Contador:
Última atualização: 05/12/2020

Vídeo #152 - Vem entender o que aconteceu!

Olá, inscritos! Eu sei que batemos um milhão de inscritos essa semana, mas não vim falar sobre isso nesse vídeo. Tampouco teremos experiências e curiosidades. Eu estou gravando para esclarecer algumas coisas que saíram do controle e precisam ser justificadas, porque não faz o menor sentido ser cancelado sem provas. Então resolvi sentar aqui na minha cama e contar minha versão da história, de como e por que e eu terminamos.
Certo, vocês devem conhecer , musa fitness, linda para caramba e tudo mais. E agora que já introduzi o vídeo resumindo o assunto, talvez você realmente queira saber o que ela fez de tão ruim para merecer meu rancor. Ou talvez você não esteja nem um pouco interessado no motivo e, como ela, só esteja aqui porque sou famoso ou porque estou promovendo um produto que você gosta. Nesse caso tenho algumas coisas a dizer. Se for a primeira opção, eu vou contar a história com a minha versão dos fatos e para te colocar do meu lado, porque você vai ver que, de uma forma ou de outra, eu tenho razão. Se for a segunda, vai embora. Sério, eu não vou promover nada.
Acho que tudo começou no início do ano letivo. Para quem não me conhecia, eu era como um clichê ambulante: invisível, inteligente e tinha apenas um amigo: Reed . Apesar do nome elaborado, Reed era tão invisível e nerd quanto eu. Para não dizer que era um completo perdedor, eu tinha contato com uma única garota na vida, . Mas não sei se conta porque ela era irmã gêmea de Reed, e tão nerd quanto todos nós.
Tínhamos um canal no Youtube que já batia uns quatro anos e totalizava o encantador número de vinte seguidores fiéis, contando nossos pais, alguns avós e nós mesmos. Gostávamos de experiências malucas de química e enquanto eu fazia a boa obra de arriscar minha pele e minha bela face com aqueles ácidos e misturas um tanto quanto perigosas, Reed ficava o mais longe que podia utilizando a câmera. A cabia editar as maluquices, mesmo sabendo que ninguém veria. E, de fato, quase nada dava certo, mas tudo bem, porque era só um hobby. Essa é uma introdução que preciso fazer para explicar como , a menina mais gata da escola e meu amor platônico desde o sétimo ano, de repente gostava de mim.
Como eu disse, éramos invisíveis, então ninguém notava que usássemos o laboratório de química da escola depois da aula, e nem que usássemos elementos químicos clandestinos porque sabíamos onde encontrar. Éramos apenas nerds fazendo coisas de nerds, e por isso eu achava que a invisibilidade as vezes era um presente.
Reed e eu estávamos, clandestinamente é claro, pesquisando as propriedades do potássio há umas duas semanas, com uma despreocupada mexendo no celular. Não chegamos a fazer experiências muito sérias, até então só ficávamos monitorando o comportamento do elemento.
— Não é instável. – Constatou Reed, analisando.
Olhei em sua direção para acompanhar o que ele estava tentando me mostrar.
— Não. – Concordei. – Mas é bem reativo. Reage facilmente a praticamente qualquer coisa, por isso temos que ter cuidado.
Reed deu de ombros.
— Eu vi na internet um cara que conseguiu explodir o potássio quando entrou em contato com a água.
Olhei para ele, incrédulo.
— E explodiu mesmo?
— Sim.
— Pois eu não acredito. – Falei por fim.
— É verdade, eu vi. – Intrometeu-se , em defesa do irmão.
— Como cientista, eu só posso acreditar no que consigo provar. – Retruquei.
deu um sorriso travesso, cruzando os braços e abandonando o celular.
— Então faz a experiência aí.
Mesmo que eu não fosse o melhor químico do mundo, afinal tinha apenas dezessete anos, era impossível para mim assimilar a ideia de que água pudesse fazer o potássio explodir. Dei um sorriso cheio de segundas intenções, e Reed empalideceu.
— Ah não, outra experiência!
— Você está sendo um péssimo assistente, Reed. – Reclamei. – Anda, liga a câmera.
