Finalizada em: 31/03/2018

Capítulo Único

deitou no sofá, cruzando as mãos atrás da cabeça e encarando o teto branco do apartamento. Lentamente, sentiu o coração acelerar. Havia algo de muito errado com , algo que ela estava escondendo dele. Nos últimos dias ele estava observando a forma distraída e fria que ela estava. A todo o momento parecia estar querendo fugir da presença dele. Seu toque não era o mesmo e a forma que ela o beijava estava diferente. Pequenos detalhes do comportamento dela o estavam deixando atordoado demais. Estava dando a liberdade necessária para que ela pudesse lidar com o que estivesse acontecendo, mas aquele silêncio e aquela rejeição estavam acabando com todo seu sono. Não queria sufocá-la, mas ao mesmo tempo não estava gostando de ser deixado de lado se ela estivesse com algum problema. Talvez pudesse ser todo o stress do trabalho, ou então do clima chato que estava com o fim do relacionamento entre e . Ou então ela estivesse na fase da TPM e quisesse ficar sozinha um pouco, longe dele, dos amigos e de todo o mundo. Tirar um momento para refletir e ficar sozinha, respirando e sentindo-se livre para fazer qualquer coisa que quisesse. Tirou a atenção do teto quando o seu celular começou a tocar em seu bolso, ele pensou em atender imediatamente achando que era ela, mas sabia pelo toque que devia ser .
— Oi, . — Ele atendeu sorridente, já ouvindo a respiração de no fundo. — Suspirando assim você acha que eu não me apaixono fácil? — riu.
, estamos com problemas. — foi direto, sem rodeios e imediatamente levantou-se do sofá. — A sumiu com a sua namorada e eu só sei que elas estão em Busan na casa de uma prima da , encontrei o bilhete jogado em cima da cama e ainda tinha uma observação no final para não te contar isso. — Ele logo entregou todos os detalhes do bilhete, sabendo que se não fizesse isso o amigo ficaria ainda mais abalado. — O que aconteceu entre você e a ?
— O que aconteceu? Como assim? — , aflito, começou a questionar, sentindo um medo de repente por aquela sensação da namorada estranha não ter sido apenas algo da sua cabeça.
— Ela simplesmente deixou um bilhete falando que estava indo para a casa da prima em Busan. — Ele confirmou, relendo novamente o pedaço de papel rosa. — Como ela faz isso comigo assim?
— Eu não sei, . — começou a subir as escadas rapidamente para o andar de cima, com medo de chegar no quarto e também encontrar um bilhete em cima da cama. — Não nego que a tem estado muito estranha esses dias também.
— Muito menos eu.
— Que droga! Vou me trocar e vou correndo para a sua casa!
— Imaginei. — riu do outro lado, sabendo que não ia fazer outra coisa a não ser correr para Busan.
— Meia hora! — Ele combinou rapidamente, jogando o celular de lado e entrando no banheiro. Lavou a cabeça e ensaboou o corpo. Em questão de minutos já estava de volta ao quarto vestindo a primeira roupa que separou de qualquer jeito. Não escondeu a tensão e o desespero enquanto terminava de passar creme pelo braço e protetor solar no rosto. Depois de um ano de namoro, não acreditava que algo estava dando errado.
— Que droga. O que eu fiz para você me deixar desse jeito? — Ele bagunçou o cabelo um pouco mais e lançando um último olhar para o espelho, mentalmente desejou que não fosse nada demais, passou o perfume que estava em cima da cômoda e buscou com os olhos a chave do carro. Era isso. Estava pronto para ir atrás da sua garota e descobrir o que tinha acontecido para que ela tomasse essa decisão estranha de ir passar um tempo em Busan sem ao menos comunicar nada com ninguém. — , como você consegue me deixar desse jeito desesperado? — O que lhe incomodava e deixava pensativo sempre foi o lance da adaptação da garota com a sua rotina diária de shows, apresentações e o fato importante desse relacionamento ser escondido do resto do mundo. — Será que você ainda me ama o suficiente para ficar ao meu lado? — ele perguntou, não conseguindo aceitar que talvez ela estivesse cansada ou principalmente se os sentimentos dela ainda eram os mesmos por ele. Se ainda o amava com a mesma intensidade e paixão de sempre. O mesmo sentimento que ele tinha. Esse amor descontrolado e sem limites, amor que não era possível medir ou colocar em palavras. Ele apenas sabia que tinha encontrado finalmente a mulher da sua vida. Mulher que seria a esposa, amiga, amante e mulher dos seus filhos.

