Contador:
Última atualização: 28/06/2021

Capítulo Único

passou a mão no vestido curto que estava usando e gritou para , que ainda terminava de se arrumar no quarto, que os convidados já estavam chegando e foi rapidamente até a porta. Ela estava ansiosa para rever e matar as saudades. Considerando que sua vida atual e toda a mudança dos últimos meses tomavam completamente seu tempo, a impedindo de usar um pouco para o lazer. Também seria bom rever , alguém que a tinha ajudado em um momento difícil.
— Finalmente — ela disse, ao abrir a porta e dar de cara com o casal. — Que saudades, ! — Nem deu muito tempo para que a mulher pensasse, logo tratou de a puxar para um abraço.
! Minha nossa! Eu senti tanto a sua falta! — não hesitou em retribuir o abraço da amiga, a apertando com força ao mesmo tempo em que se questionou mentalmente se não estaria a sufocando daquele jeito.
— E eu a sua, meu amor. — sorriu e a apertou forte, correspondendo com o que ela havia feito.
Não era como se conseguisse se conter, de qualquer forma. A presença de ao seu lado por si só já a deixava completamente eufórica e a todo momento só conseguia pensar no quanto ele estava perfeito.
O psiquiatra não estava muito diferente dela, já que a todo momento seus olhos a percorriam e seus pensamentos iam longe.
Não bastasse aquilo, a garota realmente sentia saudades de e ela mal conseguia acreditar que estava finalmente a abraçando.
Conforme as duas ainda se mantinham no abraço, não hesitou em passar o olho pelas duas e não fez questão alguma de conter o passar da língua nos lábios. Só com aquilo ele já conseguia imaginar vários cenários e preferiu se manter em silêncio, não era nem doido de interromper o que acontecia ali.
disse, ao se soltar do abraço com a amiga e o mediu de cima a baixo sem nem disfarçar, fazendo com que ele correspondesse.
O homem era delicioso, não tinha nem como negar.
— devolveu, abrindo um sorriso e se inclinou para depositar um beijo no rosto da mulher, logo se afastando para voltar a ficar ao lado de .
Ela correspondeu ao que ele havia feito, então sua atenção se direcionou a .
— Vem! — Puxou pela mão, então começou a caminhar para dentro do apartamento.
as acompanhou, mas não se conteve em olhar a bunda das duas conforme andavam.

Há apenas alguns metros dali, dava mais uma gargalhada enquanto encarava seu celular. Ele e Johnathan Lestrade travavam uma batalha de quem mandava mais figurinhas no grupo do trabalho enquanto zoavam de Trevor, e acabou se distraindo com aquilo. No entanto, o chamado de lhe despertou e ele deu uma última olhada em seu reflexo no espelho só para conferir se estava tudo em ordem.
havia escolhido algo bem casual, já que ficariam dentro de casa, e enquanto saía do quarto e caminhava até a sala, ouviu as vozes de e do delicioso casal que haviam convidado.
Assim que adentrou a sala, os olhos de imediatamente foram na direção de no exato momento em que a mulher puxava pela mão e as acompanhava.
Sem nem disfarçar, analisou cada um dos três minuciosamente, deixando que um sorriso de canto se formasse em seus lábios. Ele já havia visto o vestido de , preto e absolutamente curto de um jeito que o fazia querer abaixar só para morder sua bunda bem gostoso. Já , também estava de vestido curto, mas o tom era num azul claro, o que fez com que o homem jurasse que aquela escolha tinha o dedo de , já que era quase certeza também que não usava sutiã por baixo.
Seu olhar então parou em e, porra, como não reparar nele? O homem simplesmente era um gostoso e sabia bem daquilo, o que era bem evidente em sua forma de caminhar.
mal podia esperar pelo que aquela noite lhes reservava.
Terminou de fazer o caminho até o trio, então resolveu anunciar sua presença.
— Então quer dizer que vieram se juntar à festa? — soltou, vendo que o olhou rapidamente, abrindo um largo sorriso e vindo rapidamente abraçá-lo. — Você está bem, ? — questionou de forma gentil, a vendo assentir freneticamente.
— Sim, estou ótima, ! Por que vocês todos têm que estar tão cheirosos? — Aquela pergunta arrancou uma gargalhada de , então ele a soltou para cumprimentar .
— Já não era sem tempo, . — Piscou em sua direção.
— Tempo que vamos recuperar, espero, devolveu, piscando de volta e deixando que o elogio gostoso cruzasse seus pensamentos para definir naquele momento.
— Se depender de mim, é exatamente o que vamos fazer — não hesitou em responder, passando a língua pela boca e deixando que o sorriso de canto permanecesse ali. Aquilo foi correspondido por , que não hesitou em sorrir com a resposta, pensando que nem ferrando que recusaria aquilo. O cara era delicioso e ele mal podia esperar pelo que fariam juntos.
O último comentário fez com que mordesse o lábio e soltasse uma risadinha fraca, conforme seus olhos passavam pelos três. Então, antes que qualquer um deles pudesse dizer alguma coisa, a mulher caminhou até o sofá e cruzou as pernas ao passo que se inclinou para trás, se apoiando com as mãos.
Mesmo que não tivesse deixado transparecer, ela percebeu o exato momento em que o psiquiatra pousou os olhos sobre suas pernas, aprovando aquele gesto, o que também não passou despercebido por , já que o agente fez questão de encarar sem discrição alguma, recebendo um sorriso de canto dela como resposta.
— Você está delici… — quase disse o que cruzou seus pensamentos, ao encarar , mas preferiu conter aquilo. — Linda, você está linda. — Riu fracamente, ao corrigir o que diria anteriormente.
— Aha! Você ia dizer que eu estou deliciosa, não ia? — soltou também uma risadinha. — Porque se for isso, eu acho que concordo com você. Esse vestidinho mostra bem as minhas coxas. — Então a garota se inclinou um pouco para sussurrar e não conseguiu conter o olhar. — Obrigada pela ajuda.
Os olhos de passearam até os dois homens.
— Porque os rapazes não preparam uma bebida, enquanto as meninas escolhem a música? — Então, como se algo perverso cruzasse suas ideias, ela deu uma piscadela na direção de , que imediatamente bateu palmas animadas.
— Perfeito! Escolhemos agora! — Não hesitou em responder. — Quantas você quiser em agradecimento — se pronunciou, lançando um sorriso sugestivo para e demonstrando que se referia ao vestido de , já que a visão anterior dela mostrou sua bunda perigosamente empinada, algo que ele aprovou totalmente.
não tardou em fazer um sinal para , indicando que ele o acompanhasse até a cozinha.
, então, voltou sua atenção para quando viu os dois se afastarem, mas, de onde estava, ela ainda conseguia ver os dois de soslaio. Sem perder tempo, a agente se levantou enquanto pensava em como a energia da amiga era contagiante e gostava daquilo.
Realmente sentia falta dela.
Não demorou muito para que imitasse o gesto de , também se levantando e sorrindo mais uma vez na direção da mulher.
— Sim, deliciosa — voltou a afirmar, ao se aproximar mais dela, abrindo dessa vez um sorriso largo. — Tem essa play aqui… — disse, conforme pegou o celular e levou o olhar até a bancada da cozinha, onde seus olhos recaíram sobre , e, pela forma que ele olhou para ela e depois encarou as duas, soube que falavam delas.
— Obrigada, sua linda. Você também está super gostosa, aliás! — devolveu o elogio, deixando seu olhar também seguir até os dois homens, mas focando em .
De repente, o ambiente pareceu muito mais quente do que o normal e só conseguia pensar no quanto era gostoso. Quando se deu conta disso, uma risadinha baixa escapou de seus lábios e ela negou com a cabeça, um tanto constrangida por mais que ninguém pudesse ouvir seus pensamentos.
Logo voltou a encarar a mulher ao seu lado, se sentindo bastante afetada com a troca de olhares e mostrou uma música para ela, que logo deu play para começar. parou para prestar atenção por alguns segundos e abriu um sorriso ao aprovar a escolha.
— Fico feliz que gostou do vestido — comentou, ficando ainda mais próxima e se posicionou ficando ao lado da mulher e de costas para os dois homens para eles poderem ter uma visão perfeita delas. — O está fascinado por você — afirmou, levando uma de suas mãos até a cintura de e começou a dançar ao ritmo da música.
Ela adorava ficar na presença dela e apesar de não ter dito, o cheiro dela também era maravilhoso.
Mesmo afetada pela proximidade entre as duas, foi inevitável disfarçar também o quanto as palavras de deixaram nervosa. A ideia de que um homem como estava fascinado por ela lhe fazia até tremer.
— Eu… Eu não sei o que ele viu em mim, amiga — confessou, sendo totalmente sincera porque confiava totalmente na mulher. — Mas eu tô ficando louca por esse homem — suspirou baixinho.
, sério. — a encarou bem nos olhos e por um instante seus olhos foram até , então voltaram para ela. — Você é maravilhosa, ele não para de te olhar.
não conseguiu conter o impulso de também olhar na mesma direção da agente.
— E que olhos, não é? Minha nossa! — externou seus pensamentos, mordendo o canto da boca antes de focar novamente sua atenção em .
Da cozinha, tentava controlar todas as coisas que se passavam dentro dele. Já tinha algum tempo que ele e estavam juntos, mas não podia negar que uma excitação sempre percorria seu corpo pelo simples fato de que para ela tudo era uma experiência nova. E porra, ele gostava demais de compartilhar todas elas com ela e sempre existia aquela pontinha de felicidade em saber que seria com ele.
Sem querer disfarçar, porque naquele momento aquilo não importava, ele manteve os olhos nas duas mulheres e se sentiu quase perder o ar quando viu que estavam de costas.
Porra. Aquela mulher sabia bem como criar um bom cenário de provocação, foi o que cruzou os pensamentos dele, quando voltou sua atenção para ao seu lado.
— Por que tenho a impressão de que a já vai aprontar? — perguntou, com uma expressão sacana no olhar.
imediatamente sorriu de canto ao ouvir aquilo.
— Porque estamos falando de — respondeu, compartilhando da mesma expressão que ele. — Puta merda. Esses vestidinhos são sacanagem! Tá na cara que as duas vão aprontar, se quer a minha opinião.
riu brevemente com o que ele havia dito e seus olhos mais uma vez voltaram a analisar as duas mulheres.
— Puta merda — o homem soltou, ao ver como a proximidade das duas tinha aumentando e respirou ruidosamente. — Como você aguenta, ? — questionou e mais uma vez ele se viu perdendo o ar quando viu puxar o cabelo de para trás, expondo seu pescoço, onde ela colocou uma mão e selou os lábios aos de , que retribuiu sem nem hesitar.
Se ele já vinha tendo uma porção de pensamentos sacanas, aquilo só tinha aflorado ainda mais cada um deles, e elevou o olhar até para ver como ele reagia àquilo. O homem soltou um suspiro baixo, claramente afetado por aquela cena, então passou a língua pelos lábios e voltou sua atenção para , percebendo que ele lhe encarava.
— E quem disse que eu aguento, ? Porra! — Soltou uma risada um tanto rouca.
A única coisa que o psiquiatra conseguiu fazer foi rir levemente com aquilo e seus olhos logo se voltaram para as duas.
agora se encontrava com uma mão na cintura de e a outra tinha ido parar nos cabelos dela, que segurava com afinco conforme sua boca explorava a da mulher com vontade. , por sua vez, deslizou suas mãos pelos braços de , subindo até envolver o pescoço dela, passando suas unhas devagar em sua nuca, retribuindo o beijo de forma cada vez mais intensa. Por mais que estivessem fazendo aquilo, era possível ver que ambas ainda moviam os corpos ao ritmo da música, o que só deixava tudo ainda mais delicioso na visão dos dois.
— Caralho — soltou, completamente afetado com o que via. — está acabando comigo — admitiu, porque não fazia questão alguma de esconder o quanto era louco por ela.
, que também havia voltado a encarar a deliciosa cena entre as duas, se sentia tão atingido quanto. Ele estava adorando ver a forma deliciosa como sua garota beijava e a excitação já dava indícios de que surgiria dentro de suas calças.
— Então acabe com ela também, cara. Gostoso desse jeito, eu tenho certeza de que é isso que ela quer — respondeu, deixando que um sorriso ladino brincasse em seus lábios, dessa vez mantendo sua atenção nas duas mulheres.
