Contador:
Finalizada em 30/01/2021

Capítulo Único

*new update from @baby_rabbit*


quase soltou um gritinho de empolgação quando a notificação do seu cantor favorito apareceu na tela de seu celular. Não que fosse obcecada pelo rapaz, mas geralmente quando ele atualizava seu user do twitter, eram com coisas fofas e mimos para os fãs.
Quase não parecia que ele era segundo guitarrista e vocalista principal de uma das maiores bandas de rock da atualidade. Os The Rabbits eram a sensação do momento, o nome poderia soar meio esquisito principalmente para o tipo de som que eles faziam, mas deu super certo, eles eram ótimos com os fãs, tinham uma equipe incrível e eram super acessíveis.

ㅡ Não me diga que é notificação do coelhinho lá ㅡ disse em um tom de brincadeira quando viu a amiga com o celular na mão e um sorriso de orelha a orelha no rosto.
ㅡ Com essa cara você acha que é quem? Algum namoradinho? ㅡ disse rindo e pegando uma maçã na mesa do café.
ㅡ Vocês me odeiam tanto, por que a gente mora junto mesmo? ㅡ protestou fazendo um bico, mas sem tirar os olhos do aparelho. estava usando roupas casuais, uma camisa cinza e um moletom da mesma cor, as tatuagens dos seus braços estavam expostas e o cabelo levemente bagunçado. Só aquela visão em uma foto já seria o suficiente para deixar feliz pelo resto da semana, mas aquilo que ela estava vendo era mil vezes melhor. Ele estava fazendo um cover de uma música que ela não conhecia, mas que instantaneamente tinha virado sua favorita. Aquele conteúdo, segundo ela, poderia facilmente promover a paz mundial.
ㅡ Eu tenho uma lista, mas acho que você se magoaria com algumas coisas ㅡ disse depois de engolir a torrada com Nutella e banana que tinha acabado de preparar para seu café da manhã.
ㅡ Você tirou as palavras da minha boca ㅡ riu enfiando um monte de cereal na boca.
ㅡ Vocês não vão conseguir dessa vez, nada vai estragar meu dia ㅡ estava realmente radiante.
ㅡ Depois pergunta por que não consegue um namorado, meu Deus, , isso é loucura ㅡ disse jogando uma bola de guardanapos na amiga.
ㅡ Falou a dona "meu Deus, eu queria um harém" ㅡ riu debochada.
ㅡ Em defesa dela, ela sorri de orelha a orelha pelo namorado de verdade, viu, dona coelhinha ㅡ disse se levantando da mesa. ㅡ Amém , por isso e eu estou atrasada, por favor, alguma de vocês arrumem a louça do café, eu cuido do jantar, mesmo não querendo, eu amo vocês.

Ela foi até o banheiro escovar os dentes para ir trabalhar, das três, era a mais centrada, trabalhava em uma editora de quadrinhos fazendo a arte, e era muito boa nisso. Adorava desenhar e algumas vezes até desenvolvia algumas estórias. Era aquilo que ela estava procurando quando deixou tudo para trás e mudou de país com as melhores amigas. Ela meio que colocava as rédeas nas duas desmioladas.

ㅡ Então tá, como nada vai estragar seu dia, meu anjo, eu preciso correr também, a louça é sua, te amo ㅡ disse apressada saindo do campo de visão de mais rápido do que a amiga pode perceber para reclamar.

era a mais nova, mas diferente das estatísticas sociais, não era a mais irresponsável e nem a mais sonhadora. Desde pequena sabia onde queria estar e quando teve a oportunidade de se mudar com as amigas, não pensou duas vezes. Além do que, quando aconteceu, tinha recebido uma bolsa para cinema no país e logo arrumou um emprego como staff em uma das maiores agências de idols de todo o mundo. A estrela dela brilhava tão forte, que até namorar um cantor e ator famoso ela começou a namorar e eles eram perfeitos um para o outro. Nenhum outro homem na terra fazia com que ela sentisse as coisas que fazia.
terminou seu café e como só tinha trabalho na academia no período da tarde, tinha tempo de arrumar a louça do café e o resto do apartamento todo. Quando se mudou com as amigas, não tinha nada garantido como as outras duas, que por incentivo das propostas de trabalho e estudos tomaram essa decisão. só sentia que não cabia mais onde estava, que precisava mudar de ares e talvez assim mudar de vida. Se ela tinha alguma chance de futuro no boxe brasileiro, não esperou para saber, tinha tentado tempo demais e sem nenhum retorno, então resolveu ir e se não conseguisse nada na luta, que era absolutamente tudo na vida dela, ficaria feliz em ser professora de qualquer uma das artes corporais de defesa que sabia. Atualmente dava aulas para turmas iniciantes na academia perto de onde moravam, e consequentemente era das três a que tinha mais tempo livre. Tanto que administrava um canal com um número considerável de inscritos e likes, onde ela dava de graça aulas básicas de boxe, e zumba.
Não chegava a ser o maior canal com o conteúdo, mas realmente era notada e recebia muitos feedbacks positivos a cada novo vídeo postado. Do tempo em que as três estavam lá, e pelo estudo da nova língua anteriormente, elas falavam muito bem o novo idioma e assim tudo, desde conteúdo para o canal, até o relacionamento interpessoal, era fácil tanto para o entendimento delas, quanto das outras pessoas.

ㅡ Vamos pipoca, vamos ver os novos comentários que a mamãe recebeu no último vídeo ㅡ pegou seu coelho branco de estimação, que ela já tinha antes de se apaixonar loucamente pela banda de rock com aquele nome horroroso, e foi até seu quarto ligar seu notebook.

Aquela altura já tinha limpado toda a área social da casa e separado o lixo reciclável na varanda, como de costume, toda terça feira ela separava o lixo e antes de ir trabalhar deixava tudo na lixeira comunitária na portaria.

ㅡ Olha só pipoquinha, a mamãe tem alguns emails, será que é tudo propaganda de tv por assinatura como sempre? ㅡ ela continuava a conversar com o animal de estimação. ㅡ Ta bom, esses primeiros três são de tv, então é lixo. Têm mais dois aqui de assinaturas de abaixo assinados que vão pra pasta, ler um dia. E tem um aqui da magic entertainment, querendo contato comigo ㅡ ela parou de ler e ficou alguns minutos sem ar, apertando mais do que devia o animalzinho em seus braços. ㅡ Piii pi poca, a mamãe, meu deus, eu tô tremendo meu filho, a gente precisa de ar, não precisa? ㅡ ela segurou o coelho na altura dos olhos e ele ficou se debatendo, querendo ir urgentemente para o chão.

levantou da cadeira, colocou o pipoca em cima da cama dela indo até a Janela do cômodo e respirando fundo, talvez estivesse viajando, quer dizer, não tinha a mínima idéia do porque do contato, não era nenhuma artista nem nada do tipo, e não lembrava de ter se candidatado a staff de nada por lá. Pensou que estivesse sendo processada pelas baixarias que comentava nas postagens do The Rabbits no twitter e com esse pensamento quase desmaiou, não podia ser, nunca tinha ouvido falar de alguém que foi processada por dizer que "nem o próximo rei Arthur me tirava de cima", estava prestes a entrar em um colapso mental quando ouviu seu telefone tocar na escrivaninha.