Contra sua vontade, Reed foi até a mochila preparar a câmera sob o tripé, a fim de poder se esconder nos fundos da sala, como sempre. Mesmo sem estar participando de fato da pesquisa, colocou os óculos de proteção e ficou ao meu lado, curiosa. Depois de tudo pronto, separei os materiais que precisava e coloquei meus óculos pronto para a experiência, certo de que aquilo não daria em nada.
Mas sabe quando você acha que nada de extraordinário pode acontecer, nunca mesmo, porque sua vida é, acima de tudo, extremamente monótona? Pois é. A única coisa que consegui pensar quando o potássio explodiu a sala de química foi: minha vida é muito doida.
Depois de uma suspensão, um susto enorme na delegacia e um castigo dos meus pais, finalmente pude assistir ao vídeo da explosão. Para quem não assistiu ainda, vou deixar o link desse vídeo aqui na descrição. Eu ainda não entendia como aquela reação havia explodido uma sala inteira, mas pessoas adultas e químicos sérios estavam pesquisando sobre o assunto. Meus pais haviam encontrado todos os meus elementos secretos e os descartaram, além de me proibirem de fazer experiências na escola sem a presença de um professor. Reed e não estavam muito melhor que eu, mas pelo menos não ficaram de castigo, o que achei uma injustiça.
Naquela hora eu achei que era uma boa ideia mostrar o que tinha acontecido. E no mais, as únicas pessoas que viriam seriam as que já sabiam sobre a explosão, então por que não? Sem consultar meus amigos, fiz o upload do vídeo no meu notebook e o carreguei no Youtube.
Regra número um: não existem regras na internet.
Assim como não temos como decidir qual vídeo será viral e qual não será. Então você já deve imaginar que, três meses depois desse incidente, na altura do final do outono, nosso canal tinha atingido mais de quinhentos mil inscritos.
Reed e eu tivemos que lidar com coisas que não estávamos acostumados. Nosso número de seguidores no Instagram também cresceu e daí vieram várias marcas oferecendo dinheiro em troca da minha influência. Na escola a situação era semelhante. Algumas pessoas do nosso grupo de química, que até então nos ignoravam, começaram a se aproximar de nós, e o grupo de populares nos chamavam para festas que nunca achei que iríamos. Isso me irritou no começo. Eu não queria ser famoso. Droga, eu não queria ser um digital influencer nem nada do tipo, só queria fazer minhas experiências em paz.
Mas, caro inscrito, estaria mentindo se dissesse que essa atenção toda não me subiu pela cabeça, me transformando na pessoa mais esnobe, fútil e idiota que eu conhecia. Muitas pessoas se afastaram de mim, e eu nem percebi o motivo até que fosse tarde demais. Isso mudou mais especificamente quando veio falar comigo pela primeira vez. Eu estava com Reed, e alguns outros colegas da minha turma de química do lado de fora de pátio, sentado em uma das mesas de piquenique. Sem qualquer aviso prévio, e suas amigas pararam bem na minha frente. A garota era linda e eu era bem... eu então não preciso dizer que nosso primeiro diálogo não foram um dos melhores.
— Oi, Tyler. – Disse, com uma naturalidade que me deu medo. Como ela sabia meu nome? Por causa do maldito vídeo, seu pateta.
, oi! – Respondi, com uma confiança que estava longe de ter.
Ela deu um sorriso muito convincente.
— Podemos conversar? – Ela perguntou, olhando para a pequena plateia atrás de mim, que também a encaravam, abobados. – A sós.
Concordei com a cabeça, levantando de cima da mesa, e fui seguindo ela até uma mesa mais afastada.
— E então? – Perguntei.
Ela encarou as mãos, parecendo constrangida.
— Bom, eu não sei se sabe, mas são as meninas que convidam para o baile de inverno.
— Certo...
— E eu queria saber se... você quer ir ao baile comigo.
, meu crush secreto – ou nem tão secreto assim – desde o sétimo ano, queria ir ao baile comigo. Comigo, o zé ninguém! Naquele momento minha ingênua mente de um garoto cheio de hormônios não precisou pensar muito na proposta. Era um pedido feito pela afinal de contas.
Sorri para ela, colocando as mãos nos bolsos.
