“Dizem que esse é o tipo de amor impossível, mas nós fomos fortes o suficiente para lutar por essa vida.”
Ele é herdeiro de uma das mais poderosas empresas de advocacia do país e um advogado com a carreira em ascensão;
Ela esforça-se para terminar a faculdade;
Ele mora em uma mansão digna dos filmes de Hollywood;
Ela mora em uma casa anexada à mansão dele, trabalhando vez ou outra junto à mãe cozinheira para servir a influente família dele.
Dois mundos diferentes se entrelaçam e proporcionam a descoberta de um sentimento intenso.
Se o amor realmente supera barreiras, eles terão que descobrir.

Escrita por: Ann Hyes
Betada por: Nataly S.

Capítulos 01 ao 11

"Eu passo tanto tempo preso no escritório e em lugares sérios que me esqueço sobre como as coisas simples podem nos fazer bem. – Confessei distraído, pegando duas revistas e recebendo um olhar reconfortante da garota ao meu lado.
- Você não precisa se esquecer de viver, sabe? – Ela começou e eu tirei os olhos da revista para encará-la. – Uma coisa que eu aprendi, é que nada vale a nossa paz. Nem o nosso emprego dos sonhos, nada. Se você não se sente feliz e não desacelera para apreciar as coisas ao seu redor, o que você tem se torna vazio. – Ayssa terminou casualmente e voltou a mexer nas revistas. Eu permaneci a encarando em silêncio, admirado com o que ela acabara de me falar."

Leia

Capítulos 13 ao 16

"Recostei-me no banco e deixei que o som da chuva me distraísse, olhando null de soslaio em meus inúmeros momentos de fraqueza. Tudo naquele carro cheirava a ele e o seu perfume não permitia com que eu pensasse direito. Fitei-o de esguelha novamente e fui pega no ato no instante em que o homem pareceu notar que era observado e virou a cabeça, encontrando os nossos olhares. Diferente de todo aquele tempo, a sua pose indiferente não estava mais lá. Agora, eu era encarada pelo Diego sem armaduras. O Diego sem defensivas. A sua feição serena, ainda que habitualmente séria, demonstrava que, nem se quiséssemos, poderíamos agir como se a conexão que nos unia fosse inexistente. Ela definitivamente não era. Respirando pesado e absorta na forma em que era estudada minuciosamente por ele, eu me peguei considerando a hipótese de ignorar todos os sinais que avisavam em letras garrafais e neon para não insistir nesse sentimento a respeito de null e somente continuar com o plano de me manter afastada, todavia, era impossível. Parecia ser impossível."

Leia

Capítulos 17 ao 22.

"O veículo avançou e, por reflexo, regressei e dei alguns passos para trás, voltando à calçada rapidamente; Tudo ocorreu numa agilidade que eu não consegui acompanhar. Com pressa em sair do caminho do automóvel, tropecei nos meus pés e senti o forte impacto do concreto duro chocando-se contra o meu corpo; Um estalo foi-se ouvido seguido de uma dor lancinante no meu braço direito, onde uma queimação imensamente dolorida acometeu o membro por inteiro. Meus cotovelos, mãos e ambos os antebraços ardiam como se estivessem em contato com fogo."

Leia

Capítulos 23 em diante.

"- Eu tenho inúmeras vontades quando o assunto é você, , contudo, este não é o melhor lugar para verbalizá-las, tampouco para supri-las. – Avancei um passo e encostei minha boca em seu ouvido, experienciando a sensação satisfatória de percebê-la tensionar. – Sinta-se à vontade para imaginar o que eu quis dizer com isso e eu terei o imenso prazer em lhe explicar na prática. – Soprei alguns timbres mais baixos e me afastei minimamente apenas para olhá-la, deparando-me com seu semblante enrubescido o qual divergia da fisionomia ardilosa da garota que parecera captar e aprovar todos os significados englobados na frase."

Leia