, pelo amor de Deus, eu vou ser presa, deportada, vou ter que voltar a trabalhar de telemarketing no Brasil, e não que trabalhar de telemarketing seja ruim, sem eles teríamos que sair de casa para absolutamente tudo, mas eu não quero, eu gosto da vida que eu tenho aqui, pelo amor de Deus ㅡ o tom de era tão desesperador que, mesmo sendo engraçado, a amiga não conseguiu rir.
ㅡ Primeiro, se acalma , respira, me fala, o que foi que aconteceu, você foi presa? Não, se tivesse sido presa não atenderia. Espera, então quem você matou? Não me diga foi o vizinho do 302. Olha , eu sei que ele era um mala, nojento e asqueroso, mas não é assim que resolvemos as coisas na vida real ㅡ o tom dela era alarmado, sabia que a amiga era capaz de fazer aquilo, mas de manhã ela parecia tão bem. Não sabia o que poderia ter acontecido.
ㅡ Ai, nem me lembra desse verme, quando eu passar com o lixo, espero não ver a cara dele ㅡ disse em um tom de desprezo. ㅡ Ainda não matei aquele desgraçado, não foi isso, foi a Magic, eu recebi um email deles hoje e eu vou ser processada por falar que quero sentar no , amiga, eu juro que é verdade, mas eles não deviam ser tão cruéis, amiga me ajuda, conversa com o Jae, ele é influente ai, se ele conversar com o Ceo ele livra a minha cara, por favor, eu nunca te pedi nada hoje ㅡ ela estava quase chorando enquanto suplicava.
, você por acaso abriu o email? ㅡ estava segurando o riso, e seu tom parecia sério.
ㅡ Não , não, eu entrei em pânico e precisei de ar e você me ligou e eu vou ligar pro , ele me ama, não tem como não amar, ele vai me ajudar. ㅡ respirava fundo e as lágrimas rolavam no rosto dela.
ㅡ Amiga, foca em mim, pelo amor de Deus, não pira ㅡ tentou acalmar a amiga. ㅡ Olha, primeiro raciocina com a mamãe aqui, esse seu e-mail é o seu profissional ou o do fan account?
ㅡ Eu nunca entro no email do fan account , foca aqui ㅡ não conseguia entender o que a amiga estava tentando fazer.
ㅡ Então, o burra, como a Magic pode te mandar um email com processo, se eles só têm acesso as suas putarias pelo e-mail de lá ㅡ se permitiu rir muito aquela altura da conversa.
ㅡ Mas, então o que é? ㅡ enxugou as lágrimas e foi em direção ao computador.
ㅡ Abre logo a merda desse email, achei que ia te ligar e ter bons surtos, mas esqueço o quão dramática você é ㅡ a amiga estava bem impaciente.
ㅡ Calma, eu tô confusa ㅡ clicou no e-mail.
ㅡ Mas como você fala três línguas e não sabe interpretar coisas tão simples, lê logo, minha pausa vai acabar ㅡ estava no banheiro esperando o surto da amiga, desde que ligou.
ㅡ O QUE?? ㅡ gritou, fazendo com que a amiga afastasse o telefone da orelha. ㅡ COMO ASSIM UMA ENTREVISTA PRA SER PERSONAL DE UMA DAS BANDAS DA MAGIC, COMO ASSIM, DE ONDE ELES CONHECEM MEU TRABALHO, , ME AJUDA EU VOU INFARTAR ㅡ ela estava incrédula, aquilo só podia ser uma pegadinha de mau gosto.
ㅡ É verdade amiga, na verdade um integrante dessa banda ama seus vídeos do youtube e eles perguntaram para os contratados se eles tinham alguma indicação e meu belo namorado mostrou seus contatos profissionais e alguns vídeos, porque ele é o máximo e eles vão te dar a chance de fazer um teste. Isso não é incrível? ㅡ a animação na voz de era palpável. E não sabia como reagir. ㅡ , tá aí? ㅡ ela ficou preocupada que a amiga tivesse desmaiado.
ㅡ Eu tô chocada em Cristo. Meu deus, eu amo seu namorado, eu vou dar um abraço tão apertado nele que vamos nos fundir em um só, meu deus, amigaaa, eu vou morrer ㅡ estava atônita, a ficha estava custando a cair.
ㅡ Respira fundo, toma uma água e prepara um treino bem gostosinho pra apresentar pra eles, eu tenho que ir, te amo, até mais tarde, não morre ㅡ precisava voltar ao trabalho realmente.
ㅡ Eu vou tentar, obrigada por me aguentar surtar, também te amo, meu Deus, eu vou tentar não morrer. Tchau.

jogou o celular pela escrivaninha e se focou no e-mail, que dizia que eles tinham ouvido falar muito bem do trabalho dela e que queriam marcar uma reunião na próxima sexta para uma entrevista. Ela não podia acreditar, não poderia ser real. Respondeu prontamente confirmando sua presença e já começou a pensar na sequência que faria para a entrevista. Precisava se sair impecável, quando mais conseguiria uma chance de trabalhar para uma marca tão grande quanto aquela? Era surreal.

ㅡ Chefinho? ㅡ tinha chego na hora aquela tarde no emprego, surpreendendo seu chefe, que já estava acostumado com os atrasos da mais nova.
ㅡ O que você quer agora, meu anjo? ㅡ o homem na casa dos 40 anos perguntou olhando no rosto da mulher, sempre que ela chegava com aquele papo de chefinho queria alguma coisa.
ㅡ Nossa chefe, o que o senhor pensa de mim? Não responde ㅡ ela riu ㅡ Então, eu preciso de uma folga na sexta, tenho uma reunião na Magic entertainment ㅡ o grande sorriso tomou conta do rosto dela.
ㅡ Meu Deus, , isso é uma ótima oportunidade, é claro. Sexta temos só um horário e eu posso assumir ㅡ ele ficou extremamente feliz, como a mulher julgou que ficaria. Ele era uma pessoa iluminada demais para não entender a magnitude daquela oportunidade.
ㅡ Você é o melhor, eu vou dar o meu melhor. Obrigada ㅡ ela saiu saltitante, estava feliz demais com aquilo, tudo estava perfeito, parecia um sonho.

acordou com uma notificação incrível e tinha decretado ali o melhor dia da sua vida, mas não podia imaginar que as coisas melhorariam tanto. Deu suas aulas habituais e voltou para a casa em tempo de jantar com as amigas. Mesmo se a louça dessa refeição também sobrasse pra ela, não se importaria, nada mais podia estragar aquela felicidade.

ㅡ E foi isso ㅡ concluiu todo o episódio de mais cedo para que não conseguia parar de rir.
ㅡ Em minha defesa, quem tem cu, tem medo ㅡ disse enfiando a barriga de porco assada com uma folha enorme de alface na boca.
ㅡ Não acredito nisso gente, como alguém pode ser assim? ㅡ ainda estava desacreditada com o drama das amigas, elas eram assim. Uma colocava lenha na fogueira do drama da outra e deixavam incendiar, era algo realmente divertido.
ㅡ Mas o importante agora é que eu não matei o pipoca esmagado e tenho uma reunião na sexta, gente, eu nem sei como me comportar. Que artistas vocês acham que são? Pode ser as meninas do Red Moon, uma delas estava comentando em uma das minhas lives um tempo atrás, e teve uma confusão com aquele personal nojento assediando as treinees ㅡ se sentiu verdadeiramente nervosa pela primeira vez naquele dia.
ㅡ Aposto como sabe ㅡ disse enfiando um pouco da comida na boca.
ㅡ Saber, eu sei, mas eu estou terminantemente proibida, primeiro por mim, depois pelo meu digníssimo namorado, que me fez prometer que não ia contar. Ele realmente abriu meus olhos, seria inconsequência minha, porque seria falta de profissionalismo meu vazar informações ultrassecretas e sabemos como a é, e se souber de quem se trata, capaz de perder a oportunidade da vida dela ㅡ disse rindo e tomando um pouco de soju logo em seguida.
ㅡ Olha, em outras situações eu te odiaria, eu tentaria tirar essa informação a força, mas só deus sabe o quanto eu já estou nervosa só de ter que fazer esse teste, e pensar, mesmo que não for, que é para as maravilhosas das Reds, eu já vou dar mais que o meu máximo, elas são incríveis e merecem alguém incrível como eu ㅡ o sorriso de ia quase de orelha a orelha.

O papo sobre o acontecido rolou até altas horas, bom, altas horas não, porque a vida adulta tinha que seguir um fluxo de rotinas. Mas seguiu para onde tinha de seguir, elas ficaram animadas e ajudaram a selecionar seus melhores treinos para a demonstração, mesmo achando que a vaga já era dela, só dela ser indicada por não uma, mas duas pessoas lá dentro, já devia ter levantado muito a moral com as pessoas.
Os dias passaram mais rápidos do que podia imaginar. Já tinha separado todo o equipamento necessário durante os dias que se seguiram e a sua melhor roupa. Ela tinha muitas roupas para esse tipo de evento, mas tinha sempre uma que ela só usava em ocasiões muito especiais, e era exatamente aquela que estava dentro da sua bolsa preta, junto com as luvas de boxe e todo o resto do equipamento. Quem sofreu aqueles dias todos, fora seu chefe na academia, foi o pipoc, que foi apertado, acordado, girado, sacudido e tinha ouvido todas as lamentações, medos e anseios da mulher.
Acordou na sexta de manhã, antes mesmo das amigas, que sempre estavam a postos na mesa, quando ela resolvia se arrastar do quarto para a cozinha. Preparou um café da manhã reforçado, conferiu tudo. Acompanhou até a previsão do tempo, coisa com a qual pouco se importava todos os dias. Tanto fazia para ela se ia chover ou não. Aquilo nunca era um problema. Felizmente aquele dia apontava como fresco e quente, do jeito que ela gostava.