— Você quer ir comigo para o baile? – Questionei. – Comigo?
Ela pareceu confusa.
— Claro, porque não?
— Bom, você nunca tinha falado comigo antes.
Ela riu, fazendo um gesto com as mãos como quem diz que isso era um mero detalhe.
— Você é aluno novo, né, não tive tempo de me aproximar.
Ops. Semicerrei os olhos, achando a situação bem divertida.
. Nós estudamos juntos desde o jardim de infância.
A garota corou, parecendo bem envergonhada.
— Me desculpe, Tyler. Eu não sou muito boa com rostos.
Disse que estava tudo bem, e no fim acabei aceitando ir ao baile com ela. Voltei para mesa em que os outros estavam, tentando controlar meu sorriso bobo.
— O que ela queria? – Perguntou Reed com a sua sutil curiosidade.
Sorri mais ainda, se é que era possível.
— Ela me convidou para o baile de inverno.
Os meninos que estavam na mesa gritaram e me deram tapinhas nas costas, mas muito me estranhou a reação de , que fechou a cara e pulou da cadeira. Lembro vividamente que ela olhou bem nos meus olhos e disse que me achava muito ingênuo.
Ok, acho que vou ter que falar de . Não dava para ela ser minha melhor amiga de infância, porque quando éramos crianças, queria brincar de bonecas e coisas do tipo, e Reed e eu estávamos mais interessados em meu kit de química novo. Então não crescemos muito unidos, principalmente se considerar que ela tinha ciúmes de mim com Reed e sempre me culpava por estragar as brincadeiras dela. Mas depois que crescemos, vi em uma amiga que nunca pensei que teria, e hoje em dia ela é uma das melhores pessoas que eu conheço. Digo isso porque o antigo Tyler perguntaria a ela porque achava que eu estava sendo ingênuo e gostaria de saber o que ela achava que estava acontecendo. Mas o Tyler babaca apenas ignorou , que, depois do convite de , saiu às pressas do pátio. Claro que eu, cego pela atenção que recebia, nem me atentei a isso. Apenas comemorei com meus novos amigos, sem me ligar ao fato de eu estar me tornando um cara bem machista, somente por ver como um troféu.
Mas não parem de assistir ainda. Não, ainda tem mais. Um homem admite seus próprios erros e mesmo que tenha errado, eu não posso dizer que fui um santo, porque não fui. Então sim, nas semanas que se antecederam ao baile, e eu nos unimos muito.
Vocês devem se lembrar disso. Eu postava fotos com ela nos story do Instragram, marcava ela nas minhas fotos, fazia vídeos com ela aqui mesmo no Youtube e sem notar afastei Reed e , pelo simples motivo de eles não me aguentarem mais.
As gravações dos vídeos aconteciam do modo que eu queria e quando eu queria e no mais alto auge da minha babaquice, deixei envenenar minha mente e abandonei meus próprios amigos, no momento que eles mais precisavam de mim.
Minhas notas caíram, mudei meu visual totalmente, eu não tinha mais hora para voltar para casa e mais de uma vez meu pai precisou ir me buscar bêbado na casa de uma pessoa qualquer. Porque eu não era simplesmente popular, eu era famoso, então aparecia do nada em festas de pessoas de outras escolas e isso era tudo para mim. Eu sentia, naquele momento, que estava vivendo uma vida realmente cheia de emoções e pela primeira vez me senti um adolescente de verdade. Eu esqueci totalmente da feira de ciências que poderia me dar uma bolsa para faculdade, deixei Reed totalmente na mão, mas não me importava mais com isso. Minha conta bancária estava cheia, eu não precisava me preocupar com a faculdade.
havia tentado, e mais de uma vez, chamar minha atenção, dizendo que eu estava sendo totalmente idiota e egoísta. Eu me lembro de rir dela, ignorando o que estava acontecendo a minha volta. Mesmo não me suportando, não desistiu de mim, e eu adoro ela por isso.
Não tinha percebido ainda que meus pais estavam chateados comigo ou que meus amigos me odiavam, mas tudo bem, porque eu era famoso, estava enriquecendo às custas de um acidente e namorava com a garota mais gata do mundo.
O baile de inverno aconteceu um dia depois das férias e três dias antes do natal. O tema era Monte Carlo, uma ideia estúpida que tiveram por causa do filme Crepúsculo, mas estava animada e falava de suas roupas para o baile vinte e quatro horas por dia.
Demorou muito para eu perceber o tipo de pessoa com quem estava me envolvendo. No dia do baile eu já sentia que alguma coisa estava errada. Aluguei uma limousine para busca-la, onde ela se amontoou nos bancos com várias de suas amigas – que eu não fazia ideia que iriam conosco – e me deixou totalmente de lado. Já comecei a achar estranho. Então ela chegou no salão onde seria o baile, começou a gravar vários vídeos e nem olhou direito para mim. Repudiava todas as minhas tentativas de aproximação dizendo para eu ser menos grudento e aproveitar o baile. Me orientou a estar ali apenas na hora de ser coroada porque ela tinha certeza que ganharíamos como rei e rainha do baile.
De fato, ganhamos. A tradicional dança foi a única que tivemos juntos a noite toda. Ela estava aérea, e eu já estava me sentindo bem deslocado. Assim que os outros casais foram convidados para se juntar a nós na pista de dança, se separou de mim, dizendo que iria ao banheiro.
Esperei por quase quarenta minutos antes de resolver procura-la. Veja bem, eu não sou um pirado, mesmo que tenha explodido o laboratório de química uma vez. Mas ela já estava estranha desde quando fui busca-la e por isso senti que merecia uma conversa sincera com ela. Encontrei próxima ao saguão, rodeada por três de suas amigas e aparentemente ralhando com uma pessoa menor. Quando me aproximei, notei que estava sendo atacada. Mesmo com seus um metro e cinquenta e cinco ainda era muito mais corajosa que as três juntas, e por isso não pôde disfarçar a cara de desprezo que sentia ao olhar a minha, até então, namorada.
— Ele precisa saber disso. – Murmurou .
— Tyler nunca vai saber disso. Eu ignorei ele o dia todo, ele já deve saber que iremos terminar uma hora ou outra, e ele nunca vai saber o motivo.
Fiquei surpreso por um momento, mas me escondi atrás de um vaso de plantas, curioso para saber mais sobre os planos de terminar comigo.
, você usou ele!
bufou, revirando os olhos.
— Era conveniente, Sara.
. – Corrigiu.
— Tanto faz. – Continuou . – Ele era famoso e eu queria ser famosa. Pensei até em me aliar ao seu irmão, mas descobri que Tyler já gostava de mim e seria mais fácil de influenciar. Se eu tivesse apenas dez por cento da fama dele para mim já estaria ótimo! Mas foi muito melhor que eu pensei. Os seguidores nerds dele também vieram atrás de mim e adivinha quem tem uma conta verificada agora?
gemeu quando a garota mais alta encostou o dedo com força em seu tórax.
— Eu vou falar para ele, você sabe disso. – Continuou ela, corajosamente.
— Você nem é louca. E além do mais vocês não se falam há semanas. Você acha mesmo que ele vai acreditar em você?
— Eu vou sim.
Decidi para mim que já bastava daquilo. Eu já tinha ouvido tudo que eu precisava. Na verdade, é muito triste que eu tenha que ter ouvido ela mesma dizer porque, sendo bem sincero, eu não sei dizer se acreditaria em se ela viesse me contar.
ficou pálida quando me viu, e me olhou aliviada.
— Ora, ora. – Murmurou ela, sorrindo maldosamente para .
Sorri para de volta, estendendo a mão para que ela me alcançasse. não aceitou minha mão, apenas me deu outro sorriso triste e me deixou com meus problemas. Olhei para minha péssima namorada de novo, e suas amigas também a tinham deixado.