+++


Quando o carro estacionou no enorme gramado de frente para a entrada principal da casa, abriu a porta sem ao menos esperar que falasse algo a respeito daquele lugar. A única palavra mencionada durante todo o tempo da viagem foi quando disse um simples obrigado para o porteiro do seu prédio e quando precisou do cartão emprestado do amigo para abastecer. Durante todo o trajeto reinou o mais profundo silêncio, nenhum barulho, nenhuma música ou nenhum tipo de comentário sobre o ocorrido. preferiu não questionar situações e nem envolver no assunto por não saber exatamente o que ocorreu para que ela tivesse uma atitude brusca como aquela. E depois de alguns segundos o observando parado na frente da entrada principal a porta da casa se abriu, revelando a namorada de braços cruzados e nenhum pouco impressionada ao vê-lo ali em Busan. olhou diretamente na direção do carro e antes que pudesse expressar alguma reação a garota mandou um beijo para ele, deixando o seu coração mais aliviado em saber que entre eles tudo parecia normal.
— Primeiro quarto à esquerda. — Ela deu as coordenadas, sorrindo por vê-lo ansioso daquela maneira. — Não queria criar esperanças em relação a sua vinda, mas sabia que meu não ia me decepcionar. — A garota deu um beijo na bochecha dele e um enorme abraço desejando sorte.
— Te amo. — sorriu de lado animado, deixando a garota na porta e indo em direção ao quarto onde estava. A casa era enorme e todos os cômodos eram bem trabalhados nos detalhes, a única peça que ele realmente ficou chocado foi um enorme lustre bem no meio da sala de estar, preenchendo a visão de todos ali que passavam por ali. A porta surgiu logo quando virou à esquerda e antes que pudesse girar a maçaneta, fechou os olhos, não conseguindo controlar o seu coração que parecia querer saltar do peito. E se tivesse acontecido algo muito grave com ela? E se ela não o quisesse? O que estava acontecendo para que ficasse em choque e nervoso daquela maneira?
— Conte até três, . — Ele soltou um pequeno suspiro pela boca, criando coragem quando seus dedos atingiram a altura da maçaneta. Quando o click fez a porta abriu, mostrando a namorada sentada na beirada da cama como se estivesse esperando-o chegar a qualquer momento. — Amor... — a chamou, olhando diretamente dentro dos olhos da garota. A sensação de alívio que surgiu foi algo inexplicável e daquela distância ela parecia estar saudável e logo descartou a possibilidade de ser alguma coisa grave com sua saúde.
— Desculpa desaparecer dessa maneira, mas eu precisei respirar um pouco de ar fresco. — Ela disse antes mesmo que ele começasse a falar qualquer coisa, parado daquela maneira na porta. — Colocar meus pensamentos em ordem e meu coração. Eu te amo demais, . — terminou colocando-se em pé depois daquela última palavra. Todo o seu corpo ficou em alerta com aquele olhar e algo dentro do seu corpo pareceu formigar ao vê-lo tão lindo parado na porta.
— Eu também te amo. O que aconteceu? — Ele perguntou curioso, achando a voz dela muito estranha e os seus olhos inchados. Fechou a porta, entrando no ambiente quente e bem iluminado. — Por que você não me avisou nada? O que aconteceu? — Preocupado, ele puxou a garota pela cintura, beijando rapidamente os seus lábios.
— Amor, não queria que ficasse preocupado. — Ela confessou com o coração batendo mais acelerado com a presença dele ali. Não esperava que ele fosse viajar tudo isso ou no final estava enganada? A intenção de trazer e avisar para era a certa para que fizesse exatamente isso? — Situações na minha vida. A nossa vida. Na minha carreira. Na sua carreira e tudo isso vem me deixando sufocada. — a falta de sorriso no seu rosto e os olhos inchados de tanto chorar na noite anterior foi tão nítido que preferiu não falar nada e apenas manter o silêncio escutando o que ela tinha para falar. — A YG quer me obrigar a ficar longe da Coreia por um ano e eu fiquei com muito medo de tudo. A minha carreira de atriz apenas começou e jogaram um contrato no meu colo avisando sobre as gravações em Xangai nas próximas semanas... — O silêncio ainda foi constrangedor e ela apenas afundou o rosto no peito dele, querendo que aquela separação não existisse. — , é uma grande chance, mas eu não consigo ficar longe de você por tanto tempo.
— Nós podemos conversar sobre isso? — Ele pediu, com o corpo já cansado de tanto ficar dentro daquele carro durante horas no trânsito infernal que foi de Seul para Busan. Escutar que a sua garota estava com um contrato e uma mudança para Xangai ainda deixou todo o seu corpo mais exausto. precisava pensar um pouco sobre esse choque. Sobre essa separação e achar rapidamente uma maneira de convencê-la que isso não necessariamente seria o fim para eles. — , por favor, eu só quero conversar com você, amor. — insistiu ao vê-la começar chorar desesperadamente em seu colo.
— O que nós temos para conversar sobre isso, ? Eu estou indo embora. — A voz fraca e o choro mais abafado deixou o quarto mais abafado que ela precisou afastar um pouco o rosto do peito dele buscando por ar.
— Eu não vou desistir de você, . — Determinado, ele segurou firme no pulso dela, demonstrando que estava ali e que não tinha nenhuma pretensão de deixá-la. não iria desistir dessa garota, não nesse momento, não nessa vida ou em qualquer outra que pudesse existir.
— Amor, não faz isso. — Ela tentou empurrá-lo, mas a puxou novamente contra o seu peito.
— Olha, o que eu faço para você acreditar que não precisa escolher dessa maneira? Que você é meu amor, minha garota e que tudo o que eu sempre quis foi viver um amor desses e hoje eu tenho, . — As palavras saíram de maneira natural como, se não fosse sacrifício nenhum para ele assumir tudo isso. — Não importa em qualquer lugar do mundo que você esteja. Todo momento, todo minuto e todo o segundo que existir nesse mundo eu vou pensar em você e correr para os seus braços. Seul ou Xangai, não me importa. — Segurando os cabelos dela por entre os dedos, lentamente ele depositou um beijo no topo da cabeça dela. Ele não queria assumir, não queria que ela notasse o pânico em sua voz, mas escutar a possibilidade de ficar longe dela por um ano deixou o seu coração acelerado e suas pernas fracas.
— O que nós vamos fazer? Não posso ficar sem essa chance, mas também não posso ficar sem você, .
— O que nós vamos fazer? É simples, bebê. — respirou fundo, começando a controlar as lágrimas que escorriam molhando todo o seu rosto. — Não posso ficar sem você, entende? Não existe essa possibilidade!
— Amor... — Ela tentou falar, mas ele voltou a tapar a boca dela com os lábios.
— Você fala demais, . — O sussurro dele contra os lábios dela fez a garota arrepiar, não esperando essa reação e nem aquele beijo começar a ficar mais molhado, quente e cheio de outras intenções. — Já disse que não importa, não consigo imaginar a minha vida sem você. Sabe o que é ficar ansioso todos os dias? Meu coração parece que vai sair pela boca quando eu fico esperando você chegar à noite da faculdade. — envolvendo os cabelos dela por entre os dedos, segurou forte o rosto dela contra o seu enquanto sua língua explorava cada parte daqueles lábios. — É você que eu quero, não é qualquer outra pessoa que me deixa alerta ou ardendo de desejo. É minha garota, minha . — As frases formadas ficaram tão intensas que não sabia mais o rumo daquela conversa e nem como iriam encontrar maneiras de solucionar essa viagem muito importante para a carreira dela.
— É amor cada parte do meu corpo que grita quando você me segura assim, . — A garota mordeu o lábio dele enquanto segurava com uma das mãos sua nuca. — Fui tão tola esses dias, desculpa por ficar assustada e entrar em desespero com essa decisão? Por esquecer-se de confiar em você e me abrir sobre o que estava acontecendo? — pediu receosa, com medo que ele pudesse ficar chateado com aquela falta de comunicação e confiança.
— Quando nós estamos partindo para Xangai? — Ele perguntou, sem esboçar qualquer outra reação sobre o pedido de desculpas dela. — Preciso saber como vou controlar a minha agenda com a sua, preciso de passagens, dinheiro e um bom plano de viagens... — disse animado, colocando uma das mãos no queixo fazendo a garota quase derreter de tanta doçura.
— Você vai ficar comigo? — assustada cravou a unha na nuca dele com mais força. — É sério? Você realmente vai me ver em Xangai? Vai ficar comigo lá? — Ela quis saber, com as pernas fracas.
— Aqui, Seoul, Xangai ou qualquer lugar desse mundo. — beijou a ponta do nariz dela carinhosamente. — A parte que você é o amor da minha vida é verdade, garota. É isso que eu quero, é tudo o que eu peço todos os dias. Acordar e te amar sem limites e posso fazer isso muito bem em Xangai. — Ele lambeu os lábios dela, brincando com a língua animadamente.
— Que homem eu tenho na minha vida! — comemorou emocionada, apertando mais a cintura dele. usava uma blusa branca deixando o seu peito a mostra e aquilo fez o corpo dela ficar mais animado com a transparência daquela blusa. — Lindo. Perfeito. Gostoso. Apaixonante...
— Fogoso? Atencioso? Maravilhoso? — Ele completou distribuindo as carícias e indo para o pescoço da garota. Ao tocar com a boca toda a extensão daquele lugar percebeu a maneira que ficou rígida e arrepiada. — E tudo isso ainda é seu, principalmente a minha língua que adora brincar por todo seu corpo! — O lado sem vergonha aflorou e ele não tentou barrar essas provocações.
— Inclusive adoro quando ela brinca. — riu maliciosamente. subindo a outra mão arranhando as costas do namorado. — É tão bom saber que recebo esse apoio e esse amor de você, . — Os dedos voltaram a descer, indo para o cós da sua calça jeans e a respiração funda dele foi o som que ela tanto queria escutar. também sentia aquele fogo surgindo e esquentando todo o clima daquele quarto.
— Eu preciso de você. Preciso do seu sorriso, dos seus lábios, do seu corpo. Preciso tanto de você que ficaria louco se não tivesse suas carícias, seus beijos. — podia tocá-la, abraçá-la, aliviar parte do medo que via em seus olhos.
— Eu te amo tanto. — Declarou, sentindo as famosas borboletas por seu estômago. — Por isso eu preciso finalmente criar coragem... — Ele afastou um pouco o corpo da garota e de dentro do bolso da jaqueta tirou uma pequena caixa aveludada. — Pensei em fazer isso em um momento mais romântico, mas apaixonante, só que não vejo outro momento mais intenso que esse, por isso... — todo atrapalhado ajoelhou-se no chão e a garota surpresa colocou as mãos na boca, controlando a emoção de vê-lo ali com aquela caixa e naquela posição.
. — Ela o chamou pelo nome completo, já com o coração em disparada quase saltando pela boca.
— Amor, não sou bom com palavras e nunca fui bom em expressar tão claramente o que eu sinto por você. É tanta loucura, desejo, necessidade e uma mistura de sentimentos que às vezes eu só preciso olhar dentro dos seus olhos e me achar. Olhar para os seus lábios e receber esse sorriso maravilhoso para ter a certeza que a escolha da minha vida sempre foi você. — Deixando que as palavras começassem a fluir por sua boca, , não pensou em mais nada em sua volta a não ser naquela garota que tinha todo o seu coração e era com ela que ele queria passar todos os dias da sua vida. o seu para sempre. — Simples e direto, sem eu precisar falar muito. Eu preciso que você fique na minha vida, fique ao meu lado e se torne a minha esposa. — Uma lágrima escorreu em seu rosto deixando aquele momento sua respiração mais ofegante. — , você aceita ser minha esposa? — Finalmente ele fez a pergunta puxando a mão da namorada na altura do anel prateado com strass de ouro branco. — Na alegria, na doença e até que a morte nos separe? — posicionou o anel perto do dedo dela olhando para cima na esperança que ela falasse o “sim”.
— Eu te amo tanto que nem consigo saber o tamanho disso. — Ela enxugou o rosto com as costas da outra mão tentando manter o controle do corpo que tremia desesperadamente. Amar era a parte mais fácil, linda e maravilhosa da sua vida. Ao lado dele não sentia somente a mulher mais importante, mas também a pessoa mais especial, única e o respeito que ele tinha era tão admirável que não deixava somente ela encantada e sim todos os familiares, amigos e principalmente os pais que tinham um amor incondicional por ele. — É claro que eu aceito ser a sua esposa. — respondeu imediato sentindo o anel deslizar por seu dedo anelar. — Sim, eu aceito. — Afirmou a resposta quando os braços de envolveram sua cintura colando o seu corpo ao dele.
— Eu te amo tanto e me sinto o homem mais feliz do mundo por saber que vou ter meu amor para sempre ao meu lado. — Ele tocou levemente os lábios da garota iniciando um beijo intenso e apaixonante. Desejando cada minuto que acreditasse que não era apenas uma promessa e que quando ela voltasse para Seul depois desse um ano em Xangai ele estaria esperando por ela no altar. — Você é o melhor amor da minha vida. E onde você estiver com certeza eu também estarei. — Estava disposto a viajar para qualquer lugar mundo que ela estivesse. Pronto para amá-la intensamente todos os dias. Ela era o motivo pelo qual ele estava sentindo-se totalmente realizado. — Minha esposa. Minha mulher. Minha companheira e futura mãe dos meus filhos. — O sorriso bobo que saiu pelos lábios dele deixou a garota com a certeza que realmente estava amando cada parte, cada momento e cada batida descompensada que seu coração dava quando olhava para aquele sorriso iluminado do seu futuro marido. Precisava dele em sua vida, todos os dias, minutos e segundos. Nada do que pudesse acontecer iria mudar esse sentimento. Ele era exatamente a pessoa que ela estava esperando esse tempo todo. o seu grande e verdadeiro amor para sempre.


Fim.



Nota da autora: I Love You escrita especialmente para o casa único e exclusivo da Coréia. Kim SeokJin e Ithiely. Quem não shippa esse casal? HAHAHAHAHA! Nunca tinha escrito nada com o Jin, confesso que fiquei absurdamente apaixonada com ele todo compreensível, príncipe, maravilhoso e lindo. É um suspiro atrás do outro e uma das minhas oneshot favorita. Enfim, Thy. Presente e espero que você tenha gostado, amei real de usar vocês dois como inspiração e quero que você sinta um pouco desse personagem maravilhoso que é o Jin de ILY. Fontes seguras me informaram que esse CASAL É REAL! E O mundo tem que aceitar, beijos!

Espero que vocês tenham gostado.
Não deixem de comentar e muito obrigada POR TUDO.


Grupo no Facebook com spoilers e datas de atualizações das fanfics:





Outras Fanfics:

FICSTAPES:
01. Call Me Baby [FICSTAPE #062: EXO – Exodus]
03. Best Of Me [FICSTAPE #070: BTS – Love Yourself: Her]
03. This Is How I Disappear [FICSTAPE #068: My Chemical Romance – The Black Parade]
04. Permanent Vacation [FICSTAPE #067: 5SOS -Sounds Good Feels Good]
05. Butterfly [FICSTAPE #103: BTS - Young Forever]
05. Stigma [FICSTAPE #080: BTS – You Never Walk Alone]
05. I'm Sorry [FICSTAPE #084: The Maine – Pioneer]
07. Let’s Dance [FICSTAPE #065: Super Junior – Mamacita]
10. Fire [FICSTAPE #103: BTS - Young Forever]

SHORTFICS:
Best Of Me [Especial - Dia dos Namorados]
I Love You [Especial - Dia dos Namorados]
Hug Me [Doramas – Shortfics]
It's You [EXO – Shortfics]

MUSIC VIDEO:
MV: Don't Forget [Music Video - KPOP]
MV: One More Chance [Music Video - KPOP]
MV: That One [Music Video - KPOP]

EM ANDAMENTO:
Fake Love [KPOP - BTS – Em Andamento]
I NEED U [KPOP – Restritas – Em Andamento]
Love Is Not Over [KPOP – Restritas – Em Andamento]
Let Me Know [KPOP – Restritas – Em Andamento]
Spring Day [KPOP – BTS – Em Andamento]
Time To Love [KPOP - BTS – Em Andamento]
That's Love [KPOP - EXO – Em Andamento]


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus