberia tantos, hein?
― É fácil sweetheart, só pensei em xingar você. ― Olhei para Zayn e ele revirou os olhos. Aquele jogo ia ser, no mínimo, interessante.

Pov

Olhei a garrafa apontada para mim e pra . Rezei mentalmente que ela não fizesse nenhuma pergunta constrangedora.

― Verdade ― Ouvi murmúrios descontentes, mas ignorei, focando na morena.
― Você já quis ficar com alguém do grupo? ― pensei em todos esses anos que conhecia os meninos, e surgiu um nome em minha cabeça.
― Já ― Olhei pra Zayn e ele me encarava com os olhos cerrados. ― Foi no início da puberdade, não se preocupe, meus hormônios estão controlados agora. ― respondi, erguendo minha mão em sinal de rendição.
― Quem? ― me olhava curiosa e eu olhei pra . Apenas minha melhor amiga sabia da minha ex paixão platônica por Louis e sempre rimos quando lembramos da época.
― Isso é outra pergunta ― respondi simplesmente e girei a garrafa, ignorando os protestos. O objeto caiu virado para Niall e em .
― Eu realmente não queria que caísse em você, Nini. ― mordeu os lábios e pareceu pensar por um momento após o menino pedir consequência ― Fala qual cor de cueca você está usando ― Deu de ombros e eu olhei indignada para ela. Que pergunta? ― O que foi? Eu realmente não quero saber muito mais sobre o Niall!
― Preta ― o Loiro respondeu e girou o objeto, caindo em Harry e .
― Acho que essa garrafa me amou. Desafio ― respondeu.
― Te desafio a falar algo para constranger o Niall.
― Por que o Niall? ― Liam perguntou enquanto se aproximava do irlandes.
― Porque eu já sei sobre o que ela vai falar. ― Harry respondeu sorrindo e foquei meu olhar em Niall, que estava visivelmente intrigado.
― A cueca preta que você está… é aquela que eu amei da Calvin Klein, Nini? ― respondeu fazendo cara de inocente e com que metade do grupo abrisse a boca em choque, inclusive eu.
― Você viu o Niall de cueca? ― Perguntei interessada.
― Vi, e posso dizer, parabéns Irlandes ― sorriu pra ele e voltou pro seu lugar. Niall estava parecendo um tomate no momento e todos na roda gargalhavam, exceto ele, Louis e… Zayn? 
― Mas que merda , vocês…?
― Louis, você acha que eu ia transar com o Niall? Ele é tipo um irmão pra mim, por Deus! Ia ser a mesma coisa que transar com você ― riu alto.
, você é virgem. ― ele disse, mais tentando se convencer do que realmente afirmar algo.
― Se você vai dormir melhor à noite pensando isso, tudo bem. ― colocou a franja atrás da orelha. Era muito engraçado comparar a aparência delicada da com as coisas que saiam de sua boca.
― Esse jogo está ficando interessante, quem vem comigo pegar bebidas? ― perguntei enquanto me levantava e olhava para os nove. Percebendo que ninguém se mexeu, cruzei os braços. ― Zayn? ― O meu primo me olhou e eu fiz aquela cara fofa que a tinha me ensinado.
― Você tem que parar com isso! ― revirou os olhos e se levantou, passando por mim em direção ao bar.
― Obrigada por me ensinar, . ― sussurrei perto da garota e dei uma corridinha para o lado de Zayn.

Zayn Pov

― O que foi aquilo? ― minha melhor amiga me perguntou quando chegou do meu lado.
― Aquilo o que?
― Você estava todo sério quando a falou sobre o Niall. ― arqueou as sobrancelhas e eu repeti o gesto.
― Eu não fiquei sério.
― Você não me engana, primo. ― cruzou os braços e me olhou nos olhos. Merda, eu odiava quando ela fazia isso, parecia que ela conseguia ver minha alma.
― É que a mentiu lá dentro. Eu ouvi umas coisas quando ela tava lá no quarto do Louis, definitivamente rolou algo. ― Dei de ombros, pedindo algumas cervejas para o barman. O bom daquele lugar, é que eles já nos conheciam e não se importavam de vender bebidas para o nosso grupo, mesmo sendo a maioria menor de idade.
― Não acho que ela mentiu.
, você não ouviu o que eu ouvi.
― Zayn, por favor, você acha mesmo que aqueles dois têm algo? ― me olhou como se eu fosse louco e continuou ― Além do mais, no quarto do Louis? Eles não fariam isso. ― deu de ombros, pegando algumas das cervejas.
― Mas eu ouvi ela falando que…
― É da que estamos falando, lembra? ― Disse por fim, voltando para o grupo. Será que eu entendi aquela cena errada? Balancei a cabeça, tentando tirar aquilo dos pensamentos. Peguei o resto das bebidas e segui a , entregando uma para cada um dos presentes e me sentando entre as duas loiras. Olhei pra que sorria abertamente ao meu lado e os pensamentos voltaram. Quando vi, já tinha dito
― a chamei mais baixo e ela virou pra mim ― Você e o Niall realmente não…
― Não. ― sorriu fraco e eu segui seu gesto. Por algum motivo, aquilo me animou um pouco.

POV

O jogo continuava animado, dessa vez a garrafa apontou pra mim e pra , que me encarou com um olhar tenso.

― Verdade ou desafio? ― perguntei só por perguntar, porque já sabia que a boliviana escolheria verdade
― Verdade ― tá vendo… Mas isso ainda poderia ser interessante, pensei comigo mesma já elaborando minha pergunta
― Não é uma pergunta muito "uau", mas eu tava querendo tirar essa dúvida… Você acha o Liam bonito?

As bochechas dela coraram e ela me desviou um olhar assassino, quer dizer, nem tão assassino assim porque tudo nela ficava fofo, eu não consegui evitar sorrir com a sua reação.

― Um sim ou não basta, mas se quiser elaborar sua resposta fique a vontade ― incentivei ela a responder
― Sim ― ela respondeu por fim. E eu percebi que a partir desse momento ela passou a evitar os olhos do Liam. Ela se apressou para girar a garrafa e tirar a atenção dela.

A garrafa apontava para mim e agora, ela sorriu desafiadora

― Verdade ou desafio? ― ela perguntou.

Eu normalmente sempre escolhia verdade duas vezes antes de ir para o desafio, mas algo no olhar dela me fez quebrar essa tradição.

― Desafio ― ela se animou com a minha resposta.
― Hmm eu te desafio a abrir a calça do Louis… com a boca ― ela concluiu com um sorriso conspiratório.
! Estamos em público! ― arregalou os olhos chocada.
― Shh! ― Zayn cobriu a boca da prima com a mão e a loira revirou os olhos ― É de boa, quase ninguém vem nessa área mesmo, só tem a gente aqui.
― Eu sabia que essas putarias iam vir de você ― falei nada surpresa ― Você tem noção que está me pedindo pra abrir a calça do seu irmão com a boca, né?! ― perguntei só pra ter certeza que ela não tinha ficado maluca.

Ela dispensou minha pergunta com um gesto de mãos e deu de ombros como se aquilo fosse besteira. Levantei e caminhei até onde ele estava, me ajoelhando a sua frente, estávamos numa área bem reservada da Tavern e como o Zayn disse só tinha a gente ali mesmo, por isso dei de ombros.

― Tudo bem pra você, Lou? ― me senti na obrigação de perguntar.
― Será que ela não pode usar as mãos? ― ele se voltou pra irmã com um sorriso envergonhado que era a coisa mais fofa, mas a resposta veio do Zayn.
― E qual seria a graça nisso?! Assim é bem mais divertido.
― Você quer dizer pervertido, né?! ― Harry falou num tom irônico.
― Vão logo com isso! ― disse impaciente.

Não sabia que tinha habilidade para abrir calças com a boca, já que era uma coisa que eu não fazia normalmente, mas não foi tão difícil.

― Bela cueca, Tomlinson ― sorri abertamente ao observar sua expressão um tanto constrangida.
― Obrigado ― ele respondeu. Gargalhei pra aliviar a tensão do momento constrangedor, todos os outros riram e pareceu satisfeita por ter feito o irmão ficar sem graça. Aquele jogo tinha realmente ficado animado, todos pareciam se divertir, à exceção do Harry que estava com o maxilar cerrado e uma expressão indescritível.

Harry POV

Quando eu a vi se ajoelhando na frente do Louis minha vontade foi de ir até lá e afastá-la dele. Eu nunca pensei em bater no meu melhor amigo, mas estaria mentindo se dissesse que a ideia não passou pela minha cabeça naquele momento. Mantive uma expressão séria cerrando meu maxilar enquanto os outros se divertiam com a cena, eu sentia mais raiva ainda por não entender o que estava acontecendo comigo. Dei graças quando a garrafa foi girada novamente, tirando o foco daquela palhaçada que minha melhor amiga tinha instigado. Liam perguntaria pra mim agora

― Verdade ou desafio?
― Verdade ― respondi simplesmente.
― Covarde ― Zayn xingou, mas não me importei. Não estava a fim de fazer nenhum desafio no momento.
― Se você pudesse, mudaria alguma coisa que fez no passado? ― eu podia jurar que ele sabia exatamente o que a pergunta despertaria, mas não. Ninguém sabia o que tinha acontecido…

Meus olhos foram parar instintivamente na . Nossos olhares se cruzaram rapidamente, mas ela desviou o olhar. Continuei observando-a. A tensão que se instalou em seu corpo era visível, os ombros rígidos, seus olhos muito focados em me evitar a todo custo, eu imaginei que ela deveria estar revivendo tudo. Ela então ergueu o queixo e se voltou para me encarar, dessa vez ela não desviou. Seus olhos se prenderam aos meus firmes e afiados, esperando minha resposta uma onda de lembranças passadas me invadiu… "Sim, eu teria feito tudo diferente se pudesse" o pensamento me ocorreu naturalmente.

― Sim ― minha resposta foi firme e suave. Os olhos dela ainda estavam presos aos meus. Pensei ter visto uma sombra de dor naqueles olhos antes dela quebrar o contato.

Não sei se o restante do pessoal tinha percebido essa interação, já que foi algo muito sutil e só levou alguns segundos. Quando ela se levantou dizendo que ia no banheiro não sei o que deu em mim, mas a segui dando a desculpa pro pessoal de que eu ia buscar mais bebida. A encontrei encostada na parede do corredor escuro que leva aos banheiros, seus olhos estavam fechados com força e ela tinha uma das mãos pressionadas na testa.

― Você tá bem? ― seus olhos se abriram em surpresa ao ouvir minha pergunta
― Não é da sua conta ― ela respondeu na defensiva se desencostando da parede

Apesar da grosseria dela e da tentativa clara de me dispensar, algo me fez continuar falando o que eu pretendia

― Eu estava pensando se poderíamos conversar sobre… ― ela não permitiu que eu continuasse
― Não falamos sobre isso, Styles. ― ela falou como se trouxesse à tona um fato absoluto que não poderia ser mudado
― Eu sei, mas…
― Sem mais!

Eu não sabia o que tinha dado em mim pra insistir nisso, era impossível conversar com essa garota. Ela me tirava do sério com o mais simples dos gestos. Soltei um suspiro irritado

― Puta que pariu! Eu juro que eu tento, mas você é impossível. Por que tem que ser tão teimosa?
― Porque algumas coisas simplesmente não mudam. ― sua resposta foi clara. Um lembrete de que não podíamos alterar o passado.

Ela passou por mim no corredor apertado, fazendo questão de pisar no meu pé no processo. Grunhi, soltando um suspiro de dor, notei ainda seu sorriso ao reparar na dor que tinha me causado. Bati meu pé no chão algumas vezes, tentando aliviar a sensação pungente, enquanto diversos xingamentos corriam pela minha mente. É… eu realmente odeio .

Niall Pov

A garrafa já tinha girado dezenas de vezes, as bebidas em nossas mãos se esvaziavam rápido demais e eu realmente agradecia por morar perto do Tavern, ou então, estaria realmente ferrado. A única coisa que me fazia continuar ali, mesmo depois de toda vergonha que eu havia passado, era que estava ainda pior.

― Ok , você terminaria com seu namorado por 1000 libras? ― nem teve tempo de responder, uma bem bêbada tomou a frente.
― Ela não precisa responder, eu a faria terminar e ainda comprar um belo par de botas! ― todos na roda riram menos , que cruzou os braços e fez bico.
― Bem, pelo menos teve coragem de falar o que sentia para o Mason, diferente de uma pessoa, não é ? ― disse rindo enquanto terminava o que devia ser sua quinta garrafa.

Vi minha melhor amiga fechar a cara no mesmo momento, olhando em volta para ver se alguém mais escutou a loira, bufou e levantou, saindo dali, me fazendo estranhar o comportamento dela, mas aparentemente mais ninguém notou. Levantei e segui o mesmo caminho que , procurando a garota quando cheguei perto do bar.

― Hey ― ouvi a voz da morena e olhei para o banco mais adiante. me olhava com um olhar indecifrável e me sentei ao seu lado.
― O que aconteceu?
― Acho que todo mundo notou. ― abaixou a cabeça e eu entendi sobre o que ela falava.
― Não se preocupe, eu acho que ninguém vai se importar com isso amanhã. ― dei de ombros e ela suspirou.
― Será que o Liam notou? ― pensei um pouco. Seria bem difícil ele não ter notado, já que tinham feito diversas piadinhas sobre os dois e o menino não havia passado de duas cervejas.
― Talvez… ― A vi ficar tensa e suspirei ― Mas , não seria mais fácil você só falar que gosta dele?
― Não! ― me olhou como se eu tivesse dito a coisa mais absurda do mundo. ― Eu não quero levar um não e deixar as coisas estranhas entre a gente.
― O Liam seria idiota de dizer não pra você. ― sorri verdadeiramente e minha amiga me lançou um sorriso fraco. ― Falo sério, você é incrível . E com certeza vocês são maduros o suficiente para não deixar a resposta, independente qual seja, afetar o grupo.
― Quer saber, você tem razão. ― levantou rápido depois de alguns minutos em silêncio, me dando um beijo na bochecha e voltando a passos apressados para a roda.
Não sei se o Liam percebeu o que a sente por ele, mas realmente espero que ele note antes que seja tarde demais.

Pov

Toda confiança que o Nini me deu ia se esvaziando enquanto eu me aproximava do grupo. Eu tinha tomado a decisão de contar como eu me sinto pro Liam, mas estava começando a repensar sobre. Cheguei na roda e o moreno não estava lá.

― Cadê o Liam? ― perguntei pro Louis, sentando ao seu lado.
― Ele recebeu uma mensagem e saiu há alguns minutos. ― deu de ombros e girou a garrafa.― Verdade ou desafio? ― perguntou pra que pareceu pensar por um tempo.
― Desafio.
― Troque de roupa com algum dos meninos! ― respondeu rindo. Olhei rapidamente a roupa da loira. Ela usava uma saia xadrez e um cropped.
― Ok Tomlinson, vamos trocar de roupa então. ― ela levantou e encarou o menino ao meu lado, o fazendo franzir o cenho e me fazendo rir.
― Eu não conto.
― Sei que você é um pouco menina, mas… ― falou e todos rimos, menos o Louis.
― Não, quer dizer, eu fiz o desafio!
― E o desafio voltou pra você. ― disse simples, dando de ombros com um sorriso nos lábios.
― Quer merda Malik! ― Ele bufou, levantando e indo com em direção ao banheiro do lugar. Ri baixo e notei uma figura familiar perto do fliperama. Mandei um "já volto" e fui em direção a Liam.

O quanto mais eu me aproximava mais eu percebia uma figura feminina próxima a ele, mas no momento em que seus rostos se aproximaram eu parei. Meus pés simplesmente não queriam se mover. Eu fiquei olhando a cena dos dois se beijando por alguns segundos antes de, finalmente, olhar pra baixo, envergonhada e sentir meus olhos arderem.
Esse era o momento de ser racional, eu e o Liam sempre fomos amigos e eu já sabia que não passaríamos disso, não deveria me incomodar que ele beijasse outras garotas. Então por mais que eu não estivesse olhando, a imagem mental das mãos dele na cintura daquela garota me assombrava "Não vou chorar" comecei a pensar comigo mesma… as mãos dele enroscadas no cabelo dela "Não vou chorar" dessa vez o pensamento era mais fraco. Percebi que não iria aguentar, não queria que ninguém me visse chorando, me encostei numa parede do canto escondida de qualquer um que olhasse. Meu peito doía, eu não conseguia respirar, tinha medo de começar a chorar ali sozinha e não conseguir mais parar, mas as lágrimas simplesmente vieram e eu me sentia a pessoa mais estúpida da face da terra "Que merda, Payne!"

Louis Pov

Estiquei a mão, pegando a saia de . Estávamos um de costas pro outro tentando completar aquele desafio, mas não estava indo muito bem.

― Sério , por que você tem que ser tão pequena? ― olhei o tecido em minhas mãos e ouvi a gargalhada dela.
― Não reclama, estou precisando de um cinto aqui.
― Eu nunca desejei tanto retirar um desafio ― bufei, vendo que aquela saia não passaria pelo meu bumbum. ― É sério, ela não quer passar.
― Quem mandou ter uma bunda grande, Louis? ― parei no exato momento, me virando pra ela. A garota estava com o cropped na mão esquerda e virada de costas pra mim. Passei os olhos por toda extensão das suas costas, notando que a minha calça realmente ficava caindo por seus quadris, a fazendo segurá-la com a mão direita. Balancei a cabeça e corei um pouco ao notar que olhava com tanta intensidade para minha amiga de infância.
― Então você olha para a minha bunda, Malik?
― Essa frase ficaria tão boa se fosse o Zayn aqui. ― Riu alto, jogando a cabeça pra trás e me fazendo rir junto.
― Ok , eu desisto, toma sua saia. ― tirei a roupa e joguei pra ela, me virando novamente para a menina poder se trocar.
― Você sabe que vai precisar ao menos vestir isso, né? ― olhei por cima do ombro e a menina me estendia o top rosa junto a minha calça jeans. Soltei um riso nasalado mas peguei os tecidos, tirando a minha blusa e entregando pra ela. Não desistia do desafio, pelo menos, parte dele. Vesti a calça primeiro, antes de me enrolar com a camiseta.
― Você poderia me ajudar, sabe? ― ouvi um ´poderia pedir por favor´ e antes de responder senti as unhas da garota arranhando minhas costas de leve, enquanto ela tentava desenrolar o tecido. Um arrepio passou pela minha espinha e acho que ela percebeu, já que se afastou no mesmo momento. Virei em sua direção.
― Você está uma gracinha. ― disse sorrindo e apontando para sua blusa, que ficava colada no meu corpo e ia até metade da minha barriga.
― Eu fico uma gracinha sempre.
― Tenho que concordar. ― Sorri pra loira e me aproximei dela. Não sabia o motivo, mas sentia que precisava ficar mais perto de .
― Você também está. ― Olhei para a minha camisa, que cobria quase toda a saia, deixando uma fina linha aparente do tecido xadrez.
― Obrigada, Lou. ― sorriu. A distância entre nós dois que já era pequena, se tornou menor ainda quando eu dei um passo à frente. Eu olhava fixamente em seus olhos e vi quando a garota desviou a atenção para os meus lábios, soltando o ar. Sorri pra ela, me aproximando lentamente.
Sinceramente, eu não sabia o que estava acontecendo ali, mas era uma sensação nova e boa. Coloquei uma mão em sua cintura e quando estávamos a poucos centímetros, ouvi a voz dela
― Acho melhor voltarmos.
E saiu, sem dizer mais nada e me deixando confuso olhando em direção a aquela porta. Mas que merda foi essa?



Capítulo 4

Niall POV

Acordei com uma dor de cabeça terrível e amaldiçoei quem teve a ideia de beber em plena terça feira. Me vesti rapidamente e tomei meu café enquanto esperava me responder. Como morávamos perto, íamos juntos para a escola todos os dias. Ouvi meu celular apitar e abri a mensagem da minha amiga.

: Estou pronta

Não me dei ao trabalho de responder, apenas peguei a chave do meu carro e fui até o final da rua, onde mora e buzinei duas vezes, como sempre.

― Bom dia, . ― Dei um beijo em sua bochecha quando a morena entrou no carro e ela me lançou um sorriso fraco. Não tínhamos conversado desde o papo dela contar pro Liam, ontem. ― Tá tudo bem?
― Tá sim. ― Sorriu fechado e eu parei no sinal, a encarando. Ela suspirou ― Ontem eu vi o Liam beijando uma garota, mas tá tudo bem, acho que foi melhor assim.

Eu realmente não sabia o que dizer. Não era novidade para mim que a gosta do Liam, mas ela parecia bem mais contida em falar isso comigo. Ia falar algo quando ela me olhou e fez sinal negativo com a cabeça, como se não quisesse falar sobre. Suspirei e voltei meu olhar pra estrada, seguindo o caminho tão conhecido por mim.
O caminho não demorou mais que 15 minutos, e em pouco tempo já estava estacionando no enorme estacionamento da escola. Sai do carro e a morena fez o mesmo, segurando meu braço e me puxando pra perto do grupo, que já estava reunido na frente da entrada.

― Bom dia ― disse animada e eu mandei um aceno em sua direção. ― Como eu estava dizendo, eu e a tivemos uma ideia ontem. Já falei com o diretor e ele autorizou, mas precisamos de voluntários e eu pensei em vocês.
― Vocês tem que andar com outras pessoas, sempre pensam na gente ― Zayn cruzou os braços e recebeu um sorriso irônico da .
― Você não aguentaria de saudades, Badboy. ― Zayn ia responder, mas continuou. ― De todo jeito, vai ser bem legal. É um Drive in e eu meio que já inscrevi vocês…
! ― Houve um enorme número de reclamações, inclusive minhas, mas isso não pareceu afetar a animação da Tomlinson.
― Vai ser divertido, eu juro! Infelizmente só vão contar quem vai trabalhar na sexta, mas se eu descobrir antes, conto para vocês. Agora eu e a precisamos anunciar isso, beijinhos― Disse sorrindo e puxando para dentro.

Suspirei. Quando colocava uma coisa na cabeça, ela não tirava, e ela já havia colocado nossos nomes, então teria que ser feito. Talvez fosse até divertido… eu podia chamar a Crystal para ajudar. Peguei meu celular e procurei pelo contato da garota, digitando uma mensagem rapidamente.

Niall: O que você acha de ajudar no Drive In essa sexta?

A resposta não demorou para chegar

Crystal: Só se você me pagar uma pipoca.

Sorri e digitei a resposta, começando realmente a me animar

Niall: Fechado.

POV

Na quinta feira foi feita uma votação para decidir qual filme seria exposto no drive in no dia seguinte e dentre as opções que foram dadas, Avatar ganhou. Eu tinha certeza que meu melhor amigo estava chateado por Toy Story ter perdido na votação, porque quando ele veio me dar carona na sexta feira à noite eu tive que aguentar um monólogo do Louis sobre como era ridículo que o pessoal da escola preferisse assistir a um filme com gigantes azuis do que com bonecos que tinham vida, pra ele aqueles bonequinhos sempre seriam mais interessantes do que qualquer outra coisa. Me despedi e me separei do meu amigo agora resignado em assistir um filme com gigantes azuis e fui tomar meu lugar na mesa de projeção. Eu tinha ficado responsável pela reprodução do filme no projetor, essa era a parte mais importante de todo esse negócio de drive in e eu achava que esse era um trabalho que merecia a devida atenção de seus envolvidos. Minha parceira, no entanto, estava muito ocupada se distraindo com um loirinho irlandês que ficava numa barraca de comidas a uma curta distância de onde estávamos. Eu estava abaixada organizando uns cabos.

― Crystal, você pode me passar o adaptador? ― pedi.
― Hmm? ― a ruiva murmurou distraída. Revirei os olhos.
― Deixa... ― suspirei irritada. Levantei e fui eu mesma atrás do adaptador. Depois de uma curta busca pela mesa, percebi que ele devia ter ficado na caixa no carro.
Sai com passos irritados em direção ao carro. Estava voltando com a caixa em mãos quando cruzei com a . Ela percebeu minha expressão.
― O que foi, amiga? ― ergueu as sobrancelhas.
― Nada! Só acho que seria bom se eu tivesse uma dupla que realmente fizesse alguma coisa além de babar pelo Horan ― bufei irritada.
― A Crystal e o Niall?! ― ela parecia surpresa.
― É, aparentemente! ― apontei para onde a ruiva estava, ainda olhando o menino
― É… Vendo assim até que tá meio óbvio ― completou com uma risada.
― Não ri! Isso é péssimo, atrapalha todo meu trabalho. Ela podia focar só um pouquinho em outra coisa, ela pode acabar se assustando ele  assim.
! ― me repreendeu, eu dei de ombros. Eu não tinha falado pra ser má, era simplesmente um fato. Niall não parecia o tipo de menino que se sentia confortável com tantos olhares assim, mas de novo eu não o conhecia tão bem assim, só éramos amigos.
― Eu tenho que voltar. Pelo visto esse filme depende só de mim pra entrar em exibição ― falei ainda irritada e minha amiga gargalhou.
― Boa sorte, amiga! ― ela me desejou com um sorriso e um olhar compreensivo
Voltei ao meu posto para colocar o projetor em funcionamento, com uma parceira como a Crystal eu não poderia desviar meu olhar por um segundo da projeção… seria uma longa noite.

Liam POV

Eu estava trabalhando na venda de ingressos com uma animada e uma mais calada do que o normal. Estranhei a falta do sorriso da boliviana, mas dei de ombros. Percebi que , por outro lado, parecia bem animada olhando um ponto a distância.
O motivo da sua animação se revelou na forma masculina de um americano de 1,93 m. James caminhou até o balcão onde estávamos, acenou pra mim e pra , mas logo focou sua atenção na minha melhor amiga. Escutei a conversa deles já que não havia ninguém pra atender e eu estava entediado.

― Que horas você fica livre?
― Acho que uns 20 minutos antes do filme começar... Por quê?
― É que eu trouxe meu carro e estava pensando que podíamos assistir ao filme juntos...
― Eu ia adorar, Jem!
― Te vejo daqui a pouco então...
O sorriso da minha amiga triplicou e eu não perderia a oportunidade de tirar onda com ela.
― Sério, ? Você já está apaixonada? Faz o que... uma semana que você conhece esse cara?
O sorriso dela se desfez numa expressão irritada. Ela revirou os olhos pra mim
― E quem é você pra falar? Pensa que eu não vi você e a Kate? Também não faz mais de uma semana que você a conhece

Droga! Eu não sabia que a sabia sobre a Kate, minhas bochechas coraram levemente com a menção ao nome da última garota que eu tinha ficado. Eu contava tudo pra minha melhor amiga, mas como o número de garotas que eu ficava normalmente era alto, eu tentava mantê-la informada só sobre aquelas que realmente importavam e eu ainda não sabia se a Kate era uma delas.

― Ela é legal e muito bonita, sei lá só tô vendo onde as coisas vão dar ― expliquei dando de ombros.

Percebi que tinha deixado o balcão e tinha uma expressão culpada no rosto, ouvi ela xingando baixo.

― O que foi? ― perguntei alarmado.
― Nada... Será que você pode segurar as pontas aqui sozinho? ― ela pediu e eu arquei as sobrancelhas ― É rápido!
― Tá, tudo bem.

Ela correu seguindo na direção em que tinha ido... Que estranho! Bom... "Garotas" pensei balançando a cabeça em negação, eu realmente nunca iria entendê-las.

POV

Eu estava me segurando para ficar o mais normal possível perto do Liam, mas ouvi-lo falando daquele jeito de outra garota, trouxe os sentimentos da noite anterior à tona. Levantei o mais discretamente que consegui e sai do balcão, me escorando na primeira parede que eu vi, perto dos banheiros.

! ― Ouvi a voz de e respirei fundo, colocando um sorriso fechado em meus lábios.
― Oi
― Desculpa ― ela me olhou culpada e eu achei melhor me fingi de desentendida, juntando as sobrancelhas. ― Pelo que aconteceu lá dentro, eu não devia ter tocado no assunto.
― Tá tudo bem, , eu e o Liam somos só amigos. ― dei de ombros, tentando parecer que aquela frase não me machucava.
― Para com isso, ok? Eu sei que você gosta dele. ― Cruzou os braços e eu suspirei irritada.
― Será que dá pra não falar disso? ― minha amiga arqueou uma sobrancelha, parecendo preocupada.
― Não, não dá. ― me olhou intensamente e suspirou, relaxando os braços do lado do corpo ― Eu só… não quero que você se machuque.
― Um pouco tarde pra isso. ― murmurei baixo, mas acho que minha amiga ouviu, já que me mandou um olhar de pena. ― Não me olha assim, .
― Olhar como?
― Desse jeito, como se estivesse com pena de mim. ― apontei pro seu rosto enquanto falava.― Eu juro, tá tudo bem. Só não queria ficar lá e ouvir aquilo, sabe? ― ela concordou e me abraçou.

Me deixei ser envolvida pelos seus braços e bufei ao notar minha fragilidade no momento. Que merda Liam Payne estava fazendo comigo?

Louis POV

― Sério, esse é o trabalho mais chato que eu fiz! ― Bufei irritado, olhando pro moreno ao meu lado. James sorriu, concordando comigo.
― Pelo menos vamos estar livres daqui a pouco. ― deu de ombros e sinalizou o caminho para outro carro que chegava.
― Correção, você vai ficar livre. Eu ainda tenho que ajudar na saída.
― Sinto muito por você. ― Respirei fundo e concordei.

Eu tinha ficado com a área do estacionamento, e já achava que a noite ia ser péssima quando não vi nenhum dos nomes dos meus amigos na mesma lista, mas James estava sendo uma boa descoberta. O moreno era engraçado e parecia animado, o que me animava um pouco também.

― Ok meninos, vocês estão livres por enquanto, o estacionamento tá cheio e em poucos minutos o filme começa. ― Uma loira, que eu arriscava dizer que já vi discutindo com a , falou e anotou algo na prancheta que o pessoal do comitê usava. Não ousei ficar ali por nem mais um segundo, vai que ela muda de ideia.

Andava a passos rápidos em direção a tenda onde as comidas eram vendidas. Eu não pretendia comprar nada, mas precisava conversar com a . Ouvi uma voz me chamando e virei, encontrando James dando uma corridinha até onde eu estava.

― Hey ― colocou a mão nos bolsos e corou um pouco ― Você é amigo da , né? ― Assenti.
― Desde que ela veio pra cá. ― sorri um pouco, lembrando que a garota era brasileira e sempre inventava de cozinhar algo novo pra gente.
― E você sabe qual é o doce favorito dela? ― arqueei as sobrancelhas e ele sorriu tímido. ― É que vamos ver o filme juntos aí eu…
― Doce mesmo é brigadeiro ― juntei minhas sobrancelhas em dúvida. Sentia que aquela palavra não estava certa ― Mas para você comprar aqui, Kitkat. ― Não deixei o garoto terminar a frase. Ele era divertido e se eles se gostassem, seria interessante.
― Obrigado ― suspirou, como se eu tivesse tirado um peso de seus ombros.
― Não por isso. ― disse e ele começou a se afastar, indo em direção aos banheiros ― James! ― Ele se virou, me olhando. ― Não machuque aquela garota. ― Disse sério e ele concordou.

Suspirei, voltando meu olhar para a tenda das comidas. ria de algo que o Niall falava e parecia se divertir naquilo. Sorri de lado, começando a reparar nos detalhes da garota. Os cabelos loiros estavam em uma trança e ela vestia um short preto e uma camisa vermelha do Queens, ela estava linda. Balancei a cabeça, tirando essa ideia da minha mente e comecei a andar na direção que ela estava. Insistia em responder que estava fazendo isso porque conhecia a garota desde sempre e não queria que o clima entre a gente ficasse estranho só por conta do que rolou na terça. Mas ao notar o sorriso da garota fazendo algo tão besta como pipoca, eu me deixei sorrir junto.

POV

, que era a "chefe" do nosso setor, me liberou cinco minutos antes, apesar de eu não merecer isso depois de mencionar a garota que o Liam beijou na frente dela. Mas era uma garota incrível e uma amiga melhor ainda e sabia o quanto eu estava ansiosa para encontrar o Jem então me liberou.

― Eu fico te devendo uma, ! ― abracei a garota apertado e ela riu
― Vai logo, ! ― ela me dispensou

Ele tinha me mandado uma mensagem dizendo que estava me esperando no setor C, uma das áreas que tínhamos separado para os carros. Atravessei todo o pátio de carros até chegar do outro lado no setor C, parei intrigada olhando ao redor, eu não o via em lugar nenhum e era meio difícil que ele tivesse passado despercebido por mim, ele tinha quase dois metros de altura. Mãos cobriram meus olhos e um perfume de menta invadiu meus sentidos, meu sorriso veio sem que eu percebesse

― Jem…
― Como sabia?! ― ele parecia curioso. Apenas dei de ombros. ― O carro está ali

Ele apontou para uma BMW m5 preta, eu sabia exatamente o modelo por causa do meu irmão, ele adorava carros e estava sempre me mostrando modelos. Meus olhos se arregalaram levemente.

― Você tem uma BMW m5 e uma moto... ― afirmei com um tom meio surpreso
― É, mas por mim eu só teria a moto. Meu pai insiste no carro ― ele explicou dando de ombros
― Pai amoroso esse seu… ― ergui as sobrancelhas para o carro à frente, ele riu.
― É, eu não posso reclamar.
Tive um pequeno calafrio, a noite hoje estava mais fria que o normal, ele percebeu.
― Pode ir entrando e ligando o aquecedor. ― ele me estendeu as chaves ― Eu vou comprar comida pra gente… ― assenti e fiz o que ele disse.

Alguns minutos depois ele estava de volta com meu chocolate favorito, peguei o KitKat que ele me estendia com um sorriso curioso

― Como sabia?! ― perguntei e foi a vez dele de dar de ombros. Eu devia ter respondido sua pergunta sobre como eu sabia que era ele de olhos fechados, agora eu estava curiosa pra saber como ele sabia meu chocolate favorito e ele não responderia.

Passamos a maior parte do filme conversando. Eu estava encantada com ele, principalmente, quando ele disse que tinha lido meu livro favorito e afirmou que aquele era um de seus livros favoritos. Eu não aguentei, precisava falar com a ! Esse menino não parecia real…

Pov

Consegui desviar do Louis o resto da semana toda, quando ele tentava falar comigo eu simplesmente dizia que estava atrasada ou me juntava ao meu primo. Não sabia ao certo o motivo de estar evitando o garoto, mas toda vez que eu tentava falar com ele, eu lembrava da forma que fugia e ficava com vergonha.
Estava conversando com o Niall enquanto fazia pipocas quando ouvi a voz do Tomlinson e me assustei, jogando uma boa quantidade de milho pra cima.

― Iai, Harry.
― Você já acabou? Que injusto! ― O cacheado reclamou e eu senti que ele estava com um bico, já que eu estava de costas e não conseguia ver os dois.
― Só vão precisar de mim quando o filme acabar, e eu pensei em passar aqui.
― Vai querer algo?
― Uma pipoca média. ― disse e eu não me preocupei em ouvir a resposta do cacheado.

Ia pedir para o Niall encher, mas ao notar que o loiro estava separando os doces, bufei. Peguei o pote e o enchi de pipoca, virando de frente para os dois e me aproximando de Tomlinson.

― Aqui ― disse e me virei, na intenção de fugir dos seus olhos.
― Ei , a gente pode conversar? ― respirei fundo e coloquei um sorriso sem graça nos lábios, me voltando pra Louis.
― Claro.
― Eu só queria saber se, bem… ― colocou a mão na nuca, parecendo tão constrangido quanto eu. ― Tá tudo bem entre a gente? ― olhei em seus olhos e notei sua preocupação estampada ali. Aquilo me fez franzir o cenho, ele não estava irritado comigo?
― An, tudo bem, é… ― mordi o lábio, me amaldiçoando por não conseguir falar uma simples frase ― Claro Lou, estamos bem. ― Sorri de lado pra ele que me lançou um sorriso fofo em resposta e acenou, agradecendo e se afastando. Soltei o ar, que só então, notei que prendia e olhei pra baixo. Isso foi, no mínimo, lamentável. Ouvi a risada baixa do Harry e dei um pulo, só então notando que o garoto continuava ali.
― Vocês são fofos.
― Não sei do que… ― fomos interrompidos por uma voz grossa e eu notei o maxilar do Harry trincar.
― É… licença, vocês podem me dar dois kitkats e uma pipoca grande? ― Olhei pra Harry, que parecia disposto a ignorar o menino e arqueei a sobrancelha, curiosa com sua reação. Me aproximei dos doces, pegando os dois chocolates e indicando a pipoca para Styles. Voltei para o balcão e entreguei os doces para James, sorrindo.
― Esses são os chocolates favoritos da . ― Respondi, pegando o dinheiro que o Americano me estendia.
― Eu sei, é pra ela. ― Sorri verdadeiramente. Eu sabia que a estava com uma quedinha pelo rapaz, e minha melhor amiga realmente merece se divertir um pouco.

Meu sorriso diminuiu quando vi a cara de irritação do Harry ao me estender a pipoca. Entreguei o balde para James, que me mandou um "obrigado" e foi em direção aos carros. Ao notar que ele já estava longe, pedi para o Niall ficar no balcão e puxei Harry para o canto da tenda.

― O que foi?
― Nada. ― Bufou, tentando passar por mim.
― Que ceninha foi aquela? Está com ciúmes, Harry? ― cruzei os braços e ergui uma sobrancelha, em sinal de desafio. Ele parou e me olhou nos olhos, lançando um sorriso irônico pra mim.
― Qual ceninha? A de você com o Louis? ― Meu sorriso se desfez no mesmo momento, mas não ousei desviar o olhar.
― Não tem nada entre mim e o Louis.
― E não tem nada pra eu ter ciúmes. ― estreitei meus olhos e me afastei dele. Claramente não tinha caído nesse papo, algo me dizia que Harry estava com ciúmes, sim. E eu só tinha que esperar o momento certo pra tirar essa dúvida.

Harry POV

"Ciúmes?!" Humpf até parece… A só podia estar louca, ainda bem que eu pude mencionar o fator Louis desviando o foco dela de mim. Não sabia exatamente o que tava rolando entre eles, mas eu sentia que tinha alguma coisa. A conversa que ouvi deles só provava minha teoria, o jeito bobo, tenso e constrangido que os dois sorriam… definitivamente tinha algo ali. Eu teria que avisar ao meu melhor amigo pra tomar cuidado com o Zayn, a Malik estava fora dos limites e todos sabiam disso. Um garoto de cabelos pretos com mechas azuis parou em frente a barraca.

― Boa noite. Em que posso ajudar? ― falei com um tom neutro e entediado.
― Eu vou querer um Twix e uma pipoca pequena.
foi preparar a pipoca sem que eu precisasse pedir e esperei a resposta de Niall sobre o doce, já que tínhamos deixado ele responsável por essa parte.
― Acabou o Twix ― anunciou.

Franzi o cenho confuso, não lembrava de termos vendido tanto assim.

― Então só a pipoca mesmo ― o de mechas azuis respondeu, pagou e saiu.

cruzou os braços e encarou o irlandês.

― Certo… Agora o que aconteceu com os Twixs?
― Eu comi… ― o loiro admitiu depois de receber o intenso olhar inquisitivo da garota.
― Tudo?! ― perguntei surpreso. Ele assentiu.
― Niall! ― a loira falou exasperada ― A gente não podia ter acabado tudo no primeiro turno! Se você continuar comendo não vai deixar nada pra e pro Zayn venderem.
― Desculpa…
― Eu te mandaria comprar mais, se não tivesse medo que você comesse tudo no caminho! ― ela apontou um dedo furioso na sua direção.
Niall foi salvo de mais esporros pela chegada da .
― Oi, amiga! ― desviou sua atenção pra morena e Niall suspirou aliviado ― O que vai querer?
― Sei lá! Me dá qualquer coisa. Eu só precisava vir falar com você.
― Hmm. Como tá indo lá? ― Malik perguntou animada.

Eu não devia, mas continuei prestando atenção na conversa das duas de costas enquanto fingia estar ocupado com a máquina de pipoca.

― Ele é tão inteligente!
― E eu pensando que você ia me trazer informações mais precisas sobre o corpo dele ― apontou decepcionada. Pude ouvir a risada da morena.
― Ele leu Frankenstein! ― ela continuou ignorando o comentário da amiga ― É um dos livros favoritos dele também! Você tem noção de como é bom conversar com alguém que sabe que Frankenstein na verdade não é o monstro e sim o cientista?!
― Você deve estar nas nuvens!
― Estou… Ele é tão perfeito que às vezes eu tenho medo que ele vá simplesmente sumir.
― Só relaxa, . Você merece alguém como ele. O universo tá só te recompensando.

Eu estava sentindo um tipo diferente de raiva, foi só quando a se virou pra mim com as sobrancelhas erguidas, depois da saída da , que eu percebi o que estava fazendo. Um pote de pipoca tinha se quebrado sobre meu aperto, relaxei as mãos e continuou a me encarar, seu olhar trazia um questionamento "Ciúmes, Harry?" revirei os olhos e me afastei para jogar o pote destruído no lixo.

POV

Cheguei cinco minutos antes da troca de turno para liberar o pessoal, o movimento agora da metade pro final do filme era sempre menor então era tranquilo.

― Ei , cadê o seu primo? ― questionei a loira que se virou pra mim.
― Não sei ― deu de ombros ― Ele disse que estaria aqui pra troca de turno antes de me deixar e sair com o carro.
― Ele não ficou aqui no drive in?! ― minha voz subiu algumas oitavas.
― Não… Ele disse que não perderia mais tempo do que o necessário com essa coisa toda ― ela explicou revirando os olhos.

Se Malik não chegar aqui a tempo, eu já estarei pronta para destruí-lo. se afastou e Niall também já tinha ido embora. Harry permanecia ali.

― Hazza! ― chamei, pensando em pedir pra ele me ajudar aqui enquanto o Zayn não chegava, mas quando ele se virou pra mim vi sua expressão pesada ― O que foi?! ― perguntei alarmada.
― Nada… Eu vou pra casa ― ele passou por mim ― Não fico aqui mais um segundo!
― Harry! ― chamei querendo perguntar o que aconteceu, tinha algo muito errado ali
― Agora não, . Depois a gente conversa ― ele falou por cima do ombro e se foi.

Fiquei lá sozinha atendendo as poucas pessoas que apareciam e amaldiçoando o Zayn pela sua falta de comprometimento. Meia hora depois o moreno apareceu, com um sorriso lindo e irritantemente tranquilo.

― Boa noite, princesa. Quebrou alguma unha na minha ausência?
― Por sorte não, mas se tivesse quebrado você pagaria minha manicure ― apontei um dedo sério pra ele ― Onde você esteve? ― questionei sem conseguir me conter
― Por aí… ― a resposta vaga dele me fez ter vontade de esgana-lo, mas me limitei a revirar os olhos.

Ele deu dois passos na minha direção, ficando mais perto de mim no espaço apertado atrás daquele balcão. Sobre a luz fraca da barraca seus olhos cor de mel ganharam uma coloração escura intensa. Fiquei levemente desconcertada, meus lábios se entre abriram e um suspiro leve me escapou.

― Já pode admitir que estava com saudades… ― ele disse num tom presunçoso.
Pisquei tentando recuperar meu foco e coloquei as duas mãos sobre seu peito o afastando de mim, passei por ele indo para o outro lado da barraca. Abrindo certa distância entre a gente.
― No dia que eu admitir isso eu não vou estar no meu normal, Malik, então se esse dia chegar me faz um favor e me leva pro hospital tá?

Falei com um sorriso irônico e debochado. Ele não me deu uma resposta, um cliente apareceu e voltei ao trabalho assim como ele. O clima naquele espaço parecia oscilar rapidamente, coloquei a culpa do calor que eu estava sentindo nos meus hormônios e não em olhos intensos e sorrisos provocantes.

Zayn POV

Eu tinha me atrasado porque minha mãe havia me ligado, um pouco mais cedo e eu perdi a hora falando com ela e com as minhas irmãs. Era difícil ficar tanto tempo longe delas, e eu já pensei altas vezes em jogar tudo pra cima e voltar pra Bradford, sempre desistindo quando chegava em casa e via os pais da . Eles eram como meus segundos pais, e eu não conseguiria ir embora assim, depois de tudo que eles fizeram por mim.
Tirei isso da cabeça e fui encher o copo de refrigerante que havia me pedido. O movimento estava fraco, desde que eu cheguei, atendemos no máximo, 4 pessoas, e eu já estava ali há mais de uma hora. Bufei, sentado no canto da tenda.

― Você não quer ver o filme? ― A garota me perguntou, se sentando ao meu lado. Arqueei a sobrancelha. Era estranho ver a bipolaridade que tínhamos quando estávamos juntos.
― Avatar? Já o vi mais de dez vezes. ― dei de ombros, fechando os olhos.
― É, eu também. ― ela suspirou, parecendo cansada e eu olhei pra ela. Seus cabelos estavam mais bagunçados que o normal, ela não parecia usar maquiagem e tinha um leve cheiro de manteiga, mas mesmo assim, ela estava linda. ― O que foi? ― riu sem graça ao notar que eu a encarava.
― Você está bonita. ― Disse simplesmente e suas bochechas atingiram um tom mais vermelho, me fazendo sorrir de lado.
― Obrigada, badboy. ― empurrou meus ombros com os seus, mas continuou me encarando. Ficamos assim por um tempo, só curtindo a presença um do outro, até que a garota desviou o olhar para meus lábios.

Sorri fraco, me aproximando da loira, devagar o suficiente para que, se ela quisesse, me desviar do ato. Mas me surpreendi ao sentir as mãos dela em minha nuca, me puxando pra perto. Nossos lábios se encostaram, inicialmente em um selinho, mas pedi passagem e ela cedeu rapidamente. O beijo era bom, nossos lábios se moviam em sincronia e sabia muito bem o que fazer, arranhando minha nuca delicadamente enquanto eu apertava, de leve, sua cintura. Quando o ar se fez necessário, nos afastamos, sorrindo um pro outro. Ia me aproximar novamente quando me lembrei de uma coisa, me afastando rapidamente de Tomlinson e levantando.
― Eu tenho que ir. ― O sorriso de seus lábios sumiu rapidamente e eu me arrependi por isso. Ela apenas assentiu e eu busquei minha jaqueta, indo em direção ao meu carro. Droga de Promessa.



Capítulo 5

POV

O dia de ontem foi incrível, conseguimos arrecadar mais que o necessário e eu sentia que as meninas estavam nas nuvens. Já era tarde da manhã e eu estava fazendo um chá quando meu primo apareceu na porta da cozinha.

― Bom dia, Z.
― Bom dia, ― Sorriu fraco e eu percebi algo estranho no seu olhar, mas não me atrevi a perguntar. Estava com uma dúvida e embora Zayn fosse meu melhor amigo, ele também era meu primo e eu sabia que esse lado protetor dele pesaria na resposta.
― Sabe, eu estava pensando. ― Comecei baixinho e o moreno se virou pra mim, focando toda sua atenção em minhas palavras. ― Seria muito ruim se a gente desfizesse a promessa? ― Meu primo me olhou sério e ajeitou a coluna.
― O que você fez? ― revirei os olhos e olhei pro Zayn. Eu nunca quebraria uma promessa, mesmo se ela fosse tão idiota quanto essa.
― Nada, mas eu estava pensando. Você não acha ela meio idiota?
― Não se ela te impede de se machucar. ―Achei fofa a preocupação do Zayn, mas eu sabia como me cuidar.
― Eu sei como me cuidar, Z.
― Por que você quer desfazer? ― me olhou curioso e eu abaixei a cabeça. Não falei do que aconteceu com o Louis para ninguém, e aquilo estava me corroendo por dentro. Mas eu não podia falar para o Zayn, eles eram muito próximos. ― Olha , eu realmente acho melhor continuarmos com isso. Sei os amigos que eu tenho e eu não aguentaria te ver magoada por algum deles. ― Olhei pra ele e ele parecia falar sério. Sabia que o Z não brigaria comigo se eu decidisse cancelar tudo, mas ele só estava tentando me proteger… Talvez realmente fosse melhor manter as coisas como estão.
― É, você tem razão. ― sorri fraco, tirando a imagem dos olhos azuis do Louis da minha mente.
― Eu sei que tenho. ― Piscou pra mim, roubando minha caneca com chá e saindo da cozinha. Em qualquer outro momento, eu iria atrás dele e o chamaria de folgado, mas naquela hora, o chá me parecia insignificante.
Peguei meu celular, sabendo exatamente o que eu precisava fazer para me distrair.

: Quem topa ir ao shopping?
: Achei que ninguém ia sugerir, eu já to lá.
: Além do mais, precisamos ver os vestidos para sexta.
: Que horas?
: Podemos ir agora, almoçamos por lá.
: Estou com preguiça de dirigir…
: Passo na sua casa em 20 minutos.

Bloqueei o aparelho. Eu amava aquelas meninas. Sorri e corri pro meu quarto, para vestir algo decente.

POV

Assim que nos reunimos no shopping decidimos almoçar logo. Primeiro porque pelo horário já era hora de almoço, mas principalmente porque a e a ficavam insuportáveis com fome. Nos separamos na praça de alimentação, marcando uma mesa onde nos encontrar depois que cada uma tivesse escolhido seu prato. Malik puxou em direção a um restaurante de comida italiana, foi atrás de uma salada e eu e permanecemos na mesa já que tínhamos feito nossos pedidos de restaurantes ali perto. Eu ainda me encontrava num debate interno sobre se contava ou não pra sobre o que aconteceu ontem com o Zayn. Era complicado quando seus melhores amigos eram os mesmos do seu irmão. Pro Harry eu sabia que nunca poderia contar, ele iria direto para o Louis, mas a não faria a mesma coisa e eu precisava contar pra alguém.

― Eu tenho que te contar uma coisa ― comecei e a morena desviou toda sua atenção para mim ― E preciso que você não me julgue.
― Sem julgamentos, pode falar.
― Eu beijei o Zayn ontem ― o alívio tomou conta de mim ao dizer as palavras em voz alta pra alguém. Eu tinha sussurrado elas tantas vezes ontem sozinha no meu quarto, enquanto eu tentava entender se aquilo tinha mesmo acontecido. Porque foi tão rápido e no segundo seguinte ele tinha me deixado na barraca sozinha.
― Certo… ― assentiu, mas eu via o julgamento em seus olhos.
― Você disse que não ia me julgar! ― reclamei.
― Por isso eu não tô dizendo nada.
― Fala logo! É pior quando você fica só com essa cara ― disse revirando os olhos
― Tá… eu só vou te lembrar disso uma vez. Ele é melhor amigo do seu irmão. Você já fez isso antes e prometeu não fazer nunca mais. Você sabe o tanto de conflitos que isso ia gerar? Ainda tem a
― Não conta nada pra ela! ― pedi desesperada lembrando desse detalhe tão importante.
― Relaxa, eu não ia contar ― ela falou como se fosse algo óbvio. Um suspiro de alívio me escapou.
― Eu realmente não pretendo que isso se repita ― afirmei, mas ela ainda me encara com as sobrancelhas erguidas ― É sério! E só pra constar nem foi um beijo, beijo! Foi mais tipo um selinho demorado…
― Tudo bem, me poupe dos detalhes ― ela me silenciou erguendo uma mão ― Só me promete que não vai fazer isso de novo, é inconsequente e você sabe.
― Pode ficar tranquila, não vai acontecer de novo ― Bom... prometer eu não iria.

Zayn POV

Estávamos reunidos na casa do Harry. As meninas tinham ido ao shopping, ver os vestidos pro baile, mas eu e os meninos não estávamos com a mínima vontade de aturar aquilo. Só de pensar em passar o dia provando roupas me dava um pouco de dor de cabeça.
Eu tinha decidido ignorar o que aconteceu ontem, com a . Foi só um beijo, ambos sabíamos o que aquele ato poderia desencadear no grupo e após minha conversa com a mais cedo, eu realmente não estava disposto a contar para ninguém.

― Tudo bem, lad? ― Louis chegou se sentando ao meu lado e me estendendo uma cerveja. Se ele soubesse…
― Tudo sim, só pensando demais.
― Olha, eu até tinha que conversar com você sobre isso, mas acabou acontecendo outras coisas e eu acabei esquecendo de te chamar. ― Ele se virou na minha direção, parecendo constrangido. ― Tá tudo bem sobre eu ir com a pro baile, né? ― Arqueei uma sobrancelha, não achava que o Louis ia falar comigo sobre isso… me senti mais culpado.
― Eu fiquei com um pé atrás quando ela me disse, mas eu prefiro que ela vá com você do que com outro idiota. ― Disse, me lembrando das exatas palavras que minha prima usou quando me convenceu.
― Sou menos idiota? ― Ele disse, brincando e eu sorri.
― Acho que você é mais. ― Ele fez cara de ofendido e ia retrucar, quando eu continuei ― Mas eu confio mais em você. ― Dei de ombros, dando um gole na cerveja e sendo acompanhado pelo garoto, que ficou em silêncio, ao meu lado.
Estranhei sua reação, mas não tive tempo de contestar. Niall se jogou ao meu lado e pegou o controle do PlayStation, colocando Fifa. Peguei o controle que ele me estendeu e foquei meu olhar na TV, iniciando o jogo.

Liam POV

Eu tinha acabado de receber uma mensagem de texto da Kate dizendo que já tinha arrumado um par pro baile, suspirei meio aliviado e dei um gole na minha cerveja. Ela tinha deixado bem claro que se eu a convidasse ela aceitaria, mas a verdade era que eu não estava a fim de ir com ela. Harry voltou da cozinha com outra cerveja e sentou ao meu lado no sofá.

― E aí, Payne? Já arrumou par pro baile?
― Não… ― respondi simplesmente.
― E aquela… Kate que você tava ficando?
― Acabou de me mandar uma mensagem dizendo que já tem um par pro baile
― Cara, eu sinto muito ― ele sorriu meio sem graça
― Tá de boa, eu não queria ir com ela mesmo ― dei de ombros e me encostei no sofá.
― E com quem você vai agora?
― Sei lá… Normalmente eu iria com a , mas acho que ela já vai com o James ― o maxilar do cachado travou, percebi aquilo erguendo as sobrancelhas com curiosidade.
― Hmm ― ele mais grunhiu do que assentiu.
― Então eu acho que vou sozinho ― conclui.

Harry levou alguns segundos para se recompor da reação estranha dele e voltou ao seu sorriso relaxado e natural.

― A Taylor tem umas amigas bem gatas eu posso te arrumar um par rapidinho ― ele disse estalando os dedos.
― Sério?
― Aham ― ele confirmou ― Inclusive a Cami tem uma queda por você
Uma imagem mental da lembrança que eu tinha da garota se formou na minha mente. A Cami era bem gata… loira, alta, tinha olhos claros e pra dizer o mínimo era gostosa. É... não seria nenhum sacrifício ir ao baile com ela.
― Bom… isso é melhor do que ir sozinho.
― Acredite. É bem melhor do que ir sozinho ― ele me garantiu com um sorriso e um olhar que diziam muitas coisas.

Eu teria que acreditar nele, afinal eles já ficaram. A vontade de rir simplesmente surgiu e cai na risada junto com ele.

POV

Depois de almoçar seguimos pelo shopping procurando por lojas de vestidos, era nossa guia já que esse era basicamente seu habitat natural. Meu celular não parava de apitar com as notificações de mensagens do meu namorado. E só fazia uma hora e meia que eu tinha avisado a ele que ia sair com as meninas. Então quando ele começou a ligar, avançou pegando meu telefone.

― Desliga essa merda, !
― Não! Eu preciso falar com o Mason ― tentei recuperar o aparelho, mas ela ergueu bem as mãos deixando-o fora do meu alcance.
― Precisa nada. Você está com suas amigas!
― Mas… ― comecei a argumentar.
― Ele sabe que você está com a gente?
― Sabe… ― queria explicar que apesar disso eu deveria falar com ele, tranquilizá-lo. Ele sempre ficava muito preocupado quando eu saía sem ele, mas eu sabia que as meninas não iriam entender que o gesto dele era fofo e não obcecado como muitas vezes elas diziam ser, então fiquei calada.
― Então pronto! ― concluiu como se não houvesse problema algum, desligou meu telefone e o guardou na bolsa dela.
Revirei os olhos irritada.
― Você pode ter seu celular de volta quando tivermos terminado aqui ― ela sorriu triunfante.
― Chata! ― era um xingamento insuficiente para minha irritação no momento, mas teve que servir.

Começamos a entrar nas lojas provando diversos vestidos e pra falar a verdade eu estava me sentindo bem mais leve, sem a preocupação constante de mandar mensagens pro Mason explicando cada passo meu. Eu tinha começado a me divertir realmente agora e ria horrores com os desfiles "sensuais" que fazíamos pra mostrar nossos vestidos umas pras outras.

POV

Acho que já era a terceira loja que íamos, nenhuma de nós tinha encontrado "o vestido", ainda, mas a busca em si era muito divertida. saiu do provador com um vestido azul e delicado.

― Meu Deus, que lindo! Você tá parecendo uma fada! ― elogiei e ela sorriu tímida.

por outro lado saia do provador com um vestido laranja quase neon que não era tão bonito assim, como eu não consegui esconder bem minhas reações preferi desviar o olhar, apenas para encontrar uma chorando de rir me entreguei aos risos também.

― Tá parecendo uma mexerica! ― falou em meio aos risos.

Percebi um biquinho se formar nos lábios da minha melhor amiga e caminhei até ela deitando sua cabeça em meu ombro enquanto a abraçava.

― Não fica assim, amiga. Você é a mexerica mais linda que eu já vi ― ela me empurrou pra longe enquanto riamos. Ela tentou forçar uma expressão brava, mas acabou rindo também.

As provas continuavam animadas. Na quarta loja em que fomos fizemos uma "troca", cada uma escolheria um vestido para outra pessoa experimentar. E acho que o objetivo disso era zoar uma com a outra e escolher opções que essas pessoas por conta própria não escolheriam. escolheu pra e fez questão de escolher pra garota um vestido rosa bem clarinho diferente do preto que ela usava sempre. escolheu o da , um vestido roxo intenso e ousado que a garota nunca teria escolhido por vontade própria. escolheu o da , um vestido azul esverdeado um pouco simples e composto demais para o padrão . Eu escolhi o de , um vestido azul marinho com um decote profundo na região dos seios e uma cauda sereia foi minha escolha, não sabia se ela ia gostar porque me baseei no meu gosto e nós tivemos a divergir nisso. escolheu meu vestido e eu acho que ela tinha em mente algo bem "Wow!". Era um vestido dourado que parecia ser intrincado de jóias, ele marcava bem minha cintura, tinha um decote médio, mas chamativo e uma abertura na cauda que chamava atenção para uma das partes mais bonitas do meu corpo, as minhas pernas.
Fiquei me encarando no espelho por um tempo, assim como as meninas faziam analisando seus próprios vestidos.

― Caralho! Eu tô MUITO gata! ― falei por fim e as meninas riram ― Não, é sério alguém tira uma foto ― pedi me virando pra fazer uma pose.
― Eu até tiraria se alguém me devolvesse meu celular! ― falou mandando um olhar de esgueira para , que a dispensou com uma cena de mão.
― Eu tiro. ― ofereceu. Posei pra algumas fotos sozinhas e logo nos juntamos tirando várias fotos de todas nós no espelho.

Percebi mexendo no celular vendo as fotos que tinha lhe enviado, ela selecionou um monte de fotos e tocou num botãozinho de enviar. Eu franzi o cenho.

― Pra quem você tá enviando essas fotos? ― perguntei arqueando as sobrancelhas.
― Pro grupo com os meninos…

Harry POV

Depois de algumas partidas de FIFA,  Louis, sendo o melhor jogador de futebol real entre a gente, instigou uma partida de verdade. Estávamos suados e jogados na grama tentando recuperar o fôlego depois de quase uma hora correndo, driblando e chutando. A maioria tinha deixado o celular lá dentro e só Liam tinha trazido o celular consigo, o celular do moreno apitou com o barulho de notificações novas. Seus olhos se arregalaram meio surpresos ao abrir a mensagem que ele tinha recebido e aquilo despertou a curiosidade de todos nós.

― O que foi?! ― Zayn questionou
― As meninas mandaram umas fotos das provas dos vestidos ― ele explicou ainda olhando intrigado para o celular ― Nunca imaginei a usando algo assim ― ele comentou.

Niall se aproximou para olhar a foto.

― Nossa! Ela ficou incrível ― ele elogiou a melhor amiga
― Isso é a num vestido rosa claro?! ― Louis, que tinha se aproximado também pra olhar, gargalhou ― Só quero agradecer quem a fez usar um vestido assim, faz séculos que eu tento ver ela usando algo que não seja preto
― Isso não pode ser a , tá parecendo uma santa ― Zayn comentou desacreditado
― Minha irmã é uma santa ― Lou comentou e todos gargalharam ― Agora a … nossa! ― suspirou admirado
― Ei, tira o olho! ― Zayn o afastou bloqueando a visão dele do celular. Rimos da reação ciumenta do Malik com a prima.

Me aproximei também para olhar aquelas fotos que todos comentavam. Liam estava passando as fotos e então parou numa foto da sozinha, com um vestido dourado. A garota parecia brilhar. Ela tinha um sorriso luminoso, sua perna esquerda se destacava aparecendo contra a abertura do vestido e suas sobrancelhas, naturalmente arqueadas, conferiam a ela um olhar intenso.

― Caralho… ― simplesmente saiu sem que eu pudesse controlar um pouco alto demais, a palavra carregada de admiração, quando percebi o olhar dos meninos sobre mim e seus cenhos franzidos eu quase corei.

Pigarreei, desviando o olhar. Não sei o que tinha dado em mim pra olhar a daquele jeito, por sorte nenhum dos meninos comentou minha reação em voz alta. Ainda…

Niall POV

Ver todos empolgados sobre o baile me fez desistir de ir sozinho. Eu já tinha pensado em chamar a Crystal algumas vezes, e ver as meninas se divertindo com isso me fez querer que a ruiva se divertisse também. Peguei meu celular e fui em direção ao banheiro. Aquela não era a melhor forma de chamar alguém, o mínimo que eu podia fazer era uma vídeo chamada. Busquei seu nome e cliquei no facetime. Crystal não demorou mais de 8 segundos para atender, mas parecia confusa sobre a ligação.

― Oi, Nini
― Oi, Crystal ― sorri pra ela e recebi um lindo sorriso de volta.
― Você está no banheiro? ― ela estreitou os olhos e quando eu assenti, ela riu.
― To com os meninos no Harry, mas não queria deixar pra te perguntar isso mais tarde. ― dei de ombros, olhando para ela. Crystal parecia se animar a cada palavra que eu dizia, já que seu sorriso aumentava.
― O que foi?                     
― Sei que é em cima da hora, mas você tem companhia pro baile? ― ela arqueou as sobrancelhas, surpresa, mas negou. ― Quer ir comigo?
― Eu vou adorar, Horan. ― seu sorriso aumentou e eu sorri junto.
― Então está marcado, Green.
― Ei ― ela pareceu animada de novo ― vamos fazer aquilo de combinar  gravata com a cor do vestido? Por favor. ― ela disse fazendo bico e eu não consegui segurar a risada. Era fácil rir com ela.
― Tudo bem, só me fala a cor do vestido que você escolher. ― ela concordou. Ouvi uma batida na porta e achei melhor encerrar a ligação por aqui. ― Hey, vou precisar ir agora…
― Tudo bem, eu tenho que ver umas coisas aqui também. ― deu de ombros, sorrindo. ― Tchau Horan.
― Tchau Crystal ― Encerrei a chamada, com um sorriso bobo no rosto.

POV

Já havíamos entrado em mais de seis lojas e eu estava, sinceramente, pronta para desistir daquela busca. Houveram alguns vestidos bem bonitos, mas nada que realmente amássemos, e havia prometido que não sairíamos daqui até achar o de cada uma. Bufei ao notar que ela e já estavam com os vestidos em mãos, procurando os sapatos.

me chamou e me mostrou um vestido lilás. Meus olhos se arregalaram, esse vestido era magnífico.
― Ele é lindo… ― Me amaldiçoei por não ter ido para aquela área.
― Prova. ― Me estendeu o vestido e meu queixo caiu. ― Eu peguei pra você, é lindo mas não combina comigo. ― Deu de ombros e eu peguei o vestido na mesma hora, indo saltitante para o provador, soltando um "Obrigada " no meio do caminho.

No momento em que fechei o zíper do vestido, soube que minha busca tinha terminado. Aquele vestido coube perfeitamente, marcando os pontos certos do meu corpo. Sorri sozinha, animada, e sai do provador para mostrá-lo para as meninas.

, você tem que comprar! ― A primeira pessoa que vi foi . Olhei a loira dos pés até a cabeça, constatando que ela estava incrível.
― Você também!
― Eu vou. ― Sorriu e alisou o tecido.
― Caralho. ― Virei pra que nos olhava com a boca aberta. ― Você está linda!
― Eu sei. ― Malik respondeu, jogando os cabelos para trás. Nesse momento, vi uma semelhança dela com o primo.
― Estava falando com a . ― respondeu, tentando conter o riso ao olhar a cara indignada da loira.
― Você também está linda, . ― chegou, abraçando a amiga.
― Vocês estão me tratando muito mal, vou arrumar novas amigas. ― Bufou e eu sorri pra ela. A verdade era que, mesmo com todas as brincadeiras, se uma saísse, o grupo desmoronava. Todos nós éramos extremamente diferentes e mesmo assim, iguais em certos pontos, era inexplicável.
― A gente te ama. ― disse por fim, cortando aquele assunto. ― O que vocês acharam? ― apontei para meu vestido e recebi exclamações animadas para eu comprá-lo.
― Acho que vou provar o vermelho ― se dirigiu até o canto da loja e eu voltei para o provador, sorrindo para o meu reflexo.

Louis POV

A noite caiu e todos resolvemos voltar para casa. Já estava no segundo episódio de Friends quando entrou, carregando algumas sacolas.

― Comprou o shopping todo? ― Ela deu um pulo ao escutar minha voz, me fazendo rir.
― Haha, você é tão engraçado, Louis. ― soltou as sacolas na cadeira e se sentou ao meu lado, puxando o cobertor para se cobrir.
― E você é folgada ― puxei meu cobertor de novo. Brigaria até o fim por aquele tecido.
― Vai Lou, eu estou cansada! O dia foi cansativo. ― jogou a cabeça pra trás e me olhou com bico.
― Aposto que sim, vestir roupas e mais roupas? Uau. ― ironizei e voltei meu olhar para outra discussão da Rachel com o Ross.
― Não foi só isso. Tivemos que ir em seis, repito seis ― frisou a palavra e eu virei pra ela ― lojas porque as meninas não estavam achando nada legal. Eu e a achamos na quarta, mas a , a e a , só na última. ― suspirou, parecendo realmente cansada. Aproveitei seu momento de cansaço para matar a curiosidade que estava na minha cabeça desde as fotos.
comprou aquele azul? ― Ela me olhou, parecendo não entender do que eu falava. ― O da foto. ― Revirei os olhos e ela pareceu lembrar.
― O do decote? ― assenti, um pouco constrangido.
― Nhe, ela disse que estava se sentindo exposta. Não entendi, já que ela comprou outro que também tem decote… tudo bem que é mais composto, mas mesmo assim ― deu de ombros, mexendo no celular.

Aquilo me incomodou, ela não iria falar mais nada? Não queria que minha irmã percebesse meu súbito interesse no Malik, mas a curiosidade estava me matando.

― E qual foi a cor que ela escolheu? ― me olhou, juntando as sobrancelhas e eu resolvi tentar me explicar. ― É que vamos juntos, tenho que comprar uma gravata da mesma cor e…
― Awn, vocês vão juntos? E ainda vão fazer aquele negócio de casal? Que fofos. ― A loira ao meu lado sorriu, me fazendo a empurrar fraco.
― Não enche. ― disse simplesmente, desistindo do assunto. Minha irmã não demorou mais de 10 minutos até se levantar, pegar as compras e ir em direção ao seu quarto, parando no meio do caminho, procurando algo em uma das sacolas, se virando pra mim.
― Verde, idiota. ― jogou um pedaço de tecido e eu arqueei as sobrancelhas ao notar que era uma gravata. A olhei curioso e ela sorriu de lado. ― A me contou. Sabe, vocês seriam um bom casal. ― sorri fraco e minha irmã se virou, voltando ao seu caminho original. Passei um tempo encarando o tecido, ignorando totalmente o programa que se passava em minha frente. Desliguei a TV, decidindo ir para o meu quarto, com aquele sorriso bobo insistindo em nascer em meu lábios.



Capítulo 6

POV

Acordei na terça feira com um e-mail da agência de modelos em que eu trabalhava, informando sobre a reunião da nova campanha que seria naquele mesmo dia às 2:30pm. Fui pra escola e passei todas as aulas ansiosa para o último toque, as aulas acabavam às 1:30pm e eu só teria uma hora pra chegar na agência que ficava praticamente do outro lado da cidade. Eu olhava para o relógio a cada cinco minutos e assim que o ponteiro bateu indicando o horário de saída, corri pra fora da sala. Eu não conseguiria passar o resto do dia sem comer, por isso planejei dez minutos do meu tempo pra passar pelo refeitório da escola. Com minha comida em mãos, corri para o estacionamento onde estava meu carro. Entrei, jogando minha mochila no banco do passageiro coloquei a chave na ignição, mas parece que hoje não era meu dia de sorte. O motor fez um barulho estranho e falhou, tentei novamente dar partida e obtive o mesmo resultado. Olhei para onde deveria estar o carro do Louis, agradecendo por termos vindo com carros diferentes, já que ele sabia que eu precisaria sair mais cedo que ele. Mas meu irmão já devia ter saído para a aula de futebol... Bati as mãos no volante, xingando alto.

― Problemas com a carruagem, princesa?

Zayn! Não seria exatamente a pessoa que eu buscaria no momento, não depois da noite no drive in, mas eu estava desesperada. Me virei para ele que se inclinava na minha janela.

― Na verdade, sim. Será que você podia me dar uma carona?! ― eu pedi com urgência sem tempo para nossas provocações habituais
Ele pareceu perceber que meu tom era sério
― Claro. Para onde você precisa ir?
― Para agência… ― um sorriso começou a se formar nos lábios dele, eu ergui um dedo para impedi-lo ― Sem piadinhas!
― Tudo bem ― ele ergueu as mãos inocentemente ― Vamos, eu te levo
Suspirei aliviada e o segui para seu carro depois de travar o meu. Não sabia o que tinha de errado com ele, mas depois eu resolveria.

Zayn se provou um motorista rápido e consegui chegar a tempo para a reunião, inclusive, meu chefe estava do lado de fora do prédio. Saltei do carro e já ia correr em direção a entrada.

― Opa, opa! ― Zayn saiu do carro atrás de mim, me virei pra ele confusa ― Nenhum obrigada?― revirei os olhos, mas ele tinha um ponto
― Obrigada, Malik… satisfeito?
― Nem tanto…
― Tchau, Zayn! ― deixei ele falando sozinho.

Assisti toda a palestra sobre o conceito da campanha. Não era exatamente o que eu estava acostumada a fazer, mas o cliente me achava a modelo certa para a campanha. Só tinha um pequeno detalhe que meu chefe estava me informando agora, seria preciso um modelo para participar desse projeto comigo.

― Você tem alguma sugestão? ― meu chefe perguntou
― Não sei…
― E aquele garoto que estava com você na entrada? Ele é seu namorado?
― Não! ― neguei e fui um pouco indelicada, pigarreei antes de continuar ― Ele é só um amigo.
― Você consegue o contato dele?
― Eu posso tentar…
― Ele é perfeito para o que queremos ― seu tom não deixava espaço para negação.
― Vou falar com ele ― assenti e fui em direção a porta. Mas que droga! Logo o Malik...
― meu chefe chamou, eu parei e me virei segurando a maçaneta ― Convença-o... ou não precisa voltar ― assenti novamente, dessa vez engolindo em seco.
"Ótimo! Agora minha carreira na agência dependia da boa vontade de um badboy" Não sei o que faria para convencê-lo, mas valia de tudo…

POV

Dei uma corridinha até o estacionamento, esperando encontrar meu primo ali. Minha aula só começaria de 3pm e eu estava com vontade inexplicável de comer um hambúrguer, e como o Zayn ainda não tinha escolhido sua aula extracurricular, ele poderia me levar rapidamente. Cheguei no estacionamento e ao notar que seu carro não estava mais ali, bufei, cruzando os braços.