A questão, queridos inscritos, é que ela tinha me usado. Desde quando foi conversar comigo no pátio pela primeira vez, ela já tinha esse plano mirabolante para ser famosa usando minha pessoa para isso. Gente, eu não tenho rancor dela por ter feito isso, embora a situação por si só já seja ruim. Eu tenho vontade de partir o coração dela em dois porque fazer isso sabendo que a outra pessoa tem sentimentos por você há tanto tempo é simplesmente cruel. E somente por isso eu resolvi atacar na parte onde mais iria doer: seu ego. Por isso estou expondo ela. Quando resolvi analisar de verdade, tive uma série de conclusões. era linda, mas só isso. Uma bela carcaça, escondendo toda sua alma vazia. Ela não tinha nenhum plano de carreira, era fútil, maltratava os outros e tinha xingado e ameaçado . Sei que a culpa também foi minha, mas ela me afastou dos meus amigos de propósito para ser famosa, e o simples fato de ser apaixonado por ela de verdade enquanto ela estava apenas me usando, me machucou muito.
Me envolver com ela me separou de muita gente que eu gostava e eu sabia que iria ter que lutar muito, ainda tenho, para ganhar a amizade e confiança deles de novo. Perdi muitos seguidores de ontem para hoje porque distorceu toda a história quando disse que terminou comigo porque descobriu um caso entre mim e .
Eu nunca tive um caso com . Nunca aconteceu nada, mas deveria. Notei tarde demais que ela é a garota mais doce, divertida e incrível que eu conheci. Mesmo machucada e esnobada tentava me trazer de volta mesmo que eu não desse a mínima. É clichê, péssimo e previsível, mas eu devia ter percebido antes.
Gostaria de finalizar esse vídeo com um apelo público para duas pessoas que gosto muito. Reed, nada disso seria possível sem você. Eu fui um otário em ter me separado do melhor amigo que eu já tive e mesmo que seja um péssimo assistente e um químico medroso, eu sinto sua falta, cara. Peço que reconsidere e me perdoe. Ainda vejo esperanças para mim, e espero que também veja isso.
. . Me desculpe por não ter ouvido você. Me desculpe por ser tão infantil e tão ingênuo. Eu ainda acho que você é a melhor pessoa do mundo, e eu nunca deveria ter feito o que fiz. E também obrigada pelo que teve intenção de fazer, que era expor . Foi muito heroico, muito embora eu não merecesse. Se você puder me perdoar, por favor, curte esse vídeo. Eu vou ficar esperando seu like, e se ele vier, não importa onde eu esteja, vou até você.
E para , meu mais precioso: foda-se. Não tenho mais nenhum vínculo com ela, e vocês também não deveriam. Sua fama veio a partir de uma coisa que eu também não deveria ter tirado proveito, mas ao contrário de mim, planejou tudo e estava consciente do que estava fazendo.
Eu só precisava dizer essas coisas, para esclarecer de uma vez por todas o motivo de tanto ataque nas redes sociais. Digo também que não irei mais atacar , a não ser que ela ataque primeiro. Como sempre, serei muito transparente com vocês.
Espero que também me perdoem pelas minhas atitudes recentes. E também espero que depois desse vídeo vocês ainda continuem me acompanhando. Tenho muitas experiências legais para compartilhar e adoro esse canal que me ensinou tanta coisa.
Conto com vocês para compartilhar esse vídeo, será importante que outras pessoas também assistam. Obrigado para quem assistiu até agora e nesse momento vou ficar de plantão na frente da tela esperando pelo like mais importante de todos.
Até o próximo vídeo, inscritos!





Fim!



Nota da autora: Olá, leitores! Só para situar vocês, escrevi como se fosse um vídeo mesmo, por isso ela ficou bem rápida. Vamos torcer para eu entrar em outro ficstape que faça sentido uma história assim, estou doida para saber se ela deu like ou não no vídeo!
Espero que tenham gostado da fic, eu particularmente senti saudades desse universo colegial que tanto amo!
Beijinhos e obrigada por ter lido!




Outras Fanfics:
LONGFIC
The Only Girl [original/em andamento]
Burn With You [original/finalizada]
Take Me Back To San Francisco [especial A Whole Lot Of History/ em andamento]

SHORTFIC
I Want To Write You A Song [especial A Whole Lot Of History/finalizada]

ONESHOT
Loved You First [especial A Whole Lot Of History/finalizada]
You Know I'll Be Your Love [especial A Whole Lot Of History/finalizada]


comments powered by Disqus