ㅡ Ué? Caiu da cama foi? ㅡ perguntou ao ver a amiga se levantar da mesa do café e deixar seu prato e sua xícara na pia.
ㅡ Estou muito ansiosa, não consegui ficar de preguiça na cama hoje ㅡ respondeu, lavando as coisas que tinha usado. ㅡ Fora que daqui até a Magic é uma caminhada e eu em hipótese nenhuma posso chegar atrasada.
ㅡ Mas sua entrevista é só depois do almoço, doida ㅡ veio arrastando os pés do quarto até a cozinha com a voz sonolenta.
ㅡ Vocês sabem como eu sou capaz de me atrasar até se eu marcar um horário ali na esquina, não sabem, parem de me atazanar, tomem o café e vão embora daqui, as contas não se pagam sozinhas ㅡ estava pegando alguns jornais velhos na parte da dispensa em que guardavam esse tipo de coisa, para limpar a casinha do pipoca.
ㅡ Tá bom, mamãe ㅡ riu tentando irritar a amiga.
ㅡ Bom, está irritante essa semana, mas ela tem razão, eu tenho que ir ㅡ disse, colocando a louça na pia. ㅡ Alguém lava pra mim, por favor, prometo que lavo a do jantar. E , meu amor, boa sorte. Amo vocês ㅡ ela terminou de pegar suas coisas e saiu praticamente correndo do apartamento.
ㅡ Meu deus, essa menina não tem um sossego, ela entra muito cedo ㅡ comentou alto da cozinha para que escutasse do quarto dela.
ㅡ Workaholic, baby ㅡ respondeu no mesmo tom.

saiu de casa pouco tempo depois também, deixando sozinha. preparou o almoço e conseguiu se alimentar de forma correta para chegar lá e fazer um bom trabalho.
15:00 em ponto, estava parada na frente do grande saguão da Magic, esperando que a recepcionista confirmasse sua entrevista que estava marcada para às 15:20. Poderia parecer tarde para uma entrevista normal, mas levando em conta que era um dos poucos horários bons para pegar boa parte dos artistas disponíveis e a equipe de recrutamento também, funcionava melhor no período da tarde.

Pouco tempo depois de passar pelas catracas de acesso a empresa, estava parada em uma sala de seleção e recrutamento esperando o Ceo chegar, tinha sido informada na portaria que a conversa seria com o chefe de tudo e aquilo a deixou mais nervosa ainda e ficar mais nervosa era tudo que ela menos precisava no momento.

? ㅡ uma voz masculina forte invadiu a sala.
ㅡ Senhor Choi ㅡ se virou para a porta de entrada e cumprimentou o homem que estava vestindo um terno muito bem cortado em um tom de azul tão escuro que até parecia preto. Uma gravata cheia de bolinhas e uma camisa branca bem alinhada. Estava impecável e por um momento a mulher se apaixonou por aquela figura.
ㅡ É um prazer recebe-la aqui ㅡ ele sorriu e entrou na sala indo em direção a mesa. ㅡ Sente-se, por favor ㅡ o homem apontou a cadeira vazia em frente à mesa.
ㅡ É uma honra estar aqui ㅡ ela se sentou e abriu seu melhor sorriso.
ㅡ Olha, eu sei que você deve ter se assustado com um email inesperado, já que não tinha se candidatado a nenhuma vaga conosco. Mas eu não sei se você sabe, deve saber, todo mundo soube ㅡ ele abriu um sorriso amarelo. ㅡ Tivemos um imprevisto com um de nossos colaboradores, pessoas vindas de agências de emprego, por maiores que sejam, sempre tem profissionais – se é que a gente pode chamar de profissional – ruins vinculados.
ㅡ Eu soube, e eu sinto muito por isso ㅡ disse com um pesar na voz.
ㅡ É, eu também ㅡ ele respirou fundo. ㅡ Mas enfim, tentei fazer diferente dessa vez. Repassei o personal que recentemente tínhamos contratado para as meninas e com um pedido quase pessoal de um de nossos colaboradores, ficamos de olho em você ㅡ foi sincero e abriu um grande sorriso.
ㅡ Eu sei, eu sou próxima do , ele é um bom amigo ㅡ sorriu grande ao falar do rapaz.
ㅡ É, mas a primeira menção do seu nome por aqui não veio dele. Claro que ele ter te indicado também depois ajudou muito na minha escolha ㅡ ele parecia feliz.
ㅡ Ele não foi o primeiro? ㅡ ela parecia confusa.
ㅡ Aparentemente você tem um verdadeiro fã ㅡ Choi piscou. ㅡ Falando em fã, aqui está seu fã número um ㅡ ele levantou e abriu um grande sorriso. ㅡ Grande , ou devo te chamar de, como é mesmo que as crianças te chamam? Baby Rabbit.

congelou e viu a cena passar em câmera lenta diante dos seus olhos. Virou o corpo em direção a porta e avistou ali o amor da sua vida, com um long hair bagunçado, uma camiseta preta surrada, moletom e um sorriso grande com os dentes de coelho a mostra. O ar faltou e a cabeça rodou, tudo o que ela conseguia se focar eram nas palavras “aparentemente você tem um verdadeiro fã” “um verdadeiro fã” “ fã”

? ㅡ Choi chamou a mulher que aos poucos voltou a si.
ㅡ Desculpe, eu ainda estou assimilando tudo isso ㅡ ela riu, tentando disfarçar.
ㅡ Tudo bem, é muita informação eu sei ㅡ Choi disse sorrindo. ㅡ Aqui está, a pessoa que pessoalmente te indicou e digo que me torrou a paciência para te contratar. Não que eu não tenha te achado competente, ele só gosta de me pentelhar mesmo.
ㅡ Para com isso Choi, vai assustar ela, parece que eu sou obcecado ㅡ riu coçando a cabeça.
ㅡ É um prazer conhecer você, e uau, como você me conhece, isso é tão incrível ㅡ se levantou e cumprimentou o rapaz.
ㅡ Eu estou nesse lance de aprender boxe, sabe, e por ironia do destino, achei um vídeo seu que tinha nossa música de fundo enquanto treinava e eu simplesmente pirei e acho que assisti todo o seu conteúdo já postado. Você é incrível demais ㅡ ele tinha um sorriso enorme no rosto, e quase desabou no choro, como fazia às vezes.
ㅡ Calma, isso é demais pra mim ㅡ ela riu. ㅡ Obrigada, eu nem sei como reagir, você é só o cantor mais badalado do mundo, falando que gosta do meu trabalho.
ㅡ Olha, para a sua informação, eu estou me sentindo da mesma forma, e eu pesquisei sobre você, quais as chances da pessoa mais talentosa que existe no boxe, gostar do som que eu faço ㅡ disse e seus olhinhos de jabuticaba brilharam
ㅡ Então, vi que estão se dando muito bem e que são fãs um do outro e bla bla bla ㅡ Choi disse, interrompendo o momento dos dois ㅡ Mas temos algumas coisas para falar e alguns contratos para assinar.
ㅡ Assinar? Como assim, não vai ter testes e nem nada do tipo? ㅡ estava quase entrando em colapso com tantas informações.
ㅡ É, então, eu já vi alguns vídeos e adorei, te chamei aqui mais para te mostrar as instalações e acertar salário e essas coisas ㅡ Choi disse apontando a cadeira para que ela se sentasse novamente. ㅡ , vou terminar aqui, você volta e leva a senhorita por um tour pela agência se ela aceitar a minha oferta.
ㅡ Tudo bem Choi, espero sua mensagem então. , foi um prazer ㅡ ele sorriu grande e saiu da sala.

sentia como se os neurônios fossem explodir. Ainda não estava acreditando que conheceu o maior ídolo de sua existência. Aquele que sempre tirava um sorriso bobo dos lábios dela, com qualquer coisinha que fizesse. Que ia ser a personal pessoal dos Rabbits. Que estava ali somente para ouvir uma proposta e não passaria pelos mil processos que geralmente passava para se conseguir um emprego naquele país, mais especialmente em agências como a Magic, que era casa de infinitos artistas e todos muito bem conceituados.
Ela se lembrava como foi difícil para conseguir aquele emprego alguns anos atrás e quanto tempo ela ficou por lá fazendo testes e sendo observada para saber se não era uma fã louca, ou alguma golpista querendo extrair informações da empresa. Jurou por Deus que sairia daquela empresa só depois de três dias de longas horas de demonstração e todas aquelas etapas cansativas e todo o resto.
passou pelo menos uma hora no escritório com Choi e algumas pessoas do rh, revisando horários, valores e espaços, equipamentos e toda aquela burocracia contratual, as condições da empresa eram simplesmente fantásticas e depois de assinarem o contrato de admissão, foram para uma explicação rápida e condições do contrato de sigilo e privacidade dos artistas e outros funcionários da empresa. Ela começaria dentro de uma semana, como foi de comum acordo e durante o decorrer dela, já tinha todos os exames para fazer e entregar no rh. Bem como toda a documentação necessária para a admissão completa e dentro da lei.
Como a reunião acabou um pouco tarde, eles acharam melhor que ela conhecesse as dependências da empresa em um outro momento. Então foi embora, mal conseguia esperar para começar aquela nova fase de sua vida. Só de estar lá, era a coisa mais incrível que já tinha acontecido em todos os tempos.

