Essa é uma história daquele tempo nem tão distante, daqueles dias que até hoje duram às vezes duas, às vezes duzentas horas, e restou apenas esta sensação de que, como eles, elas também vão tombando rápido dentro da boca de um vulcão aberto, sem fôlego nem tempo para repetir, como uma justificativa, ou oração, ou mantra; enquanto eles caem sem salvação no fogo que é verdade, de que sí, que no, que nadie puede mismo vivir sin amor, y que no enamorarse es inevitable!

Escrita por: Betiza
Betada por: Nataly S. (Até o capítulo 02 por Lara)
Contador:

Do capítulo 01 ao 32

— Quem é você? — ele soltou um suspiro — Por que você aparece todas as noites para mim?
Balançou a cabeça algumas vezes, sacudindo os cabelos. Pensou que pintando a garota que estava vendo em seus sonhos nos últimos dias pudesse tirá-la de sua cabeça, então ele decidiu finalizar sua exposição com um quadro dela.
Engoliu em seco e viu sua assistente e empresária caminhar até ele.
— Jin? — ela chamou enquanto sorria — E aí? Como estamos com esse último quadro?
— Finalizamos. — ele apontou para o mesmo. — Já pode marcar a data da exposição! Seokjin limpou as mãos com uma toalha, enquanto caminhava para dar uma última verificada nos quadros. A empresária ficou olhando o quadro e pensou que pudesse ser alguma namorada secreta.
— Tá de namoradinha nova? — Serena questionou, divertida, indo atrás de Jin.
Ele virou-se bruscamente, assustado com a pergunta. De repente a boca secou.
— Claro que não, Serena! É só um quadro! É só um rosto…

Leia

Do capítulo 33 ao 55.

Suga passou a língua pelo lábio, deixando-a lá. E então ele ergueu a mão, levando- a até a barriga de Paloma e a encostando lá.
- Eu posso? - a língua dele voltou a umedecer os lábios.
Paloma sentiu os olhos marejarem com o gesto e então ela assentiu, fechando os olhos. Suga acariciou com leveza a barriga já começando a ficar protuberante de Paloma. Os olhos dele acompanhavam os movimentos que ele fazia com a mão. Suga sentiu o coração dele acelerar embaixo da blusa, ele segurou a cintura de Paloma com uma das mãos para sustentar o toque e então, depois de acariciar o local, ele deixou a mão lá por um tempo. Paloma sentia a pele ferver onde a mão dele estava depositada e se atreveu a colocar a mão sobre a de Suga. Os dois se olharam.
- Você vai ser um pai maravilhoso! Sua mãe deve estar orgulhosa agora.
Suga baixou a cabeça com o comentário e sentiu a vontade de chorar vir. Engoliu o choro e voltou a acariciar a barriga dela.
- Você também vai ser maravilhosa! E vai calar a boca dos seus pais!
Paloma retirou a mão dela da dele e sorriu abertamente ao ouvir o que ele falara.

Leia

Do capítulo 56 em diante.

- Então eu ainda sou um segredo? - ele umedeceu os lábios.
Ludmilla bufou e empurrou Jimin pelos ombros, afastando os dois.
- Ah, não começa, Jimin!
- Ludmilla! - ele a chamou, mas ela continuou não o encarando - Você percebeu como estava todo mundo hoje lá no festival? Todo mundo no clima, de casal! Até a Vivian o tal Seokjin! Só eu não podia me aproximar de você, tocar sua mão, nem mesmo a sua coxa por baixo da mesa! Você me cortou aquela hora com o Namjoon!
- Nós precisávamos ajudar a Aline e isso foi até uma ideia sua, Jimin! Não mistura as coisas!
- Me magoou! - Ludmilla o encarou - Não poder agir como um casal com você em público! Já vai estar para fazer um mês, Ludmilla! No começo eu concordei quando você pediu, mas sei lá, achei que uma hora a gente fosse se assumir!
- Time que tá ganhando a gente não mexe, Jimin!
- O seu time tá ganhando, Ludmilla!

Leia