— Porra — respondeu completamente afetado. Não sabia o que tinha sido mais delicioso, se foi o jeito que havia dito para ele agir com a dona de seus sentimentos mais profundos, ou a forma que falou sobre ele, mais uma vez. — Continua me chamando de gostoso assim, , que elas que vão acabar recebendo um showzinho. — Sorriu ao dizer aquilo, conforme seus olhos percorreram todo o corpo do homem enquanto umedeceu os lábios sem discrição alguma. Então retomou atenção ao que acontecia à sua frente.
Um milhão de coisas já se passavam na sua cabeça naquele momento e bem, era difícil decidir entre agarrar o cara do lado dele ou irem os dois até lá e participarem da brincadeira. Nunca em sua vida havia ficado em um impasse tão delicioso.
o encarou de soslaio, aprovando o comentário do psiquiatra porque era exatamente aquele tipo de reação que desejava o chamando daquela forma, então imitou o gesto de , também passando a língua pela boca e se virando um pouco na direção do homem, embora ainda mantivesse parte de sua atenção em e simplesmente porque aquela cena ficava cada vez melhor.
— Você sabe que não nego a chance de fazer um bom show, — retrucou em um tom bastante sugestivo, grunhindo baixo pela forma intensa como o beijo lá na sala acontecia.
sabia muito bem que aquilo atingiria e só de imaginar como ele se sentia, aquilo a incentivou ainda mais. Além de que, beijar estava delicioso demais e ela não hesitou em segurar o cabelo da mulher com ainda mais firmeza, conforme reduziu o ritmo do beijo e mordeu o lábio dela, o puxando em sua direção. Um gemido baixinho ecoou da boca de com aquilo e ela usou uma de suas mãos para descer pelas costas de , traçando uma linha vagarosa até chegar aos quadris da agente enquanto mordia a boca ao sentir os toques de . Seus dedos, que estavam na cintura dela, fizeram uma pressão e não se demorou em retomar o beijo, conforme sentia que ficava cada vez mais excitada, então a mão de deslizou até a bunda da agente, apertando de forma intensa porque a cada segundo o calor entre suas pernas aumentava, fazendo com que ela desejasse ser tocada ali.
mordeu o canto da boca ao ver aquilo e acabou soltando um grunhido com a cena, sentindo que seu pau já começava a reagir dentro das calças. Porra, aquilo estava delicioso demais e, meio sem controle, olhou de soslaio para só para saber se estava ficando excitado como ele.
O agente até havia se esquecido do que os dois haviam ido fazer naquela cozinha, já que seu olhar estava um tanto perdido naquela cena. acabou mordendo o lábio ao ver a forma como as duas se agarravam e levou uma mão até seu pau, o apertando por cima da calça simplesmente porque não conseguia se controlar. Aquela cena era excitante demais para que ficasse se contendo.
não disfarçou nem um pouco que tinha visto aquele gesto de e sem querer se controlar, porque não tinha razão alguma para aquilo, virou em direção ao homem e empurrou a mão dele sem nem um pouco de delicadeza para que ele mesmo o tocasse.
— Eu estava esperando para fazer isso, — soltou afetado, conforme tentava assistir de soslaio o que acontecia entre as duas mulheres e apertou o pau do homem com vontade conforme aproximou sua boca à dele no exato momento em que um grunhido escapou de seus lábios. Ele mesmo estava duro e mal podia esperar para que o tocasse também.
— Ótimo, porque eu estava esperando você fazer isso também — respondeu, mordendo os lábios mais uma vez enquanto sentia seu pau pulsar contra a mão de , então moveu um pouco o quadril na direção dele, buscando mais contato ao passo que sua mão foi até a barra da calça de , escorregando até que envolvesse o pau do psiquiatra, soltando um suspiro rouco contra os lábios de ao ver que estava tão duro quanto ele.
Sem fazer mais cerimônia, grudou sua boca à dele, iniciando um beijo intenso e não demorou a explorá-la com sua língua, algo que o homem correspondeu de imediato, levando sua mão livre até a bunda de e o puxando para que pudesse aprofundar o beijo. apertou a região deixando que um gemido escapasse de sua boca conforme chupava a língua do agente com vontade e sua mão apertou ainda mais o pau dele, que parecia ficar cada vez mais duro aos seus toques. Aquele ato fez com que explorasse toda a extensão de com mais afinco, fazendo questão de aumentar um pouco da pressão na cabecinha de seu pau conforme correspondia às carícias da língua dele com cada vez mais voracidade.
era simplesmente delicioso.
Parecendo saber o que acontecia entre os dois homens, interrompeu o beijo com e a virou para que ficasse na sua frente. Sem dar muito tempo para que a mulher tivesse alguma reação, colou seu corpo ao dela e, como se pudesse ler os pensamentos dela, levou uma mão até sua cintura e a outra até sua coxa. O gesto fez com que soltasse uma exclamação excitada, com a respiração totalmente ofegante. Seus lábios tocaram o pescoço de , conforme se movia no ritmo da música, roçando seu corpo cada vez mais ao dela, ao que a mulher correspondeu rebolando lentamente, e deixou que um gemido baixo escapasse, conforme sua mão subiu, sentindo como a pele dela estava cada vez mais quente. Enquanto fazia aquilo, seus olhos pararam em e , não conseguindo conter um grunhido.
A cena deles se tocando e aos beijos a tinha atingido diretamente e só serviu como incentivo para que suas mãos subissem pelas coxas da mulher colada a ela. Com um pouco menos de pressa, seu dedos tocaram a boceta de por cima da calcinha, fazendo-a estremecer e soltar um gemido abafado, e ela deixou que um sorriso se formasse em seus lábios, adorando ver a reação dela com aquilo.
não hesitou em abrir um pouco mais as pernas, de forma que permitisse a tocá-la ainda mais e rebolou com um pouco mais de intensidade, pressionando o lábio inferior entre os dentes, levando uma mão para trás e apertando a coxa de de forma intensa, o que fez com que ela se arrepiasse, raspando suas unhas em sua pele em seguida. Mais um gemido escapou da boca de e ela sentia seus olhos ferverem ao ver o que acontecia entre os dois homens, o que fez com que a mulher ficasse ainda mais molhada.
Os sons da mulher fizeram arfar e ela subiu a mão, entrando com ela na calcinha de e pode sentir como estava molhada. Dessa vez, arfou de forma ainda mais alta, completamente afetada pelo tesão que sentiu com aquele simples toque da agente. deu um chupão contra o pescoço dela e seus dedos passaram a se mover circularmente no clitóris de , adorando ver como ela se contorcia aos seus toques, sua respiração ficando cada vez mais ofegante, ao mesmo tempo mantendo os olhos fixos aos dois agentes que se pegavam de uma forma deliciosa.
já estava escorrendo àquela altura e, ignorando qualquer resquício de controle, retirou sua mão da mulher e levou até o fio da calcinha dela, soltando de forma que fez um estalo. Um gemidinho afetado ecoou dos lábios de com aquilo. Então sua mão foi até a barra do vestido dela e o puxou para cima, para que pudesse se livrar da peça, constatando que a mulher não usava sutiã, algo que ela aprovou totalmente.
— Como eu disse… deliciosa, — soprou com um sorriso estampado nos lábios e sentindo as bochechas queimarem. Imediatamente, retribuiu seu sorriso, mordendo a boca logo em seguida enquanto seus olhos ardiam na direção da agente.
— Não mais do que você, — respondeu, perdendo completamente a vergonha de demonstrar o quanto estava afetada por ela.
De forma rápida, mas ao mesmo tempo gentil, fez com que ficasse de lado para que as duas ainda pudessem ter a visão dos homens. Voltou a colar a sua boca à dela, dessa vez com ainda mais intensidade, e suas mãos apertaram a cintura de . O ato, porém, não durou muito, pois a agente logo desceu os lábios pelo pescoço dela, indo em direção ao seu colo até chegar aos seios dela, que se contorceu em expectativa.
— Minha ideia de vir sem sutiã foi ótima — admitiu, sorrindo mais uma vez conforme seus lábios tocaram o seio direito da garota e a agente arfou com aquilo. prendeu a respiração com aquele ato, perdendo o fio de qualquer resposta que havia pensado em dar a naquele momento, já que espasmos se espalharam por todo o seu corpo.
A mão direita de desceu em direção à boceta dela e dessa vez foi mais rápida e logo a enfiou dentro da calcinha de , a tocando e fazendo movimentos circulares em seu clitóris conforme abocanhou um dos seios dela com a boca, chupando com intensidade e brincando com os bicos ao usar sua língua.
— Ah, — a mulher gemeu afetada, rebolando com mais vontade e empinando seus seios na direção da agente, como se assim pudesse sentir com mais afinco os toques da boca dela em seus mamilos completamente endurecidos de tesão.
sentia que precisava ser tocada também, mas a visão de daquela forma era deliciosa e a de se pegando com também, então aquilo só a incentivou a continuar o que fazia.
levou uma de suas mãos até os cabelos de , emaranhando os dedos nos fios e puxando conforme sentia espasmos de prazer percorrerem seu corpo, então, de uma forma quase tímida, sua outra mão se direcionou à coxa de , pressionando a parte interna e subindo por sua virilha ao passo que ela mordia o lábio inferior, sem conseguir deixar de olhar o que acontecia entre os dois homens na cozinha. Sem hesitar, a agente abriu as pernas para facilitar os toques da mulher e deixou um gemido sôfrego escapar diante daquilo.
Completamente afetado pelo que havia acabado de assistir entre as duas, não se refreou e sem muita calma enfiou a mão dentro da calça de , agarrando seu pau com vontade, arrancando dele um grunhido satisfeito.
— Porra — disse entre um gemido sôfrego, sentindo que os olhos até podiam revirar nas órbitas. — Você está quente pra caralho, . — Sorriu ao dizer aquilo, então mordeu o lábio inferior do homem e deslizou sua mão de um jeito delicioso, começando a masturbá-lo. Sua mão percorreu todo o pau dele, até voltar para a cabecinha, onde deu uma leve apertada, adorando ver como reagia àquilo.
Porque ele estava a ponto de arrancar as calças de uma vez.
— Caralho, exalou, sentindo seu corpo estremecer com o que ele fazia, então não resistiu ao impulso de se livrar de suas calças, chutando-as para algum canto qualquer junto à cueca, o que arrancou uma risada rouca do outro homem. Lançou um sorriso ladino na direção do psiquiatra então, ponderando o que ele havia dito. — É vontade de ver ele atolado na sua boca — respondeu sem nenhum pudor porque àquela altura ninguém ali precisava daquilo.
Então oscilou seu olhar até as duas mulheres, gemendo só de ver o quanto as coisas estavam deliciosas entre elas, o que fez com que ele voltasse a apertar o pau de com afinco e buscasse se livrar também das calças do psiquiatra para que pudesse tocá-lo de verdade.
Completamente livre dos tecidos das roupas, não hesitou em envolver o pau de com uma de suas mãos, massageando toda a extensão dele e gemendo com o ato porque, porra, estava tão quente quanto ele, melado de um jeito delicioso que o fez lamber a própria boca. O psiquiatra não hesitou em movimentar o quadril, buscando mais daquele contato que era delirante.
— Puta que pariu — soltou, sentindo os olhos revirarem nas órbitas devido aos toques do homem, que aumentou ainda mais a intensidade com que o tocava ao assistir aquelas reações. — E se eu disser que meu pau também está doido para se atolar nessa sua boca gostosa, ? — indagou, quando conseguiu finalmente responder o que ele havia dito anteriormente.
Enquanto aguardava a resposta de , passou a movimentar a mão no pau dele. Subindo e descendo de um jeito ritmado, sentindo como estava melado e quente e adorando ver cada uma das reações que arrancava dele ao fazer aquilo. Era impossível controlar os grunhidos e gemidos que saíam de seus lábios e ele também nem queria.
Subiu a mão mais uma vez até a cabecinha e enquanto fazia isso, seus olhos pararam nas duas mulheres, que estavam simplesmente deliciosas se tocando daquela forma. Outro gemido escapou dos lábios dele quando apertou mais uma vez naquela região e voltou a bater uma para ele com avidez, conforme movia cada vez mais o quadril contra ele. estremeceu com aquilo e fez questão de também aumentar a intensidade com que sua mão deslizava em toda a extensão do pau de , colocando um pouco mais de pressão toda vez que tocava a cabecinha e usando a outra mão para arranhar a nuca do psiquiatra com suas unhas curtas.
— Eu diria que tem um jeito bem gostoso da gente resolver isso — respondeu tardiamente porque estava absurdamente afetado pela forma que bombava seu pau e a visão de e a poucos metros deles.