ㅡ Olha , chegou a margarida ㅡ disse, do fogão onde ela terminava de preparar o jantar.
ㅡ Meu Deus , que cara é essa? ㅡ levantou os olhos do livro que estava lendo e se deparou com uma amiga sem expressão. Parecia que tinha entrado em curto circuito.
ㅡ Gente, esse está sendo o sonho mais louco da minha vida ㅡ disse se sentando na cadeira perto da amiga.
ㅡ Não foi um sonho, , você realmente esteve na magic mais cedo ㅡ disse voltando a olhar para seu livro.
ㅡ E como foi? ㅡ disse pegando alguma coisa no armário de mantimentos, que não conseguiu identificar o que era.
ㅡ Gente, disse que é meu fã ㅡ o tom da mais velha continuava atônito, assim como seu semblante.
, mede a febre dela ㅡ secou a mão no avental que usava e se sentou perto das amigas.
, que fanfic é essa? ㅡ perguntou colocando a mão na testa da amiga que estava em temperatura normal. ㅡ Não é alucinação, então é fanfic mesmo.
ㅡ Ué, achei que soubesse quem me indicou para a diretoria ㅡ se virou para e disse em um tom de deboche.
ㅡ Olha, eu só sabia que tinha sido alguém do The Rabbits, pensei no ou no , sei lá ㅡ se sentou recostada na cadeira novamente.
ㅡ Não me diga que foi o coelhinho ㅡ perguntou animada e confirmou com um aceno de cabeça. ㅡ Ai meu Deus, você conheceu o senhor coelhinho pessoalmente, .
ㅡ Foi e eu quase chorei na frente dele de emoção. Ele elogiou meu trabalho e disse que já assistiu aos meus vídeos. Dá pra acreditar? ㅡ disse animada dessa vez, mesmo se fosse um sonho maluco, iria viver feliz aquele momento.
ㅡ Qual a probabilidade do seu ídolo ser seu fã? ㅡ disse também animada deixando o livro de lado.
ㅡ Você estava certa amiga, isso é plot demais de fanfic, e por isso eu acho que estou vivendo um sonho ㅡ disse e voltou a perder a animação.

riu demais da amiga e deu um beliscão no braço dela, que quase gritou um ai, que até as pessoas no Brasil poderiam escutar.

ㅡ Não é um sonho, como podemos ver ㅡ disse. ㅡ Eu vou voltar para o jantar se não queima. Mas me diz e sobre o emprego, como foi? ㅡ ela se levantou e foi até o fogão novamente.
ㅡ Demorou tanto, fez todas as entrevistas? Qual dos treinos eles gostaram mais? ㅡ estava muito curiosa.
ㅡ Ah, então, eu passei um tempo conversando com o , e a minha entrevista foi tarde, né. Quando eu cheguei lá, o Choi me disse que não era necessário passar pelos processos seletivos, que ele tinha assistido alguns dos meus vídeos e entrado em contato com algumas pessoas e pela indicação dos meninos, ele tinha me chamado mesmo para conversar sobre o contrato e condições de trabalho ㅡ sentia como se fosse explodir a qualquer momento de empolgação. ㅡ Vocês estão olhando para a mais nova personal e professora de Boxe da Magic ent ㅡ ela levantou o crachá provisório que ganhou para que pudesse ter acesso ao prédio nos dias que precisasse ir fazer o resto das coisas de contratação.
ㅡ Meu Deus, que talento ㅡ disse animada e abraçou forte a amiga.
ㅡ Isso é incrível, , sério, você merece demais, é muito talentosa ㅡ deixou uma panela sobre a mesa e abraçou também a amiga.
ㅡ Isso quer dizer que eu não vou poder cuidar da louça todo dia, mas consigo comprar mimos para as minhas companheiras de casa favoritas. ㅡ riu e recebeu um olhar de indignação das amigas.
ㅡ Bom, depois organizamos a tabela de tarefas então, agora vai tomar um banho pra gente jantar ㅡ disse empurrando a amiga da cadeira para que ela fosse e voltasse logo.

Elas estavam radiantes, depois que saiu do banho, elas jantaram, conversaram como foi o dia de cada uma e como estavam felizes e orgulhosas pela nova conquista da amiga. não cabia dentro de si de tanta empolgação. Depois de comer, foi limpar a casinha do pipoca e dar atenção para o animalzinho que sentiu demais sua falta.
Depois de se despedir do seu chefe na academia e de seus alunos, pois precisava ter disponibilidade total de seus horários, inclusive finais de semana e eventuais viagens. iria sentir falta de toda aquela rotina sossegada que levava no antigo trabalho, suas turmas eram ótimas e bem interessadas e seu chefe era a melhor pessoa do mundo. Mas precisava daquela adrenalina que a Magic proporciona para ela.
A semana passou como uma tartaruga na visão de , a ansiedade pela nova experiência, fazia com que os dias para ela demorassem o triplo para passar. Já era normal, sempre que uma nova rotina era inclusa ou uma atividade diferente acontecia na sua vida, o sistema nervoso dela agia daquela maneira. Antes de viajar e se mudar com as amigas teve a mesma sensação e muitas outras vezes mais. A grande segunda feira, a qual usaria seu próprio crachá para acessar a empresa e teria contato com todos os meninos da banda, mais alguns dos artistas que se interessaram para as aulas de boxe, iriam encontrar com ela para início das atividades.
chegou até a Magic com um moletom preto confortável, carregando sua bolsa transversal com seus equipamentos e roupas apropriadas para as aulas dentro. Aquela segunda feira teria uma reunião com o pessoal que cuidava do cardápio e nutrição dos artistas aos quais ela iria trabalhar para alinharem as dietas corretas e tipo de hidratação para cada um deles. adorava aquilo, claro que quando começou nesse mundo das lutas fez porque achava legal, mas com o tempo de preparação para despontar na carreira, fez também faculdade de educação física e assim que chegou no novo país, tirou sua licença no conselho regional de educação física para poder exercer as atividades como personal trainer e atuar também em algumas das academias as quais já tinha passado.

ㅡ Então é isso. Vou precisar, por favor, que me confirmem, os que realmente tem interesse nas aulas de boxe, depois dessa demonstração e de explicar todas as modalidades e também deixem o melhor horário nesses formulários. Entro em contato assim que tiver organizado tudo, tanto com os outros personais que já atuam com vocês, quanto com os nutricionistas ㅡ sorriu enquanto entregava as folhas para as quinze pessoas na sala, incluindo os quatro rapazes do Rabbits. ㅡ Vocês quatro preencham só as informações básicas e depois a gente conversa melhor ㅡ ela se virou para eles e disse doce.

Assim que todos terminaram de preencher os formulários, tinha cinco idols interessados em aulas extras das atividades físicas que já faziam. Foi um alívio, ela tinha que ser sincera, não sabia se daria conta de tantas pessoas, ainda tinha uma vida pra viver e um coelhinho para cuidar. Seria totalmente injusto deixar o pipoca nas costas das amigas, ou pior, levar o amor da sua vida para um abrigo para que fosse efetivamente cuidado por quem tivesse tempo.
Sabia que a rotina dos meninos do Rabbits não era muito puxada quando se tratava de exercícios, eles faziam treino de cardio e respiratório. Tinham um condicionamento físico ótimo pela agenda de show e inúmeros festivais que participavam. Então algumas poucas horas por dia seriam o suficiente para manter o ritmo durante as apresentações e eventos.
A parte do boxe, teria que ver com eles quem iria querer optar, e aí encaixar nos horários deles um melhor momento para aquilo e teria de fazer cada um em um momento diferente. Talvez ela não aguentasse emocionalmente dar atenção para mais de um integrante da banda ao mesmo tempo, aquele treino que era tão específico e “homem a homem”.
Todos os outros idols, salvo o pessoal do Rabbits, já tinham deixado o salão onde a reunião estava acontecendo. E então começou a analisar as “fichas” da banda e o histórico de exercícios dos outros personais que passaram por eles. Todos os anteriores seguiam a mesma linha de mesmice e exercícios que além de velhos, eram extremamente chatos e desestimulantes. Precisava urgentemente pensar em um plano de ação, conseguia ver na cara de todos, menos , o tédio e a falta de interesse naquele tipo de situação e atividade.

ㅡ Nossa, esse treino de vocês é péssimo ㅡ disse levantando o olhar das folhas e olhando os garotos.
ㅡ Todo exercício é ㅡ , o baixista disse, sem nenhum pingo de animação.
ㅡ Isso não é verdade ㅡ protestou. ㅡ Essas coisas que vocês vinham fazendo, me desestimula só de ler. E olha que minha vida toda praticamente passei dentro de uma academia, amo exercícios mais que qualquer pessoa que eu já conheci e isso é realmente deprimente ㅡ ela suspirou, sabia que algumas das atividades eram “essenciais” naquele meio. Mas existiam infinitas opções de treinos mais divertidos que trabalhavam igual e às vezes com melhores resultados.
ㅡ Olha, eu sou a pessoa mais otimista dessa banda, e concordo com , nunca em toda a minha vida eu conheci alguém que conseguisse me fazer amar academias e coisas do gênero ㅡ , o guitarrista principal disse, com um sorriso no rosto, mas uma desanimação na voz.
ㅡ Vocês não conhecem a , ela é incrível, vocês vão ver ㅡ disse tão animado, que era possível sentir a empolgação dele no ar.
ㅡ Lá vai mister maromba iludir a pobre, não somos um público fácil, meu amor, eu sinto muito ㅡ , o baterista disse achando graça do bico que se formou nos lábios do mais novo.
ㅡ Eu realmente não os culpo ㅡ disse com um sorriso e a animação quase tão palpável quanto a de . ㅡ E obrigada ㅡ os olhos arregalados de todos, incluindo do rapaz, se voltaram para ela quando o apelido sem querer saiu de seus lábios. Ela sentiu seu sistema nervoso congelar. ㅡ Quer dizer, , me desculpe ㅡ ela se curvou em desculpa.
ㅡ Tá tudo bem abriu aquele sorriso que ela tanto amava e mais uma vez sentiu algo gelar dentro de si, dessa vez foi o estômago. ㅡ Eu gostei de , ninguém nunca me chamou assim. E eu estou te chamando de desde antes de te conhecer, então ㅡ ele riu alto e contagiante.
ㅡ Me desculpem mesmo, não vai voltar a acontecer ㅡ ela não sabia onde enfiar a cara.
ㅡ Não , é sério, não somos esse tipo de pessoa que tratam os outros como inferiores. Acredito que tenhamos todos uma idade similar, e falar formalmente o resto de vida de maromba que nós temos por aqui, vai ser um saco ㅡ disse, abrindo um sorriso convidativo.
ㅡ Tudo bem então ㅡ se sentiu mais segura. ㅡ Tudo bem nos tratarmos meio que informalmente por aqui? Torna realmente meu trabalho mais dinâmico e aproxima mais ㅡ ela abriu um sorriso, menor dessa vez.
ㅡ Eu apoio, mas só se eu receber um apelido diferente também ㅡ disse, abrindo um sorriso tão lindo, que podia jurar que raios de sol se esconderiam de inveja de toda aquela energia.
ㅡ Sinto muito, , mas eu só consigo te chamar de . O de . E o de ㅡ ela riu um pouco acanhada, não sabia se todos sabiam que ela gostava do som deles, e o que pensariam se descobrissem.
ㅡ Tudo bem, eu aceito, mas só porque um passarinho me contou que você é nossa fã número 1 ㅡ disse rindo. O clima era de descontração e se sentiu aliviada por aquilo.
ㅡ Exatamente ㅡ ela sorriu grande dessa vez. ㅡ Fiquem a vontade para me chamar do que quiserem, , , treinadora, amor da minha vida, rainha dos ringues, dona do mundo.

Todos na sala não conseguiam parar de rir daquela piada que a mulher soltou.

ㅡ Então, todos de acordo se eu resolver mudar tudo nessa rotina de treino de vocês? ㅡ tinha a atenção de todos os homens naquela sala para si, que concordaram com a cabeça silenciosamente para a pergunta dela. ㅡ Ótimo, e se eu provar para vocês que se exercitar é legal, o que eu ganho? ㅡ ela olhou um a um nos olhos.
ㅡ Deveria ganhar um prêmio Nobel ㅡ disse, atraindo risadas para seu comentário.
ㅡ Realmente, com o trabalho que vai ser fazer com que esqueçam essa porcaria que vinham fazendo ㅡ ela fez uma careta engraçada. ㅡ Vão pensando aí, em algo super legal para quando isso acontecer ㅡ deu uma piscadinha. ㅡ Então, vamos ao último tópico, eu estou morrendo de fome ㅡ falou pegando novamente sua agenda eletrônica nas mãos. ㅡ Vamos lá, levanta a mão para a Titia, quem vai querer aulas de Boxe?

Somente levantou a mão, tão afobado, que quase caiu da cadeira. Foi uma cena linda, e quase caiu na gargalhada. Sentiu mais vontade de rir ainda, quando revirou os olhos ao ver o amigo todo desesperado.

ㅡ Poxa, como assim pessoal, só o vai querer? ㅡ fingiu estar decepcionada.
ㅡ Eles não sabem o que vão perder, . Sua melhor versão, em minha opinião, é quando está treinando e ensinando boxe ㅡ os olhos dele brilhavam, pode realmente ver que ele não gostava só de boxe, como conhecia bem ela, seus vídeos e talvez até seu passado antes de criar o canal.
ㅡ Mr maromba é só o mesmo, mas quem sabe no futuro, se as aulas forem diferentes e a gente gostar mesmo ㅡ disse sincero.
ㅡ Perfeito então, se desejarem mais essa atividade no futuro, eu encaixo vocês ㅡ sorriu, queria provar, àquela altura mais que nunca, o quão eficiente era e porque eles deveriam confiar nela. ㅡ Eu tenho o número de vocês aqui nos formulários. Entro em contato quando tudo estiver pronto, tudo bem? ㅡ ela estava animada enquanto falava. ㅡ Estão dispensados.

Todos agradeceram o tempo e toda aquela coisa de primeiro contato, e foram sabe-se lá deus para onde. continuou onde estava por mais um tempo analisando tudo e terminando de organizar seus horários.
Mais tarde naquele dia, já tinha ajeitado tudo com os outros personais e nutricionistas. E tinha chegado em casa mais animada do que imaginou. Pelo quanto que tinha andado pela aquela agência atrás de cada um dos profissionais e o quanto colocou a mente para funcionar em questão dos horários que achou que chegaria pronta pra dormir. Mas havia chegado antes das amigas, então comprou comida para o jantar e separou os recicláveis, queria adiantar a coleta do lixo para o dia seguinte, pois não tinha mais tanto tempo livre como antigamente.
Limpou a casinha do pipoca e, depois do jantar, ainda conseguiu dar atenção ao animalzinho, que mesmo tendo um temperamento difícil, e fingindo que não se importava, ele sentia falta das longas horas pela manhã que passava atormentando a alma dele.




Três meses tinham se passado e já tinha se adaptado tão bem a nova rotina, que parecia que trabalhava para a Magic sua vida toda. Falava com todos os funcionários. Fazia piadinhas com o Choi. Conhecia cada canto daquela agência e sobre o The Rabbits, era como se ela fosse integrante da banda, eles a adotaram como mascote do grupo e mais que personal, a mulher tinha virado amiga, confidente, orácula e opinião primordial para a tomada de decisões, tais quais mudança de corte e cor de cabelo. Roupa para sair e provavelmente serem fotografados por aí. Sentiam-se tão à vontade na presença da mulher, que conversavam coisas sobre novos projetos e essas coisas na frente dela.