― Hey ― Me virei para Louis, que me olhava como se estivesse vendo a cena mais engraçada do mundo.
― Hey Tomlinson, o que faz aqui? ― lembrei que sua aula era uma das últimas, normalmente esses alunos iam pra casa e só voltavam mais tarde.
― Fiquei com preguiça de ir para casa. ― deu de ombros e eu juntei as sobrancelhas. Quem escolhia ficar mais tempo naquele lugar?
― Você é estranho, Tomlinson.
― Já ouvi insultos piores, Malik. ― ele sorriu e antes que eu percebesse, sorri junto. ― Você ainda vai querer ajuda com matemática? ― Lembrei do nosso trato na semana anterior. Com tanta coisa acontecendo eu tinha me esquecido totalmente.
― Sim, cada vez que eu olho para meu caderno minha cabeça começa a doer. ― Fiz cara de sofrida e ele riu alto.
― Você é tão dramática! ― Abri a boca em sinal de ofensa e estreitei meus olhos, em sua direção.
― Você é bom na matéria, nunca vai saber o que é sofrer por isso, ok? ― fiz bico e ele apertou minhas bochechas, me fazendo arquear as sobrancelhas, em claro sinal de surpresa.
― Desculpe, eu não resisti. ― deu de ombros. ― Qual dia é melhor pra você?
― Você já está me ajudando, acho justo, ao menos, escolher o dia. ― pendi a cabeça pro lado, encarando os olhos azuis do garoto.
― Pode ser no sábado?
― Você vai perder seu sábado me ajudando em matemática? ― ergui uma sobrancelha em dúvida e ele deu de ombros.
― Não é sacrifício estar com você. ― disse mais baixo e eu senti minhas bochechas ficarem vermelhas. Olhei pra baixo, decidindo que meus sapatos pareciam mais interessantes.
― De qualquer jeito, você já almoçou? ― Perguntei depois de alguns segundos em silêncio.
― Não...
― O que acha de me levar para comer um hambúrguer? ― falei sem graça e ele sorriu de lado pra mim.
― Eu adoraria. ― Apontou pro carro mais perto de onde estávamos e eu segui ao seu lado, sentindo uma de suas mãos em minhas costas. Louis abriu a porta pra mim e eu entrei, inalando, ainda mais, o cheiro tão familiar do garoto que estava impregnado naquele ambiente. Lembrei de todas as vezes que eu reclamei com o Zayn ou o Niall por estarem com perfumes muito fortes, o que me fazia ter dor de cabeça, e ao comparar com o de Tomlinson, percebi que o do garoto parecia bem mais confortável para mim.

Niall POV

Já era perto das 3pm quando eu andava lado a lado com Crystal, as vezes rindo do que a ruiva falava.

― Eu fico aqui. ― apontou para a sala de francês.
― Não sabia que francês era esse horário.
― É sim, infelizmente. Queria que fosse mais cedo, assim eu poderia estar na minha cama nesse momento. ― colocou a franja atrás da orelha e riu. ― Bem, tenho que ir, te vejo depois?― assenti e acompanhei a garota com os olhos, até o canto da sala. Consegui enxergar a garota se sentando ao lado de e sorri.

A Crystal vinha se mostrando mais divertida a cada dia que passava. Ela havia começado a sentar com a gente nos intervalos e todos, ao que parecia, estavam gostando de sua presença. Tirei a garota dos meus pensamentos, indo em direção a sala de música. Estava animado com aquela aula, imaginando se eu ia, finalmente, aprender a tocar piano. Senti uma mão em meus ombros e me virei, assustado.

― Puta merda, que susto, Liam! ― gritei com o garoto que apenas ria da minha cara.
― Desculpa Niall, mas você tinha que ter visto sua cara! ― ele começou a rir e só então percebi que estava do seu lado.
― A aula de vocês também é agora? ― Perguntei aos dois.
― Nop, as últimas. ― fez cara de tristeza e eu sorri, em condolências a ela
― Sinto muito.
― Tudo bem, o que eu não faço por esse clube, né? ― deu de ombros e Liam passou os braços pelos seus ombros.
― Eu tenho que ir. ― deu um beijo na cabeça da morena e me mandou um aceno, indo a passos rápidos para o campo.
― O que ele escolheu? ― perguntei interessado e segui para a sala de música ao lado de .
― Rugby eu acho. ― Pareceu pensar, mas assentiu em seguida.
― E você?
― Debate ― sorriu e eu me perdi um pouco naquele ato. ― Infelizmente é tarde, mas vale a pena. ― concordei e ela continuou ― E você, irlandes?
― Música ― disse orgulhoso e ela parou no meio do caminho.
― Você nunca se dá por satisfeito, não é? ― franzi o cenho e ela riu baixo. ― Niall, você é incrível em todos os instrumentos que eu já te vi tocar, o que você quer aprender agora? ― corei um pouco pelo elogio.
― Piano. ― Ela pareceu animada.
― Promete que quando aprender, vai tocar uma música para mim. ― estendeu o dedo mindinho e eu ri do seu ato, estendendo o meu logo em seguida.
― Prometo .
― Então vai logo! ― Me empurrou para dentro da sala, que só então percebi que era a de música. Comecei a rir, não tinha jeito mesmo.

POV

Tinha acabado de vestir meu uniforme e me olhei no espelho. A roupa variava entre branco, azul e vermelho, as cores da escola, e eu me sentia incrivelmente bem naquele momento. Meus cabelos estavam num rabo de cavalo alto e firme, com um laço branco. Nos meus pés, um tênis branco simples que me ajudava a ter firmeza. Sorri, satisfeita e sai do banheiro. Existia muito aquele estereótipo de que líder de torcida era patricinha ou bem… "puta", como muitos chamavam, mas eu não acreditava naquilo. Conheci pessoas incríveis no ano passado e elas não se encaixavam em nenhuma das classificações, mas como sempre, tinham as que se encaixavam. Taylor, Camilla e Maddison, eram consideradas as meninas mais populares da escola por simplesmente terem essas características. Revirei os olhos, balançando a cabeça e tirando isso da minha mente.
Sai do corredor e entrei no campo, onde normalmente treinamos, encontrando Liam nas arquibancadas. Olhei em volta e dei de ombros, indo até o garoto e me sentando ao seu lado.

― Olá, Payne. ― sorri pra ele e corei ao ver que o menino encarou minhas pernas.
― Wow, você está linda. ― Sorriu pra mim e eu mordi o lábio, segurando o sorriso bobo.
― Obrigada, Li. ― Ia puxar algum assunto para continuar a conversa quando Camilla sentou em seu colo. Será que ela não via que tinha a arquibancada inteira livre?
― Oi Li, tudo certo pra sexta? ― disse com aquela voz fina que fazia com que eu quisesse revirar os olhos e… pera, ela disse sexta? Eles vão ao baile juntos?
― Tudo sim Cami, te pego que horas? ― ele sorriu pra ela e a loira mandou um sorriso malicioso para ele.
― Você me pega a noite toda se depender de mim. ― Soltei o ar irritada, enquanto me levantava e saia a passos duros. Nenhum dos dois notou minha saída, estavam muito ocupados para isso.

Senti um bolo se formar em minha garganta e respirei fundo. Eu não ia mais chorar por Liam. Se ele não me via assim, eu também não ia me importar. Soltei minha bolsa no banco das animadoras e ouvi a voz de Josh Davies atrás de mim.

― Dia difícil? ― me virei pra ele, encontrando o loiro. Passei os olhos pelo garoto, Josh era lindo. Ele tinha cabelos loiros brilhantes e olhos verdes, e ainda tinha uma cor naturalmente bronzeada, o que era raro no reino unido. Sorri fraco pra ele e suspirei.
― Digamos que sim.
― Talvez eu possa te animar… se você quiser. ― Disse coçando a nuca e eu franzi o cenho. ― Você já tem par pro baile?
― Não…
― Quer ir comigo? ― olhei em seus olhos pronta para inventar alguma desculpa, mas ao encontrar aqueles olhos verdes, em minha direção, suspirei. Davies era um dos únicos meninos do time de futebol que realmente valia a pena, e eu sabia que ele tinha uma queda por mim desde o primeiro ano. Olhei novamente para a arquibancada, encontrando Liam e Cami aos sussurros no local. Me voltei para o loiro. ― Se você não quiser tá tudo bem, eu só achei que…
― Claro. ― cortei o garoto e ele sorriu pra mim. ― Eu adoraria ir com você. ― ele se aproximou, dando um beijo em minha bochecha e voltando para um grupo em que eu consegui ver Louis.

Mesmo tendo um homem lindo, inteligente e gentil daqueles em minha frente, eu não consegui parar de compará-lo a Liam e aquilo me irritou profundamente. Bufei irritada, fazendo uma promessa para mim mesma. Eu ia esquecer o Payne.

Harry POV

Já estávamos na terça feira da segunda semana de aulas e eu ainda não tinha me matriculado em nenhuma das opções de aulas extra curriculares, que éramos obrigados a fazer. Ao fim do dia, depois da última aula, segui para secretaria pra resolver logo isso. Eu ainda não tinha ideia do que eu queria fazer, mas ao chegar lá as únicas vagas que tinham sobrado eram na aula de Muay Thai ou tricô, então a escolha na hora me pareceu óbvia.

― Quando são as aulas de Muay Thai? ― perguntei pra Edith, a secretária.
― Às terças e quintas de 5pm. ― Droga! Eu ia ter que esperar todo esse tempo, ainda eram 2pm. Mas acho que tudo bem, ainda era melhor do que tricô.

Agradeci e saí em direção a biblioteca. Aproveitei esse tempo pra fazer algumas das tarefas atrasadas que eu tinha pra entregar. Eu perdi a noção do tempo no silêncio da biblioteca e quando vi as horas no meu celular eu já estava atrasado cinco minutos, juntei minhas coisas e corri.
Assim que entrei meio ofegante na sala da aula de luta, tricô de repente não parecia tão ruim. realizava uma sequência de chutes que simplesmente me fez encará-la chocado "Ninguém tinha tanta força nas pernas" pensei. Ela não tinha me visto ainda, focada na execução de seus chutes, o professor também não me viu ali, considerei dar as costas e ir embora da sala. Assim que comecei a me virar ela parou a sequência que fazia e se virou com a respiração ofegante. Seu olhar encontrou o meu surpreso e então um sorriso aterrorizante cruzou seus lábios. "Hm isso vai ser interessante" foi o que eu tive a impressão de ouvi-la murmurar enquanto me analisava ali na sala. O professor veio falar comigo, perguntando sobre minha ausência na semana passada. Eu expliquei meu atraso na escolha e que a única única aula disponível era a dele, ele disse que de toda forma, estava feliz em me acolher.

― Mestre, se o aluno novo precisar de ajuda eu ficarei mais do que feliz em ajudar ― falou.
Engoli em seco, sua voz era doce, mas seu olhar era ameaçador.
― Ótimo, ! Eu precisava mesmo de alguém com experiência para ajudar o novato. Pega leve com ele, tá? Não que você saiba o que é pegar leve ― o professor falou com um sorriso divertido.
Os olhos da garota encontraram os meus e meu corpo todo se tencionou de… medo?
― Pode deixar, mestre. Tenho certeza que ele aguenta…

POV

Me surpreendi ao ver o Harry naquela aula, mas aquilo realmente podia ser divertido. Vontade de bater nele eu já tinha a toda hora, mas agora eu teria oportunidade, sorri com o pensamento. Chamei o cacheado para um canto do tatame.

― Tire os sapatos ― avisei apontando pros seus pés, ele obedeceu ― Já que você perdeu o aquecimento pode começar pagando 20 flexões.

Ele olhou ao redor desconfiado, provavelmente com medo de que eu fosse usar esse "poder" para mandar ele fazer coisas desnecessárias, quase gargalhei. Ele estava certo de pensar algo assim, mas as flexões eram uma tradição para os atrasados.

― Pode começar! É pra hoje! ― falei batendo três palminhas. Ele bufou, mas foi para o chão.

As flexões não foram um grande esforço pra ele, por mais que eu evitasse pensar muito nisso, o Harry estava em boa forma. Ele por fim levantou.

― Você trouxe luvas? ― ele negou com um aceno de cabeça ― Toma. ― disse jogando minhas luvas pra ele com um pouco mais de força do que o necessário, ele suspirou irritado, mas as agarrou sem reclamar.
― E agora?
― Agora a gente faz a sequência que o professor passou. Jab, direto, chute circular com a perna de trás, upper e cruzado ― falei rapidamente. Ele me olhou com um completo branco em sua expressão. Revirei os olhos ― Você não tem a menor noção do que é nada disso, né?
― Nem um pouco ― ele admitiu
― Certo… ― eu teria que ensinar ele então.

Comecei a ensinar os golpes básicos e a forma correta de aplicá-los, não deixando de rir sempre que ele errava, o que fazia com que ele me desviasse um olhar semicerrado e raivoso. Acho que foi a primeira vez em anos que eu ria tanto com Harry Styles… ou melhor de Harry Styles.

Liam POV

Quarta feira era o dia em que serviam pizza na cantina da escola e por isso a maioria dos alunos já chegavam animados, "Principalmente o Niall" pensei com um sorriso. Estávamos reunidos no refeitório e a animação no rosto da minha melhor amiga não podia ser por causa do pedaço de pizza à sua frente. Percebi seu sorriso se ampliar quando Harry andou até nossa mesa mancando e se sentou com um suspiro pesado e dolorido.

― Cansado, Styles? ― perguntou arqueando as sobrancelhas com um sorriso… "Desde quando ela sorria pra ele?"
― Você é uma maníaca, . Como você não está cansada de ontem?! ― seu tom era surpreso ― Não sei nem como você consegue andar depois daquele negócio que você faz com as pernas ― "Que caralhos ele estava falando?!"
― Que porra vocês fizeram ontem a noite?! ― Louis perguntou com o cenho franzido em confusão e descrença.

Sua expressão traduzia exatamente o que todos pensavam no momento. Não era possível que eles tivessem transado… Styles tinha namorada e eles se odiavam, mas com aquela conversa foi impossível pensar outra coisa.

, você e o Harry… ― começou com um tom indignado, mas não disse exatamente a palavra do que pensávamos que eles tinham feito, ao invés disso ela grunhiu e continuou ― E você não me contou!
― O quê?! ― praticamente gritou, interrompendo a acusação da loira ― O que vocês pensam que fizemos?!
― Hmm baseado no estado do Styles eu diria que sexo selvagem ― Zayn falou com um tom neutro enquanto analisava o amigo
― Não, mas a está até sentando hoje, então eu diria que eles só transaram ― complementou o pensamento do Zayn.

Era estranho pensar na minha melhor amiga fazendo qualquer uma dessas coisas, eu só queria reagir como a e cobrir minhas orelhas como ela fazia no momento.

― Não fizemos nada disso, seus pervertidos ― Harry falou
― Não mesmo! ― reafirmou
― Então o que vocês fizeram? ― perguntei por fim, precisando colocar outro motivo que não os das mentes sujas da e do Zayn na minha mente
― Aula de Muay Thai! ― ela falou como se fosse a primeira coisa que devíamos ter pensado
― Ahhh… ― houve um coro de compreensão, aquilo fazia bem mais sentido.

POV

Passei meu intervalo com o Mason. Eu estava em um dilema se mostrava meu vestido pra ele ou se simplesmente esperava para surpreendê-lo no dia do baile. Decidi mostrar logo a foto do meu vestido pra ele, já que o Mason não era fã de surpresas e eu nunca sabia como ele ia reagir. Ele podia ser super fofo mas também havia risco de que ele reagisse mal.

― Nossa, é lindo… ― sorri, com o meu sorriso diminuindo à medida que ele concluía seu comentário ― Mostra um pouco demais, ainda bem que você não vai pro baile, de outra forma eu poderia ficar com ciúmes ― franzi o cenho ao ouvir seu comentário.
― Como assim eu não vou ao baile? ― afastei o celular dele e me endireitei para encará-lo ― Eu te disse que estava indo comprar o vestido com as meninas e eu comprei o vestido.
― Você sabe que eu tenho compromisso essa sexta e não vou poder ir ao baile
― E é por isso que eu vou sozinha ― eu pensei que ele tinha entendido isso quando conversamos no sábado e eu disse que estava saindo com as meninas.
― Você não vai sozinha, .
― Não, vou com as meninas. e também não tem par, vamos juntas ― expliquei melhor.
― O que eu quero dizer é que você não vai sem mim ― ele falou respirando fundo.
― Eu não vejo problemas, eu só estaria indo a uma festa com minhas amigas ― falei tentemos manter um tom neutro, mas eu estava muito incomodada com o jeito como ele se colocou.
― Droga! ― ele xingou baixo ― Tô vendo que você não vai tirar essa ideia de ir ao baile da sua cabeça.
― Não, não vou mesmo ― afirmei cruzando os braços sobre o peito.
― Então eu vou ter que ir com você ― afirmou.
― Não precisa ir se não quiser ou puder.
― Não… ― seu tom agora era gentil ― Você sabe que eu faria tudo por você. Eu vou.

Seu sorriso luminoso apagou qualquer sombra do incômodo que eu senti durante essa conversa. O Mason me amava e faria tudo por mim, pensei com um sorriso beijando meu ruivo.

Louis POV

Minha perna doía, mas eu estava muito animado para pensar nisso. O treino de ontem foi puxado, mas eu amava jogar e aquilo só me dava mais vontade ainda. Andava lado a lado com o Liam, e parei ao ouvir o que ele disse.

― Ai o Harry me arrumou a Cami e agora eu tenho um par. ― parou depois de alguns segundos e me olhou. ― O que foi?
― Nada… ― não entendia o motivo do Liam não ter chamado a . Era óbvio que a garota gostava dele.
― Fala logo ― cruzou os braços e eu dei de ombros.
― Só acho que você tinha opções melhores.
― Tipo? ― ergui a sobrancelha, ele só podia estar brincando, certo? Aparentemente não.
― Você é tão burro as vezes. ― falei simplesmente, voltando a andar. Se ele não soubesse, não seria eu que iria contar.
― De todo jeito, ela é gata. ― Deu de ombros. Aquilo ninguém podia negar.
― Beija bem também. ― falei rápido e ouvi o menino rir. Acho que todos já tínhamos ficado com ela, menos o Payne.
― O Harry me contou. ― voltou a andar ao meu lado.

Andamos por mais algum tempo até chegar na aula de Biologia. Entrei na sala e notei que havíamos chegado cedo, pois só tinha outras três pessoas na sala. Dei de ombros, sentando em uma cadeira mais atrás e jogando minha mochila na banca ao lado, vendo o Liam fazer a mesma coisa nas primeiras fileiras. Vi e chegarem rindo, alguns minutos depois, mas o sorriso da primeira se fechou assim que seus olhos encontraram o Payne. disse algo e veio em minha direção, mas segurou seu braço e negou com a cabeça, vindo até mim.

― Oi Lou.
― Oi ― sorri pra ela e a garota forçou um sorriso, que mais parecia uma careta e olhou rápido pro garoto ao lado de .
Seja lá o que o Liam fez, espero que ele perceba rápido.

Zayn POV

, é sério. ― virei para a menina, começando a perder a paciência. ― Eu não vou fazer isso. ― disse pela nona vez naquele dia, mas a loira não parecia convencida.
― Por favor Zayn! Se você não fizer eu vou ser demitida! ― Cruzou os braços e eu olhei em seus olhos, segurando um "Não é problema meu" e bufando alto.
― Eu já tenho muita coisa pra fazer… ― ela suspirou irritada, me cortando
― Tipo o que?
― Ainda tenho que ver a aula extracurricular, o Harry me disse que tinham poucas opções ontem. ― disse indo para a secretária e continuou me seguindo. Não falou nada até chegar na sala, mas o sorriso contido em seus lábios denunciavam que ela não tinha terminado.
― Senhor Malik, resolveu escolher a aula? ― A senhora baixinha da secretaria falou enquanto passávamos pela porta, me fazendo soltar um murmúrio. Achava toda aquela história um tédio e uma idiotice. Obrigar os alunos a fazerem uma atividade extracurricular?
― Vou ter que fazer, não é?
― São as regras, Zayn. ― Me olhou como se tivesse as mesmas ideias sobre aquilo e eu suspirei.
― Quais ainda tem?
― Só tricô. ― franziu o cenho e começou a rir ao meu lado, atraindo a atenção da senhora. ― Olá Tomlinson, como vai com a agência?
― Muito boa, obrigada Edith. ― sorriu para a senhora e me olhou. ― Bem, já que você realmente não quer aceitar trabalhar comigo no lugar de fazer tricô, eu já vou indo. ― Virou de costas lentamente, sorrindo e indo em direção a porta. Bufei, mas que merda!
― Tomlinson ― se virou com um olhar inocente e eu me amaldiçoei por não ter vindo antes. ― Eu topo.



Capítulo 7

Liam POV

Eu tinha acabado de chegar na escola pra ajudar na organização do baile de amanhã. Caminhei quase até às portas da escola quando lembrei que tinha deixado o presente da no carro. Corri de volta para pegá-lo e então segui para o ginásio onde o centro da organização se encontrava. já se movimentava de um lado pro outro do espaço com uma prancheta e uma expressão focada, dando atividades para os outros fazerem. Ela levava jeito pra coisa e conseguia fazer tudo funcionar, eu admirava muito isso nela.

... ― me aproximei. Percebi só agora olhando para os seus olhos que fazia um tempo que não conversávamos realmente. Há uns dias ela tinha deixado de se sentar comigo na sala de aula e até aquele momento eu não tinha prestado atenção naquele fato.
― Ainda bem que você chegou! Preciso de alguém para carregar o equipamento de som... ― ela começou a falar checando sua prancheta
― Eu vou em um segundo... ― a cortei ― Mas antes eu queria te entregar isso ― ela me encarou intrigada.

Estendi a paleta de canetas para ela, seus olhos se arregalaram em surpresa e ela me encarou com um questionamento silencioso.

― São pra você ― ela continuou me olhando desconfiada ― Pelo incidente com suas anotações, queria um jeito de te recompensar ― expliquei e sua expressão clareou.
― Liam, não precisava... ― ela falou aceitando timidamente a paleta.
― Eu sei, mas eu queria te dar ― falei simplesmente dando de ombros.

Seus olhos brilharam com alguma coisa e suas sobrancelhas se franziram por um curto segundo, não soube como interpretar aquela reação.

― Obrigada, Liam ― ela disse por fim. Com um sorriso que não chegava aos olhos.

Eu esperava que ela fosse ficar mais empolgada, mas por algum motivo não foi essa sua reação. Algo pesava nela.
Eu só não sabia dizer o que. Eu nunca sabia dizer o que…

Zayn POV

Tinha sentado em uma das cadeiras que havia acabado de arrumar no local quando ouço a voz de .

― Zayn! Aí está você. Preciso de ajuda com a faixa e…
, dá um tempo, ok? ― revirei os olhos. Estava trabalhando desde cedo para ajudar a garota e não recebi nem um obrigada, muito pelo contrário, na verdade, os gritos incansáveis de já estavam me irritando.
― Você tá bem? ― me olhou curiosa e eu bufei alto, me levantando.
― Fantástico. O que você quer?
― Não precisa ser grosso comigo. ― cruzou os braços e eu a olhei, incrédulo.
― Isso é sério? ― andei até a garota que não desviava o olhar de mim. ― Eu estou tentando ajudar, juro que estou. Mas você fica por aí, gritando a plenos pulmões sem fazer nada! ― Gritei perto dela e olhei para a prancheta que a loira segurava. ― Receber ordens não é meu forte, princesa. ― cruzei os braços e a garota agora me olhava com a boca meio aberta, em indignação.
― Olha aqui, Malik ― apontou o dedo em minha cara ― eu estou estressada há dias. Pensei na organização dessa festa sozinha porque a estava ocupada vendo a banda. Recebo mensagens a cada dez minutos com perguntas dos alunos sobre o baile ― o celular da garota apitou, e ela bufou alto. ― E ainda tenho que escutar você falando que eu não faço nada?! ― abaixou o dedo e ficou encarando fixamente meus olhos. Nesse momento, vendo o estado da garota, me senti culpado.
― Ok, me desculpe, eu não pensei que…
― Exatamente! Você. Não. Pensou. ― a cada palavra ela me empurrava. ― Você só pensa em você Zayn! ― bati as costas na parede do ginásio e fiquei encarando . Seus olhos não se desviavam dos meus e eu não ousei ser o primeiro a quebrar o contato.

Estávamos tão perto que eu conseguia sentir o hálito de menta da garota. Minhas mãos foram automaticamente para sua cintura e seus braços não perderam tempo, soltando a prancheta no chão e se entrelaçando no meu pescoço.

― O que estamos fazendo, Zayn? ― seu olhar demonstrava confusão. Não respondi, não tinha resposta para aquilo. Me aproximei, deixando que a distância entre a gente se tornasse milimétrica e sorri pra ela.
― Eu… ― O som da porta sendo aberta interrompeu, fazendo com que pulasse pra longe e eu abaixasse para pegar a prancheta no chão.
― Alguém pode pegar isso daqui? ― estava segurando duas caixas empilhadas, tampando a maior parte da sua visão.
― Eu vou ajudar a . ― Disse e a estendi a prancheta. Ela assentiu, olhando pra baixo. Suspirei, indo até . O que aquela garota tava fazendo comigo?

Harry POV

― Harry, você poderia segurar a escada pro James pendurar a faixa? ― a voz doce de soou.

Revirei os olhos "Por que esse otário precisa de uma escada? Ele não tem tipo três metros de altura?!" pensei. Eu não gostava desse cara. Tudo nele me irritava, mas era impossível negar qualquer coisa a , então fui segurar a escada.

― Valeu, cara ― ele agradeceu antes de subir, eu apenas assenti calado.

Percebi que ele trocava olhares e sorrisos com a à distância enquanto trabalhava nas amarrações, era ridículo ter que ficar vendo aquilo. Não sei o que me deu, mas precisava quebrar aquele contato entre os dois. Soltei um dos lados da escada e ela pendeu levando o moreno ao chão.

― Jem! ― o grito da ecoou enquanto ela corria até ele, se ajoelhando ao seu lado. Seus olhos se voltaram para cima em minha direção furiosos antes de se voltarem para o americano  ― Tá tudo bem? Você se machucou?
― Eu to bem. ― ele disse com um sorriso.
― Foi mal, cara..― falei porque parecia o certo no momento.
― Não foi nada ― ele deu de ombros.
― Tem certeza? ― a voz dela era preocupada ― Acho melhor te levar pra enfermaria...
― Eu tô bem, ― assegurou, afastando uma mecha do cabelo da morena enquanto olhava em seus olhos.

Eu sentia que podia vomitar a qualquer momento. Me afastei deles e observei os dois saindo pela porta do ginásio.

― Cara, qual é o seu problema com o James? Ele é gente boa ― Louis disse, parando ao meu lado com um olhar analista
"Não era possível que meu melhor amigo achasse esse otário gente boa!" pensei indignado
― Não tenho problema nenhum com ele ― respondi devagar e me afastei pra achar o que fazer.

POV

Insisti em levar o Jem até a enfermaria para pegar gelo, já que na queda ele tinha batido o ombro. A enfermaria estava vazia, na escola só estavam os alunos que estavam ajudando com a arrumação do baile. Peguei o gelo e caminhei até onde o tinha deixado sentado na maca.

― Acho que isso vai molhar um pouco sua camisa.
― Acho melhor eu tirar ela então. ― meus olhos se arregalaram levemente ― Sabe? Pra não correr o risco de molhar
― Muito sensato... ― falei tentando manter uma expressão neutra. James era do tipo que você já sabia que era gostoso só de olhar com camisa.

Ele sorriu de lado, levando as mãos a base da sua camisa preta tirando-a por cima da cabeça, meus olhos se prenderam nele, passeando por seu torso definido. Me aproximei, colocando uma mão apoiada em seu ombro bom enquanto encostava com o gelo em seu ombro machucado. Ele suspirou com o toque gelado e nossos olhos se encontraram me fazendo corar, mas não desviei. Suas mãos encontraram minha cintura com um aperto firme e ele me puxou mais pra perto me encaixando entre suas pernas, meu coração acelerou pela proximidade e um calor diferente me invadiu. Seus lábios encontraram os meus numa carícia suave, minhas mãos deixaram seus ombros e encontraram lugar ao redor do seu pescoço onde eu traçava caminhos suaves com as unhas. A intensidade do beijo foi aumentando e paramos ofegantes unicamente quando o ar se fez necessário.

― Quer ir ao baile comigo?! ― ele perguntou, sua respiração ainda irregular.

Joguei minha cabeça para trás, rindo alto. Ele realmente esperava os melhores momentos pra fazer um pedido, pensei achando graça.

― Eu adoraria... ― respondi com um sorriso que espelhava o dele. Seus lábios voltaram a encontrar os meus e apenas cedi sobre seu toque. A porta da enfermaria se abriu e me afastei de Jem, mas ele não permitiu que eu fosse muito longe, mantendo seu aperto na minha cintura. Minha melhor amiga entrou na sala acompanhada pelo Louis, o moreno percebeu mais rápido do que ela a situação em que estávamos e cobriu os olhos da que fez um som de protesto.
― Será que dá pra você se vestir, cara? ― Louis pediu
― O QUE?! ELE NÃO TÁ VESTIDO? LOUIS TIRA ESSA MÃO AGORA! ― a loira praticamente gritou tentando tirar as mãos do Louis de seu rosto. Cai na risada sendo acompanhada pelo James.
― Ah… ― assimilou a situação em que estávamos ― Odeio estragar o momento, mas eu e o Louis vamos sair pra pegar as comidas e vão precisar de vocês lá ― ela falou me lançando um olhar que dizia  "Depois eu quero saber de todos os detalhes".

Eu comecei a me afastar do James, mas ele me segurou pelo pulso voltando a me puxar para perto, eu o encarei, um questionamento no meu olhar. Ele não tirou os olhos dos meus enquanto respondia a .

― A gente vai daqui a pouco… ― seu olhar desceu até meus lábios e um sorriso tomou conta de mim enquanto eu ouvia a sair da sala, resmungando algo. Ele mal esperou eles deixarem o local antes de voltar a me beijar.

Louis POV

tinha me pedido para ir com a pegar as comidas pro baile. Agora, estava andando ao lado da loira para o estacionamento e rindo da quase queda da garota há alguns segundos.

― Espero que quando a gente volte o clima esteja melhor ― ela disse, jogando os cabelos pra trás. Me virei, encarando-a confuso.
― Como assim?
― As meninas estão estressadas e eu aposto que vai rolar briga entre a e o Zayn. ― deu de ombros, se aproximando do meu carro.
― A anda estressada mesmo, até negou assistir Harry Potter comigo! ― disse triste, lembrando da noite anterior.
― Eu imagino. A comissão é pequena e você sabe como elas são. ― concordei. Aquele baile deve estar sendo um sufoco, foi tudo em cima da hora. ― Só não vou superar ela ter negado Harry Potter― falou com uma cara triste e eu assenti.
― Qual o seu favorito? ― perguntei enquanto destravava o carro, olhando a pelos vidros.
― Prisioneiro de Azkaban ou Cálice de Fogo, nunca consigo decidir entre os dois. E o seu?
― Eu amo a Ordem da Fénix. ― disse rapidamente, desviando o olhar para seu rosto e me sentando em seguida.
― Não vou te julgar, choro sempre que lembro do Sirius… ― sorri em compreensão, aquela morte também me machucava. Liguei o carro e sai do estacionamento.. ― De todo jeito, você sabe onde é esse lugar que a encomendou?
― Ela te mandou o nome?― A loira assentiu e me passou seu celular. Notei que o nome era familiar e não demorou muito até que eu lembrasse que sempre comprávamos as comidas de festas ali. ― Fica perto da casa do Payne. ― Devolvi seu celular, ouvindo um murmúrio dela. A casa do Liam era a mais distante do colégio, o que renderia longos minutos ali.
― Pelo menos você é uma boa companhia. ― Deu de ombros, pegando o celular e conectando com o bluetooth do carro.
― Você é uma folgada, . ― apontei pro seu celular e ela riu, continuando a mexer no aparelho. O som de alguma música que eu não conhecia começou a tocar e eu olhei curioso para a garota.
― Você não conhece? ― neguei rindo da cara de indignada da loira. ― Bem… se você quiser eu tiro…
― Pode deixar, eu gostei. ― sorri pra ela e ela concordou, reiniciando a música.

Olhei para a garota ao meu lado, cantando como se sua vida dependesse disso. Ela ficava linda assim. Seus cabelos estavam soltos, ela usava apenas uma tiara rosa como enfeite, e seus olhos pareciam brilhar. Sorri, prestando mais atenção na música

Hazel eyes, I was so color blind
Olhos cor de mel, eu estava tão cego
We were just wasting time
Estávamos apenas perdendo tempo
For my whole life, we never crossed the line
Por toda minha vida, nunca cruzamos a linha
Only friends in my mind
Somente amigos na minha cabeça
But now I realize, it was always you
Mas agora percebi, que sempre foi você

Franzi o cenho, tentando esquecer dos pensamentos que surgiram em minha mente.

POV

tinha me colocado pra trabalhar junto com a Crystal. Eu tinha certeza que ela fez essa escolha para me provocar e se divertir com minha irritação em meio a toda esse estresse de organização. Não que eu não gostasse da ruiva, ela era até legal, mas sua mania de não conseguir tirar os olhos do Niall era muito irritante. Eu estava tentando me controlar pra não dizer nada enquanto eu colava os enfeites reflexivos nas paredes e ela apenas se distraia a cada cinco segundos procurando por cabelos loiros.

― Sabe? Ele não vai sumir ― resmunguei sem conseguir me conter
Ela desviou os olhos de volta para os enfeites, que da sua parte estavam colados totalmente tortos
― Desculpa ― ela corou ― Eu sei que devo pareceu uma idiota apaixonada, mas é que ele é tão bonito... ― concluiu com um suspiro
Nunca tinha parado pra olhar o Niall com tanta atenção a ponto de tirar essa conclusão, mas depois de ouvi-la desviei meu olhar para o irlandês. Ele era realmente muito bonito
― Devem ser os olhos ― pensei dando de ombros, o garoto tinha olhos incrivelmente azuis
― Pra mim é tudo ― ela suspirou e eu contive um revirar de olhos
― Ta... Mas é melhor focar no seu trabalho. Se a chegar aqui e ver esses enfeites tortos ela não vai ficar feliz e se ela decidir te mandar pra casa, eu não vou impedir. Então você não vai mais poder ver o Horan.

A ameaça foi suficiente para colocá-la para trabalhar. Desviei um olhar para o Niall reparando também no seu sorriso, era o tipo de sorriso que fazia você querer sorrir também. Percebi que se eu não tivesse namorado e tivesse ido em busca de um, o Niall até faria muito meu tipo.

POV

Suspirei pela quinta vez me afastando de Liam, mas por algum motivo, o garoto estava mais próximo do que eu achava adequado. Toda vez que eu virava, acabava batendo no moreno, que pedia desculpas e ia fazer outra coisa.

― Liam, eu preciso acabar isso, você pode ter mais cuidado? ― disse me acalmando. Payne havia derrubado minha prancheta… de novo.
― Desculpa, . ― Juntou as sobrancelhas e um sorrisinho maroto nasceu em seus lábios. Não não não… Por que o sorriso dele tinha que ser tão lindo? E por que essas borboletas insistiam em aparecer quando ele estava perto? ― Sabe, você anda muito estressada…
― Amanhã é o baile, eu tenho direito de ficar estressada. ― disse, tentando soar o mais simpática possível.
― E o que você acharia se eu fizesse isso? ― passou o dedo, coberto de tinta azul, no meu rosto. Abri a boca indignada e ele me olhou com inocência.
― PAYNE! ― gritei, mas um sorriso bobo já nascia em meus lábios.
― Olha aí, pelo menos eu te fiz sorrir. ― empurrou meus ombros com os seus e eu olhei pra baixo, sem graça.

Eu tentava, mas entender Liam Payne era bem mais difícil que qualquer coisa que eu já tinha feito. Uma hora ele me ignorava e jogava o charme dele para uma qualquer, na outra ele me comprava presentes e ficava tentando me fazer sorrir? Eu me sentia em uma dúvida constante entre ouvir minha mente dizendo que, para ele, éramos só amigos, ou meu coração, que sempre esperava ser mais que isso.

― Agora eu vou ter que me limpar, obrigada viu. ― olhei feio pra Payne que levantou os braços em sinal de inocência.
― Pelo menos você parou de pensar um pouco no que tem que fazer, não é? ― abri e fechei a boca diversas vezes, percebendo que ele tinha razão.
― É verdade ― ri baixo e ele me acompanhou. ― Obrigada, Li.
― De nada , afinal, é isso que amigos fazem, não é? ― ele disse, alargando o sorriso. Já o meu, morreu com aquela frase.
― Claro, amigos… ― Sorri forçada e ele virou, arrumando o palco.
Suspirei. Era aquilo que éramos. Só amigos.

POV

― Não se atreva a comer isso! ― bati na mão de Louis que se esticava para pegar um dos salgados.

O caminho até a loja foi divertido. Fomos cantando por todo percurso e rindo um do outro. Louis era incrivelmente engraçado e me fazia rir de qualquer coisa, e por incrível que pareça, o menino ria do que eu falava também. Bem, ria até eu o impedir de comer qualquer coisa que será servida no baile, amanhã.

― Eles nem vão perceber… ― neguei com a cabeça e ele bufou. ― Você é muito chata, Malik.
― Obrigada Tomlinson. ― Sorri como se tivesse acabado de receber o melhor elogio do mundo e o Louis riu.
― Acho que vou parar em algum lugar, to com fome.
― Sua irmã te mata e depois ainda me mata de brinde. ― Disse e Louis pareceu pensar e suspirou, reclamando de fome.

Olhei para a minha bolsa no banco de trás e me virei, o máximo possível, para pegá-la. Depois de uma mini contorção, voltei ao banco do passageiro, agora com a mochila em mãos. Abri o zíper, me deparando com uma enorme quantidade de lixinhos, já que eu sempre jogava dentro da mochila com a desculpa "mais tarde eu jogo fora". Senti o olhar de Louis a cada movimento que eu fazia e tirei um biscoito de dentro da bolsa.

, você sabe que eu te amo né? ― Que interesseiro! Ri alto, abrindo o pacote e entregando um biscoito para Louis, enquanto eu fazia meu estranho ritual, antes de comer.

Desde que eu era pequena, eu nunca comia o recheio junto ao biscoito. Eu sempre separava os dois e normalmente, dava o recheio pro Zayn. Ele amava.

― Eu sou incrível, pode dizer. ― Separei o recheio e recebi um olhar indignado do garoto ao meu lado.
― Como você ousa?! ― O olhei confusa e ele apontou pro biscoito em minhas mãos. Arqueei  sobrancelha e ele bufou. ― Não acredito que você faz isso.
― É costume. ― dei de ombros. ― Normalmente o Z come o recheio, você quer? ― estiquei a mão para o moreno, que nem me respondeu. Quando olhei, Louis tinha pego o recheio com a boca, sem desviar da estrada.

A luz do pôr do sol entrava pela janela e deixava metade do rosto do menino ainda mais bonito do que já era. Peguei meu celular e tirei uma foto, ignorando totalmente o quão esquisita ele poderia me achar. Ao ouvir o "click", se virou pra mim, curioso. Apenas dei de ombros.

―  Você está bonito.
, entenda uma coisa. ― ele parecia prestes a falar a coisa mais importante do mundo, e só por isso, desviei a atenção do aparelho em minhas mãos. ― Eu estou bonito sempre.

Ri alto, sendo acompanhada pelo Louis. De fato, eu não podia negar isso.

Niall POV

Tinha acabado de me despedir da . A arrumação estava feita e eu não ficaria ali nem por mais um minuto. Passamos a quinta toda fazendo a arrumação, aproveitando que era feriado na Inglaterra, e eu só queria comer e dormir.

― Niall! ― ouvi meu nome e me virei, dando de cara com Crystal
― Oi Crys ― sorri contido. Eu gostava da garota, mas realmente queria ir pra casa.
― Eu esqueci de te dizer a cor do meu vestido ― disse sem graça e eu dei um tapa em minha testa. Havia esquecido desse detalhe. ― Mass ― disse enquanto abria a bolsa e caçava algo ― Eu fui ao shopping ontem e comprei isso. ― me entregou a gravata na cor branca e eu sorri verdadeiramente pra ruiva.
― Nossa, obrigado
― Antes que você pergunte, eu sei que o tema é cores, mas... ― disse sem graça e eu abanei o ar em sinal para ela esquecer isso.
― Você vai estar linda. ― disse sincero. Crystal já era linda diariamente, não conseguia pensar em como ela seria arrumada.
― Obrigada Nini ― corou em pouco e mordeu os lábios, desviando seus olhos para os meus. Ficamos mais um tempo apenas nos encarando e eu percebi que o olhar da garota revezava entre meus olhos e minha boca numa velocidade tremenda, como se ela estivesse em dúvidas para onde olhar. Sorri.
― Você aceita uma carona? ― apontei pro meu carro e ela sorriu sem graça.
― Na verdade, eu tenho que ir para o abrigo de cães. ― ergui as sobrancelhas.
― Vai adotar?
― Não ― riu baixo ― Eu trabalho lá. ― A olhei em espanto. Aquela garota se tornava mais perfeita a cada conversa. ― De toda forma, vim de carro. ― deu de ombros.
― Bem, bom trabalho então. ― falei e ela pareceu decepcionada por um instante.
― Ah, bem, tudo bem. ― ficamos nos encarando por um tempo até ela suspirar. ― Essa era a hora que você me beijaria ― disse em um tom de piada, mas consegui  sentir uma pontinha de verdade em suas palavras.

Me aproximei dela rindo, passando um dos braços pela sua cintura. Ela suspirou e passou os braços pela minha nuca, mordendo os lábios.

― Se você não quiser tudo bem, eu só... ― a cortei, juntando seus lábios aos meus em um selinho demorado. Pedi passagem e a ruiva deu imediatamente. O beijo era bom, ele era delicado... como Crystal. ― Wow! ― disse quando nos afastamos e eu sorri de lado.
― Nos vemos amanhã?
― Até amanhã, Horan. ― me deu um selinho e saiu andando até seu carro. Fiquei mais um tempo parado, olhando pra onde o carro da ruiva estava, com um sorriso no rosto. Esse ano realmente foi incrível, e eu sentia que só ia melhorar.

POV

Ao fim do dia tínhamos conseguido fazer tudo que planejamos. O ginásio estava completamente arrumado e preparado para o baile. Demorei um tempo no centro do salão observando orgulhosa as decorações penduradas no teto, os enfeites presos nas paredes e as faixas que cruzavam o ambiente. Tudo trazia a essência do tema que era cores e tinha uma pegada bem animada que eu, particularmente, adorei. Imaginei esse espaço no escuro com as luzes de festa acesas, não pude deixar de sorrir animada "Ficaria fantástico!"

― Ei, ! ― o garoto de olhos castanhos esverdeados se aproximou de mim.
― Oi, Oliver!― sorri para o volante do time de futebol da escola. Ele jogava com o Louis e eu o conhecia das reuniões que meu irmão fazia lá em casa com o time. Eu gostava do moreno, ele era fofo fazendo o estilo principezinho.
― Parabéns pela arrumação, ficou muito bom! ― seu sorriso era luminoso e me fazia sorrir junto.
― Obrigada! Espero que essa festa seja um sucesso ― falei com um suspiro desejoso.
― Vai ser! ― ele confirmou. Seu olhar então se perdeu por um tempo antes dele se voltar para mim novamente, era como se ele estivesse criando coragem para algo
― O que foi? ― questionei, arqueando minhas sobrancelhas incentivando-o a falar
― Eu só estava imaginando... Você deve ter tido muito trabalho pra organizar isso tudo ― assenti para que ele continuasse, querendo entender sua linha de raciocínio ― Nem deve ter tido tempo pra pensar em arrumar um par...
"Ah era aí que ele queria chegar" pensei.
― Eu só estava pensando... Você quer ir ao baile comigo? ― ele terminou me olhando esperançoso.

Desviei meu olhar e reparei em cabelos pretos intensos junto à porta. Olhando exatamente em minha direção, estava Zayn. Perdi o foco por um segundo. Lembranças de um momento estranho hoje com o Malik invadiram a minha mente, eu quase tinha beijado ele e parte de mim considerava uma pena que tivesse sido só um quase beijo. Eu estava muito confusa, não queria envolver o Oliver nisso, ele era um cara muito legal.

― Desculpa, Ollie... Eu adoraria, mas eu realmente não planejei ir com ninguém para o baile
― Ah tudo bem... ― ele assentiu dando de ombros ― Acho que vou sozinho então
Seu sorriso era triste, eu não podia deixá-lo sair assim, pensei rápido.
― Você devia chamar a Melissa, ela ainda não tem par e acho que ela tem uma quedinha por você ― falei lembrando da garota que sentava à minha frente no laboratório de química.
O olhar dele se iluminou.
― Acho que vou fazer isso mesmo ― ele sorriu e alívio tomou conta de mim
Ele se despediu e fiquei sozinha no salão, observando o que seria o palco de diversos acontecimentos na noite seguinte...



Capítulo 8

POV

Eu e as meninas marcamos de nos reunir na residência dos Tomlinson 's depois das aulas de sexta para nos arrumar para o baile de hoje a noite. Estávamos todas espalhadas pelo quarto espaçoso de , vestindo roupões enquanto fazíamos cabelo e maquiagem, rindo e fofocando sobre os acontecimentos da escola.

― Então você ainda não me falou os detalhes do que aconteceu ontem... ― começou.
― O que aconteceu ontem?! ― perguntou curiosa.
― A e o James estavam se pegando na enfermaria... ― minha amiga disse com um sorriso divertido. Revirei os olhos ao receber os suspiros surpresos.
― Safada! E você nem contou pra gente! ― falou se sentando na cama, desviando um olhar atento para mim.
― Bora, pode falar. Eu quero detalhes! ― pediu .

Expliquei como aconteceu o beijo da noite de ontem, rindo de vez em quando das expressões que as meninas faziam enquanto acompanhavam a história.

― Ele tem pegada? ― questionou interessada.
― Ô se tem...  ― abri um sorriso mordendo o lábio em seguida.
― E foi assim do nada que ele tirou a camisa? ― questionou cética.
― Não, ele tirou pra não molhar por causa do gelo ― expliquei.
― Ah tá! Até parece ― disse claramente duvidando da inocência do ato.
― Vocês vão juntos pro baile, né?  ― perguntou.
― Vamos. Ele vai passar aqui umas 5:30pm.
― Você acha que hoje a noite vocês vão...?
― Não! ― a cortei, já sabendo onde ela queria chegar ― Por Deus! Eu pretendo continuar virgem. Devo lembrar a vocês que eu só os conheço há duas semanas!
― Besteira isso daí... Você já viu o cara? Não sei como você não deu pra ele no primeiro dia.
― Mais respeito, ! Não vou perder minha virgindade num carro, por mais que seja uma BMW.

Batidas na porta nos interromperam, Louis colocou a cabeça pra dentro do quarto e percebi minha melhor amiga, que estava na minha frente corar, encarei-a intrigada, mas perguntaria sobre isso depois.

― Sobre o que vocês estão gritando? ― ele questionou com um sorriso maroto.
― Sobre a primeira vez da e do James, que vai ser hoje, mas não num carro  ― falou fingindo seriedade com um olhar divertido.
Louis cobriu os ouvidos e fez um som de desagrado.
― Eu prefiro continuar pensando que todas vocês vão ser virgens pra sempre ― percebi a expressão da minha melhor amiga se chatear por um segundo. Que estranho, definitivamente tinha coisa aí
― Eu já não sou, Lou ― sua irmã fez questão de lembrá-lo.
― É sim, ― ele disse como se sua sanidade dependesse da falsa verdade naquelas palavras.
Todas demos risada. Me levantei e fui em direção ao moreno.
― Pode ficar tranquilo, Lou. É mentira delas. Eu pretendo continuar virgem por um longo tempo.
― Tá vendo! É esse exemplo que vocês deveriam seguir ― ele apontou para as outras enquanto envolvia meus ombros com um braço me puxando para um meio abraço. Rimos novamente.

POV

Ao ouvir uma batida no quarto de , sorri, lembrando que eu era a única que restava naquele ambiente. tinha descido há quase uma hora, dizendo que o Mason tinha chegado. James tinha buscado a há poucos minutos, e foi com a um pouco mais cedo, para ver se faltava algo. Com um sorriso nos lábios abri a porta, dando de cara com Louis.

― Wow… ― foram suas primeiras palavras, deixando o olhar cair em meu corpo. Sorri satisfeita, analisando cada parte do garoto. Seus cabelos, normalmente bagunçados, formavam um pequeno topete, que eu suspeitava que ele tivesse demorado um bom tempo para fazer. Ele vestia uma camisa social preta com um terno, também preto, por cima. A única coisa que destacava era a gravata verde que ele usava. Voltei o olhar para seus olhos. ― Você está linda! ― apontou para o meu vestido e meu sorriso aumentou. Meu cabelo estava simples, mas eu tinha amado o conjunto e estava mais que satisfeita com a minha imagem.

― Obrigada Tomlinson, você também não está nada mal. ― disse em um tom superior, mas ri logo em seguida da careta que Louis fez. ― Você sabe que está lindo. ― revirei os olhos e ele riu, me estendendo a mão, na qual eu segurei, entrelaçando nossos dedos enquanto íamos para o primeiro andar da casa.
― Vocês estão tão lindos! ― Johanna, a mãe dos gêmeos Tomlinson´s, disse enquanto apontava a câmera para nós dois, me fazendo corar um pouco enquanto o garoto reclamava daquele ato. ― Deixe disso Louis, eu sempre achei que vocês seriam lindos juntos, não queira estragar esse momento. ― Louis me olhou sem graça e eu balancei minha cabeça, indicando que estava tudo bem.
Johanna tirou mais algumas fotos, no qual me permitir sorrir em algumas e fazer caretas em outras, e nos liberou para o baile.
― Sinto muito por isso. ― O moreno disse quando entramos no carro e eu sorri pra ele, achando sua atitude adorável.
― Eu conheço a tia Johanna, Lou. Pode ficar tranquilo, eu achei que ela foi uma fofa. ― virei pra ele e o garoto me lançava um sorriso de lado. ― E vou querer essas fotos depois! ― fiz cara séria e ele assentiu.
― Sim, senhora. ― Ligou o carro e começou a ir em direção ao colégio.
Me peguei admirando o sorriso que Louis insistia em colocar no rosto e balancei a cabeça, tentando tirar aquilo dos pensamentos. Suspirei animada, a noite estava apenas começando.

Louis POV

Entrei no baile ao lado da loira. era bonita naturalmente, mas hoje, ela estava brilhando e grande parte daquele salão pareceu perceber. Notei uns olhares masculinos em sua direção e passei meu braço por seu ombro. Não sabia ao certo o motivo do incômodo em minha barriga, mas escolhi acreditar que era porque ela tinha vindo comigo, não era educado ficar olhando a companhia de outra pessoa dessa forma.

― Isso aqui está incrível ― sussurrou próxima ao meu ouvido e senti um arrepio subir minha espinha.
― O pessoal fez um bom trabalho.
― Não seja modesto Lou, as comidas também estão chamando minha atenção. ― se referiu ao nosso trabalho do dia anterior e eu ri. Era impossível ficar perto dela e não rir. ― Olha o H. ― apontou para a mesa de bebida e eu arquei as sobrancelhas. Meu melhor amigo estava sozinho, com um copo vermelho plástico em mãos.
― Você se importa se formos lá por um minuto? ― perguntei. Não queria estragar a noite da garota.
― Claro que não, Tomlinson! ― pareceu ofendida com a minha pergunta ― Somos amigos e além do mais, eu não perderia a chance de irritar o Harry. ― deu de ombros, me puxando para perto do moreno enquanto eu mantinha um sorriso de lado nos lábios. ― Hey Harold.
― Malik, você está linda ― olhou a garota de cima abaixo ― que bom que você está aqui, viu seu primo?
― Acabamos de chegar. ― disse por ela. Harry pareceu ter percebido minha presença no momento, já que colocou um sorriso maroto nos lábios.
― Hm, até que vocês ficam bem juntos. ― Estreitei meus olhos pro meu amigo, mas antes que eu pudesse responder, a voz da garota se fez presente.
― Sabe, não sei onde o Z está. Mas a está logo ali ― apontou para a garota no meio da pista de dança e se virou pra mim, sussurrando ao meu ouvido ― entra na onda ― fingiu colocar o cabelo atrás da orelha enquanto falava. Assenti. ― Ela não está linda, Lou?
― Sim, a está com... como se chama? ― olhei pra Harry, fingindo que procurava as palavras e notei o maxilar do garoto trincar
― Uma luz!
― Exato ― concordei com a e ouvi Harry bufar.
― Já terminaram? ― ele comentou, mal humorado.
― Na verdade, sim. Agora vamos dançar ― me estendeu a mão e eu aceitei. Começamos a andar para a pista, até a garota parar, e se virar para o cacheado. ― Ah, Harry! Cuidado pra não babar. ― a loira riu ao receber um dedo do meio em resposta e eu ri junto.
― Você acha que rola algo entre eles? ― perguntei, realmente curioso.
― Eu não sei, a nunca me disse o motivo deles não se darem bem. E eu não perguntei ― deu de ombros. ― Sei que quando ela estiver pronta para falar, ela vai. ― Parei, olhando para a garota. Sentia exatamente a mesma coisa relacionada ao Harry.
― Às vezes acho que eles nunca vão contar.
― Seja o que for, machucou muito a , Lou. ― ela ficou séria por um momento. Era estranho ver a garota assim ― Acredite, alguma hora ela vai contar. ― assenti mesmo não acreditando totalmente naquilo. Outra música começou e notei a garota arregalar os olhos. ― Meu Deus, eu amo essa música! ― começou a dançar animadamente e eu só conseguia rir. ― Qual é Tomlinson, vai me dizer que você não dança. ― se aproximou de mim, mexendo meus ombros com seus braços.
― Na verdade, não ― Ri baixo. ― Mas eu posso tentar. ― comecei a fazer uma dança que era, no mínimo, esquisita. Mas parecia ter surtido o efeito que eu queria.

me olhava com um sorriso enquanto seguia meus passos.
Sentia que algumas pessoas nos olhavam, mas eu não estava dando a mínima. O que me importava no momento, era aproveitar a noite com aquela garota

Harry POV

Eu estava próximo a mesa de ponche pegando um pouco da bebida e misturando com algo mais interessante que eu tinha trazido de casa. Taylor tinha ido ficar com as amigas depois da nossa entrada no salão e eu fui beber. Tinha esperanças de encontrar o Zayn que veio desacompanhado, mas eu não via o moreno em lugar nenhum. Uma batida diferente começou a soar e eu desviei um olhar para a pista de dança, se encontrava lá. Ela estava estonteante e simplesmente não consegui tirar meus olhos dela. Os movimentos do seu quadril acompanhando a batida chamavam muita atenção e me peguei olhando pra eles. Não sei o que me deu, acho que eu já estava bêbado, seja lá o que fosse, não consegui me controlar e fui em sua direção. Segurei seu pulso e a puxei seguindo por uma das portas laterais, a soltei quando chegamos em um corredor escuro e vazio.

― O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTÁ FAZENDO?! ― ela gritou se afastando de mim. Finalmente seus olhos faiscaram contra os meus.

Me aproximei, empurrando-a contra a parede de armários, colocando uma de minhas mãos sobre sua boca e outra na sua nuca para que ela ficasse quieta.

― Shh! ― pedi e ela revirou os olhos ― Eu vou soltar  ― avisei ― Mas você vai ter que prometer falar baixo.

Ela revirou os olhos novamente, mas assentiu.

― Ótimo. ― falei a liberando ― Agora que merda foi aquela, em?!
― Do que você está falando?!
― Estou falando do jeito como você estava dançando... ― suas sobrancelhas se juntaram confusas ― Você me deixou louco, sabia? E deixou um monte de outros caras na mesma situação ― falei, cerrando o maxilar ao me lembrar dos todos os olhares masculinos sobre ela.
― Você só pode ter surtado! ― ela riu sarcasticamente.
― É, acho que eu surtei mesmo.― falei e passei a olhar para os lábios dela, era como se eles me chamassem.

Fui tomado por um instinto que me mandava puxar o corpo dela contra o meu e assim o fiz. Minha boca encontrou a sua numa carícia intensa, coloquei uma mão em sua cintura puxando-a mais pra perto enquanto aprofundava o beijo com uma mão subindo para seu rosto, acariciando sua pele macia.

― Sabia que você fica linda de vermelho? ― falei entre beijos enquanto descia minhas carícias pelo seu pescoço e colo, ela pendeu a cabeça para trás suspirando. ― E esse vestido… ― meu olhar recaiu ávido sobre a peça de roupa que encobria perfeitamente curvas tão lindas. Avancei com minhas carícias sobre seu pescoço, dando leves chupões e mordiscadas, seus dedos se afundaram no meu cabelo e meu corpo todo se arrepiou. Voltei a beijá-la até que senti seu corpo ceder em meus braços.

Assim que a soltei eu estava com um sorriso bobo no rosto, certamente não esperava o que estava por vir. Um tapa estalado na minha cara me fez perder o sorriso no mesmo instante. Toquei minha bochecha, com um olhar incrédulo. Senti a pele quente pelo tapa que havia sido forte. Me recuperei piscando algumas vezes e voltei a encarar-lá. Bem a minha frente encontrei seus olhos cheios de lágrimas. Ela tentava controlar as lágrimas, mas não conseguiu.

― Eu te odeio, Harry Styles... Odeio! ― ela passou me dando um empurrão para o lado, andando rápido na direção oposta à mim.

Aquelas palavras me afetaram profundamente por mais que eu não entendesse bem o que eu estava sentindo. "Eu deveria odiá-la, mas será que eu realmente odiava?" Eu a observei correr dali e fiquei sem reação. Quando finalmente voltei para o salão, a primeira pessoa que encontrei foi a Taylor, a culpa do que eu tinha acabado de fazer gritou.

― Finalmente! Eu estava te procurando! Onde você estava? Estão prestes a anunciar o rei e rainha do baile ― a loira me encarou com atenção, seus olhos azuis esquadrinhando meu rosto.
― Eu estava no banheiro ― era a melhor mentira que eu podia contar. Ela não questionou apenas me puxou para perto do palco.

Como esperado ganhamos pra Rei e Rainha do baile. Mas ao subir naquele palco e aceitar aquela coroa, posando para todos ao lado daquela garota linda, algo parecia muito errado e não consegui tirar a culpa daquela sensação de olhos castanhos e furiosos.

Niall POV

― Chegamos. ― Disse para a ruiva ao meu lado, que acabava de retocar o batom.
― Eu disse que não precisava me buscar, Nini. ― se referiu a nossa conversa mais cedo e eu dei de ombros.
― Sou seu par, não é? Vamos fazer tudo direito. Inclusive, não abra essa porta. ― disse sério e ela assentiu. Sai do carro, rodeando o veículo e abrindo a porta de Crystal, que ria do meu ato.
― Você não existe, Horan! ― saiu e se colocou ao meu lado. Estendi o braço pra ela, que segurou. Andamos em silêncio até o ginásio e no momento em que entramos, vi o sorriso da garota se tornar maior. ― sabe, eu nunca fui a um baile antes.
― Nunca? ― arqueei as sobrancelhas e ela negou. ― Bom, então vou fazer o máximo para que essa noite seja incrível.
― Só de estar com você a noite já fica incrível, Niall. ― falou tão baixo que se eu não estivesse tão perto, não teria ouvido. Mas eu estava. E por isso um sorriso bobo surgiu em meus lábios. Me aproximei de Crystal, dando um rápido selinho na ruiva.
― Hey, tive uma ideia. ― Lembrei que o pessoal tinha marcado de ir pra casa do Harry depois da festa. ― O que acha de ir comigo para a casa da depois daqui?
― Não sei... ― franzi o cenho. ― Não sou muito próxima do pessoal, não vou parecer uma intrusa?
― O que? Claro que não! O pessoal te adora. Vamos, por favor.
― Bem, se você está dizendo que eu não vou incomodar... ― sorriu ― Então não vejo porquê não. ― Me animei, puxando a garota para a mesa de comida.
― Você vai adorar. Eu prometo.

Só esperava que aquilo não causasse nenhum problema...

Liam POV

Cheguei ao baile com a Cami e observei de longe os meus amigos espalhadas pelo salão. O vestido lilás de chamou atenção, ela estava linda e acompanhada de um dos meninos do time de futebol... Josh, eu acho, pensei que ela ia vir sozinha... dei de ombros.

― Quer dançar? ― perguntei à loira ao meu lado.
― Com você eu quero tudo, Payne ― ela sorriu maliciosa.

Tínhamos dançado apenas duas músicas quando ela se inclinou para sussurrar algo em meu ouvido.

― Devíamos ir para um lugar mais reservado ― eu assenti. Quando uma garota como a Camilla dizia que queria ficar sozinha com você em algum lugar você simplesmente ia.

Ela era atirada, mas pelo menos dizia exatamente o que queria, e no momento ela queria ficar comigo no meu carro.
Não sei porque, mas eu não estava muito empolgado com a perspectiva de beijar a loira, mas quando seus lábios encontraram os meus, ávidos eu não poderia afastá-la. Seriam só alguns beijos e pronto, eu realmente não queria passar disso hoje. Quando sua mão desceu pelo meu abdômen encontrando o botão da minha calça eu segurei a segurei, separando o beijo.

― O que foi, gato? ― ela perguntou. E eu comecei a pensar num jeito delicado de negar aquilo que eu sabia que ela queria. Mas eu não precisei pensar em nada. começou a bater na janela do meu carro.
― Liam, Liam! Você pode me levar pra casa?! ― sua voz estava embargada, percebi que minha amiga chorava. Abri a janela do carro imediatamente ― Ah... ― ela suspirou ― Desculpa atrapalhar vocês... ― ela falou desviando um olhar para a loira ― Eu já vou indo...
― Não, ! ― falei segurando o pulso da garota. Eu não podia deixá-la sair nesse estado.
― É... Acho que eu já vou indo, mas ainda pode me ligar Payne, eu adoraria terminar o que começarmos ― Cami falou abrindo a porta do carro e saindo
― Desculpa, Liam... eu não queria atrapalhar ― minha amiga acrescentou, olhando pra baixo, ao entrar no carro e sentar onde antes a Cami estava.
― Acredite, eu queria ter sido atrapalhado. Cami não é o que eu estou procurando ― percebi com um sorriso triste, talvez eu nunca encontrasse o que eu estava procurando.
― Você vai encontrar alguém, Liam. ― minha amiga assegurou. E mesmo em meio a dor dela ela fazia de tudo para as pessoas ao seu redor se sentirem bem.
― O que aconteceu, ? ― ela desviou o olhar do meu, conversar sobre os sentimentos e acontecimentos nas vidas dos seus amigos era fácil, mas sempre que o pedido era para ela se abrir ela se fechava mais ― Em quem eu vou ter que bater? Se o James..― comecei a ameaça cerrando meus punhos.
― Não foi o James ― ela me cortou.
― Quem foi? ― ela voltou a me encarar. Seus olhos estavam cheios de lágrima e tinha tanta dor ali.
― Será que você não pode só me abraçar? ― ela pediu, sua voz não mais que um sussurro embargado. Eu assenti e abri os braços para minha amiga, ela encostou no meu peito e chorou. Naquele momento eu prometi que acabaria com quem quer que tivesse feito minha melhor amiga sofrer desse jeito...
― Ainda quer que eu te leve pra casa? ― perguntei depois que se acalmou
― Não. ― ela disse com firmeza ― Vou voltar e aproveitar com o James. ― ela soava determinada ― Obrigada, Liam e desculpe pelo seu par...
― Tudo bem. Acho que eu vou só ficar bebendo com o Harry, ele sempre trás coisas interessantes ― os olhos da minha amiga brilharam com lágrimas novamente, mas ela as enxugou furiosamente. Estranhei a reação, eu só tinha falado no nome do Styles. Ela saiu do carro e me deixou imaginando milhões de coisas.

POV

Me afastei do Mason por um tempo para cuidar da que já estava completamente alterada. Ela devia ter pego bebida com o Harry, então era responsabilidade dele cuidar dela, mas o cacheado tinha sumido.

, você tem que se sentar e beber um pouco de água ― repeti pela quinta vez segurando o pulso da menina para que ela não sumisse no meio aquele monte de gente
― Não... Me deixa, mãe ― ela tentou se soltar.

Revirei os olhos "Eu ainda matava o Styles por ter dado bebida a Tomlinson e faria melhor pediria ajuda da no processo".

― Hmm você já beijou hoje, ? ― ela perguntou do nada
― Não. Você roubou todo meu tempo aqui com meu namorado ― bufei irritada
― Ótimo! Você merece coisa melhor que ele…

Eu já sabia que era essa a opinião da minha melhor amiga, mas ela nunca tinha dito as palavras. Parei por um instante em choque e ela se aproveitou disso pra fugir.
Deixei que ela fosse e fui em busca do meu namorado. Sempre que eu ouvia algo assim eu acreditava que era a verdade, mas era só olhar nos olhos dele e ouvir ele dizendo que me amava pra eu ter certeza de que o Mason é bom pra mim. Não o encontrei no salão principal e desisti da busca resolvendo ir até os banheiros. No corredor escuro observei seus cabelos ruivos incrivelmente perto da 'ex' do meu melhor amigo, Madison. Eles estavam só conversando, mas estavam perto demais. Nunca tinha gostado da garota e agora menos ainda. Ela me percebeu ali e me indicou com a cabeça para o Mason que se virou pra mim sorrindo, ela nos deixou no corredor sozinhos passando por mim com um aceno.

― Como está sua amiga?
― Se divertindo, eu acho. Desisti de tentar acabar com sua festa ― eu ainda estava com uma pulga atrás da orelha querendo perguntar sobre a Madison, mas isso só o deixaria irritado.
― Hmm acho que nós podemos nos divertir agora também, não é? ― desviou um olhar contemplativo para o meu vestido.

Ele sorriu malicioso e seus lábios encontraram os meus me fazendo esquecer de , Madison e qualquer outra coisa que não fosse o ruivo a minha frente.

Zayn POV

A pequena salinha do zelador ainda não estava ocupada, o que eu agradecia naquele momento. A loira beijava meu pescoço e eu estava me segurando para não chamá-la para meu carro.

― Você é tão lindo ― a garota disse entre os beijos e só então, eu percebi que não sabia seu nome.

Havia chegado no baile há alguns minutos, e antes mesmo de entrar no pátio, esbarrei com a loira. Normalmente eu teria uma conversa mais longa antes, mas a garota não parecia muito interessada nisso. Após algumas palavras ela me puxou para o canto e me beijou. Não que eu estivesse reclamando.
Puxei a loira para mais perto, juntando nossos lábios. Não iria passar daquilo... pelo menos, não agora.

― Você também é linda darling ― evitei seu nome, mas aquilo pareceu deixar a garota mais animada ainda. Ela me beijava com pressa e eu estava quase me esquecendo da festa, mas quando ela abriu meu primeiro botão, me vi obrigado a me separar. ― Olha, você é linda, mas eu realmente quero curtir o baile. ― o olhar da garota foi de decepção, mas eu não ligava naquele momento.
― Ah, tudo bem. Você quer trocar números ou...? ― arqueei a sobrancelha. Isso era sério?
― Hm, Bem, meu celular ficou no carro e... ― ela riu, sem graça.
― Tá tudo bem, Malik.
― O que?
― Você não precisa arrumar desculpas. Está tudo bem. ― deu de ombros, tentando arrumar os cabelos.
― Você parece uma garota legal, mas eu não estou interessado em ter nada sério agora ― disse, tentando ter certeza que realmente estava tudo bem.
― Eu entendo. ― olhou nos meus olhos. Sabia que ela estava sendo sincera, então concordei.

Depois desse vergonhoso momento, a garota saiu. Me deixando sozinho na salinha. Abotoei o botão que a loira tinha aberto e sai também, entrando no Ginásio.
A decoração realmente tinha ficado muito boa e o tema estava óbvio para quem entrasse no local.

― Zayn, Zayn! ― senti pequenas mãos em meus ombros e me virei assustado, encontrando uma meio bêbada com um sorriso animado nos lábios. ― Tenho uma proposta pra você...

POV

Josh segurava minha cintura enquanto dançávamos. Senti um aperto leve na região e olhei pra cima, encontrando os olhos do rapaz.

― Você está linda, sabia? ― sorri. Meu vestido realmente tinha ficado lindo, e eu estava completamente apaixonada pelo visual.
― Obrigada, Josh ― O garoto parou de dançar, me olhando profundamente.
― Seria muito estranho se eu dissesse que queria te beijar, agora? ― olhei em seus olhos, pronta pra dizer que queria o mesmo, quando vi a figura de Liam atrás do garoto. Os cabelos, levemente bagunçados, me chamaram a atenção. Onde ele estava? ― O que você...? ― se virou, percebendo meu olhar recair em Payne. ― Ah...
― Sinto muito. ― disse, realmente chateada com aquilo.― Você é um cara tão legal e mesmo assim eu não consigo não pensar em outra pessoa.
― Tá tudo bem, eu entendo. ― sorriu triste e eu abaixei o olhar, envergonhada ― Sei bem como é gostar de alguém que nunca nota. ― sussurrou mais baixo e eu levantei o olhar, encontrando os olhos brilhantes do garoto.
― Josh, eu...
― Não se preocupe, . ― pegou uma das minhas mãos, dando um beijo leve. ― Só espero que ele perceba o quão incrível você é. ― me lançou um sorriso e se afastou de mim.
suspirei irritada.
― Eu também...

POV

Os braços do Zayn me ampararam e me apoiei nele aproveitando o momento para sentir os músculos do seu peitoral. Olhei em seus olhos cor de mel e me perdi, eu sabia que estava me distraindo. Eu tinha algo para propor.

― Que tal a gente ver quem fica com mais pessoas essa noite? ― ergui minhas sobrancelhas desafiadoras. Não sei de onde a ideia tinha vindo, ela simplesmente surgiu.
Foi impossível interpretar a expressão do moreno no momento
― Eu não acho que seja uma boa ideia...
― Com medo de perder, badboy?! ― desafiei observando seu olhar se semicerrar. Malik não resistia a um desafio.
― Não, princesa. Eu só não vejo o que eu ganho com isso ― ele disse dando de ombros e cruzando os braços num gesto tranquilo.
― E por que você precisaria de um prêmio? ― revirei os olhos de leve.
― Deixa as coisas mais excitantes, não concorda? ― ele se aproximou desviando um olhar intenso para o meu vestido  e consequentemente para meu corpo envolvido por ele, só o seu olhar despertou um calor diferente em mim. Entreabri os lábios e seus olhos seguiram o gesto, focando na minha boca.
― Hmm? ― soei confusa. Perdi o foco com a proximidade repentina dele.

Ele deu mais dois passos em minha direção e senti minhas costas tocarem a parede fria do ginásio, um arrepio me percorreu. Seus lábios estavam a centímetros dos meus e quando ele falou sua voz soou rouca e intensa

― Sabe? Depois de um grande esforço saber que tem uma linda recompensa te esperando... é excitante .

"Tinha várias coisas excitantes neste momento, caro Zayn e você é uma delas"; pensei, mas por milagre nem o álcool fez aquelas palavras saírem da minha boca.

― Se você ganhar eu te deixo escolher o que quiser de recompensa, badboy ― falei com um olhar malicioso. Não sabia exatamente o que eu tinha oferecido, mas os olhos cor de mel do moreno brilharam.
― Teoricamente eu já estou em vantagem, Princesa. Tem bem mais mulher aqui do que homem... ― ele começou com um tom arrogante.
― Então você não tem o que temer... ― conclui.

Com um olhar ele aceitou o desafio. Não lembro do nome dos meninos com quem eu fiquei, tudo passou como um flash. Eu tentava manter a contagem do número de meninos que eu beijava, mas até isso era difícil com o nível de álcool correndo em minhas veias. Pra falar a verdade depois de oferecer a recompensa ao Zayn eu não estava interessada em ganhar, eu estava morrendo de curiosidade pra saber o que ele escolheria como recompensa.



Continua...



Nota da autora: Esperamos muito que vocês estejam gostando da nossa história!
Criamos um instagram para divulgar todos os nossos trabalhos e avisar sobre as atualizações, além de dar alguns spoilers para vocês, haha. Para quem quiser seguir, é o @life.of.illusion . Adoraríamos saber as opiniões e nos sentir mais pertinho de vocês, então se sintam à vontade para mandar mensagens, tanto positivas quanto críticas. Beijinhos, Zovka e Iva S.

Nota da scripter: Oi gente! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.



Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber se a história tem atualização pendente, clique aqui


comments powered by Disqus