— É mesmo? E o que seria, ? — questionou, sentindo que sua voz até falhava, tamanho era o tesão que sentia.
nada respondeu a princípio e puxou o psiquiatra pela nuca, dando início a outro beijo voraz enquanto aumentava a intensidade com que o masturbava, adorando cada uma das reações do homem. Então separou sua boca da dele de maneira súbita, abrindo um sorriso ladino e se afastando por completo, seguindo na direção da sala.
— Vem comigo, — chamou com a voz rouca, esperando que o homem o acompanhasse.
sentiu o coração bater mais forte ao ver como os dois homens se pegavam com tanta voracidade e aquilo só a incentivou a movimentar os dedos ainda mais no clitóris de . Chupou com intensidade o peito dela, passando a língua e então afastou sua boca descendo em direção à barriga até chegar ao baixo ventre, onde deu um chupão com vontade e retirou sua mão da calcinha dela, o que fez a mulher pressionar os lábios com força para conter um gemido de protesto.
Sorriu ao olhar para a amiga daquela forma e levou os dedos até os fios da calcinha, a puxando para baixo logo em seguida e se livrando da peça, vendo erguer uma perna de cada vez, ajudando-a no processo. Não conteve uma mordida na parte interna de sua bochecha diante daquilo e voltou a aproximar sua boca na pele de , que se arrepiou imediatamente com o ato. Começou dando beijos lentos na região da coxa, subindo lentamente até que chegasse próximo à boceta dela e uma de suas mãos foi até a bunda da mulher, onde ela cravou as unhas levemente e segurou com firmeza.
Seus olhos encontraram os de e sem aviso algum, levou sua mão livre até a boceta dela, que estava absurdamente molhada. Os passou por toda a extensão, repetindo o gesto algumas vezes e adorando ver cada uma das expressões que arrancava dela, então, sem aviso, levou um dedo até a entrada e a penetrou lentamente conforme sua boca tocou seu clitóris. , então, aproveitou para brincar com sua língua ali.
puxou-a pelos cabelos com um pouco mais de intensidade, fazendo com que a mulher soltasse um grunhido diante daquilo, gemendo sem conseguir desviar seu olhar da mulher porque assisti-la lhe chupando daquele jeito a deixava ainda mais molhada. Então ela moveu seus quadris de encontro a , buscando mais e mais contato da língua dela enquanto passava a sua pelos próprios lábios, sentindo uma vontade súbita de tocá-la da mesma forma que a agente fazia com ela. A cada toque da mulher em sua boceta, ela sentia seu corpo estremecer mais e seus olhos estavam a ponto de se revirarem nas órbitas.
Sem conseguir se conter, se esfregou com mais afinco contra a língua de e gemeu de forma ainda mais intensa. Nunca havia sido tocada por uma mulher daquela forma e aquilo tornava tudo ainda mais delicioso.
adorou aquilo e não hesitou em aumentar a forma como sua língua se movia no clitóris dela, rodando seu dedo com vontade e a sentindo escorrer ainda mais. Sugou com vontade a região, gemendo em meio ao ato, e retirou os dedos, voltando a penetrá-la com dois de forma intensa. A cada vez que aumentava o que fazia com , ela sentia sua boceta escorrer ainda mais, ficando insanamente excitada e desejando que ela a tocasse do mesmo jeito.
não conseguiu mais conter o impulso de jogar sua cabeça para trás, gemendo de forma mais intensa, percebendo a aproximação dos dois homens e fazendo questão de rebolar mais contra os dedos de , que a tocava tão fundo que até lhe deixava sem ar.
puxou a mulher ainda mais pela bunda, ficando as unhas em sua pele com mais intensidade e passou a rodar a ponta da língua em seu clitóris de uma forma lenta e torturante, conforme seus dedos entravam e saiam com vontade. Também era a primeira vez que fazia aquilo com outra mulher e, sem dúvidas, aquilo estava sendo uma das coisas mais excitantes que estava experimentando no âmbito sexual.
— Minha nossa, . Que delícia — não conseguiu se conter, soltando as palavras em um tom manhoso e deixando mais gemidos ecoarem pelo apartamento, fazendo com que ela se afastasse, abrindo um sorriso. Seu corpo estremecia cada vez mais e a cada segundo ela perdia mais o controle de seus movimentos, mas ainda assim conseguiu força para abrir um pouco mais as pernas, de forma que permitia os dedos de irem ainda mais fundo dentro dela.
Percebendo que perdia um pouco a força, a segurou com mais firmeza, enfiando os dedos cada vez mais fundo e os rodando dentro dela com afinco. Cada uma das reações da mulher a atingia diretamente, ela conseguia literalmente sentir que escorria e por mais que estivesse totalmente concentrada no que acontecia ali, pôde ver também o exato momento em que e se aproximaram, indo em direção ao sofá que tinha ali.
— Uma delícia é ver você rebolando assim nos meus dedos, — admitiu, voltando sua atenção para e rodou ainda mais dentro dela, que sufocou um gritinho de tanto tesão que aquilo lhe proporcionava.
De forma súbita, a mulher levantou, se mantendo dentro dela ainda, colou os lábios aos de de uma forma desesperada e levou sua mão até a nuca dela, sentindo que ela lhe correspondia com avidez, puxando-a de uma forma intensa e desejosa. Por mais que não estivesse com os olhos abertos, porque naquele momento só conseguia se concentrar na forma que beijava a amiga, ela conseguia sentir a presença dos dois homens ali e estremeceu com a ideia de que eles a assistiam tão de perto.
não precisou de muito para entender quais eram as intenções de e não se refreou em sentar no sofá e ficar de frente para o homem. A visão dele era ainda melhor daquele jeito, com o pau completamente duro tão de perto e na altura de sua boca. Rapidamente, seus olhos foram até as mulheres, que se pegavam de um jeito tão delicioso, e umedeceu os lábios, passando a língua, deixando uma risada rouca escapar.
Voltou a encarar o agente e sentindo o calor aumentar, aproveitou para se livrar da camisa que usava, a jogando em qualquer canto. Mais uma vez, demonstrando o quanto queria fazer aquilo de uma vez, levou uma mão até a parte traseira da coxa do homem e o puxou em sua direção.
— Então, o que vamos fazer, ? — questionou, abrindo um puta sorriso sacana.
Uma risada rouca ecoou dos lábios de com aquele gesto dele, então o agente levou as mãos até a barra da própria camiseta, se livrando da peça também, assim poderia sentir como desejava.
— O que você quer fazer agora, ? — devolveu a pergunta, abrindo mais um sorriso sacana, então estremeceu e soltou um grunhido rouco ao mais uma vez observar a forma como as duas mulheres se tocavam.
— Você pode começar sentando aqui do meu lado para eu voltar a te tocar bem gostoso — disse prontamente, umedecendo os lábios e dando uma boa encarada no pau dele sem pudor algum.
Sem desmanchar o sorriso, não hesitou em atender ao pedido de , sentando-se ao lado do psiquiatra no sofá, tão próximo que sua perna se roçou a dele, então segurou o próprio pau pela base, acariciando toda a sua extensão e passando a língua pelos lábios.
— Assim? — questionou em um tom levemente rouco porque seu pau pulsava de um jeito delicioso em seus dedos.
nem se deu o trabalho de responder algo, porque simplesmente não conseguia e levou a mão até a mão de , fazendo com que ele afastasse a própria, o que arrancou do agente mais uma risada rouca, e o segurou com firmeza. Um grunhido escapou de seus lábios com aquilo, mas, sem hesitar, começou a masturbá-lo deliciosamente como já tinha feito antes.
— Porra de pau lindo, — externou, sem conseguir conter o que cruzava seus pensamentos, então pressionou seus lábios, sentindo o tesão aumentar só com aqueles toques.
Não refreou sua mão em apertar a coxa de com força, pressionando as unhas contra sua pele e arrastando para depois envolver o pau dele em seus dedos, arrancando-lhe um grunhido alto, masturbando-o e tentando manter o mesmo ritmo que o psiquiatra o tocava, mas encontrando dificuldade já que seu quadril se movia de forma quase involuntária contra a mão de .
A poucos metros dos dois, suspirava baixinho contra os lábios de , completamente afetada pelo que via e o prazer que sentia com os toques da mulher. Ela então puxou o lábio inferior da agente, sugando-o de forma intensa e a tocou pela cintura, voltando a descer para a coxa de e subindo de forma mais ousada do que da outra vez, apertando a virilha da mulher e tocando sua boceta, estremecendo ao sentir o quanto estava molhada e ofegando um pouco mais alto porque não usava calcinha.
A agente arfou ao toque dela, sentindo o corpo estremecer violentamente e movimentou sua cintura contra os dedos de . Intensificou ainda mais o beijo e embrenhou os dedos em seus fios de cabelo, procurando cada vez mais contato, tomada pelo tesão intenso que percorria cada parte de seu corpo naquele momento. Sem pensar duas vezes, retirou os dedos da boceta da mulher e os subiu em direção ao clitóris dela, fazendo movimentos circulares.
estava deliciosamente molhada, o que a incentivou a continuar aquilo conforme gemidos escapavam de sua boca entre o beijo, que ela interrompeu em seguida ao morder o lábio inferior dela. Então fixou os olhos aos da mulher, voltando a penetrá-la com dois dedos e os rodou com intensidade, determinada a ver cada uma de suas reações sem sequer piscar. soltou algumas palavras desconexas conforme sentia seu corpo voltar a estremecer com os dedos de dentro dela daquele jeito, então não hesitou em esfregar os seus na boceta molhada da mulher, determinada a sentir cada centímetro dela em seus dedos, explorando os grandes lábios, tocando o clitóris da agente e iniciando movimentos circulares que foram aumentando a intensidade conforme ela observava as reações bem de perto. Aquilo fez com que a agente soltasse um gemido alto, jogando a cabeça para trás do tanto que a afetou.
Deslizou então os dedos até a entrada de e afundou um dedo dentro dela, gemendo mais uma vez porque a sensação de estar daquela forma era indescritível, o que foi acompanhado pela agente, que rebolou com vontade em seu dedo. Aquilo só a excitava mais e fazia com que ela rebolasse com mais afinco contra os dedos de , que mergulhavam cada vez mais fundo dentro de si.
De canto, pôde ver como os dois agentes se tocavam deliciosamente.
A mão de acariciava com cada vez mais intensidade, arrancando dele gemidos e palavras desconexas, pressionando a cabeça de seu pau enquanto ele dividia seu olhar entre as duas e as reações do psiquiatra, que revirou os olhos involuntariamente. Seu abdômen estremecia com o tesão que sentia e ele não podia negar que estava salivando de vontade de chupá-lo.
— Falou do meu pau, mas o seu é uma delícia, — disse, sem esconder o quanto estava afetado naquele momento, arrancando dele uma risada rouca.
— É mesmo? — indagou, levando a mão até a cabecinha do pau dele e apertando com vontade, conforme aproximou seu rosto ao dele, ficando com a boca bem próxima e até se curvou um pouco. — Então cai de boca, . — Riu levemente, ansioso para ver qual seria a reação do homem e passou a movimentar a mão por toda a extensão dele, conforme sua língua percorreu toda a extensão dos lábios do agente.
riu de volta, deixando o ar escapar com uma certa dificuldade. Era exatamente aquilo que ele queria ouvir e a voz de ao dizer aquilo fez com que o corpo dele se arrepiasse ainda mais.
Aproveitando a proximidade, ele roçou sua boca na de , então desceu os lábios para o pescoço do homem, deixando beijos molhados e seguindo até o peitoral de enquanto sua mão desceu pela extensão de seu pau e voltou a subir, o que fez com que a pele do homem se arrepiasse, usando os dedos para acariciar a cabecinha e ouvindo ele gemer sôfrego.
Passou a língua por um dos mamilos do homem de forma lenta, deixando seu olhar se fixar no rosto do psiquiatra, observando bem suas reações então seguiu com a boca pelo abdômen do homem, lambendo com a mesma lentidão, chegando ao baixo ventre e raspando seus dentes por ali.
movimentou o quadril, soltando palavrões, porque aquilo era uma puta de uma tortura. Então levou uma de suas mãos até os cabelos dele, embrenhando os dedos e voltando a masturbá-lo com vontade, sentindo-o cada vez mais melado.
exalou em excitação quando sua boca finalmente se aproximou do pau de e, voltando a segurá-lo pela base, ele não hesitou em tocar a cabecinha com a língua, rodeando-a para depois colocá-la na boca, sugando e fazendo um pouco de pressão para depois tirá-lo e lamber toda a extensão de . O homem revirou os olhos, gemendo descontroladamente e sentindo que seu quadril se movia de forma completamente involuntária, buscando por mais daquele contato e desejando que ele o abocanhasse de uma vez por todas.
— Puta merda, você é delicioso — soltou e então o abocanhou por inteiro, sentindo-o quase tocar sua garganta, arrancando de um gemido alto que preencheu o ambiente. Chupou com vontade, apertando um pouco as bochechas então iniciou movimentos de vai e vem, apertando as coxas de com vontade e grunhindo porque aquilo estava lhe deixando louco de tesão.
— Puta que pariu, — soltou descontroladamente, segurando os fios de cabelo do agente com firmeza e passou a mover o quadril, fodendo a boca dele com vontade, completamente tomado por um tesão insano.
Tirou sua mão do pau dele e então subiu, fazendo desenhos abstratos com seus dedos e se movimentou ainda mais, o fodendo com vontade. Percorreu as costas dele, sentindo como sua pele estava quente até chegar à sua bunda, que apertou sem pudor algum, grunhindo com aquele ato, o que fez com que ele o chupasse com ainda mais afinco, atolando-o por inteiro em sua boca enquanto movia os quadris. Porra, era delicioso demais.
E a visão das duas mulheres deliciosas se tocando com cada vez mais vontade, só o deixava ainda mais fora dos eixos.
, que continuava socando os dedos para dentro de com cada vez mais intensidade a poucos metros dali, revirou os olhos ao ver o jeito que chupava com tanta intensidade. Suas mãos apertaram ainda mais os cabelos da mulher e ela passou a rebolar com vontade contra o dedo de , que a penetrava de uma forma deliciosa, sentindo o corpo estremecer ao passo que ela também sentia a boceta dela a apertar insanamente e deixou que os gemidos saíssem sem que pudesse sequer controlar.
se sentia tão afetada pela cena que podia jurar que sua excitação escorria por suas coxas, o que ficou ainda mais evidente quando os dedos de escorregaram para fora dela. Ela estava adorando também ver como estava excitada e aproveitou para trazer mais um dedo, socando a boceta dela com vontade e rodando de um jeito delicioso, sentindo cada centímetro da mulher lhe apertar com afinco.
Então desceu sua boca para o pescoço da agente, beijando de forma delicada a princípio, descendo pelo colo e sentindo uma necessidade crescente de tirar o vestido da mulher.
Como ela ainda estava vestida mesmo?
Mesmo não querendo sair de dentro dela, usou as duas mãos para puxar o vestido de para cima e quando a viu sem a peça, passou a língua pelos lábios e voltou a beijá-la com vontade, algo que correspondeu com vontade, passando a esfregar os dedos na boceta dela com intensidade, grudou o corpo levemente ao da mulher para que pudesse sentir o quanto sua pele estava quente e grunhiu com aquilo, sentindo se movimentar contra ela, de forma que seus corpos se esfregassem ainda mais.
parecia ficar cada vez mais gostosa, então voltou a deslizar os dedos para dentro dela, louca para que ela se derramasse em neles e os movimentou de um jeito delicioso, até os curvando um pouco. O ato fez com que soltasse gemidos sôfregos, rebolando em seus dedos e usando as duas mãos para apertar a bunda de com vontade, pressionando suas unhas na pele da mulher e trazendo uma mão até a boceta dela para que também voltasse a socar dois dedos de forma intensa, o que fez com que ela rebolasse contra sua mão, perdendo completamente o controle e não conseguindo mais conter os gemidos que escapavam de sua boca.
acompanhou tudo de soslaio, conforme seu quadril se movimentava, fodendo cada vez mais a boca de , que o chupava com tanta determinação. Tinha aprovado totalmente que agora todos ali se encontravam completamente sem roupas. Seus dedos mais uma vez voltaram a puxar os cabelos do homem, ao passo que sua mão apertou a bunda dele com afinco.
Abriu um sorriso leve, quando algo cruzou seus pensamentos e não se refreou em fazer o que queria, então a direcionou para o meio da bunda do agente, abrindo-a e soltando um grunhido com aquilo. Como aquele homem conseguia ser tão gostoso? Não tinha ideia, mas estava adorando provar cada pedacinho dele daquela forma.
— Você é gostoso demais, — externou mais uma vez o que pensava, conforme seus dedos tocaram a entrada dele de uma forma lenta, mas ao mesmo tempo fazendo uma pressão. soltou um grunhido alto com aquilo e moveu o quadril, instigando-o a continuar com aquilo, sentindo o tesão aumentar só com a ideia dele socando os dedos ali.
— Gostoso é esse seu pau atolado na minha boca, . — Parou de chupá-lo apenas para soltar aquelas palavras, então voltou a lamber toda a sua extensão, aproveitando para babar na cabecinha antes de voltar a engolir por inteiro, fazendo cada vez mais pressão com suas bochechas.
Aquilo fez com que ele movimentasse ainda mais o quadril e, sem querer se controlar, retirou a mão de onde estava e chupou um de seus dedos, os melando bem e depois levou de volta para onde se encontrava antes. A enfiou novamente entre as nádegas do homem, então rodeou seus dedos melados ali, fazendo pressão e sentindo o quanto aquilo era delicioso. Mais uma vez, se moveu de encontro aos dedos dele, ansiando por aquele toque.
De repente, se viu desesperado para poder chupá-lo também.
— Que cuzinho delicioso, — gemeu aquilo, sentindo o corpo estremecer. — Quero socar meus dedos nele enquanto te chupo bem gostoso — disse, abrindo um sorriso sacana e jogando a cabeça para trás, tentando controlar o que sentia e assistir o que acontecia entre e .
estremeceu ao ouvir suas palavras, não contendo um gemido abafado pelo pau de em sua boca. Então afastou seus lábios dele mais uma vez para encará-lo bem sacana.
— Então deita, . Eu tô louco pra ter você socando no meu cuzinho — respondeu completamente afetado.
O psiquiatra abriu um sorriso sacana ao ouvir aquilo, sentindo que seu pau até pulsava em expectativa, e sem hesitar deitou no sofá como ele havia pedido.
— Assim, ? — perguntou, conforme passou os olhos por toda a extensão do corpo dele.
nem fez questão de evitar que seus olhos também passassem por todo o corpo de e em aprovação ele passou a língua pelos lábios, se demorando no pau de , deliciosamente duro.
— Assim mesmo — concordou, então não hesitou também em subir em cima do homem, de forma que sua bunda ficasse à altura do rosto de ao passo que o dele estava mais uma vez diante de seu pau.
tornou a segurá-lo e o envolveu com sua boca, engolindo-o por inteiro e o chupando com afinco, apoiando-se nas pernas de e colocando cada vez mais intensidade nas sugadas, fazendo com que o homem passasse a mover o quadril em sua direção.
não demorou a levar as mãos até o quadril de , puxando-o para que ficasse mais próximo de seu rosto e grunhiu em expectativa quando viu o pau dele bem na sua cara. Seus dedos o apertaram com afinco, demonstrando o quanto havia ficado afetado e os deslizou levemente até que tocasse a bunda dele, onde o arranhou com suas unhas curtas e a outra usou para agarrar o pau do agente, que grunhiu abafado, chupando-o com mais intensidade.
guiou até sua boca, passando a língua levemente bem na cabecinha e sentindo como seu gosto era uma delícia. Dessa vez, um gemido claro escapou e ele se movimentou ainda mais, conforme seus dedos foram em direção à entrada de onde ele estava doido para se atolar. No entanto, trouxe rapidamente os dedos até sua boca, os deixando bem molhados para depois retomar o que fazia.
Aquilo realmente estava o levando ao limite.
Sentiu seu pau pulsar ainda mais a partir daquilo, ao que correspondeu fazendo mais pressão em suas bochechas, e foi colocando o pau de em sua boca, conforme seus dedos pressionaram o cu dele, entrando levemente e o sentindo se abrir para ele cada vez que ia mais fundo. A sensação daquilo era indescritível e o incentivou a socar ainda mais fundo, conforme sua língua brincava com toda a extensão do pau dele, o rodando e fazendo um vai e vem, mal podendo esperar para que ele começasse a se movimentar contra sua boca como ele estava fazendo com ele.
então soltou gemidos cada vez mais altos com o pau de em sua boca, se movimentando na direção de seu rosto e procurando senti-lo com mais afinco. O tesão aumentava a cada segundo e espasmos se espalharam por todo seu corpo, o impulsionando cada vez mais contra .
Grunhidos escapavam da boca de , conforme ele chupava o homem com cada vez mais intensidade e o fato de serem abafados pelo pau de só deixava tudo ainda melhor. Quando terminou de atolar o dedo por inteiro no homem, o retirou de sua boca, passando a fazer um vai e vem em seu cu ao passo que sua língua percorreu toda a sua extensão de forma torturante.
Sua intenção era o enlouquecer o máximo que conseguisse. sentia seus olhos se revirarem nas órbitas de tanto que aquilo era delicioso e não hesitou em chupar com mais intensidade, colocando-o por inteiro na boca até tocar fundo em sua garganta, contendo o reflexo até que precisasse tirá-lo para respirar, então desceu sua boca até as bolas do homem, chupando uma, depois a outra, e voltando a lamber seu pau por inteiro, ofegando conforme o prazer aumentava.
Um suspiro alto escapou dos lábios de ao ver o que os dois faziam, então, cedendo a um impulso que ela nem fez questão de controlar, retirou seus dedos de dentro de , que soltou um grunhido de protesto, levando-os aos próprios lábios e chupando com vontade, oscilando seu olhar até a agente e abrindo um sorriso sacana em sua direção, algo que foi correspondido pela agente, apesar de ter sentido as bochechas esquentarem mais do que tudo.
— Deliciosa, — sua voz estava um tanto falha devido à excitação que sentia, então levou uma mão até a de , fazendo com que ela parasse de tocá-la, entrelaçando os dedos nos da mulher e a puxando para que fossem até a poltrona ao lado do sofá onde estavam os dois homens.
Sem hesitar, a empurrou para que caísse sentada ali, dando uma risadinha como se tivesse acabado de aprontar alguma coisa. Um gritinho escapou dos lábios de , que arregalou o olhar em uma expressão sacana, mas ao mesmo tempo surpresa.
Contudo, estava adorando ver no comando da situação.
Se inclinou sobre a mulher, buscando os lábios dela com os seus e deu início a mais um beijo intenso, algo que a loira correspondeu sem hesitar, levando uma mão até a cintura dela e a outra até seu pescoço, grunhindo com o ato repentino, olhando de soslaio para o que acontecia entre os dois homens e usando as duas mãos para apertar os seios de , massageando e brincando com os bicos, a princípio de uma forma até um pouco tímida, mas aumentando a pressão que fazia conforme percebia as reações da agente aos seus toques.
gemia cada vez mais, totalmente tomada pelos toques da amiga e sentiu que todo seu corpo estremecia com aquilo, conforme escorria cada vez mais e os bicos ficavam ainda mais endurecidos nas mãos de , ao passo que olhou de canto que os dois homens faziam um 69 delicioso, o que só a deixou ainda mais fora de controle, mordendo o lábio quase que involuntariamente.
Afastando-se dos lábios dela, deixou um beijo no canto da boca da mulher, que sorriu com o gesto, descendo para seu queixo e abrindo mais um sorriso, sentindo-se levemente nervosa ao se abaixar diante de , segurando nas pernas da agente e fazendo com que ela as abrisse para que sua boca percorresse a parte interna das coxas dela, gerando um arrepio instantâneo na pele da mulher.
Atenta às reações de , foi subindo com seus lábios até a virilha, usando uma das mãos para voltar a tocar a boceta encharcada de , usando dois dedos para esfregar o clitóris inchado em movimentos circulares e umedecendo a boca segundos antes de tocá-la com sua língua, que gemeu sofregamente conforme sentiu um choque percorrer seu corpo.
não conseguiu evitar um gemido ao passo que sentiu seu corpo estremecer. Ela não tinha muita certeza de como deveria fazer aquilo, mas optou por seguir seus instintos, lambendo a boceta de com vontade, aproveitando o quanto a mulher estava molhada para deslizar sua língua por toda a sua extensão, acariciando o clitóris em movimentos circulares e então ameaçando socar em sua entrada. Apertou a coxa de com a mão que estava apoiada ali, então experimentou sugar o clitóris de forma lenta, aumentando a intensidade aos poucos.
não aguentou o último movimento de e levou uma mão até os cabelos dela, os segurando com vontade e movendo o quadril contra a boca da mulher conforme abria as pernas ainda mais. Cada parte do seu corpo reagia ao que acontecia ali, sentindo que o tesão só aumentava e que os gemidos saíam cada vez mais altos em sincronia aos seus olhos que reviravam nas órbitas.
Completamente afetada pelas reações da agente, não hesitou em chupar o clitóris dela com mais intensidade, arrancando ainda mais gemidos da mulher, aproveitando como ela tinha aberto as pernas para voltar a socar a língua na entrada dela, dessa vez se aprofundando mais e começando a se movimentar num vai e vem gostoso, sentindo que sua boceta pingava com a cena dos dois homens se chupando daquele jeito. E aquilo só fez com que puxasse o cabelo dela com mais força, estremecendo violentamente a cada toque.
Completamente descontrolada, levou uma mão livre até sua boceta, esfregando seu clitóris com afinco e metendo dois dedos enquanto ainda atolava sua língua em , gemendo com aquilo e sentindo seu corpo estremecer cada vez mais. Não demorou a trazer a mão que permaneceu na coxa de até o clitóris da agente, esfregando o polegar ali e fixando seu olhar nela para assistir suas reações, adorando estar atolada nela daquele jeito, o que fez com que aumentasse ainda mais as carícias em si mesma. Ela poderia gozar só de assistir daquele jeito.
gemeu sôfrega, sentindo que o ar até lhe faltava conforme mais gemidos escaparam e rebolou contra a boca da mulher com vontade, que intensificou ainda mais seus movimentos, socando sua língua com mais afinco, provando cada centímetro da mulher. jogou a cabeça para trás, conforme olhou para os dois homens, que se chupavam tão intensamente, e aquilo só a incentivou a continuar se movimentando, sentindo que sua boceta se apertava e os espasmos a percorriam.
gemendo o nome de daquela forma tão afetada arrancou um tremor de , que se movimentou com ainda mais vontade , o fodendo bem gostoso. Ele sentia seu pau pulsar cada vez mais e retirou o dedo de dentro do homem, voltando a penetrá-lo e o sentindo se abrir mais uma vez ao passo que o agente continuava se movendo contra ele, de forma que seu dedo o tocasse bem fundo. Grunhiu com aquilo e tirou o pau de de sua boca, babando o máximo que conseguiu, então o engoliu por inteiro até o talo, conseguindo até escutar o barulho de engasgo quando tocou o fundo de sua garganta e fez uma pressão algumas vezes para depois voltar para a cabecinha. Mais gemidos abafados ecoaram de .
Brincou com a sua língua ali, conforme seus olhos captavam como chupava de forma tão intensa e aquilo só o deixava ainda mais insano. Afundou ainda mais os dedos no cu de , se deliciando e o chupando ainda mais intensamente, rodeando sua língua por toda a extensão do homem conforme fazia um vai e vem.
— Cuzinho delicioso, puta merda — soltou ao parar de o chupar por um instante, então seus olhos voltaram a se fixar na mulher que o enlouquecia tanto. — Caralho, bebe. To vendo que aprendeu bastante comigo. — Sorriu sacana com aquilo, ansioso para ver a reação dela, mas voltou a chupar o agente, olhando-a de canto de olho conforme fazia aquilo.
então parou os movimentos de sua língua, mas continuou esfregando o polegar no clitóris de , aumentando a intensidade quando voltou seu olhar para , arrancando de um gemido mais alto conforme ela observava o que acontecia entre o casal mesmo de longe, fazendo questão de socar os dedos com mais afinco em sua boceta e abrindo um sorriso sacana para ele, gemendo sofregamente antes de conseguir formular uma resposta.
— Com um professor gostoso como você, crush, eu faço questão de ser bem dedicada. — Então passou a língua pelos lábios, mordendo o canto da boca enquanto observava o que ele fazia e se tocava com mais intensidade.
teria sorrido diante daquela resposta se pudesse e ela o atingiu tão intensamente que ele passou a movimentar o quadril de forma mais intensa contra e retirou o dedo de dentro dele, voltando a penetrá-lo dessa vez com dois de uma forma bem gostosa.
Chupou o pau de com ainda mais vontade, sentindo que babava cada vez mais e o homem pulsava de forma ainda mais intensa, movendo o quadril contra a boca de como se estivesse a fodendo.
Aquilo estava delicioso e ele não sabia dizer o que era melhor, se era assistir fazendo tudo aquilo com , em cima dele daquele jeito ou os sons que eram espalhados pelo ambiente. Sem falar na forma deliciosa que se tocava, como ele havia lhe mostrado tantas vezes. Tudo era simplesmente alucinante e só fazia o tesão dele aumentar.
Então, mais uma vez, interrompeu o que fazia para poder externar o que sentia.
— Já que é tão dedicada assim, quero ver a gozar na sua boca, bebe — pediu completamente afetado, conforme socava seus dedos cada vez mais fundo em e se deliciava com cada uma das reações dele. se deliciou ao ouvir aquilo, completamente afetado pela forma como o tocava e se contorcia ao ser chupada por .
Para ele, não havia nada mais alucinante do que a expressão de prazer estampada nas feições de .
conseguia sentir seus olhos ardendo na direção das duas mulheres conforme seus movimentos se intensificaram no pau de e ele voltou a atolá-lo por inteiro, de forma que tocasse sua garganta, pressionando antes de tirá-lo da boca, lambendo a cabecinha com vontade, o que arrancou um grunhido do homem. Seus quadris se moviam de forma que os dedos de o fodessem ainda mais fundo e ele não conseguia controlar mais os gemidos que escapavam de sua boca.
adorou ver a forma como ficou descontrolado, então voltou a abocanhá-lo, o chupando com vontade e indo cada vez mais fundo dentro dele, até fazendo com que o quadril do homem se movesse. Também fez questão de manter os olhos em , porque não perderia por nada aquela cena que havia pedido a ela.
sorriu ladina com aquela cena, percebendo como os dois homens estavam afetados com o que as duas faziam e aproveitou para escorregar dois dedos para dentro da boceta de , atolando os dois por inteiro, arrancando dela um gemido alto que preencheu todo o apartamento, aproveitando a posição dela em cima da poltrona e fazendo movimentos intensos de vai e vem, rodando seus dedos dentro da mulher e aproximando sua boca para voltar a chupar o clitóris de , sugando com intensidade, não deixando de tocar a si mesma em nenhum minuto sequer.
sentiu que um tremor percorreu todo seu corpo, conforme suas costas se arquearam e ela passou a rebolar contra os dedos de de um jeito que ela não conseguia mais controlar. Ela tentava se dividir em olhar o que os dois homens faziam, mas a forma com que a amiga a penetrava era intensa demais e se viu revirando os olhos, conforme mordeu os lábios e sentiu as bochechas queimarem absurdamente.
— Ah, porra — gritou em um gemido sôfrego que fez ela arregalar os olhos e se projetar levemente para frente, abrindo ainda mais as pernas involuntariamente. — Eu vou gozar, — soltou manhosa, voltando a rebolar e tremer violentamente, ao passo que sentiu sua boceta se alargar primeiro e depois se apertar com tanta força que um gemido alto escapou, a deixando quase sem ar e sentindo o orgasmo vir de um jeito avassalador. então fez questão de curvar os dedos dentro dela, movendo a mão de forma bem intensa conforme as pernas de tremiam de um jeito delicioso, denunciando o ápice que ela tinha alcançado.
observou aquilo, constatando que havia gozado deliciosamente e momentaneamente parou de chupar , porque precisava externar o que sentia.
— Puta que pariu, caralho que delicia, bebe — soltou, ainda socando os dedos no cu de e sentindo os olhos queimarem com aquela cena.
sorriu mais uma vez na direção de , então aproximou sua boca da boceta de , sugando cada gota do prazer da mulher com gosto, se deliciando com aquilo e até parando de tocar a si mesma só para apreciar as reações de ao ver aquilo. A agente revirou os olhos diante daquilo, conforme ainda se movia contra a boca dela e então seus olhos foram em direção a .
estremeceu ao ver a forma intensa como havia gozado e sentiu que estava a ponto de se derramar também, então ele apertou as unhas contra as coxas do psiquiatra e gemeu de maneira completamente descontrolada. Percebendo aquilo, socou os dedos de forma funda e lenta, voltando a levar sua boca até o pau do homem, babando bastante na cabecinha e então o abocanhou. Chupou primeiro toda a extensão em um vai e vem gostoso, conforme socava com cada vez mais vontade, adorando ver as reações dele e esperando que explodisse na sua boca. Àquela altura, ele já conseguia sentir como pau dele pulsava e estava delirando tanto que até diminuiu o ritmo do próprio quadril.
— Quero ver você gozar na boca dele, babe — pediu manhosa, conforme encarava tudo que acontecia e se curvou levando as mãos até os cabelos de e a puxou para um beijo, na intenção de sentir o próprio gosto, sendo retribuída de imediato ao passo que a mulher envolveu as mãos ao redor do pescoço da agente, mas ainda mantinha seus olhos fixos nos dois homens.
— Caralho… — exalou, movendo seu quadril com mais intensidade, o que fazia seu pau ir cada vez mais fundo na boca de , que chupou com vontade esperando que ele gozasse bem gostoso conforme afundou os dedos ainda mais no cuzinho dele. Voltou a chupá-lo com voracidade porque era delicioso ser chupado enquanto o sentia estremecer de tesão.
O pedido de havia o atingido diretamente. Ele já estava completamente descontrolado ao ver a forma como a mulher havia gozado e não precisou de muito para que soltasse gemidos mais frequentes, se atolando com mais intensidade, pressionando as coxas de com mais força e então sentindo tudo ao seu redor girar quando explodiu de forma insana, tirando o pau de de sua boca para jogar a cabeça para trás e gemer de forma prolongada enquanto estremecia de forma quase violenta. Sem nem querer se controlar, se derramou inteiro na boca de e enquanto fazia isso seu olhar buscou o de , encarando-a intensamente. Encontrando o olhar da mulher, que o olhava enquanto mordeu o lábio inferior de com vontade, gemendo ao assistir àquilo.
O psiquiatra não hesitou em engolir todo o prazer do homem, o sugando com ainda mais vontade e até gemendo diante daquilo, porque porra, havia gozado tao deliciosamente em sua boca que ele sentiu todo seu corpo estremecer. Então lentamente retirou seus dedos de dentro dele e afastou a boca, os levando até ela e chupando com vontade para sentir o gosto misturado e sorriu em satisfação.
— Porra, que delicia — soltou completamente afetado, então levou o olhar até as duas mulheres e fixou os olhos na dona do seu coração.
Um sorriso sacana se formou mais uma vez em seus lábios ao passo que ele apertou a bunda de com vontade conforme esperava o homem se recuperar do que tinha acabado de acontecer. Seus olhos praticamente ferviam na direção de e ele só conseguia pensar no quanto precisava sentir aquela mulher e compartilhar o gosto de com ela, misturado ao de que ele sabia ainda estar em sua boca.
— Bebê, eu preciso sentir você — soltou, completamente afetado e não se importou nem um pouco com aquilo. Não era segredo algum que era de quatro por ela, que sorriu ao ouvir o que ele havia pedido. Sim, também estava desesperada para senti-lo. Poderia até ser bobo de sua parte pensar daquela forma, mas toda vez que estava com sentia que ele era seu encaixe perfeito. Suas bochechas até ruborizaram por aquele pensamento ter cruzado sua mente ao olhar para o homem.
observou tudo aquilo sentindo seu coração bater mais forte e antes de se concentrar em , selou os lábios delicadamente aos de , que retribuiu, passando os dedos de leve pela lateral do pescoço dela. Seus olhos estavam levemente arregalados, as bochechas vermelhas e os cabelos bagunçados e sentia que um formigamento percorria seu corpo conforme encarava o homem, estava afetada demais ainda pela forma que ele tinha olhado para ela ao gozar daquele jeito tão intenso.
precisou de alguns minutos para se recuperar, então saiu de cima de , voltando a se sentar ao lado do psiquiatra no sofá e tornou a fixar seu olhar em , mostrando com o olhar o quanto necessitava dela naquele momento, o que foi correspondido por ela.
Sem conseguir se segurar mais, então se levantou, indo na direção de e montando em cima dele para dar início a um beijo desesperado. O homem acompanhou aquilo com o olhar e deixou que um grunhido escapasse quando a sentiu em cima dele, prontamente envolvendo os braços em seu corpo e correspondendo ao grudar a boca a dela, explorando com intensidade conforme sua linha se enroscou a de . O corpo dela estava absurdamente quente e aquilo fez com que ele arfasse e sentisse o pau pulsar dolorosamente.
— Porra — gemeu afetado, conforme afrouxou um pouco os braços a volta dela e uma mão foi até a nuca da mulher, onde segurou os cabelos dela com firmeza. Conforme a beijava com cada vez mais intensidade, sua mão livre passeou pelas costas da mulher até chegar em sua bunda, onde ele deu uma apertada forte sem pudor algum e a encaixou ainda melhor em seu colo, o que arrancou um gemido baixo da parte dela e fez com que rebolasse lentamente. — , você está molhada pra caralho…— externou o quanto aquilo o afetou e foi descendo sua mão até a boceta dela, enfiando um dedo lentamente ao chegar nela e grunhiu ao sentir a umidade intensa de e como era apertada.
abriu a boca, deixando sua respiração descompassada ficar bem audível enquanto seus olhos se fixaram aos dele brilhantes de expectativa. Aquilo o atingiu tão intensamente que ele passou a rodar o dedo dentro dela, conforme sua respiração saía ruidosamente.
— Prontinha pra você, príncipe — respondeu de forma manhosa, mordendo o lábio inferior, rebolando ainda mais para sentir o dedo dele ainda mais fundo e ofegando baixinho.
…— Seus olhos encararam os dela e ele até parou os movimentos do tanto que ficou afetado com aquilo. O coração bateu mais forte e o homem abriu um sorriso conforme uma risada tímida escapou de seus lábios, tamanho era o jeito que ela mexia com ele. Então, ao perceber que lhe faltavam palavras, voltou a atacar os lábios dela com voracidade, que retribuiu sem pestanejar, acariciando a língua de com vontade e a chupando deliciosamente.
— Você gostou? — perguntou com a voz falha, interrompendo o beijo por apenas alguns segundos.
— Eu gosto de tudo que vem de você, bebê — respondeu, interrompendo o ato e levando uma mão até o rosto dela e a olhando bem no fundo dos olhos. — Sou louco por você, — admitiu, sentindo a voz até falhar e grudou os lábios aos dela mais uma vez.
Por alguns segundos, até encontrou dificuldades em retribuir ao beijo de tão afetada que havia ficado ao ouvir as palavras dele. De repente, parecia que seu coração ia explodir dentro do peito e quando ela finalmente conseguiu acariciar a língua dele com a sua, um sorriso bobo acabou se formando em seus lábios e ela precisou se afastar apenas mais uma vez para respondê-lo.
— E eu por você, . — Sentiu suas bochechas esquentarem ao admitir aquilo e retomou o beijo novamente, fazendo o homem até estremecer com aquela informação.
sentia que suas pernas estavam até moles conforme caminhava até onde estava sentado. Parou por alguns instantes para observar , tombando a cabeça levemente conforme seus olhos o encararam tão minuciosamente ao demonstrar o quanto estava afetada com tudo que tinha acabado de acontecer e se colocou entre suas pernas, sentindo sua pele roçar a dele.
Em nenhum momento deixou de encará-la. O rubor nas bochechas de estavam lhe deixando louco e ele gemeu satisfeito quando finalmente pôde tocá-la novamente. Ele estava sedento por .
Então ela jogou uma perna de cada lado do corpo dele e se encaixou, ao passo que levou uma mão até a nuca de e a outra usou para afastar o cabelo dele conforme sua boca se grudou a dele. Por mais que tentasse, não conseguiu conter o gemido que escapou e seus dedos puxaram os fios de cabelo dele e mordeu o lábio inferior do agente com força.
— gemeu baixinho, voltando a grudar a boca dele e iniciando um beijo intenso entre eles. O corpo dele estava quente e como sempre encaixava perfeitamente ao dela, fazendo seu coração bater cada vez mais forte.
retribuiu o beijo com voracidade, envolvendo a cintura de com seus braços e pressionando o corpo dela contra o seu, explorando cada canto de sua boca e massageando a língua dela de um jeito gostoso, que gemia cada vez mais contra ele. Então as mãos dele foram descendo até a bunda dela, apertando e deixando um tapa de leve, que arrancou da mulher um gritinho exasperado, ao passo em que um sorriso sacana foi se formando em seus lábios.
— Por que tão gostosa, ? — Murmurou contra a boca da agente.
riu levemente com aquilo, voltando a olhar nos olhos dele.
— Porque eu posso, — respondeu firme, arrancando também uma risada de conforme sua boca roçou a dele e ela roçou o corpo ao de para que pudesse o sentir cada vez mais. Então em um desespero de o sentir ainda mais, puxou uma das mãos dele que estava em sua cintura e levou até sua boceta. — Talvez você queira sentir o quanto estou gostosa e melada, babe — soprou baixo, se esfregando nos dedos dele e enfiou o rosto na curva de seu pescoço, deixando um gemido sôfrego escapar.
— Babe, eu estou louco pra atolar meus dedos nessa boceta gostosa desde que te vi colocar aquele vestido sem calcinha — a voz de ecoou extremamente rouca devido ao tesao que sentia e não hesitou em acariciar a boceta encharcada de , exalando sonoramente porque seus dedos escorregavam com facilidade por toda a extensão da mulher e o clitóris de estava deliciosamente inchado. As palavras dele a atingiram certeiramente e ela se viu estremecer em cima dele, conforme gemeu sôfrega se esfregando ainda mais contra os dedos do agente.
voltou a grudar seus lábios aos dela com intensidade, então escorregou dois dedos para dentro de sua boceta, os curvando quando chegou bem fundo e movendo com intensidade. Só aquilo já era o bastante para que ele voltasse sentir seu pau pulsar, ansioso para fodê-la mais uma vez.
correspondeu ao beijo sentindo que até perdia o ar e rebolou bem gostoso nos dedos de , sentindo que ficava ainda mais molhada com seus toques. Então não hesitou em descer sua mão até o pau dele, o segurando e movimentando, sentindo que ele ficava cada vez mais duro conforme ela subia e descia de um jeito delicioso. Isso o estimulou a atolar ainda mais seus dedos dentro dela, diminuindo a intensidade logo depois apenas para torturá-la mais um pouco. Fazendo gemer manhosa.
— Babe — soprou afetada, tamanha era a necessidade de o ter cada vez mais. — Eu preciso foder com você — admitiu, conforme seus olhos se direcionaram para o casal ao lado, sentindo o tesão aumentar ainda mais. Aquele gesto fez com que também olhasse na direção dos dois e ele imediatamente passou a língua pelos lábios, achando simplesmente delicioso assistir tudo aquilo bem de perto. , então, apertou a cabecinha do pau de , o que arrancou dele um gemido baixo e grudou sua boca a dele mordendo seu lábio inferior com força conforme puxou os fios de seu cabelo. grunhiu contra a boca dela e rodou seus dedos de uma forma ainda mais deliciosa.
precisava desesperadamente dele dentro dela.
— Precisa é? — provocou, olhando para a mulher com o tesão nítido em suas feições. — Então troca de lugar comigo e empina bem essa bunda gostosa, babe — pediu com a voz rouca.
Os sons dos gemidos de misturados à pegação do casal ao lado só deixaram ainda mais insano e ele rapidamente retirou o dedo que estava dentro de . Praguejou-se mentalmente por ter que afastá-la brevemente para que pudesse ir até onde estava sua calça, trocando um sorriso cúmplice com o agente ao ver que ele também tinha se distanciado para buscar um preservativo.
Quando voltou, o psiquiatra vestiu seu pau tomando os devidos cuidados, então o segurou, chamando de volta para seu colo e a segurando com firmeza para que se encaixasse. Precisava desesperadamente estar dentro dela e sentiu que até uma certa dorzinha de expectativa. Então interrompeu o beijo, afastando-se um pouco para que pudesse ver a expressão dela conforme se encaixou na entrada da mulher, que estava absurdamente molhada e tremia em excitação.
— Ah, porra — gemeu rasgado, ao sentir que entrava nela lentamente. A boceta de era absurdamente quente e apertada e ele não conseguiu conter que os olhos revirassem nas órbitas, conforme ela se alargava para ele de forma tão deliciosa.
Não importava quantas vezes ficasse atolado naquela mulher, a sensação era sempre indescritível.
jogou a cabeça para trás ao senti-lo entrar por inteiro dentro dela. Não conseguiu controlar o gemido que ecoou mais alto de seus lábios e moveu um pouco os quadris, rebolando até sentir que ele estava todo atolado em sua boceta. Seu corpo estremeceu de aprovação e ela ficou ainda mais molhada, então segurou nos ombros de com as duas mãos, fincando suas unhas ali e moveu o quadril mais uma vez, começando a se mover em cima dele, completamente dominada pelo prazer que sentia.
gemeu descontroladamente, sentindo-se absurdamente afetado pela reação dela. Aquela mulher em seu colo daquela forma, jogando a cabeça para trás, era a visão mais linda e deliciosa que ele já tinha presenciado e mais uma vez grudou os lábios aos dela, a beijando com voracidade conforme uma de suas mãos foi até a nuca da mulher, de forma que agarrou seus cabelos com força. A outra foi até a bunda dela, que ele apertou com vontade conforme se movia entrando e saindo dela com vontade.
— Caralho, bebê — gemeu, sentindo que simplesmente não conseguia deixar de externar o que sentia quando se tratava dela e puxou a cabeça de para trás, de uma forma que ficasse mais exposta para ele e dessa vez seus lábios tocaram o pescoço da mulher, onde deixou um chupão forte, o que fez com que ela gemesse alto, soltando algumas palavras desconexas.
Suas unhas curtas fincaram na pele da bunda dela e ele a puxou um pouco para cima, quase saindo dela, ao passo que seus lábios foram descendo em direção aos seios de . Então assim que os alcançou, voltou a se atolar por completo dentro dela, soltando um gemido alto que foi abafado quando ele abocanhou o seio direito da mulher. Seus dedos seguravam o cabelo dela com firmeza, e ele não hesitou em movimentar o quadril, metendo nela com cada vez mais intensidade, conforme sua língua brincou com o mamilo endurecido dela, brincando deliciosamente e o sugando com intensidade. fez questão de afundar ainda mais suas unhas na pele dele, descendo as mãos até as costas de e rebolando contra o quadril dele de forma que conseguisse sentir o pau dele tocando em cada pedacinho de sua boceta. Uma mão dela então subiu até os cabelos dele e os puxou com força, diminuindo um pouco a intensidade para se atolar nele de forma mais lenta, que arranhou dele um grunhido sufocado, apertando o pau dele de uma forma deliciosa que fez com que ela sufocasse um gritinho e o arranhasse com mais força.
estava simplesmente delirando com tudo que fazia e sentia seu pau pulsar cada vez mais dentro da mulher. Senti-la rebolar daquele jeito estava simplesmente acabando com ele e foi difícil manter as chupadas no peito dela depois daquilo, porque grunhidos e gemidos simplesmente escapavam de sua boca sem que ele conseguisse se segurar. O jeito que a boceta dela tocava cada parte do seu pau e o engolia era alucinante e revirou os olhos diante daquela tortura. Seus dedos voltaram a apertar a bunda dela com força, deixando que ela tomasse o controle da situação, ao passo que chupou o seio dela com intensidad,e colocando os bicos entre os dentes levemente.
De soslaio, o psiquiatra conseguia ver como e se pegavam deliciosamente, mas logo ergueu o olhar porque tudo que importava naquele momento era ver como aquela mulher reagia a tudo que ele fazia.
demorou um tempo para processar o que havia pedido, mas assim que o fez, não hesitou em trocar de lugar com ele, se apoiando de uma forma que ficou virada para a parede, ainda permanecendo de lado em relação ao outro casal. Não hesitou em empinar bem a bunda e abrir as pernas.
— Assim babe? — perguntou manhosa, virando o rosto para encará-lo. Então se curvou levemente, levando os dedos até sua boceta que escorria absurdamente, passou a se tocar deliciosamente para ele e se empinou ainda mais, esperando ansiosamente pelo que iria fazer.
— Assim mesmo, meu amor — respondeu claramente afetado pelo que a via fazer e até tombou a cabeça de lado, passando a língua pelos lábios e sentindo que seu pau pulsava ainda mais. Porra, ela estava escorrendo de um jeito tão delicioso que ele não se aguentou, então se aproximou de , levando suas duas mãos até a bunda da mulher e a abrindo bem para depois se abaixar e tocá-la com sua língua, rodeando a entrada de seu cu e ameaçando socar ali.
teria reagido à forma que ele a tinha chamado, se não fosse o jeito como ele a tocava bem em seu cu. Sem pensar duas vezes passou a rebolar bem gostoso contra a boca dele, conforme gemidos sôfregos escapavam, até estremecendo com aquilo conforme se masturbava com ainda mais intensidade.
Mais uma vez, o olhar do agente foi até o casal ao lado, notando a forma deliciosa como cavalgava no pau de e isso fez com que ele apertasse a bunda de com mais força, grunhindo e voltando a chupá-la bem gostoso, saboreando cada centímetro da mulher, descendo até a boceta dela e voltando a subir para meter em seu cu. Fazendo com que gemesse alto, se contorcendo ainda mais ao passo que mantinha o rosto na direção dele, porque queria ver cada uma das reações do homem e se empinou ainda mais.
Aquilo estava o deixando cada vez mais louco de tesão e seu pau pulsava de uma forma quase dolorosa, então direcionou uma de suas mãos até ele, segurando-o pela base e iniciando movimentos deliciosos. adorou ver aquilo, porque a visão de se tocando era uma das coisas que ela mais gostava de presenciar e deixou um sorriso ladinho se formar em seus lábios.
Ele a estava levando ao delírio metendo a língua em seu cu daquele jeito tão gostoso e ela não conseguia controlar os gemidos cada vez mais altos e a forma que rebolava contra a boca dele desesperada por mais.
— gemeu, em uma tentativa de demonstrar o quanto queria ser fodida por ele, mas perdeu totalmente as palavras, pois o tesão falava muito mais alto.
Um gemido mais alto ecoou dos lábios de ao lado do casal. A forma como chupava seus seios estava lhe levando à loucura, ainda mais com ele raspando os dentes nos bicos daquele jeito. Tudo aquilo apenas a incentivou a rebolar no colo dele ainda mais, fazendo questão de se empurrar contra o quadril dele para que o pau dele se atolasse nela com mais intensidade só para que rebolasse de novo de forma um pouco mais lenta, fazendo ele sentir que seu abdômen até se contraria e o corpo todo tremia.
Caralho! era simplesmente a mulher mais linda, gostosa e única com quem ele poderia querer uma conexão como aquela.
— Minha nossa, você é tão gostoso — ela soltou de forma sôfrega, se movendo de forma mais intensa, o que causou um tranco gostoso que a fez gemer mais alto. prestava atenção em cada uma das reações do psiquiatra e aquilo a incentivou a repetir o movimento, aumentando a intensidade e não conseguindo mais refrear os gemidos que escapavam de sua boca e que foram acompanhados pelo homem, que revirava os olhos de tanto tesão que sentia com tudo aquilo.
— E todo seu, — devolveu, demonstrando que concordava, mas acrescentando uma informação e apertou os olhos totalmente torturado com tudo o que ela fazia. — Você que é deliciosa pra caralho, olha só isso — soltou, sentindo que seu pau pulsava cada vez mais conforme sua boceta o engolia deliciosamente. Outra vez ela se sentiu absurdamente afetada pelas palavras dele e teria literalmente enchido o homem de beijos se não estivesse completamente enlouquecida de tesão pela forma como o pau dele entrava e saía de dentro dela.
— Você gosta, príncipe? Porque eu também sou todinha sua — Não refreou as palavras que escaparam de seus lábios e rebolou com ainda mais afinco, sentindo que ficava tão atolada que as bolas dele batiam contra sua bunda, o que a fazia morder a boca, pressionando para não gritar.
— Porra, — gemeu completamente afetado, entrando e sentindo como tudo aquilo era simplesmente delicioso. — Eu gosto de tudo em você.
O jeito que ela gemia o estava levando a loucura, e não aguentando mais o jeito torturante que ela rebolava em seu colo o psiquiatra desceu sua mão que estava nos cabelos da mulher e agarrou sua bunda. A segurou com firmeza, então saiu de dentro dela repentinamente, voltando a meter de repente, se atolando por inteiro e gemendo absurdamente alto. Dessa vez, não se conteve e soltou um gritinho. Ele havia ido tão fundo dentro dela que a mulher se sentiu até meio tonta, então sua boceta apertou o pau dele com força.
— Ah, porra — soltou descontrolado. Era difícil demais manter a boca fechada diante do que faziam ali e passou a meter com cada vez mais vontade, conforme seus dedos apertavam a bunda dela e ele via a forma como os peitos dela subiam e desciam e sorriu com aquilo. ajudava nos movimentos, quicando com cada vez mais intensidade no colo dele de uma forma alucinante e seus olhos se reviraram nas órbitas. Ela não conseguia mais se manter calada àquela altura e os gemidos faziam coro com os do casal ao lado.
Por mais que tentasse se concentrar um pouco no jeito delicioso que chupava bem ao seu lado, não conseguia. Tudo era sobre e ele simplesmente não conseguia desviar o olhar daquela mulher, então voltou a grudar os lábios ao dela conforme se atolava cada vez mais nela, sentindo-a retribuir de forma ávida, chupando a língua dele com afinco enquanto não parava de se movimentar no colo do psiquiatra.
Completamente descontrolado pela forma como rebolava, fez questão de socar sua língua bem fundo naquele cuzinho delicioso, a vendo gemer e rebolar descontroladamente contra a cara dele. No entanto, seu pau pulsava de uma forma tão insana ao ver como ela estava escorrendo para ele que o homem não conseguia mais se conter.
Afastou então sua boca dela, que soltou um grunhido de protesto. O agente tratou logo de dar um jeito colocar a camisinha, acariciando seu pau com intensidade e o aproximando de , esfregando a cabecinha nas nádegas da mulher e seguindo o caminho até a entrada de sua boceta.
— Se empina bem gostoso, amor — ele soltou em meio a um gemido sôfrego porque estava tão afetado que sentia a cabeça de seu pau melada de tesão. Ela o encarou em uma mistura de emoção e tesão, então fez exatamente o que ele havia pedido, se empinou bem gostoso até abrindo um pouco mais as pernas.
Então assim que atendeu ao seu pedido ele não hesitou em se atolar por inteiro na boceta dela, que gemeu alto de surpresa, sentindo que deslizava com facilidade porque ela estava encharcada e apertou seus olhos, grunhindo alto por isso. Segurou a bunda dela com firmeza, saindo por inteiro e voltando em uma estocada mais forte, abrindo os olhos para assistir as reações de , então repetiu o ato e começou a bombar de forma intensa, grunhindo conforme o prazer aumentava cada vez mais.
gemia sem sequer conseguir controlar e mantinha o rosto virado na direção do homem, porque queria que ele pudesse ver o quanto aquilo lhe afetava. Rebolou bem gostoso, sentindo o pau de tocar cada partezinha de sua boceta e o apertou propositalmente, gemendo sôfrega e revirando os olhos com aquilo ao mesmo tempo em que fez coro aos gemidos dela, fixando seu olhar nela sem conseguir desviar. Ela ainda acariciava o clítoris e o gesto a fazia estremecer a cada estocada dele. A visão de cada reação dela era simplesmente deliciosa, o que aumentava ainda mais o tesão que ele sentia.
Honestamente, aquela mulher lhe tirava dos eixos apenas com um olhar.
Sem aviso, ela diminuiu um pouco como rebolava e passou a fazer tudo de uma forma bem lenta, então sentiu sua respiração falhar. Aquilo fazia com que ele fosse bem fundo e tocasse parte dela, arrancando gemidos e tremores de seu corpo de uma forma que a fez apoiar a cabeça no sofá ainda o olhando de soslaio. sorriu com aquilo, porque era deliciosa a visão dele daquele jeito e se projetou para frente, quase fazendo com que ele saísse dela e voltou em um tranco forte.
— Bem gostoso assim, amor? — Devolveu o apelido carinhoso, perguntando de uma forma manhosa e se empinando ainda mais conforme ainda rebolava lentamente.
— Puta que pariu, assim mesmo, babe. — sentiu seu pau pulsar com ainda mais intensidade dentro dela, aproveitando a forma como ela se empinou para dar mais um tranco, socando bem fundo na boceta de , o que fez com que ela soltasse ainda mais gemidos, e subindo uma mão pelas costas da mulher até chegar aos cabelos, que ele enlaçou em uma delas e puxou de forma que a cabeça dela se inclinasse para trás e suas costas ficassem arqueadas. A posição fez com que ele conseguisse ir ainda mais fundo e moveu seus quadris de forma que até girasse um pouco dentro dela, arrancando dela um tremor por todo o corpo. — ! — Seu corpo se contorceu num espasmo delicioso de prazer e ele não conseguiu evitar gemer o nome dela de uma forma sôfrega. Ao ouvir aquilo, não hesitou em rebolar ainda mais gostoso e lento no pau dele, de uma forma que nem ela mesma conseguia controlar as reações que tinha de tão intenso que eram.
— gemeu o nome dele de forma manhosa, sentindo que todo seu corpo pegava fogo e que um prazer indescritível o irradiava por inteiro. — Isso, me fode bem gostoso assim, babe. — Ela já não tinha controle algum do que saía de sua boca e os gemidos pareciam cada vez mais altos no ambiente.
Então se inclinou sobre , sem deixar estocar nela com vontade e buscou os lábios da mulher com os seus de forma ávida, gemendo contra sua boca e usando a outra mão para apertar a bunda da agente com força, arranhando com suas unhas curtas e guiando seus dedos até a entrada de seu cu, arrancando dela um tremor, rodeando-a e metendo um dedo de um jeito que sabia muito bem que a deixaria completamente afetada. E conforme socava em seu cu ele mantinha um ritmo em que estocava na boceta encharcada de , grunhindo de um jeito alucinado contra sua boca.
gemeu completamente torturada, sentindo os olhos se revirarem nas órbitas e seu corpo estremeceu violentamente com aquilo, pois a tinha afetado diretamente. Rebolou ainda mais lento e gostoso contra ele, apertado seu cu com vontade nos dedos de , de uma forma que sua boceta o engoliu ainda mais, o que arrancou dela outra revirada de olhos e fez com que metesse com ainda mais afinco.
Naquele momento, ela não tinha controle algum de seu corpo.
— Isso, babe — disse manhosa, rebolando bem lentamente e o apertando com vontade, fazendo com que mais um grunhido alto ecoasse dos lábios do homem. — Atola seu dedo no meu cu, enquanto seu pau fode minha boceta melada — gemeu manhosa, estremecendo violentamente e abriu um leve sorriso com aquilo, porque sabia que suas palavras o afetariam.
deixou uma risada rouca e afetada ecoar de seus lábios. Claro que ela havia lhe afetado significativamente porque além de ser uma delícia ouvir aquelas palavras ecoarem da boca de , aquilo ainda lhe trazia deliciosas lembranças.
— Se você gozar bem gostoso pra mim, babe, eu atolo até mais — respondeu de uma forma sôfrega, intensificando ainda mais as estocadas que dava nela ao mesmo tempo em que girava seu dedo, alargando-a de um jeito delicioso. sentia que seus olhos se reviravam cada vez mais e ele já não tinha mais controle sobre muita coisa.
Tudo com sempre era muito intenso, a conexão que os dois compartilhavam tornava tudo ainda melhor e quando mais ele estava dentro dela, mais desejava estar.
Puta merda, aquela mulher o tinha do jeito que quisesse, essa era a verdade.
estava simplesmente descontrolado com o barulho dos corpos se chocando e os gemidos das duas mulheres que ecoavam no ambiente. Seus olhos se reviravam cada vez mais nas órbitas e o jeito que quicava no seu pau era simplesmente alucinante. Então uma de suas mãos voltou a subir em direção às costas dela, de forma que ele a segurou com firmeza. Ele estava louco para que ela se derramasse nele, como ele pretendia fazer nela, mas ainda queria aproveitar mais daquilo com ela, por isso diminuiu o ritmo, entrando e saindo dela lentamente, ao que correspondeu rebolando com vontade contra .
Aquilo era simplesmente delicioso, porque o jeito que seu pau entrava e saía era simplesmente delicioso e ele se viu revirando os olhos, conforme tentava ao máximo manter a boca grudada a da mulher. Ela também encontrava dificuldades para respondê-lo, já que seus lábios insistiam em se abrir para externar o quanto aquilo tudo estava delicioso. grudou seu corpo ainda mais ao dela, só para que sentisse seus peitos contra sua pele, percebendo-a se empinar mais em direção a ele, e gemeu sôfrego ao sentir melhor como estava quente.
Interrompeu então o beijo, se afastando e levando sua boca até o ombro da mulher, onde depositou alguns beijos conforme seus dedos acariciavam a pele de suas costas e deixou uma leve mordida, o que a fez ofegar audivelmente. Seus dedos apertavam a bunda dela e aquilo só o incentivava a socar cada vez mais fundo, indo e voltando lentamente e sentindo que os olhos reviravam cada vez mais. Os gemidos saíam cada vez mais altos e sua respiração completamente descompassada.
— gemeu, ao sentir seu pau pulsar cada vez mais, com a boca ainda colada à pele dela, que era deliciosamente macia. Ela se moveu ainda mais contra ele, tentando beijá-lo de uma forma faminta e puxando seu lábio inferior com os dentes, colocando até um pouquinho de força no ato.
A forma como ele gemeu seu nome lhe deixou completamente fora de si e ela até sentiu seu corpo estremecer.
— Ai, assim você vai me deixar louca — soltou baixinho contra a boca dele, conduzindo seus lábios até o pescoço de e deixando ali um chupão forte, fazendo com que o homem se arrepiasse todo, movendo seu quadril de forma que saiu quase por inteiro para depois ela voltar a sentar nele com força. Aquilo arrancou uma revirada de olhos nele, que meteu com ainda mais vontade, se sentindo completamente fora de controle.
As unhas de então traçaram um caminho dos ombros dele até o peito e se fincaram ali com força conforme ela tinha cada vez menos controle de suas ações. Tudo que fazia era guiado pelo prazer insano que sentia.
estremeceu com aquilo e apertou ainda mais a bunda da mulher, entrando e saindo com tanta força que até fazia com que ela pulasse no seu colo. Seu pau pulsava cada vez mais e ele sentia seu corpo ficar cada vez mais quente, tendo a certeza de que logo o seu ápice viria, mas queria que o dela viesse primeiro. Porque nada era mais delicioso do que aquela mulher tendo as reações de um orgasmos.
O psiquiatra então, afastou um pouco seu corpo e trouxe uma de suas mãos até a boceta da mulher, que ofegou de imediato ao passo que seu corpo estremeceu deliciosamente. De uma forma lenta começou a fazer movimentos circulares no clitóris da mulher, estocando seu pau com força e sentindo que ia cada vez mais fundo dentro dela. Sua respiração estava descompassada, o corpo tremia, mas ele não se importava com nada daquilo.
— Goza pra mim, — sussurrou, com a boca próxima ao ouvido dela onde ele deixou uma leve lambida no lóbulo conforme apertou sua bunda com vontade e aquilo a deixou ainda mais afetada, de forma que apertou seus lábios com força, quase cortando-o ao pressionar seus dentes ali.
— Ah, … Só pra você — ela gemeu completamente fora de si, rebolando com mais afinco, sentindo que ele ia mais fundo, deslizando com facilidade para dentro dela de tão molhada que estava. apertou a boceta contra o pau dele, arrancando do homem um gemido completamente torturado, provocando-o ao mesmo tempo que sentia que aquilo a afetava também. Parecia que todos os seus órgãos se reviravam e ela mal conseguia manter seus olhos abertos ou sua boca fechada.
Mais gemidos e palavras desconexas escaparam dos lábios dela, suas unhas se fincaram com mais força na pele dele, que adorou a dor misturada ao prazer que lhe causou, então ela tombou a cabeça para frente, encostando-a na curva do pescoço de enquanto se movimentava com intensidade e deixava sua respiração sôfrega bater contra aquele homem delicioso.
Então o corpo dela foi se estremecendo cada vez mais e ela intensificou as cavalgadas no pau dele, sentindo que estava muito próxima do ápice, fazendo com que a segurasse com mais força e se movimentasse ainda mais dentro dela. Ele não tinha mais controle algum sobre o próprio corpo e escutar ela dizer daquela forma que era só para ele o deixou ainda mais fora dos eixos.
— Só pra mim, ? — perguntou completamente afetado, porque tinha sido uma delícia ouvir aquilo e socou ainda mais fundo dentro dela, gemendo descontroladamente e sentindo que a boceta dela o engolia cada vez mais. Sua mão continuava a masturbando deliciosamente e era delirante sentir como estava absurdamente melada na região do clitóris.
— Só pra você, príncipe — ela respondeu sem pestanejar, sentindo que os espasmos em seu corpo só aumentavam enquanto o ar ia escapando de seus pulmões. se viu completamente fora de si com a forma que a tocava, sua boceta estava cada vez mais encharcada e ela fez questão de girar seu quadril com mais afinco sobre ele, sentindo que ele tocava cada pedacinho dela de um jeito alucinante.
Então uma sensação avassaladora tomou conta de si, iniciando no baixo ventre e percorrendo cada centímetro do corpo de , fazendo com que ela estremecesse violentamente, apertando os olhos com força e cravando as unhas em com mais intensidade. Sua boceta apertou o pau dele de forma ainda mais intensa e ela sentia como se diversos pontos de luz explodissem ao seu redor.
Era incrível a intensidade de coisas que fazia ela sentir.
sentiu os olhos revirarem nas órbitas de um jeito alucinante quando seu pau ficou absurdamente melado com a forma que gozou. Como não conseguia responder nada naquele momento, por estar afetado em níveis inexplicáveis, grudou sua boca à dela gemendo descontroladamente enquanto fazia aquilo. Ele a segurou com mais firmeza e se movimentou de uma forma um pouco mais lenta, ainda assim indo bem fundo e adorando ver os espasmos do corpo da mulher.
…— gemeu, sentindo que a forma como a boceta dela o engolia era alucinante e acabou mordendo o lábio dela com uma força não intencional e seu corpo todo estremeceu. Apertou os olhos com ainda mais força e meteu ainda mais fundo, sentindo que gozava descontroladamente conforme seus dedos apertavam a pele dela.
Sua respiração estava descompassada, o corpo tremia tanto que ele achou que por um momento não conseguiria continuar a segurando.
Tudo naquele momento girava em torno de para ele. Então afastou um pouco o rosto para que pudesse olhá-la e mostrar o que só ela podia fazer com ele. Afinal, não era segredo para ninguém que era completamente apaixonado pela mulher.
rebolou com ainda mais vontade contra o pau de , sentindo seus olhos revirarem repetidas vezes conforme ele girava o dedo com vontade em seu cu. mordeu os próprios lábios, sentindo que aquilo aumentava ainda mais o tesão que ele sentia, então retirou seu dedo, abrindo um sorriso ladino ao ver a reação de antes de ele voltar atolando um segundo dedo em seu cu, fazendo com que um gritinho ecoasse dos lábios dela.
Com a outra mão agarrou a cintura da mulher com força, metendo com mais força, tornando ainda mais audível o barulho de seus corpos se chocando e ele mesmo não conseguia controlar mais os gemidos que escapavam de sua boca.
Curvou um pouco os dedos dentro dela de uma forma intensa, arrancando de gemidos ainda mais altos que a fizeram rebolar descontroladamente, rodando mais uma vez e sentindo aquilo lhe afetar diretamente. Seu pau pulsou ainda mais e ele sabia que seu ápice se aproximava.
— Vem pra mim, babe — pediu de uma forma sôfrega e um tanto manhosa, louco para explodir, mas desejando desesperadamente que ela o fizesse primeiro.
se sentiu completamente afetada pela forma que ele falou e seus olhos se reviraram nas órbitas, conforme ela rebolou sentindo que seu pau ia ainda mais fundo. Sua boceta primeiro se alargou, de um jeito que seu cu se apertou contra os dedos dele e depois o apertou com afinco.
— Babe — gemeu alto, abrindo a boca e estremeceu assim que o orgasmo tomou conta de seu corpo, no exato momento em que percorreu o de , que também gemeu de forma descontrolada e prolongada, e ela sentiu escorrer em conforme espasmos se espalhavam cada vez mais.
bombou com ainda mais afinco dentro de , aproveitando a forma deliciosa como a boceta da mulher melou seu pau com o prazer dela até que o corpo inteiro dele estremeceu em espasmos e ele jorrou todo seu ápice para dentro dela, também gemendo descontroladamente e precisando tirar seus dedos de dentro de para se apoiar no encosto do sofá de tanto que aquilo havia lhe deixado louco. A mulher correspondeu a forma que ele tinha se derramado tão intensamente rebolando de um jeito mais lento e deixando que ele a tocasse em cada partezinha enquanto aquilo acontecia.
Ao lado deles, estava completamente atordoada pelo orgasmo e abriu um sorriso afetado ao fixar seus olhos em , sentindo o homem estremecer abaixo de si e inundá-la com seu prazer questão de segundos depois. tinha ficado completamente afetado com aquilo, então foi diminuindo aos poucos a forma como entrava e saia da mulher, a segurando com firmeza, mas fazendo um carinho em sua pele com a ponta dos dedos conforme deixava seu corpo se acalmar.
não pôde deixar de perceber que havia gemido bem alto no mesmo momento que ela, denunciando que as duas haviam gozado juntas e aquilo fez com que a mulher buscasse o olhar da agente. correspondeu com um sorriso e sem dar muito tempo para que pudesse sair de dentro dela, inclinou-se na direção de colando os lábios aos dela e iniciando um beijo voraz entre elas, o que fez com que grunhisse ao ver aquilo e espalmasse as mãos na bunda da mulher em seu colo.
— Puta que pariu — externou em um tom ainda ofegante ao ver que retribuía com vontade, então o olhar do homem seguiu em direção a , encarando-o de maneira cúmplice, algo que o psiquiatra correspondeu com um sorrisinho de canto, enquanto uma de suas mãos voltou a fazer um carinho na cintura de , arrancando dela um sorriso entre o beijo ao sentir aquilo.
Estava bem claro que para eles a noite mal havia começado e os quatro aproveitariam ainda mais o que aconteceria entre as paredes daquele apartamento.


FIM



Nota das autoras: Gente, o que falar desses quatro? Minha nossaaa! Estamos passando mal até agora, e vocês? Contem aqui para nós.
E se quiserem ler mais histórias nossas ou saber o que vem por aí, entrei nos nossos grupos do whatsapp e facebook e nos sigam no instagram. Os links estão todos aqui embaixo.
Beijos e até a próxima!
Ste e Van. <3

Redes sociais da Ste:


Redes sociais da Van:




Outras Fanfics da Ste:
Acorrentados no Inferno [Restritas — Originais — Em Andamento]
Aliferous [Restritas — Originais — Em Andamento]
Bellum Vincula [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos e G.K Hawk
Dirty Mind [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Fire and Gasoline [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Flawless Sin [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Histeria [Restritas — Originais — Em Andamento]
Hold me Tight or Don't [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento]
Let Me [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Lover of Mine [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Dany Valença
Lycanthrope [Restritas — Originais — Em Andamento]
Mindhunters [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Ready For It? [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Reckless Serenade [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento]
Teeth [MV — Rock — Em Andamento]
Unholy Darkness [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento] — Parceria com G.K Hawk
Trilogia Sweet Psychosis:
Sweet Monster [Restritas — Seriados — Shortfic] — Parte I
Sweet Symphony [Restritas — Originais — Shortfic] — Parte II
Sweet Psychosis [Restritas — Originais — Shortfic] — Parte III
Acesse minha página de autora para encontrar todas as minhas histórias

Outras Fanfics da Van:
Bellum Vincula [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco e G.K Hawk
Dirty Mind [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco
Euphoria [Restritas — Originais — Em Andamento]
Fire and Gasoline [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco
Flawless Sin [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco
Hopnung [Especial Vida de Princesa — Em Andamento] — Parceria com Giulia M.
Kára [Restritas — Heróis/Marvel — Em Andamento]
Let Me [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Mindhunters [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco
Novacaine [Restritas — LGBTQIA+ — Em Andamento] — Parceria com Giulia M.
Oblivium [Restritas — Originais — Em Andamento]
Ready For It? [MV — Pop — Em Andamento] — Parceria com Stephanie Pacheco
Road so Far [Restritas — Seriados/Supernatural — Em Andamento]
Spring Girls [Restritas — Originais — Em Andamento]
12. Mutual [Ficstape Shawn Mendes]
Acesse minha página de autora para encontrar todas as minhas histórias


CAIXINHA DE COMENTÁRIOS

O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


comments powered by Disqus