ㅡ Eu não quero uma foto de estúdio, todo álbum é a mesma coisa, são sete anos, gente ㅡ disse fazendo um bico enquanto fazia seu tempo na esteira.
ㅡ Você quer o que, ? ㅡ perguntou do aparelho do peck deck parando sua sequência para tentar entender o que o amigo queria fazer.
ㅡ Esse álbum é especial para a gente. Nossas músicas são obras 100% nossas, expondo nossas almas, medos e amores. Vamos ter disco de Vinil, tudo já engajado, fora a grande tour em comemoração aos sete anos. Todos nossos fãs sabem que o 7 é o nosso número da sorte segundo a numerologia, concordo com o , devíamos fazer algo diferente ㅡ disse ofegante, tinha acabado seu treino de jump e estava se hidratando.
ㅡ Fotos pessoais, tiradas por nós mesmo? ㅡ , jogou a pergunta, mais como uma sugestão do que uma questão na realidade. Estava pleno em seu aparelho de spinning
ㅡ Não sei, acho que pode parecer que estamos fazendo coisa de preguiçoso ㅡ disse, ainda com sua sequência em pausa.
ㅡ Hey, chamou a atenção do mais velho. ㅡ Fala e continua a sequência, ou então fala depois ㅡ o tom dela era sério, mas não brusco ou hostil.
ㅡ Sim, senhora capitã! ㅡ bateu continência para a mulher que riu e voltou ao seu aparelho.
ㅡ Que tal uma arte desenhada para a capa e uma animação para o clipe de divulgação? ㅡ disse, enquanto colocava em uma nova sequência no Stepper.
ㅡ Isso é interessante demais, mas estamos com previsão de lançamento para o mês que vem, como vamos achar um profissional bom pra fazer isso? ㅡ perguntou olhando para a mulher.
ㅡ Eu gostei também dessa ideia ㅡ disse, não parando de se exercitar dessa vez.
ㅡ Eu também ㅡ concordou.
ㅡ Ah, é a nossa alma agora, eu disse pra vocês que essa mulher era incrível ㅡ disse abrindo o maior sorriso do mundo, enquanto limpava o suor em uma toalha que estava em seu ombro.
ㅡ Gado ㅡ disse, simulando uma tosse e recebendo um olhar fuzilador do mais novo.
ㅡ Eu adoro ver os dois bolinhos de laranja se bicando e tudo mais, mas eu sou eficientíssima mesmo sim, obrigada por sempre acreditar em mim , tamo junto ㅡ ela deu uma piscadinha para o rapaz e ele abriu outro sorriso maravilhoso que toda vez que ele fazia aquilo, tinha vontade de dar na cara dele pelo desrespeito. ㅡ Eu conheço alguém simplesmente maravilhosa, competente, linda, cheirosa e talentosa. Que está enfiada em uma editora de webtoons que só explora a bichinha ㅡ disse empolgada levando água para que todos eles se hidratarem mais um pouco.
ㅡ Então ela não vai ter tempo pra gente ㅡ disse em um tom desanimado
ㅡ Ou, a magic poderia contratar ela para fazer os serviços de design e produção de animação da empresa, quem sabe montar uma seção de webtoons, ou sei lá, a garotada adora essas coisas, e de lambuja, vocês tem o privilégio de trabalhar com a melhor artista que mora atualmente aqui na cidade ㅡ respondeu empolgada. ㅡ Vou mandar o portfólio dela pra vocês por e-mail e depois quem sabe eu não converse com o Choi, mas fica a critério de vocês ㅡ ela trocou a música da playlist para uma mais energética e começou a dançar de maneira desengonçada, enquanto prestava a atenção nos meninos. ㅡ Sem moleza vamos, ainda temos um almoço pra comer daqui meia hora.

Pouco tempo depois daquela conversa, menos de uma semana com mais exatidão, já era a mais nova contratada da Magic Ent, que tinha adorado o projeto detalhado que os meninos apresentaram a eles, com ajuda de e estavam trabalhando em mais uma ou duas ideias que ela deu para que contratassem a amiga, eles já vinham pensando sobre o assunto, e aquela era à hora de colocar em prática.

ㅡ Vocês são insuportáveis ㅡ disse se jogando na cadeira da mesa.
ㅡ Ué? De graça? ㅡ riu ao ver a cara fechada da amiga.
ㅡ A gente a tira daquela exploração que ela chamava de trabalho, pra ela poder postar os trabalhos dela livremente na Magic e é assim que ela nos trata ㅡ fingiu um tom magoado.
ㅡ Vocês estão me explorando ㅡ ela cruzou os braços em protesto fazendo um bico.
ㅡ Eu só pedi pra você pegar o frango lá na portaria, olha quem tá de drama agora ㅡ disse rindo e abrindo as sacolas com a comida que tinham pedido
ㅡ É a convivência com vocês, eu não aguento mais ver a cara de vocês ㅡ disse ainda no embalo do drama, pegando sua salada que acompanhava o frango que pediu e enfiando um pouco na boca.
ㅡ Deus, até parece ㅡ caiu na risada com a boca cheia de comida. ㅡ Você não vive mais sem a gente, tá treinando pra virar atriz na Magic, é?
ㅡ Não, é sério, eu não aguento mais vocês, é aqui em casa, é almoço no trabalho, é encontros aleatórios no corredor, é o nome de vocês sendo citado toda hora na minha sala enquanto eu trabalho no projeto com aqueles meninos da banda do coelhinho e com o Jae, que vai dublar a primeira animação que a Magic vai lançar e quis acompanhar o processo de produção desde o início. Sério, os namorados de vocês não me dão um minuto de paz ㅡ ela parecia realmente de saco cheio.
ㅡ Como assim os namorados de vocês? Eu não namoro! ㅡ estava entretida demais em tentar não sujar a toalha de mesa com o molho que pingava de seu frango.
ㅡ O insuportável do senhor coelhinho não para de falar de você ㅡ revirou os olhos. ㅡ “Será que a vai gostar desse sombreado?” ou então “A disse mesmo que eu fico bem com essa cor, tá perfeito” que saco, pega logo esse macho, não aguento mais ele falando de você de cinco em cinco minutos.
ㅡ Então, bem vinda ao meu mundo, meu anjo ㅡ disse depois de tomar sua cerveja. ㅡ O não para de falar de você nos meus treinos. “Porque a é realmente muito talentosa” “porque eu vou pedir pra ela fazer um design pra vender na minha marca de roupas” “ela fica tão linda concentrada” bom, esse último ele pediu pra não contar, mas agora já foi ㅡ ela olhou para a amiga que tinha as bochechas vermelhas.
ㅡ Ai, ai, o amor ㅡ suspirou e depois caiu na risada.
ㅡ Nada a ver! ㅡ e disseram juntas e riu ainda mais
ㅡ Ahaam, comam logo que hoje é meu dia de limpar as coisas e eu estou morta, quero dormir ㅡ a mais nova disse, terminando de enfiar o resto de sua sobremesa na boca

Algo realmente tinha mudado naquela empresa com a chegada das meninas, o clima parecia mais leve e querendo ou não alguns artistas mais comprometidos e dispostos a ajudar. Não que fosse obrigação deles ou que eles não fizessem nada, mas estavam sendo mais estimulados a fazer, e isso era ótimo, não só pra empresa, mas para o crescimento profissional de todos.




ㅡ O que eu vou ganhar se eu conseguir completar aquele treino? ㅡ perguntou a enquanto dava golpes curtos no saco de areia que a mulher segurava, para que o exercício de resistência fosse mais eficaz.
ㅡ Meu querido, você está há mais de três meses me enrolando com seu overhand horroroso, se você conseguir fazer toda a sequência sem nenhum erro até o próximo treino, que no caso já é amanhã, porque semana que vem eu vou dedicar toda ao e o preparo para o novo personagem dele, eu que mereço um prêmio ㅡ disse rindo. ㅡ Mais rápido, sem moleza.

Os golpes de eram ágeis e fortes, estavam treinando a pouco mais de seis meses, e ele adorava os treinos de boxe, claro que ele gostava de todo o tempo que passava na academia e principalmente o tempo que passava com a mulher, mas ali, quando ele atravessava todo o estresse do mundo, ele se sentia renovado e sempre o fazia rir. Ele era muito disciplinado e esforçado, sabia que ele praticava sozinho as vezes ou usava um dos meninos de cobaia quando ela estava de folga ou ocupada com outra pessoa, porque sempre que ele voltava para o ringue com ela, ele estava melhor e melhor. já tinha aprendido o golpe em questão há algum tempo, ele só fazia charminho porque assim, conseguia aulas extras com , como aquela que ele estava tendo. Sabia que a mulher tinha todo um cronograma de treinos e que não desistiria de fazer com que ele aprendesse aquele dentro de seu cronograma, para que seguissem para os próximos. entendia porque daquela urgência de ficar perto dela, ela fazia bem a ele, sua energia contagiante, sua força de vontade, seu cheirinho de sabonete, o cheiro de seus cabelos, seus grandes olhos. Tudo e absolutamente tudo em o fazia querer estar mais e mais perto dela. Talvez ele já tivesse se apaixonado por ela antes de conhecer, só de acompanhar seu trabalho online, talvez ele tenha se apaixonado por ela na primeira vez que se conheceram na sala do Choi, ele não sabia quando começou a acontecer ao certo, mas sabia que estava sentindo e não aguentava mais esconder, foram meses difíceis para ele, fingindo que estava tudo bem e esperando que aquele sentimento passasse. Ele também não sabia se ela gostava dele daquela maneira e aquele passo poderia acabar com a melhor parceria que o grupo já tinha arrumado em termos de exercícios e essas coisas. Mas ele não conseguia mais esconder de todos e dele mesmo que estava caidinho de amor pela personal.

— Eu estou falando sério, disse, ainda firme na sequência.
— Você está me dizendo, que não acertou o treino hoje, mas quer fazer uma aposta que vai conseguir amanhã? Você tá variando das ideias? — ela riu e ele riu junto.
— Exatamente! — ele abriu um sorriso satisfeito.
— Tá bom, eu aposto, o que você quer ganhar se conseguir? — ela segurou o saco de areia e fez um sinal para que ele parasse de bater no objeto, para que eles conseguissem combinar a aposta de maneira calma.
— Eu quero um beijo — as palavras saíram mais rápido da garganta dele do que ele gostaria, mas já que o tinha feito, se aproximou da mulher, abraçando o outro lado do saco de areia, ficando somente com o objeto separando o corpo dos dois, retirando as luvas.
— Você não precisa fingir que não sabe um treino, só pra me beijar, disse, entrando, no que ela achava até então que era uma brincadeira do mais novo. Por que, onde na história do mundo, um cantor, lindo, famoso, talentoso, amado e desejado, por milhares de pessoas, estaria afim dela? Mas ela não recusava um flerte de graça, era o hobbie dela.
— Não brinca com isso, , permaneceu abraçando o saco de areia com um dos braços e com o outro, alcançou o rosto da mulher e acariciou o local de maneira leve, chegando com o rosto mais perto do dela.

quase entrou em estado de choque, o tom na voz dele, definitivamente não era de brincadeira ou nenhum outro que ele tenha usado com ela antes, se ele estava realmente falando a verdade, ali naquele momento, era capaz da alma dela deixar o corpo e sabe-se lá como seguiria sua vida.

, eu... — ela colocou a mão sobre a dele, que estava em seu rosto e fechou os olhos com as caricias do rapaz.
— Desculpa , eu juro que tentei não sentir, eu tentei não estragar tudo, mas eu acho que já era apaixonado por você, antes mesmo de te conhecer pessoalmente, nem sei se isso é possível — ele aproximou mais o corpo e o rosto do dela.
— Eu... — ela não conseguia pensar em nada. O cérebro parecia que tinha entrado em curto e nenhuma palavra entendível sairia dos lábios dela naquele momento. Era irreal que aquilo estava acontecendo. Geralmente as pessoas zoavam os dois, mas já estavam acostumados, era normal, né? Afinal, não era normal uma amizade entre um homem e uma mulher, tão próxima como a deles, na sociedade em que viviam. Ela nunca iria pensar que ele realmente gostava dela, daquela forma.
— Eu não vou te pedir nada, e não quero que a nossa amizade mude por isso, por favor, eu só não aguentava mais não colocar isso para fora — deu um beijo no rosto dela, por falta de resposta efetiva e pelo quanto ele a sentiu nervosa, tinha entendido, ou interpretado o recado que ela estava dando.

Afinal, nem todo mundo era apaixonado por ele, e nem seria um dia, ele estava acostumado com aquilo. Quando ele afastou um pouco os corpos, deu um passo à frente e voltou a diminuir o espaço entre eles.

— Não , não é isso — ela conseguiu que o cérebro trabalhasse a seu favor, para explicar o que tinha acontecido. — Eu só, eu... Uau, eu não acredito que você gosta de mim — respirou fundo e olhou nos olhos dele.
— Como as pessoas não se apaixonariam por você, ? Você é incrível, é forte, é dedicada, é carinhosa, amorosa, super sociável. Além de inteligente, esperta, tem uma visão extraordinária e ainda é mamãe do Pipoca — ele abriu um grande sorriso enquanto falava aquelas coisas e continuou sustentando o olhar no dela. — Linda, apaixonante, cativante, eu posso ficar aqui te elogiando para o resto da minha vida, mas eu queria aproveitar esse tempo com coisas mais interessantes — ele voltou com a mão para o rosto dela e acariciou.
— Coisas mais interessantes, é? — grudou mais os corpos e subiu as mãos para a cintura do rapaz. — Eu também sei e só pra deixar registrado, eu também gosto de você, meu anjo.

Ela quebrou totalmente a distância que os lábios dele estavam dos dela e iniciou um beijo calmo, cheio de amor, desejo e urgência, era irreal a forma com que as bocas se encaixavam, como as línguas pareciam dançar juntas dentro das bocas, como o gosto era bom.
Do lado de fora da sala que eles usavam para os treinamentos, passos e uma conversa animada podiam ser ouvidos nitidamente, menos por eles que estavam tão envolvidos naquele sentimento, que parecia que só existiam os dois na face da terra.

— Acredito que eles já estejam prontos para comer, não aguento mais esperar por... — parou de falar no momento em que abriu a porta e deu de cara com a cena dos dois emaranhados naquele beijo.
— O que foi que... — estava prestes a perguntar para a mulher o que tinha acontecido, quando deu de cara com a mesma cena. — PELO AMOR DE... — tapou a boca dele, mas era tarde demais, ele tinha falado aquilo tão alto, que fez com que e tomassem um susto e partissem o beijo.
— Foi mal gente — disse, tentando não soltar uma risadinha, tentando puxar para fora da sala sem sucesso.
— Então é por isso que você gosta tanto das aulas de boxe, meu querido? — depois que sua boca foi destampada, disse rindo muito.
— Cala a boca , a gente treina sério aqui — disse, meio envergonhado.
— Estamos vendo! — disse, caindo na risada,
! — percebendo que o mais novo estava ficando encabulado, chamou a atenção da amiga.
— Tanto faz o que vocês fazem em suas horas juntos, eu quero saber se os pombinhos secretos vão comer agora com a gente ou não — , disse ainda em meio a algumas risadas.
— Parem com isso, vamos sim, certo ? — estendeu a mão em direção ao mais novo, para que, se, ele concordasse, a pegasse.
— Claro, eu estou faminto — ele entrelaçou os dedos aos delas e a bolha de amor que os envolveu no beijo, voltou a aparecer.
— E para a informação de vocês, dois trouxas, essa foi a primeira vez que a gente ficou — disse sem dar uma risadinha, enquanto passava pelos amigos na porta, indo em direção ao longo corredor.
— Mas se depender de mim, com certeza, não será a última — disse, mais confortável com a presença dos outros dois.




— Foi exatamente isso! — disse, concordando com o que tinha acabado de contar para os outros amigos, que estavam sentados – incluindo, , Jae, e os outros meninos da banda – na mesa do refeitório da empresa.
— Droga! — puxou a carteira e puxou algumas notas, entregando para , que sorria gloriosa.
— Ah, não! — disse em um tom de revolta. — Não acredito que estavam apostando a nossa vida amorosa.
— Claro que a gente estava, bom, pelo menos eu e o , já que os outros gadinhos, acharam que seria falta de respeito — disse, contando as notas de maneira exagerada, para dramatizar o momento.
— E, é?! — fazendo uma afirmação que também parecia uma pergunta.
— Tô nem aí, vocês, duas portas quadradas, não enxergavam que o outro estava sentindo, quando até o Choi está me devendo um dinheiro agora por causa disso, e vocês nada — guardou o dinheiro na bolsa e disse, sem nenhum arrependimento na voz.
— Tomar conta das próprias vidas não era uma opção satisfatória não? — disse jogando uma bola de guardanapos usados na amiga.
— Não! — ela respondeu rindo. — Mas o que importa agora é que acabou esse cu doce, agora podemos enfim viver em paz.
— Cala a boca minha linda! — riu também.

Não podia negar que era uma situação engraçada e ela adorava absolutamente como eles viraram um grupo de amigos, sempre viviam juntos pelos corredores quando tinham algum tempo vago, ou almoçavam, lanchavam ou tomavam café juntos, mesmo quando não o grupo todo, sempre tinha alguém com alguém e aquilo era realmente maravilhoso. não sabia o que seria dali em frente com , mas queria muito aproveitar cada momento e fazer daquele momento em diante os melhores da sua vida. Esperou por mais tempo que deveria para ser feliz com quem ela gostava, e agora que era correspondida, não deixaria a oportunidade passar.

UM ANO DEPOIS...


— Não amor, eu não sei, ele não dormiu aí? — disse ao telefone, enquanto levantava lentamente da cama. — Ela me disse que eles iam sair para dançar, como sempre faziam as sextas, talvez ela saiba onde ele foi — se levantou, foi até a casinha do pipoca, quando constatou que o animalzinho ainda dormia, não o pegou para levar para a sala, que era para onde estava indo, antes de bater no quarto da amiga. — Eu sei , eu também estou preocupada, ele não te atendeu? — caminhou pelo corredor, poucos metros, a porta de seu quarto era mais próxima da sala do que o das meninas. — Estou indo na cozinha colocar a água do meu chá pra ferver, antes de acordar... ela — parou no meio do caminho entre a sala e a cozinha, quando viu uma jaqueta que não era de nenhuma das meninas, uma carteira e um celular sobre a mesinha de centro. — Amor, não desliga, eu vou te colocar na espera, que eu quero testar uma coisa.

Ela então colocou o namorado na espera e chegou mais perto do aparelho, quando resolveu discar para o número do rapaz que seu namorado procurava, para ter certeza de sua teoria. Assim que começou a discar, a luz do aparelho se acendeu e um “ Melhor Treinadora Do Mundo <3”. O aparelho só vibrou em sinal de estar no modo silencioso e colocou a mão na boca quando um gritinho de animação saiu sem sua permissão de sua garganta. Quando estava voltando com na ligação, viu alguém vir correndo do corredor até onde ela estava.

— O que aconteceu, ? — perguntou ainda meio desnorteada, assustada pelo grito que a amiga deu.

Quando ela ia responder a amiga e contar as novidades pro namorado, viu e saírem do quarto da mulher, ela vestindo apenas uma camiseta larga e ele as cuecas pretas, ambos com a mesma cara que .
Quando viu os dois naquelas condições e pior ainda, lá, com os cabelos bagunçados e cara de sono, não aguentou e deixou um gritinho similar sair da garganta.

— O achei, amor — voltou a falar no telefone com . — Ele está seguro aqui em casa, e eu acho que temos mais um casal para o grupo — ela riu, olhando os amigos que não sabiam onde enfiar a cara naquele exato momento. — Te ligo mais tarde então, meu denguinho. Te amo.

Só deu tempo de ela desligar o celular e cair na risada, a crise de riso que a pegou durou tempo demais e ninguém entendeu porque daquilo. Mas para era engraçado demais, sabia que os amigos tinham alguma coisa, mas pensou que era só admiração mesmo, já que tinha passado tanto tempo desde o primeiro contato deles e nada, absolutamente nada tinha acontecido.

— Desculpa acordar os pombinhos secretos — disse depois que conseguiu controlar a crise de riso. — É que meu digníssimo namorado estava preocupado com o companheiro de casa dele, que não mandou uma mensagem dizendo se estava vivo ou morto, mas pelo que parece ele está bem vivo, e goza de plena saúde — ela terminou rindo, depois de olhar o amigo de cima a baixo.

não conseguia parar de rir, escondia o rosto atrás das costas de e a mesma olhava com um olhar fuzilador a amiga.

— Vai cuidar da sua vida, — ela disse seria
— Hahaha! Tá vendo como é legal, minha flor do campo — mandou um beijo no ar para amiga e seguiu seu caminho até a cozinha para colocar seu chá no fogo. — Vou preparar o café!

Foram as últimas palavras dela, que continuava rindo, antes dos três amigos seguirem para os quartos onde estavam anteriormente para se prepararem para a refeição e as piadinhas de , que demorariam a cessar.




Fim.



Nota da autora: Assim como quase todas as fanfics que eu escrevo com o BTS as inspirações aparecem de coisas que eles postam nas redes sociais. Então eu juntei o cover de never not que o Jun fez, com os vídeos dele praticando boxe e pensei: “porque não uma pp maravilhosa, lutadora e apaixonada por ele?” pois bem, e aqui estamos, eu querendo beijar esse macho mais que tudo e querendo adotar um coelho porque PIPOCAAAAA A MAMÃE TE AMA, e é isso, essa fic é só meu sonho eternizado nessas palavras, tudo que eu queria, lutar boxe, namorar o Jeon e ter um coelho.

ps: Ah minha lista de fic vai estar aí embaixo, mas vocês conseguem achar também, tanto clicando no ícone do Facebook que vai te direcionar ao meu grupo de autora (ta pequenininho ainda rs, não reparem), quanto clicando no ícone do Obsession, que dá acesso a minha página de autora no site. Meu tt ta sempre disponível também. Vocês podem me gritar por lá, aqui pela caixa de comentários ou onde me acharem kkkkkk

AH NÃO DEIXEM DE COMENTAR, ISSO É MUITO IMPORTANTE PARA SABERMOS SE ESTAMOS INDO PELO CAMINHO CERTO NESSA ESTRADA, AFINAL O PÚBLICO É NOSSO MAIOR INCENTIVO. MAIS UMA VEZ OBRIGADA POR LEREM, EU AMO VOCÊS. BEIJOS DA TIA JINIE.



Outras Fanfics:

SHORTFICS:
Baby How You Like That [Restritas – Kpop – Shortfics]
Baby, I Like You [Kpop – BTS – Shortfics]
Baby, I Want You Forever [Kpop – BTS – Shortfics]
Baby We Have A Happy Ending [Kpop – BTS – Shortfics]
Do What We Do [Kpop – Restritas - Shorthfics]
Eyes, Nose, Lips [Kpop – BigBang – Shortfics]
Put'em Up [Restrita – Outros – Shortfic]
Yerin’s First Xmas [KPOP – EXO – Shortfics] Colaborativa (Assemble: EXO)
Fairy Of Jazz [KPOP – BTS – Shortfics]
Scenery [KPOP – BTS – Shortfics]
Médium [Restrita – KPOP – Shortfics] Jikook

FICSTAPES:
02. Teenager [Ficstape #104: GOT7 – 7 for 7]
02. Enough [Ficstape #196 – GOT7: Present – You]
02. Nobody’s Perfect [Ficstape #122: Jessie J – Who You Are]
02. Amigos Con Derechos [Ficstape #204 – Ahora: Reik]
03. Crazy 4 U [Ficstape #148 – Move – Taemin]
03. 잡아줘 (Hold Me Tight) [Ficstape #103: The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever]
03. Let Go [Ficstape #178 – BTS – Face Yourself]
03. Trivia: Love [Ficstape #181 – BTS – Love Yourself: Answer]
04. Até o Sol Quis Ver [Ficstape #137: Exaltasamba – Ao Vivo Na Ilha da Magia]
04. Clap [Ficstape #120: Seventeen: Teen, Age]
04. Game [Ficstape #193 – Super Junior: Time Slip]
05. HOME [Ficstape #200 – BTS: Map of the Soul – Persona]
06. Good Day For A Good Day [Ficstape #108: Super Junior – Replay]
07. Magic Shop [Ficstape #133: BTS – Love Yourself 轉‘Tear’]
07. 소름 Chill [Ficstape #111 – EXO – The War]
07. Shift [Ficstape #112 – Shinee – 1 Of 1]
07. OI [Ficstape #149: Monsta X – Shine Forever]
07. Dengo [Ficstape #150: AnaVitória – AnaVitória]
08. Tonight (오늘밤; feat. Zico) [Ficstape #119: Taeyang: White Night]
08. Made It [Ficstape #196 – GOT7: Present – You]
09. Retro [Ficstape #168 – SHINee – The Story of Light]
10. Fire [Ficstape #103: The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever]
11. I Want You [Ficstape #168 – SHINee – The Story of Light]
12. Undercover [Ficstape #168 – SHINee – The Story of Light]
12. Fine [Ficstape #196 – GOT7: Present – You]
16. Not Today [Ficstape #080: BTS – You Never Walk Alone]

MUSIC VIDEO:
MV Beautiful Liar [Music Vídeo - KPOP]
MV Darling [Music Vídeo - KPOP]
MV Sexy Trip [Music Vídeo - KPOP]

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus